Coluna – Daniel Pereira garante salários até fevereiro de 2019, depois disso, só Deus sabe…

Desgaste

A falta de sintonia entre a classe política e o eleitor no processo eleitoral deste ano ficou evidente em Rondônia, principalmente nos cargos legislativos. A assembleia legislativa teve uma renovação de 50%, a bancada federal quase toda. Mesmo assim, deputados e senadores, quando alertados sobre mudanças no comportamento dos eleitores, seguiram com os mesmos erros e táticas, deu no que deu. A maioria fica desempregada em 2019.

Desafios

A nova bancada terá alguns desafios grandes pela frente. Atualmente o Estado tem uma série de assuntos inacabados junto à União. Transposição, Beron e recursos para investimentos em todos os setores são alguns dos ítens da pauta. Na semana passada, Daniel Pereira, junto com a representação do Estado em Brasília conseguiu manobrar para garantir recursos e quitar as folhas de pagamento de novembro, dezembro, janeiro e fevereiro. Precatórios que deveriam ser pagos terão que esperar, assim como alguns fornecedores. A prioridade é quitar salários.

Salvação

Da bancada, composta por 8 deputados federais e 3 senadores, a partir de 2019 podemos ter certeza da atuação combativa de três deputados, Léo Moraes, Expedito Netto e Jaqueline Cassol. Já no Senado, poderemos contar com certeza com Marcos Rogério, que apesar de algumas polêmicas, sempre se mostrou firme em suas posições e defende o Estado. Gurgacz vai estar fragilizado, se seguir no mandato, e caso seja cassado, seu suplente, o advogado Gilberto Piselo nunca foi testado politicamente. E Confúcio Moura, todos conhecem e é ele o principal responsável pelo caos financeiro que se encontra Rondônia.

Jaqueline?

É. Apesar de ser estreante no Congresso, Jaqueline Cassol ocupou cargos complicados na estrutura do Estado, foi diretora do Detran, é advogada e sempre teve posição marcante acerca dos temas que estarão em pauta a partir de 2019. Sabe se impor quando necessário e passa longe do deslumbramento que costuma cercar os novatos. Léo Moraes, por sua vez já provou que consegue atuar em várias frentes ao mesmo tempo. Expedito Netto que conquistou seu próprio espaço como protagonista em diversos momentos tumultuados, como as reformas atrapalhadas do governo Temer. E Marcos Rogério, que como deputado honrou o mandato, conseguindo projeção nacional positiva e que certamente no Senado vai conseguir ser firme nas questões que Rondônia precisa.

Os demais

Silvia Cristina e Coronel Chrisóstomo terão que mostrar para que foram eleitos. Mauro Nazif…bem, é Mauro Nazif. Lúcio Mosquini passou o primeiro mandato em “adaptação” e pode ser que no segundo mostre resultado e Mariana Carvalho, bem, vai depender da agenda…

Transposição

Apenas uma parte dos servidores que tinha direito à transposição já conseguiram ingressar nos quadros da União. Existem uma série de discussões a respeito do período 1987/1991. O ponto é que, Rondônia virou Estado em 1981 e até 1991 a União mantinha as despesas. Ocorre que a União quer transpor apenas quem ingressou até 1987, um ano antes da promulgação da Constituição, mas o correto seria até 1991, ano em que o Estado assumiu as despesas. Roraima e Amapá conseguiram, mas o Estado ficou fora e a atual bancada não conseguiu resolver o problema, conforme havia alertado Ivo Cassol quando assumiu o senado, há oito anos. A nova bancada (leia-se Léo, Jaqueline, Netto e Marcos Rogério), acompanhada de quem mais se interessar pelo tema, deverá convencer o novo governo a assumir esse pessoal, e incorpora-los a União. É um processo complicado, ainda mais levando em conta o atual fluxo de caixa…

Beron

A União quer cobrar uma dívida que é impagável, e mesmo assim o Estado sangra mensalmente. O Beron tinha uma dívida de pouco mais de R$ 24 milhões e sofreu uma intervenção do Banco Central, que indicou uma nova diretoria. Sob essa gestão, a dívida chegou a mais de R$ 100 milhões e atualmente, levando em consideração o ritmo atual de juros, multas e acréscimos sobre as parcelas que são pagas, o montante pode chegar a  R$ 19 bilhões. A bancada terá que negociar com a Secretaria Nacional do Tesouro, com Banco Central e Advocacia Geral, além do Supremo Tribunal Federal, para tentar extinguir essa dívida, que nunca foi do Estado, foi causada pela própria União.

Investimentos

O próximo governo, independente de ser Haddad ou Bolsonaro, terá que lidar com a quebradeira dos Estado, e Rondônia está na fila. O Estado precisa de investimentos em todas as áreas, mas alguns pontos são extremamente sensíveis, como saúde e educação. Atualmente três obras estão paralisadas em Rondônia, o hospital de Guajará-Mirim, de Ariquemes e o Heuro, em Porto Velho. Além disso, é preciso construir um novo pronto socorro, o João Paulo II está defasado desde sempre. Porto Velho continua sem saneamento assim como os demais municípios e a bancada ainda vai se deparar com outro ponto, a privatização da Caerd e da Eletrobrás Rondônia. A primeira vem sendo gerida por um servidor de carreira que conseguiu amenizar todo o estrago que tinha sido feito por Confúcio e sua turma. A segunda foi vendida, mas a empresa que comprou desacelerou após o Senado suspender a venda de distribuidoras Brasil afora. A questão deverá ser retomada pelo Congresso em 2019.

Com esse cenário

Entraremos o próximo ano, e a bancada terá papel fundamental em todo o processo. O novo governador, seja ele Expedito ou Marcos Rocha, terá que ter habilidade para conduzir todas essas negociações e principalmente, unir a bancada em prol desses temas, que se arrastam há tempos.

Debates

E nesta quinta-feira,25, a TV Rondônia promove o debate entre os candidatos Expedito Júnior (PSDB) e Marcos Rocha (PSL). Este será o terceiro confronto entre eles neste segundo turno. A previsão é que ocorra após a novela da faixa das 21 horas. Na sexta, 26, os candidatos se enfrentam novamente e pela última vez, na TV Allamanda (SBT) a partir das 12h20min com previsão de encerrar às 14 horas.

