Coluna – Enquanto prefeito Hildon está na Espanha, crianças continuam fora da sala de aula por falta de transporte

News, de verdade

Mariana Carvalho passou a quarta-feira se explicando em programas televisivos sobre sua decisão de não enviar para Porto Velho os R$ 28 milhões que poderiam ser usados em obras de saneamento, dinheiro de emenda coletiva da bancada. Ela diz que é “fake news”, na esperança de “se limpar” junto ao eleitorado. O problema é que na reunião, além dos membros da bancada, estavam presentes prefeitos e assessores, e todos ouviram e confirmam a informação. Acusar PAINEL POLÍTICO de produzir notícia falsa não tem o menor fundamento. Nosso trabalho é reportar, por vezes opinar, mas inventar não.

Nota de bancada

Nesta quarta-feira, Mariana pressionou a bancada para que fosse emitida uma “nota conjunta” declarando que a informação é falsa, e que ela não disse o que disse. PAINEL POLÍTICO conversou na terça-feira com seis parlamentares que compõe a bancada e um assessor. Todos confirmaram a informação. Nesta quarta-feira, um dos membros, por telefone, afirmou que a deputada tem ligado para que seja produzida a nota e que alguns não concordam.

Sobre Mariana

Em termos de produção legislativa o maior destaque de Mariana Carvalho foi a alteração no Código Nacional de Trânsito que cria uma nova categoria de condutores, a dos carros automáticos. É dela o projeto que obriga a realização de provas para quem quiser dirigir veículos automáticos. No mais, a parlamentar rondoniense foi notícia nacional por frequentar festas e baladas caras na capital federal. Sobre emendas para Rondônia, ela não faz mais que a sua obrigação em destinar recursos, mas o que ela deveria mesmo fazer era puxar a orelha do prefeito de Porto Velho em relação à triste situação que se encontra a cidade.

Enquanto isso

Hildon Chaves, prefeito de Porto Velho está em Barcelona (Espanha) e sequer se deu ao trabalho de comunicar os vereadores da capital. Porto Velho está sem prefeito, já que Hildon rompeu com Edgar do Boi.

Ao mesmo tempo

Alunos da rede municipal continuam com o ano letivo prejudicado em função da falta de transporte. Essa é uma situação que a deputada podia (e deveria) intermediar. Se o município está com dificuldades em função de licitação, poderia muito bem pedir socorro ao Estado, que através da Polícia Militar Ambiental (que tem lanchas), Corpo de Bombeiros e até mesmo à Marinha e Exército, para que fizessem um esforço conjunto em levar essas crianças para a sala de aula. Isso é resolver problema, isso é ser político. Ficar de mimimi enquanto o povo sofre com saúde precária e falta de transporte de crianças é para político descomprometido com a sociedade. Deve ser por isso que Mariana Carvalho teve uma queda tão grande em sua votação.

Antes e depois

Hildon Chaves passou a postar em seu perfil no Facebook imagens do “antes e depois” de sua administração. A estratégia não tem dado certo, já que os eleitores entram nas postagens e tecem críticas à atual gestão. Quem quiser conferir é só ir lá no perfil do prefeito.

Refis ou perdão

O presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho vem buscando junto ao governo um perdão ou refinanciamento para multas ambientais que foram emitidas pela SEDAM. De acordo com Maurão, regiões como União Bandeirantes tem cerca de 80% dos proprietários com multas pesadas, o que inviabiliza financiamentos, empréstimos ou qualquer outra linha que os produtores buscam.

A idéia

É obter um desconto de 95% dos valores das multas, caso seja concedido o REFIS. Ou a totalidade, se der certo o perdão. Maurão declarou que o Estado pode abrir mão desse dinheiro, que poderia ser reposto com impostos recolhidos através dos novos negócios a serem gerados.