Estudo aponta que pessoas altas têm risco maior de desenvolver câncer

Pessoas altas têm um risco maior de desenvolver câncer, em parte porque elas têm mais células para que a doença se espalhe, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira. Pesquisadores nos Estados Unidos analisaram a população em três continentes e descobriram que o risco de câncer em homens e mulheres é 10% maior para cada 10 cm de altura. O câncer se desenvolve quando o controle normal pelo corpo das células deixa de funcionar, abrindo caminho para o desenvolvimento de células cancerígenas que se manifestam como tumores. O estudo, publicado na revista “Proceedings of Royal Society B”, sugere que o risco de desenvolver diferentes tipos de câncer é mais provável em pessoas altas, simplesmente porque eles têm mais células e, portanto, maior probabilidade que essas células se tornem cancerosas.  Acredita-se que alguns mamíferos, como elefantes e girafas, cujos corpos têm mais células do que animais menores, desenvolveram defesas adicionais contra o câncer. Mas não há evidências de que isso funcione da mesma maneira em indivíduos como seres humanos. A altura média varia por região, mas nos Estados Unidos, a média para os homens é de 176 cm e para as mulheres de 162 cm. Os pesquisadores já estabeleceram que pessoas altas têm um risco maior de câncer em geral. Mas o estudo de Nunney sobre populações nos Estados Unidos, Europa e Coreia do Sul mostra que esse é provavelmente o caso porque elas têm mais células onde algo pode acontecer. Em particular, pessoas de maior estatura têm um risco maior de desenvolver melanoma porque têm uma proporção maior de células e simplesmente mais pele do que pessoas de estatura média. No entanto, o risco de câncer de estômago, bucal ou cervical em mulheres parece não estar relacionado à altura.

Coluna – Depois de muita sabotagem, Confúcio e sua turma “colam” em Maurão e vão atrapalhar

E ainda, Caerd vence ação milionária contra prefeitura de Ariquemes e os pedidos de impugnação do Ministério Público Eleitoral

Dando a largada

Nesta quinta-feira, a partir das 20 horas, o ex-senador Expedito Júnior (PSDB), candidato ao governo de Rondônia realiza o lançamento oficial de sua campanha, no cruzamento das avenidas Jorge Teixeira com Amazonas, nem Porto Velho.

Digitaram errado

Pimenta de Rondônia, candidato ao governo pelo PSOL em coligação com o PT, aparecia no sistema de registros de candidaturas do TRE com uma fortuna declarada de R$ 12 milhões, mas segundo informaram foi um erro de digitação. O patrimônio de Nascimento Antônio da Silva, também conhecido como “Pimenta de Rondônia” na verdade é de R$ 120 mil. Só que no sistema do TRE ele continua milionário.

Enquanto isso

O Ministério Público Eleitoral (MPE) em Rondônia deu início a uma série de pedidos de impugnação, inclusive do candidato ao governo Acir Gurgacz. O senador bem que tentou desmentir a ação do MPE, acusando os veículos que divulgaram a informação de disseminar notícias falsas, tática que vem sendo adotada por todos os políticos que se deparam com qualquer informação que lhe seja desfavorável. Além de Gurgacz, o MPE pediu as impugnações de Carlos Magno, Laerte Gomes e Joviano Batista Ribeiro. A partir da próxima quarta-feira, 22, o Tribunal Regional Eleitoral deve começar a julgar os pedidos de indeferimento. A Corte fará também sessões extras para dar conta das ações.

R$ 60 milhões

É quanto a prefeitura de Ariquemes terá que pagar à Caerd de indenização. O valor foi estabelecido no processo 0004580-98.2011.8.22.0002 da 4ª Vara Cível de Ariquemes. Os valores da indenização estabelecidos na Sentença são: R$ 33 milhões referentes às estruturas operacionais e administrativas; R$ 9,9 milhões de investimentos; R$ 16 milhões referentes à faturas; R$ 44.352,98 de financiamentos a cobrar; R$ 6.645,07 de créditos a realizar; e R$ 198.381,11 referentes a faturas não pagas, totalizando aproximadamente R$ 60 milhões. A decisão é de 26/04/2018 mas a gestão anterior da CAERD não havia divulgado.

O caso

Trata-se de uma ação que a CAERD moveu contra a prefeitura de Ariquemes, onde relata que em janeiro de 2011 foi criada a autarquia municipal SANEARI; sendo que em 04/03/2011 servidores do município invadiram à força o escritório da empresa, a CAERD alegou ainda que não houve cumprimento das exigências legais para retomada dos serviços por parte da Prefeitura. Um dos pedidos nesta ação era justamente o pagamento de indenização do patrimônio da CAERD, que o município tomou posse e não indenizou. A CAERD fundamentou o cabimento da indenização no artigo 37 da Lei nº 8.987/95, que define esse procedimento de retomada do serviço pela prefeitura com encampação, que pode ser feito “após prévio pagamento da indenização”.

E tem mais

Situações semelhantes, de retomada dos serviços pelas prefeituras sem qualquer indenização, ocorreu também em Pimenta Bueno e Rolim de Moura. A CAERD pretende tomar todas as medidas legais cabíveis, inclusive ações rescisórias se for o caso, para cobrar as indenizações desses dois municípios. A atual diretoria entende que houve negligência da gestão anterior na defesa dos interesses legítimos da CAERD em relação ao seu patrimônio, que foi expropriado sem as indenizações previstas em lei.

Sem ataques

Maurão de Carvalho quer que “as eleições sejam realizadas com lisura, sem ataques e com propostas concretas para a sociedade rondoniense”. O candidato do MDB disse que “espera uma campanha limpa, sem ataques e sem que hajam manobras ilícitas para tentar ludibriar a opinião pública. Vou trabalhar para mostrar as minhas propostas durante o período eleitoral e conto com o apoio dos amigos, dos militantes dos partidos coligados”. Vai ser difícil Maurão escapar das bordoadas, e não é nem por ele, mas pela turma do Confúcio que anda cercando o candidato ao governo querendo tirar vantagens políticas caso ele seja eleito governador.

Comemorações

Quando Confúcio Moura e sua turma deixaram o governo, ocorreram manifestações de alegria nas redes sociais, algumas tímidas, temendo que eles ainda tivessem influência sobre a gestão de Daniel Pereira. E quando o atual governador começou a “fazer o limpa” na equipe, a alegria foi geral. Maurão corre o risco de atrair toda a rejeição deixada por Confúcio. Mas é difícil para essa turma entender que acabou. Eles andam cercando Maurão intensamente. Curioso é que eles nunca gostaram de Maurão, mas agora inventaram essa fantasia de “chapa da união” como se isso resolvesse os problemas deixados pela desastrosa gestão.

Maurão precisa

Descolar sua imagem dessa turma. Ninguém quer esse bando de Confúcio de volta ao governo. Renovação é a palavra dessa eleição. Maurão tem que assumir o controle de sua campanha eleitoral, estabelecer um ritmo próprio e uma equipe competente para organizar seus projetos. Essa turma ai é mais do mesmo.

Rombo de 240 meses

E o governador Daniel Pereira se viu obrigado a estender a dívida do falido Beron por mais 240 meses. Serão parcelas mensais de R$ 11 milhões, que estarão fazendo falta para saúde, educação, segurança e obras de infra-estrutura, de uma conta criada de forma criminosa pela União.