Liderança

Nos dias 3 e 4 de dezembro acontece no auditório do Tribunal de Contas do Estado o curso “Liderança Contemporânea”, ministrado pelo conselheiro Wilber Coimbra, segmentado para os servidores do Tribunal e aberto ao público em geral. O evento faz parte do Programa de Formação de Lideranças, da Escola de Contas e as inscrições podem ser feitas no http://www.tce.ro.gov.br/Sigiep/

Bactérias intestinais ajudam contra hipertensão

Cientistas já comprovaram que uma dieta rica em sal pode levar à doença cardiovascular, pois conforme o sódio se acumula na corrente sanguínea, o corpo retém mais fluidos para diluí-lo e, o coração e os vasos sanguíneos precisam trabalhar mais para bombear o volume extra de água. Isso pode enrijecer os vasos sanguíneos, potencialmente levando a hipertensão, infarto e derrame. Bactérias intestinais podem ajudar a proteger contra os efeitos de uma dieta rica em sal, de acordo com um estudo recente. Ele mostrou que tanto em ratos como em humanos, essa dieta encolhe a população de certos tipos de bactérias benéficas. Como resultado, células imunes pró-inflamatórias chamadas de Th-17 aumentam em número. Essas células estão associadas com hipertensão. Os pesquisadores mostraram também que o tratamento com probióticos pode reverter esses efeitos, mas eles alertam que as pessoas não devem interpretar isso como uma licença para comer o quanto sal queiram contanto que tomem um probiótico.

Com a presença de Mariana Carvalho, FIMCA inaugura laboratórios e clínicas em Jaru

Na noite da última terça-feira, 13, a faculdade FIMCA inaugurou em Jaru os Laboratórios e Clinicas do Bloco de Ciências da Saúde da Faculdade. O evento contou com a presença do prefeito, João Gonçalves Júnior, além da deputada federal Mariana Carvalho (PSDB) cuja família é proprietária da faculdade.

Durante os discursos, representantes da faculdade descreveram a alegria de poder estruturar seus acadêmicos com equipamentos modernos e que os atenderão com todo o aparato necessário.

A deputada federal Mariana Carvalho, que é filha de Aparício Carvalho, lembrou a importância de se ter estrutura física e tecnológica para desenvolvimento dos acadêmicos. A parlamentar reeleita, parabenizou acadêmicos e docentes, lembrando que Jaru é um polo importante para Rondônia.

Mariana obteve 897 votos em Jaru, na última eleição.

Coluna – Hildon Chaves não vai à Brasília por recursos, mas viaja para Espanha em busca da “cidade do futuro”

Cada eleição é uma eleição

Candidatos que foram bem votados nas eleições de 2018 estão se alvoroçando no sentido de candidatarem-se em 2020 ou 2022, acreditando que podem repetir ou ampliar a votação deste ano. Não é assim que funciona. Eleição não é uma ciência exata, pelo contrário, depende e muito, do momento político e por vezes uma simples frase pode mudar todo o rumo, como aconteceu aqui mesmo em Porto Velho em 2016, quando Hildon Chaves conseguiu viralizar a famosa “conheço bandido com dois minutos de conversa”. Portanto, ter sido bem votado em um pleito não quer necessariamente dizer que isso se repita no próximo, basta ver a disparidade de votos entre os reeleitos.

Magoada

Mariana Carvalho, deputada federal reeleita, está magoada com o eleitorado portovelhense. Em reunião da bancada, ocorrida na semana passada, ela deixou isso claro aos presentes. Declarou abertamente que “se dependesse de Porto Velho, ela não teria sido reeleita”. E, segundo testemunhas que estavam no local, ela indicou outro destino para os R$ 28 milhões que o grupo poderia destinar para a capital. Ocorre que, mesmo que a decisão de Mariana fosse diferente, a bancada esbarraria em outro problema, a prefeitura não enviou representante para a reunião, tampouco projeto. E Hildon Chaves foi um dos assuntos principais entre os demais prefeitos.

A capital

Foi contemplada ano passado com uma emenda coletiva no valor de R$ 132 milhões para obras de pavimentação. O dinheiro está na conta e mesmo assim a prefeitura só conseguiu executar R$ 82 milhões. O tal “deixa eu cuidar de você”, ao que tudo indica, era mais uma daquelas lendas que se contam em campanhas eleitorais.

Na Espanha

Hildon não foi a Brasília, tampouco enviou representante, mas viajou para Barcelona (Espanha) onde participa da 8ª edição do Smart City Expo World Congress. O evento é uma daquelas feiras com novidades para serem implantadas nas cidades. O problema é que Porto Velho ainda navega em problemas básicos, a falta de saneamento é um deles, a nossa rede é medieval. Enquanto o prefeito sonha com uma cidade do futuro, a população clama por uma cidade do presente.

Tem que valorizar

O novo governador Marcos Rocha (PSL) está cometendo um erro primário ao não valorizar o candidato ao Senado Jaime Bagattoli em sua equipe. Não que Bagattoli precise, ou tenha pedido, mas ele foi colocado de canto pelo círculo próximo a Rocha. Apesar de não ser político, o empresário vilhenense tem um canal direto com o setor produtivo, conhece as demandas e pode ofertar soluções. Rocha anda ouvindo quem não sabe de nada, mas diz que conhece tudo. Esse tipo de atitude é uma ponte para o fracasso.

Falando em Bagattoli

Acreditem, Confúcio Moura perdeu a eleição ao Senado. Mais de 50 mil votos do PSL foram considerados nulos para o Senado, em função dos eleitores terem marcado apenas o número 17 nas urnas na votação para os cargos de senador (é o tal do “votei no 17 de cima abaixo). Como na eleição para cargos majoritários o voto de legenda não conta, o empresário ficou fora, por uma diferença de 18 mil votos. Se conhecessem o número dele, a diferença teria sido de mais de 32 mil votos à favor dele. E Rondônia vai amargar a presença de Confúcio pelos próximos 8 anos no Senado. Mas o recado foi dado, #elenão.

Enquanto isso

Em Rondônia, procuradores recebem honorários sucumbenciais e administrativos de ações em que eles atuam. O Ministério Público do Estado ingressou com uma Ação Civil Pública alegando que esses valores deveriam retornar para o Estado e não para o bolso dos procuradores. Uma decisão liminar da Vara da Fazenda Pública fixou no teto do funcionalismo, o valor máximo para recebimento desses honorários, ou seja, se a ação for de R$ 5 milhões, mesmo que os honorários forem de 10% (R$ 500 mil), o procurador só receberia o teto (R$ 39 mil após o reajuste concedido pelo Senado).

O MP

Tentou um Termo de Ajustamento de Conduta para esses casos envolvendo os procuradores. Para o Ministério Público, o recebimento desses valores deveria ser divulgado publicamente e constar no contra-cheques dos procuradores. A maioria se recusou a aceitar o termo. Está criado o impasse. Mas, a coisa deverá ser revista em breve por instâncias superiores. Em fevereiro deste ano, uma decisão do juiz Bernardo Lima Vasconcelos Carneiro, da 15ª Vara Federal do Ceará estabeleceu que “repassar honorários de sucumbência a advogados públicos provoca enriquecimento sem causa, coloca os profissionais em situação de conflito de interesses em relação aos entes que representam e viola o princípio da remuneração por subsídio em parcela única”.

Verba remuneratória

Na decisão, o juiz Bernardo Vasconcelos Carneiro destaca que os honorários de sucumbência são verba remuneratória e não podem ser pagos a funcionários públicos. O artigo 135 da Constituição Federal diz que os integrantes das carreiras jurídicas de Estado devem ser remunerados por subsídio em parcela única invariável. E os honorários incrementam a remuneração dos advogados públicos de acordo com os casos que patrocinam, e conforme o valor da causa. “O esdrúxulo cenário jurídico instalado pelas mencionadas inovações legislativas é esse: na vitória do ente estatal, os honorários sucumbenciais pertencem aos advogados públicos; já na derrota, o pagamento da verba sucumbencial fica a cargo exclusivamente do Erário, vez que inexistente qualquer compensação entre esses ganhos e perdas.” O pagamento de honorários de sucumbência para advogados públicos foi incluído no Código de Processo Civil de 2015, no parágrafo 19 do artigo 85. Essas informações são do Conjur.

Respirar pela boca no exercício prejudica sua saúde bucal

Boca seca: atletas diminuem a produção de saliva, importante pelo seu efeito tamponante e reestabelecimento do pH ideal da mucosa oral, atuando como protetor dos tecidos da boca. Por isso hidrate-se sempre. Ponto positivo: um corpo saudável apresenta imunidade alta, uma ajuda para estar menos suscetível a desenvolver gengivite.  No entanto, atletas precisam ter cuidado extra com alguns pontos. Isotônico: opte por água e fuja dessa bebida e outras açucaradas que desgastam o esmalte do dente e podem causar cárie. Trauma: em esportes de contato é comum o uso de protetores bucais para evitar lesões nos dentes e gengiva.