Gordura abdominal em idosos e declínio cognitivo

Um novo estudo usando dados de mais de 5.000 indivíduos descobriu que uma medida da gordura da barriga (relação cintura / quadril) estava associada à redução da função cognitiva em adultos irlandeses mais velhos (> 60 anos de idade). Esses achados têm implicações significativas à medida que se prevê que a prevalência global de demência aumente de 24,3 milhões em 2001 para 81,1 milhões em 2040. Isso pode ser explicado pelo aumento da secreção de marcadores inflamatórios pela gordura da barriga, que foi previamente associada a um risco maior de cognição prejudicada. Pelo contrário, o índice de massa corporal (IMC) demonstrou proteger a função cognitiva. O IMC é uma medida bruta da gordura corporal e não pode diferenciar entre massa gorda e livre de gordura (músculo), portanto, é proposto que o componente de massa livre de gordura seja provavelmente o fator de proteção. Embora saibamos há algum tempo que a obesidade está associada a consequências negativas para a saúde, o estudo acrescenta evidências emergentes que sugerem que a obesidade e onde depositamos nosso excesso de peso podem influenciar nossa saúde cerebral. Isso tem implicações significativas para a saúde pública.

Coluna – Com dívida bilionária, Eletrobrás Rondônia quer fazer “encontro de contas” com Caerd

E ainda, bando de Confúcio encosta em Maurão de Carvalho para tentar se manter no poder e Carlos Magno troca o suplente

Só resta passar o tempo

Daniel Pereira iniciou sua curta gestão embalado com a idéia de reestruturar a segurança pública em Rondônia. Fez uma série de alterações na legislação, promoveu quase toda a corporação da Polícia Militar, mas de concreto mesmo em relação ao combate efetivo à violência, nada mudou. Nesta segunda-feira, a Delegacia da Mulher estava “sem sistema” pela manhã o que impossibilitava (sabe-se lá porque, já que deveriam ter um livro também) o registro de ocorrências. No último domingo, uma jovem de 18 anos que comemorava seu aniversário, foi morta por não ter entregue um celular a assaltantes, enfim, casos de violência por todo o estado, delegacias ainda em condições precárias e toda a problemática da segurança pública.

Além disso

Daniel Pereira descobriu, ao assumir o comando do Estado, que a turma de Confúcio e o próprio, arrebentaram com as finanças de Rondônia e deixaram os cofres vazios. Para Daniel e seu sucessor, só restaram prejuízos e contas milionárias para serem quitadas já a partir de 2019. Com um cenário desses, fica complicado para qualquer um pensar em fazer alguma coisa, sem contar que o tempo é curto, portanto, só lhe resta esperar o fim do mandato. Pelo menos uma coisa Daniel está fazendo certo, tirou todo o bando de Confúcio do governo e até a irmã do ex-governador, que sabe-se lá por qual motivo ainda anda causando constrangimentos lá pelas bandas da SEAS, deve ser defenestrada do cargo nos próximos dias.

Falando nisso

O bando anda cercando Maurão de Carvalho, que de uma hora para outra se viu pressionado pelo MDB a aceitar “o staff”  confuciano a seu redor. Todos com sorrisos amarelos tentando disfarçar o mal estar criado antes e durante a convenção do MDB e toda a pataquada protagonizada pela turma de Confúcio.

Olha essa

O governador Daniel Pereira esteve reunido na semana passada com a diretoria da Eletrobrás Rondônia e a nacional para discutir um “encontro de contas” na tentativa de “zerar” as dívidas de ambas empresas e poder privatiza-las. Nesta terça-feira Daniel Pereira estará em Brasília reunido novamente com a diretoria nacional da Eletrobrás. Só que nesta segunda, foi encaminhado para a Assembleia Legislativa um decreto autorizando as negociações. No encontro estavam Wilson Ferreira Pinto Jr (Eletrobrás Nacional), o presidente da ALE, Maurão de Carvalho, o senador Valdir Raupp, o presidente da Caerd, José Irineu, e Marcelo Reis de Carvalho (Eletrobrás Rondônia).

A CAERD

Deve muito dinheiro para a União, só que a Ceron deve mais ao Estado. No caso da companhia de águas, são débitos previdenciários, impostos e energia elétrica. A Eletrobrás Distribuição Rondônia, por sua vez tem dívidas com o Estado de ICMS, algo em torno de R$ 1,2 bilhão. A proposta é trocar uma dívida por outra e assim “zerar parcialmente as contas”. Como a Ceron deve mais ao Estado e atualmente ela é da União, feito as contas, o débito cairia para R$ 400 milhões que a União pagaria ao Estado em parcelas.  Dessa forma podem ser privatizadas tanto a distribuição Rondônia da Eletrobrás (que já tem até preço de mercado, algo em torno de cinquenta mil reais) e a Caerd. Vai depender apenas da Assembleia autorizar a negociação. Também fez parte da conversa um representante da Advocacia Geral da União.

Primeiro suplente

Amir Lando será suplente de Carlos Magno ao Senado, substituindo Ivo Cassol, esposa do senador Ivo Cassol. A troca foi autorizada pelo próprio Ivo. Amir Lando já foi senador, deputado federal e atualmente está filiado ao PSB. A nova ata, com nome de Amir já foi encaminhada ao Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia. O segundo suplente é Edson Luis de Melo Depieri, secretário executivo do Consórcio Público Intermunicipal, o CIMCERO.

Nova composição

Rosa Weber e Luiz Roberto Barroso assumem a presidência e vice-presidência do Tribunal Superior Eleitoral nesta terça-feira, 14, e isso não vai ser nada bom para o senador Acir Gurgacz. CLIQUE AQUI e entenda.

Qual a melhor posição para dormir, segundo a ciência

Da próxima vez que você estiver se revirando na cama em busca da posição ideal, lembre-se de uma coisa: os especialistas recomendam dormir de lado. Mas qual dos dois? Dormir dessa forma proporciona um descanso maior e facilita o funcionamento do nosso organismo melhor do que dormir de bruços, o que pode dificultar a respiração, ou de barriga para cima, o que joga o peso do corpo sobre as costas, por exemplo. No entanto, entre as duas posições laterais possíveis, há uma delas que traz mais benefícios. De acordo com a ciência, é melhor dormirmos sobre o lado esquerdo do corpo, algo que é especialmente válido para grávidas. Entenda a seguir por quê. É bom para o cérebro, Essa posição favorece a eliminação do excesso de proteínas, vitaminas, gorduras e resíduos, como os depósitos de proteínas beta-amilóides, altamente nocivos à saúde; Melhora a circulação sanguínea, nosso coração está do lado esquerdo do corpo, e dormir dessa forma impede a obstrução da artéria aorta, que bombeia sangue para o resto do sistema sanguíneo; Facilita a digestão, essa é uma simples questão do efeito da gravidade sobre nós. O estômago e intestinos grosso e delgado estão ligeiramente inclinados à esquerda. Então, deitar-se sobre esse lado do corpo faz com que os alimentos passem por esses órgãos mais facilmente.; Alivia o peso sobre a coluna vertebral, dormir sobre o lado esquerdo é especialmente recomendável para grávidas, já que assim o bebê não pressiona a veia cava, e o sangue circula melhor, fazendo chegar à placenta os nutrientes necessários.

Coluna – Ou Cláudia ou Confúcio, apenas um poderá ser candidato em 2018, saiba o motivo

E ainda, Caerd ressuscita e já está com os problemas quase todos resolvidos; e mais, Iacira é filmada quebrando a porta da sede do MDB

Inelegibilidade reflexa

Parece um palavrão, e de fato vai soar como tal nas orelhas de Confúcio Moura e a turma da baderna que lhe acompanha. A irmã de Confúcio, aprovada em convenção como candidata a deputada federal pelo MDB não pode se candidatar nas eleições deste ano exatamente por causa da inelegibilidade reflexa. Vou explicar, já que os advogados do MDB não conseguiram e vão fazer a turma pagar o mico da eleição 2018.

Vamos lá

De acordo com o art.14, § 7º da Constituição Federal, “são inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição”. No caso de Cláudia Moura, ela é irmã do governador, que foi reeleito e deixou o mandato este ano. Como ambos vão disputar uma eleição na mesma jurisdição (Estado), um deles terá que abdicar da candidatura. O entendimento está na (Res. n° 21.567, de 20.11.2003, rel. Min. Fernando Neves.) que tratou de um caso concreto envolvendo cônjuge de governador (no caso em tela podemos aplicar a parentes diretos).

Desenhando

No período de oito anos, que é a soma do mandato mais uma reeleição, nenhum parente do governante pode ser candidato a cargo eletivo na mesma jurisdição. A única exceção é para parente que já detém mandato e queira concorrer à reeleição. Em 2006 o Tribunal Superior Eleitoral respondeu a uma consulta do senador amazonense Jefferson Perez sobre o tema e ficou pacificado que vale mesmo se o governador ou prefeito se desincompatibilizar do cargo seis meses antes das eleições.

O objetivo

Do legislador foi evitar exatamente a perpetuação de grupos familiares no poder, pena que intenção não é o mesmo que a realidade. Mas ai algum desavisado vai falar, “e como que Valdir e Marinha Raupp podem?”, pois é, situação totalmente distinta, sem contar que eles são sempre candidatos à reeleição. E se um deles quisesse ser candidato ao governo, o outro só poderia candidatar-se ao mesmo cargo. Cláudia Moura não tem mandato, e no que depende da Constituição, vai continuar sem pelos próximos quatro anos. A não ser que o irmão, em um arroubo de generosidade, resolva abdicar de sua sanha pelo Senado.

Falando nisso

Vídeo que circula internet gravado no dia do “quebra-quebra” do MDB pelos baderneiros de Confúcio, mostra a ex-presidente da Caerd, Iacira Azamor, enlouquecida batendo nos vidros da sede do partido. A Caerd ela não conseguiu quebrar, mas a porta do MDB, sim. A Iacira, para quem não conhece é a loira que aparece logo no início do vídeo com um pedaço de pau na mão batendo no vidro. Confere ai.

Enquanto isso

A nova Diretoria da Caerd comprova de que Confúcio queria mesmo era vender a empresa à preço de banana no mercado. A companhia consegue sim ser viável, e mais, com planejamento a médio e longo prazo ela vai dar retorno ao tesouro estadual. Com pouco mais de 60 dias a nova gestão, comandada pelo funcionário de carreira José Irineu Cardoso, a CAERD já conseguiu normalizar boa parte dos problemas da empresa. O principal que era a folha de pagamento, que chegou a ter 5 meses em atraso, já deve ser finalizado em meados de Outubro, quando o pagamento deverá ser feito dentro do mês. Em Porto Velho o problema de fornecimento de água foi resolvido com uma simples escora de ferro que dá sustentação a adutora do bate-estaca, que agora passou a ter pressão maior e vem causando algumas rupturas nas encanações. Outra situação importante, tem sido revisão contratual das empresas terceirizadas que fornecem insumos e prestam serviços de Corte, Ligação e Religação. A fiscalização passará a ser feito por funcionários da Companhia, medidas que devem melhorar a arrecadação e com isso passar a pagar os débitos deixados por Iacira.

E olha essa

Na semana passada o Tribunal de Contas do Estado requisitou da Caerd uma lista de processos para análise, foi necessário uma caminhonete para retirar todos os volumes requisitados, porém, nem todos foram encontrados, o que vai gerar um inquérito policial. Outra coisa que chamou a atenção é que depois de exonerado, um ex-comissionado apareceu na sede da CAERD para entregar um processo que estava em sua residência. Questionado sobre o porquê do processo estar com ele, respondeu “é que a presidente (Iacira) pediu para eu analisar e ter um cuidado especial com esse processo”.

Duas ações

E o ex-governador Confúcio Moura a protocolou duas ações na justiça contra o deputado estadual Hermínio Coelho (PCdoB) uma é um “pedido de explicações” e a outra por calúnia, injúria e difamação. Hermínio pode até ser ruim de discurso, se atrapalha, mas mentiroso não é. Resta saber o que ele anda dizendo por ai. Confúcio, nos últimos tempos anda bastante preocupado com o que falam dele, só não explica nada. Se fez de gato morto no escândalo da ponte de Izequiel Neiva, nas desapropriações milionárias dos desabrigados das enchentes, sobre a dívida do Beron deu um showzinho em vídeo no Facebook e não falou mais no assunto.

Cidadania

Tão logo acabou a quebradeira na sede do MDB, no sábado, o ex-chefe da Casa Civil Emerson Castro pegou um saco de lixo e saiu catando a imundície feita por seus amiguinhos na rua do partido. Gente maldosa diz que o tapa dado por Tomás Correia durante o evento foi por causa da sujeira…

Listão

O Tribunal de Contas do Estado liberou o listão dos gestores com contas reprovadas ou com parecer prévio contrário à aprovação de contas (vale lembrar que o nome de Confúcio só não está lá por conta de uma liminar do TJRO). Por lá, velhas figuras carimbadas da política rondoniense. O listão é grande e para conferir, é só CLICAR AQUI.