“Se eu fosse depender de Porto Velho, teria perdido a eleição”, diz Mariana ao destinar recursos para o interior

A reunião de bancada ocorrida na semana passada em Brasília contou com a participação de prefeitos, além de deputados e senadores de Rondônia e foi marcada por uma situação complicada e críticas a atual gestão da prefeitura da Capital.

A deputada federal reeleita, Mariana Carvalho (PSDB) foi contra a destinação de R$ 28 milhões da emenda de bancada para Porto Velho. A parlamentar declarou aos presentes, “se eu fosse depender de Porto Velho para me eleger, teria perdido a eleição”, referindo-se à baixa votação que teve em outubro deste ano.

A proposta inicial era usar esse recurso para obras de saneamento na capital, defendida por Expedito Netto (que estava representado por um assessor) e Lindomar Garçon, mas Mariana, diante de todos os presentes, se negou, pressionando os demais para que o recurso seja utilizado na “compra de equipamentos”. PAINEL POLÍTICO conversou com cinco parlamentares que estavam presentes à reunião, e eles confirmaram o ocorrido.

Mas toda a bancada se queixou do fato da prefeitura de Porto Velho sequer ter mandado representante para discutir os recursos de bancada ou individuais, além do fato do município não ter dado conta de executar a emenda do ano passado, no valor de R$ 132 milhões que foram destinados à Porto Velho, “só conseguiram gastar até agora R$ 82 milhões e olhe lá”, disse um dos presentes.

A emenda de bancada foi dividida em blocos, e ficou definido que Raupp (Valdir e Marinha), Ivo Cassol, Luiz Cláudio destinariam sua parte para a região da Zona da Mata; Lúcio Mosquini, Marcos Rogério, Capixaba mandaram recursos para o hospital de Ji-Paraná e IFRO, de São Miguel do Guaporé.

Porto Velho sem projetos

A prefeitura de Porto Velho, comandada pelo ex-promotor Hildon Chaves (PSDB), além de não ter enviado representante para a reunião, também não apresentou nenhum projeto para a bancada. Os recursos enviados ano passado deveriam ter sido usados no asfaltamento de ruas, mas a prefeitura vem priorizando a região central, fazendo recapeamento em algumas avenidas. A cidade segue sem obras de infra-estrutura e agora no período de chuvas, as alagações devem voltar a fazer parte da rotina dos moradores.

Juíza vê abuso de Mariana Carvalho e manda retirar painéis que estavam no comitê

Candidata aproveitou paredes de vidro para fixar painéis gigantescos com sua foto

A deputada federal Mariana Carvalho, candidata à reeleição, tentou dar uma esperta mas a coisa não funcionou. A coligação “Juntos por um Novo Tempo para Rondônia II (PDT, PSB, DC, PP, PR, PTB, PTC e SD)” moveu representação com pedido de liminar contra a parlamentar por propaganda eleitoral irregular.

Aproveitando a fachada de vidro de seu comitê, ela fixou cartazes enormes que podiam ser vistos à distância, como se fossem outdors.

A juíza Úrsula Gonçalves teve o mesmo entendimento da coligação que fez a representação e acrescentou em seu despacho, “com efeito, das imagens apresentadas na inicial, à primeira vista, em juízo de cognição sumária, mesmo ausente termo de constatação, é possível verificar que foi veiculada propaganda eleitoral irregular com a utilização de painéis justapostos, produzindo efeito visual único”.

E concluiu, “diante do exposto, defiro parcialmente a liminar e determino que a representada retire os painéis de seu comitê situado na Av. Pinheiro Machado, nº 2481, Bairro São Cristóvão, nesta capital, só podendo recolocá-los após serem tomadas providências no sentido de que motoristas e pedestres que passem pelo local não consigam enxergar o seu interior. Em caso de descumprimento, fica sujeita à imediata apreensão do material, bem como à responsabilização pelo crime de desobediência eleitoral, nos termos do art. 347 do Código Eleitoral.