Canabinóide derivado do ômega-3 pode ter ação anticancerígena

Novas pesquisas sugerem que o analgésico natural do corpo, o “sistema endocanabinóide”, também pode ter propriedades de combate ao câncer quando “ativado” pelos ácidos graxos ômega-3. Os endocanabinóides são moléculas que, juntamente com seus receptores, podem ser encontradas em todo o corpo – em nossos cérebros, órgãos, tecidos e até em nossas células imunológicas. O sistema endocanabinoide trabalha em conjunto com o sistema nervoso e o sistema imunológico para reduzir a dor e a inflamação da mesma maneira que a cannabis (maconha) reduz a dor, mas sem os efeitos psicotrópicos da planta. Porque este sistema interno foi encontrado para ter propriedades semelhantes ao químico canabinóide externo derivado da cannabis, foi nomeado “endocanabinóide” pelos cientistas na década de 1960. Em pesquisa anterior publicada em 2017, a Prof. Das e seus colegas descobriram um grupo de metabólitos de ácidos graxos ômega-3 – ou subprodutos do metabolismo – chamados epóxidos endocanabinóides (EDP-EAs). Como alguns estudos sugeriram que a cannabis tem propriedades de combate ao câncer, os pesquisadores queriam ver se os endocanabinóides que ocorrem naturalmente teriam o mesmo efeito. Portanto, eles examinaram o comportamento de EDP-EAs em um modelo de mouse de osteossarcoma, que é uma forma particularmente agressiva de câncer ósseo. Os cientistas descobriram que os ratos com tumores cancerígenos que se espalharam para os pulmões tinham 80% mais EDP-EAs em seus tecidos pulmonares do que roedores saudáveis. Descobriu-se que os endocanabinóides matam as células cancerígenas – embora não tão eficientemente quanto as drogas quimioterápicas padrão. No entanto, os EDP-EAs também impediram que os vasos sanguíneos fornecessem aos tumores o sangue rico em nutrientes de que necessitavam, o que impedia o crescimento dos tumores. E, mais importante, os EDP-EAs impediram que as células cancerígenas viajassem para outras partes do corpo e interagissem com outras células. A principal causa de morte por câncer é impulsionada pela disseminação de células tumorais, o que requer a migração de células. Como tal, terapias que têm o potencial de impedir a migração celular também podem ser úteis para retardar ou inibir as metástases. O consumo dietético de ácidos graxos ômega-3 pode levar à formação dessas substâncias no corpo e pode ter alguns efeitos benéficos.

Coluna – Falta de água para população de Porto Velho era proposital; atual gestão da Caerd resolveu problema em 15 dias

E ainda, Cira Moura segue no governo e as “fake news” do Diário da Amazônia e as de Confúcio

Ninguém entendeu

O governador Daniel Pereira deixou que Cira Moura, irmã de Confúcio Moura componha sua equipe. Ela está respondendo pela Secretaria de Ação Social (SEAS) e o clima por lá anda pesado. Cira é contumaz em assediar moralmente os servidores públicos e em pelo menos três ocasiões no passado recente a máquina governista, ainda sob o comando de seu irmão, conseguiu abafar denúncias, transferindo gente e ajeitando umas gratificações para que não fossem feitos registros. Uma das denúncias narrou episódios inclusive de alterações de voz por conta de suposto consumo de álcool em horário de expediente. Cira nem é uma técnica que preste serviço único, o que ela faz por lá, qualquer outra pessoa poderia fazer.

Daniel Pereira

Ainda não entendeu que tem coisas que precisam ser extirpadas do serviço público, e a família Moura inclui-se nessa relação. Já causou prejuízos demasiados ao Estado…

Aliás

Falando em Confúcio, nos últimos dias ele tem dado entrevistas à imprensa e em um desses programas de rádio fez o que ele chama de “balanço positivo de seu governo”. Chegou a dizer que logo no início de seu primeiro mandato recebia “propostas indecorosas”, mas que nunca respondeu a nenhuma delas. Mas ele de fato não precisava responder não, seu cunhado fazia isso. Respondeu tantas que acabou preso. Confúcio tem a incrível ousadia de tentar descolar os malfeitos de sua gestão da sua pessoa. Não Confúcio, conta a história direito, diz assim, “eu não respondia, mas tinha um pessoal que fazia isso por mim, o que rendeu cadeia e inúmeros processos”, fica mais bonito. E ficaria ainda melhor se seguisse o conselho de Ivo Cassol e passasse a pedir desculpas ao povo de Rondônia pelas lambanças que andou fazendo ao longo dos últimos sete anos e quatro meses.

Confúcio também

Resolveu dizer que estão criando notícias falsas a seu respeito. Por “fake news” ele quis dizer aquelas verdades que são publicadas e lhe incomodam, como o rombo deixado por ele em relação à dívida do Beron, os esquemas que foram revelados por seu ex-assessor José Batista, preso por corrupção e mais uma centena de rolos que vieram à tona, a maioria por aqui. Lembram do caso das desapropriações, do escândalo das empresa de consignados, da ponte do Anel Viário, das doações da JBS, da roubalheira no Espaço Alternativo, ufa…

Por falar em malfeitos

A CAERD, aquela companhia que Iacira Azamor a mando de Confúcio tentou inviabilizar de forma criminosa, vem conseguindo reagir graças a nova diretoria. Quer ver um exemplo? Em Porto Velho vinha faltando água sistematicamente em diversos pontos da cidade. A atual gestão, sob o comando do ex-vereador de Pimenta Bueno José Irineu conseguiu resolver a questão. Sabem qual era o problema? Na captação do Cai N’Água tem um encanamento flexível. Com o peso da água rompia-se a junção, e consequentemente o fornecimento era interrompido. Eles fizeram um suporte metálico que mantém o encanamento fixo e agora não rompe mais.

Com isso

A pressão da água aumentou em toda a cidade e vários lugares que não tinham, passaram a ter. A gestão de Iacira foi um dos casos mais escandalosos do governo de Confúcio Moura, o rombo deixado foi proposital. Para se ter uma idéia, a Caerd mantinha contratos de locação de veículos de luxo, de caminhões e camionetes que nunca tiveram uso, mas a empresa recebia mensalmente. A previsão de economia apenas com a extinção das gratificações e dos cargos comissionados, passa de R$ 1 milhão/mês. Nas próximas colunas vamos dar mais detalhes.

Devedores

A Caerd tem para receber apenas dos municípios onde atende, cerca de R$ 50 milhões. O rombo na empresa é de R$ 61 milhões. Além disso existe a inadimplência dos consumidores. A turma da Iacira não estava nem aí para esse tipo de coisa, já que a ordem era “quebrar geral”. Levantamentos preliminares apontam que a empresa é viável sim, o que falta é gestão e vontade governamental.

Registro

Nasceu na última quinta-feira, 14, Cecília, primeira filha do deputado federal Expedito Netto. É também a primeira neta da advogada Val Ferreira e do ex-senador Expedito Júnior.

Fake news

O jornal Diário da Amazônia está se tornando contumaz na produção de notícias duvidosas. A última pérola foi a que o senador Ivo Cassol teria se afastado do senado por “não conseguir responder a denúncias”(?) de onde tiraram isso cara-pálida? O afastamento de Cassol estava previsto a acontecer desde o ano passado, e chegamos a divulgar isso aqui mesmo na coluna, que ele se dedicaria a percorrer o Estado de olho nas eleições. Não gostar de Cassol é justo, mas inventar factóides para vender jornal que nem circula direito é esculachar com a imprensa. Tudo bem que a notícia não causou nenhum estrago, já que pouquíssimas pessoas se dão ao trabalho de comprar jornal em banca (quando acha), mas é apelação.

O que nos faz sentir coceira e por que queremos nos coçar?

É praticamente impossível ficar parado quando aquele comichão surge do nada. Mas de onde vem a sensação de coceira? E por que dificilmente conseguimos evitar nos coçar? O corpo reage a toxinas deixadas na pele – por exemplo, por insetos ou plantas – enviando substâncias químicas defensivas, como a histamina, à área irritada. É nesse momento que os sinais de coceira são enviados ao cérebro por terminações nervosas da pele. É o corpo reagindo a uma irritação – que pode ter várias causas. Entre elas, segundo a dermatologista britânica Anjali Mahto, há condições como “deficiência de ferro; para vegetarianos ou veganos, se tiverem baixos níveis de vitaminas ou nutrientes, como B12, e ácido fólico; se houver problemas com o funcionamento dos rins ou do fígado; se há um problema com o funcionamento da tireoide; a lista é longa”. Mas ela alerta ser importante saber “se há uma condição médica por trás disso”. Para isso, é necessário fazer um exame de sangue, explica. Além disso, sempre que possível, busque ajuda médica. Mas há dicas que você pode colocar em prática, como manter a pele refrescada, usar roupas de fibras naturais, passar hidratante e tomar anti-histamínicos. Também evite coçar demais o local, já que isso pode causar danos à pele. “Sua pele é uma barreira, mantendo as coisas boas para dentro e as coisas ruins para fora”, diz. “Se você coçá-la demais, suas unhas vão destruir essa barreira. É importante romper com esse ciclo vicioso de coçar a coceira”, acrescenta.

Coluna – Melki e Rosani afrontam a justiça e insistem com candidatura nula em Vilhena

E ainda, falta de bom senso entulha o judiciário rondoniense de ações inúteis; e a consolidação política de Laerte Gomes

Olha essa

Uma adolescente se deixou filmar fazendo sexo oral em colegas de escola. O caso teve repercussão em todo o estado e vários sites, incluindo PAINEL POLÍTICO, publicaram a história, mas todos se atendo ao fato em si, e a relevância se dá para que sirva de alerta aos demais jovens que caem nessa esparrela achando que a vida não tem consequências. Nenhum site divulgou nome ou sequer as iniciais da jovem, mesmo assim, acompanhada da família, ela procurou a Defensoria Pública para entrar com uma ação por “danos morais”.

A tal “produtividade”

Qualquer pessoa com mínimo de bom senso sabe que tal ação não poderia prosperar, tendo em vista que não havia nada que identificasse os envolvidos, e o defensor público deveria ter alertado a família para tamanha insensatez que seria tal ação. Não fez, pelo contrário, deu prosseguimento. O juiz de primeiro grau, claro, determinou o arquivamento exatamente pela falta de materialidade, a defensoria recorreu. O Tribunal de Justiça de Rondônia, com toda sensatez que lhe é peculiar, indeferiu o recurso, determinando o arquivamento. Mas o grande problema é que todo esse trâmite poderia ter sido evitado, simplesmente se o defensor tivesse aconselhado a fazer o certo, mas é nesse ponto que entra a tal “produtividade”.

É preciso bom senso

O judiciário anda abarrotado de ações sem nenhuma fundamentação plausível. A pessoa processa para ver se cola. Por vezes o processo é feito pela má-fé de alguns advogados que insistem “que cabe uma ação”, por outras a própria defensoria pública, e assim a máquina vai ficando cada vez mais lenta. Processar é fácil e barato, tem que mudar isso.

Volta por cima

O deputado estadual Laerte Gomes é um político que vem conseguindo manter uma carreira equilibrada e bem sucedida. Passou um aperto com o Ministério Público quando foi prefeito de Alvorada do Oeste, mas conseguiu provar na justiça que era inocente. Elegeu-se deputado estadual, foi líder do governo Confúcio, que apesar de desastroso tinha acesso ao legislativo graças a Laerte que conduzia com firmeza as questões do executivo. E na semana passada foi eleito o deputado mais atuante pela Associação Comercial e Industrial de Presidente Médici. A homenagem, segundo o parlamentar, é a consolidação do trabalho que ele tem realizado em todas as áreas da administração do município em parceria com o prefeito Edilson Alencar (PSDB).

Casa Civil

Por diversas vezes Laerte Gomes foi cotado para assumir a Casa Civil do governo Confúcio, mas sempre declinou do convite. Sua atuação lhe cacifou inclusive para disputar a prefeitura de Ji-Paraná, a segunda maior cidade do Estado e nos últimos tempos circula a informação que ele é um dos favoritos para assumir a presidência da Assembleia a partir de 2019, se for reeleito.

Campanha limpa

Em Vilhena, Eduardo Japonês foi escolhido pelo PV para disputar a eleição suplementar que acontece no próximo dia 3. E ele já colocou os “podres” na mesa se antecipando ao jogo sujo comum em processos eleitorais. E ele declarou que pretende jogar limpo, vai focar na apresentação de propostas, ao invés de fazer ataques aos adversários.

Afrontando à justiça

Já Rosani Donadon (MDB) que deu causa a nulidade da eleição, insiste em ser candidata, como uma afronta à justiça. Mas a idéia de Melki Donadon, pessoa que de fato conduz a candidatura de Rosani, é tumultuar o processo o máximo que puder. Uma consulta feita ao Tribunal Superior Eleitoral em 2017, de um caso em Petrolina de Goiás, de número 1017, mostra que a questão é pacificada na Corte, ou seja, candidato que deu nulidade ao pleito não pode concorrer à eleição suplementar. Diz o seguinte: 1 – Aquele que houver dado causa à renovação do pleito eleitoral não poderá concorrer na eleição suplementar. 2 – A inabilitação para participar do pleito suplementar pode decorrer de cometimentos de ilícitos na eleição anulada ou por haver sido indeferido o registro de candidatura – por inelegibilidade ou por ausência de condição de elegibilidade, e – em razão disso nova eleição deve ser marcada. Quer que desenhe agora?

O que se vê

É um total desrespeito e escárnio com a justiça quando o MDB realiza uma convenção e insiste em lançar uma candidata que não pode ser eleita, confundindo o eleitor mais desavisado e desacreditando o judiciário, que fica desmoralizado com esse tipo de conduta. Só por essa graça o MDB deveria ficar proibido de lançar candidatura.

Pelo indeferimento

Os advogados Nelson Canedo e Nilton Schramm, que representam o candidato Eduardo Japonês, estão entrando com pedido de indeferimento do registro de candidatura de Rosani Donadon. Realmente, essas velhas práticas rasteiras da política precisam acabar.

Parou geral

Os servidores da Caerd cruzaram os braços por tempo indeterminado. Eles estão há cinco meses sem salário. E não querem conversa com Daniel Pereira enquanto ele não exonerar a atual presidente, Iacira Azamor.

Mulheres que comem muito fast food podem ter mais dificuldades em engravidar, diz pesquisa

Mulheres que comem fast food com regularidade e deixam de lado o consumo de frutas têm maior probabilidade de desenvolver dificuldades para engravidar, segundo um estudo recém-publicado no periódico “Human Reproduction”. A conclusão é de que uma dieta nutritiva aumenta a capacidade reprodutiva. Uma pesquisa com 5.598 mulheres identificou que as que se alimentam de fast food quatro ou mais vezes por semana tendiam a demorar quase um mês a mais para engravidar do que as que comiam raramente ou nunca. É importante ressaltar, porém, que o estudo tem limitações: foi baseado na lembrança do que as mulheres entrevistadas (de Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e Irlanda) comeram antes de no mês anterior ao início de suas gestações dos primeiros filhos. Os pesquisadores descobriram que as mulheres que haviam comido fruta menos do que uma a três vezes em um mês levava, em média, um mês adicional para engravidar do que as que tinham o hábito de ingerir frutas três ou mais vezes por dia. Ao mesmo tempo, causou surpresa nos pesquisadores o fato de eles não encontrarem vínculos entre o tempo de engravidar e a ingestão de folhas verdes e peixe. Só foram identificados, portanto, os efeitos “protetores” das frutas: “Frutas e vegetais contêm uma variedade de antioxidantes e fitoquímicos que podem beneficiar a fertilidade”, diz a pesquisa. “Como apenas questionamos [as entrevistadas] a respeito de folhas verdes, e não de outros tipos de vegetais, não capturamos o consumo total de vegetais, potencialmente limitando [nosso conhecimento sobre] o impacto que eles podem ter na fertilidade.”

Coluna – Iacira fica na Caerd e Sindur não quer mais papo com Pereira, “tão medíocre quanto Confúcio”

E ainda, Jesualdo vai “mineiramente” conquistando espaço e Ivo Cassol segue costurando alianças

Fim do diálogo

O Sindicato dos Urbanitários não quer mais conversa com o governador Daniel Pereira (PSB), que eles agora consideram “tão medíocre quanto foi o de Confúcio ‘já foi tarde’ Moura“. O cessamento da conversa se deu em função de Daniel manter na presidência da Caerd Iacira Azamor, que, ao que tudo indica, tem “as costas quentes”.

Quebra tudo

Iacira vai ficar até o final do governo de Daniel Pereira, e segue “quebrando geral” a companhia para vendê-la à preço de banana. Uma figura do antigo governo de Confúcio andou intermediando algumas negociações com um grupo coreano. Mas os orientais só vão comprar se o preço baixar ainda mais. Ai a comissão da figura aumenta e o povo de Rondônia paga a conta, porque não se iluda, se privatizar, a conta vai aumentar.

Mais um ítem

E a partir de segunda-feira, 7, os trabalhadores da Caerd cruzam os braços por tempo indeterminado. Eles querem receber os 5 meses de salários atrasados e acrescentaram na pauta a destituição imediata de Iacira Azamor. Esse, aliás, é o pontapé para retomada de qualquer tipo de conversa com o governo. Um dos responsáveis pela permanência de Iacira foi o chefe da Casa Civil Eurípedes Miranda (aquele que todos achavam que tinha morrido e Daniel ressuscitou). Aliás, esse cargo virou uma curva de rio desde o primeiro mandato de Confúcio Moura…

Mineirice

Apesar de ter nascido em Presidente Bernardes (SP), cidade com pouco mais de 15 mil habitantes, Jesualdo Pires parece ter parentesco com mineiros, dado o modo como vem conduzindo o processo político de sua candidatura ao Senado. “Comendo quieto”, como se diz em Minas, ele vem pavimentando a estrada ao Planalto. E quem começa a sobrar nessa história é Confúcio Moura, que vinha sendo apontado como favorito, lembra mais um cavalo paraguaio, aqueles que largam na frente e sempre dão vexame na reta final.

O conselho da confusão

A culpa por toda a barulheira em relação à criação do Conselho LGBTTT em Rondônia cabe única e exclusivamente ao deputado federal Marcos Rogério, que, de forma distorcida e irresponsável, criticou a aprovação do projeto e “vendeu” como se causar um grave problema social. O Conselho, ao contrário do que andam pregando por ai, não vai onerar o Estado em um único centavo. Será composto por membros do Ministério Público, membros da Magistratura, da Universidade Federal de Rondônia e Ministério Público do Trabalho.

Porque é necessário?

Simples, é uma minoria que sofre com problemas criados pela intolerância, principalmente de alguns dos autoproclamados “cidadãos de bem”. Conselhos como esse já existem em 18 dos 27 estados. “Mas a Constituição já garante direitos iguais”. É verdade, mas se apenas ela resolvesse não teríamos estatuto do Idoso, da Juventude, dos afro-descendentes, e por ai vai. O que se tem feito é muito barulho para tentar conseguir angariar votos de desavisados e isso é feito distorcendo a informação. CLIQUE AQUI para ler o projeto aprovado pela Assembleia para entender do que se trata. De fato.

Parece queda de escada

A popularidade do prefeito de Porto Velho já desse jeito ai, ó:

https://youtu.be/xwiJ1bgEavM

Pior é que ele vai arrastando mais um monte de gente junto.

Quieto, mas se mexendo

Ivo Cassol anda se reunindo com integrantes de seu grupo político e costurando alianças para as eleições desse ano. E as conversas estão avançando em ritmo acelerado. A proposta é deixar tudo encaminhado, planos A, B e até o C, para evitar eventuais problemas de última hora. a questão é que alguns membros do grupo ainda demonstram resistência a alguns nomes que vem sendo postos. Mas a coisa deve fluir nas próximas semanas, com os prazos eleitorais se exaurindo.

Imperfeições da mordida estão entre os principais problemas odontológicos

Insônia, estresse, desgaste ósseo, inflamação na gengiva, dor de cabeça. A mordida pode dizer muito sobre uma pessoa. As imperfeições da mordida, também chamadas de oclusão dentária, estão na terceira posição entre os problemas de odontologia mais frequentes da população brasileira. O ideal é que os dentes superiores e inferiores encaixem. Os problemas mais comuns são a mordida aberta posterior e a mordida cruzada, em que a parte inferior da arcada fica à direita ou à esquerda da parte superior. A solução para consertar o problema muitas vezes é usar aparelho. São dois os caminhos: a ortodondia ou a ortopedia maxilofacial. As duas podem ser usadas juntas. A ortopedia trabalha com prevenção. Já a ortodontia corrige o posicionamento do dente. A mordida imperfeita traz alguns problemas. Ela dificulta a alimentação, respiração, sono e fala, além de poder gerar desconforto na ATM. A má oclusão pode começar na falta de amamentação no peito. Traumas, perdas dentárias pela cárie e problemas respiratórios também são causas de alterações de oclusão.

Coluna – Valor da energia elétrica no Brasil varia de acordo com a cara de pau dos governantes

E ainda, ex-servidor da ALE é denunciado na polícia por difamar presidente da Casa; e segue a novela da Caerd

Bravata

Determinar que o serviço público funcione em uma segunda-feira que antecede um feriado é uma ação tão ineficaz quanto enxugar gelo. Medida hipócrita e populista que não colabora em nada com a dinâmica estatal, até porque quem vai trabalhar vai chateado e por vezes termina não cumprindo a função como deveria. Qualquer pessoa que já tenha visitado órgão público nessas condições sabe bem que a coisa não anda. Achar que isso é ser um bom gestor, é um engano redondo. Mas ai alguém vai dizer, “lá na minha empresa vamos trabalhar, porque o servidor público não pode?”, simples, porque ele é servidor público e você é empregado ou empresário.

Maldade

Um ex-servidor da Assembleia gravou alguns áudios difamando o presidente da Casa, deputado Maurão de Carvalho, com futricas e atos rasteiros, que quem convive com Maurão, seja na Assembleia ou no dia a dia, sabe que são inverdades, atacando-o inclusive na vida privada. Ao tomar conhecimento do fato, o deputado registrou ocorrência policial e deve abrir processo cível contra o sujeito, que já responde por crimes de assédio sexual contra servidoras da Casa, o que resultou em sua demissão.

A culpa não é apenas do ICMS

As distribuidoras de energia do país inteiro, ao serem confrontadas pelos consumidores sobre os altos preços cobrados pelo serviço, costumam responsabilizar os governos estaduais, alegando que “o ICMS é o culpado”. E é, mas apenas em parte. Um rápido levantamento feito por PAINEL POLÍTICO em diferentes regiões do país (leitores enviaram as contas), foi possível perceber que a variação é brutal, mas isso reflete pouco no preço final da conta, até porque vários estados trabalham com faixas de impostos. Vou explicar.

Variação

Tomando por base a tarifa residencial, no Distrito Federal, por exemplo, consumidores de até 50 kWh por mês, estão isentos do ICMS, de 51 a 200, é cobrado 12% sobre o valor da conta, de 201 a 300, 18%, de 301 a 500, 21% e acima de 500, 25%. Em Rondônia, quem consome até 220kWh por mês, paga 17% sobre a conta, e acima disso 20%. No Rio Grande do Sul o consumo de até 50 kWh gera uma cobrança de 12% de ICMS e acima disso, 30%. No Acre, por exemplo, quem consome até 100 kWh, é isento de ICMS, de 101 a 140, paga-se 16% e acima disso 25%. No Goiás, quem consome acima de 80 kWh paga 29%. É bom ressaltar que estamos tratando apenas e somente do ICMS, apontado como o “vilão”, mas não é bem assim. a distribuição também colabora, e muito, no aumento da tarifa.

Mas, o problema mesmo

Está na má-vontade política de resolver a questão. No Brasil a população é extorquida na cara dura, e recebe um serviço, em sua maioria, porco por parte das companhias, sejam elas públicas ou privadas. Em Brasília, por exemplo, a CEB chega ao cúmulo de dar um prazo de 5 dias para religações, e acredite, eles religam no último minuto do quinto dia. Também tem quedas de energia, apagões e oscilações. Rondônia a situação é caótica e o cenário se repete nos demais estados. O problema energético é gravíssimo e ao que tudo indica, está longe de ser resolvido. Mas tão grave quanto isso, é o valor pago pelo cidadão.

Se rouba e perde

Uma das justificativas das companhias, que elas não detalham nas faturas, mas que todos nós pagamos, é o desvio e perda de energia elétrica. Calcula-se algo entre R$ 6 a R$ 8 bilhões por ano, e acredite, esse valor é rateado por quem paga direitinho. Mas o cerne da questão é que vivemos em um país onde grande parte da população tem baixa renda, e entre comprar uma lata de leite para o filho ou pagar a conta de energia, o cidadão não pensa duas vezes. E voltamos ao ponto onde o Estado brasileiro mata suas galinhas dos ovos de ouro. Se a energia elétrica tivesse um valor justo e mais acessível, a inadimplência e os desvios reduziriam drasticamente, mas prefere-se cobrar muito, perder muito e sufocar ainda mais.

Espaço na agenda

Iacira Moura conseguiu abrir um espaço em sua agenda presidencial e convocou para o próximo dia 4/5 a Assembleia Extraordinária da Caerd, que vai entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir do dia 7/5, conforme assembleias realizadas pelos servidores nesta quinta-feira. Eles estão sem receber desde janeiro deste ano.

Curioso

É que Confúcio Moura anda espalhando por ai que “deixou R$ 50 milhões no caixa do governo”.

E ai Daniel?

Daniel Pereira disse que “em 30 dias de seu governo a população sentiria a diferença na área da segurança pública do Estado”. Faltam apenas 10 dias para os 30, e até agora nem o coronel bombeiro foi exonerado. Se a tal “mudança” depender dessa turma que estava na gestão de Confúcio, salve-se quem puder.

Laboratório brasileiro testa vacina com resultado duradouro contra o câncer

Pesquisadores do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), do Centro Nacional de Pesquisa em Energia de Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), desenvolveram uma combinação de vacinas contra o câncer com resultados duradouros quando testada em camundongos. A vacina tem por objetivo estimular o sistema imune contra células tumorais que antes passavam desapercebidas. Uma vez detectadas, o próprio corpo passa a combatê-las. Esse tipo de estratégia já é conhecida e descrita na literatura médica. O que os pesquisadores brasileiros fizeram foi combinar diversas vacinas e observaram resultados promissores. Os ensaios do grupo de pesquisadores brasileiros estão sendo redimensionados para células humanas. O processo, até a aplicação em pacientes, poderá demorar até oito anos. Atualmente, o laboratório faz parcerias com outras instituições, a fim de receber tumores e sangue humano. A criação de vacina contra o câncer é um objetivo buscado por diversos pesquisadores. Elas foram inicialmente desenvolvidas pelo norte-americano William Coley (1862-1936), que fez experimentos no início dos anos 2000. Atualmente, o modelo mais bem sucedido é a vacina GVAX, testada em camundongos com células de melanoma injetadas na cauda. Normalmente, o tumor se desenvolve no pulmão e causa a morte do animal em aproximadamente 28 dias. O quadro é revertido com a aplicação da GVAX, que aumenta a expectativa de vida do animal. Apesar dos bons resultados em roedores, ainda não foi observado o mesmo desempenho da GVAX nos ensaios com humanos.