Determino a citação da representada, para, querendo, apresentar defesa no prazo de 02 (dois) dias (Resolução TSE nº 23.547/17, art. 8º), oportunidade em que deverá informar se o citado comitê é o seu comitê central de campanha.

Após, intime-se a Procuradoria Regional Eleitoral para emissão de parecer no prazo de 01 (um) dia (Resolução TSE nº 23.547/17, art. 12).

Publique-se. Intimem-se.

Porto Velho, 02 de setembro de 2018.

ÚRSULA GONÇALVES THEODORO DE FARIA SOUZA

Juíza Eleitoral Auxiliar – TRE/RO”

Coluna – A fantástica evolução patrimonial de Marcos Rogério e Mariana Carvalho

E ainda, moradores das áreas atingidas pelo decreto de Confúcio temem despejo

Aqui não

Confúcio Moura anda gravando seus programas eleitorais mas não está pedindo votos para Maurão de Carvalho, candidato do MDB ao governo. Confúcio nunca apoiou a candidatura de Maurão e fez o que pode para evita-la. Quando viu que era irreversível, empurrou o vice, Wagner de Freitas na chapa. Mas isso não é nenhuma garantia de “pedido de votos”. O discurso de “chapa da união” é apenas para inglês ver, no fundo, ele só está preocupado com a própria candidatura.

E as reservas?

O assunto esfriou na imprensa, mas a população das áreas afetadas pela criação de reservas ambientais no apagar das luzes do governo Confúcio continuam deixando os moradores dessas regiões apreensivos. Eles temem uma interferência de órgãos ambientais ou do próprio Ministério Público no assunto, que atualmente está sendo discutido no Tribunal de Justiça. O maior temor é o de perderem suas casas e propriedades.

Falando em TJRO

Nesta sexta-feira a Corte acatou uma queixa-crime contra o deputado estadual Hermínio Coelho apresentada pelo prefeito de Porto Velho Hildon Chaves por calúnia, injúria e difamação. Foi afastada a imunidade parlamentar porque as ofensas foram feitas em um grupo de Whatsapp. Aliás, ô bicho para arrumar problema é esse aplicativo.

Parceria

Os sites Painel Político e Rondoniaovivo fecharam parceria nesta sexta-feira para transmitir em conjunto as entrevistas dos candidatos ao governo e senado em Rondônia. O primeiro entrevistado ao governo foi Vinicius Miguel (REDE Sustentabilidade) e ao Senado, Jesualdo Pires (PSB) e Fabrício Jurado (NOVO). As entrevistas são semanais e feitas pelo jornalista Alan Alex e ficam disponibilizadas na plataforma Youtube e no site Painelpolitico.com. O Rondoniaovivo vai estar publicando as entrevistas na plataforma Facebook, em sua página na rede social.  Fique ligado, toda semana vai ter uma nova entrevista, e assim você vai poder conhecer um pouco mais sobre as propostas de cada um dos candidatos. Confira abaixo a entrevista de Vinicius Miguel.

Programa Painel Político

E nesta sexta-feira também estreamos um novo formato, 20 minutos de análise e comentários sobre os principais fatos políticos da semana. Veja:

Chuva de pedidos

O Ministério Público Eleitoral recebeu várias notícias de inelegibilidade contra a candidatura do senador Acir Gurgacz, o primeiro a ter sido alvo de uma representação do órgão. A grande surpresa foi o pedido de impugnação da candidatura de Carlos Magno ao Senado. Sua equipe informou que ele está tranquilo, pois existem outras decisões a seu favor que não teriam sido observadas pelo Ministério Público, mas que no devido tempo elas serão apresentadas.

Melhor que Bitcoin

Pelo jeito, ser deputado federal é um bom negócio, ao menos para algumas pessoas. A deputada Mariana Carvalho que o diga, em quatro anos seu patrimônio evoluiu 445%, saltando de “meros” R$ 497 mil para R$ 2,7 milhões. Marcos Rogério também anda vendo seu porquinho engordar, e muito. Em 2010, quando disputou para deputado federal, seu patrimônio declarado era de R$ 260 mil (uma casa e um carro) (ele assumiu a metade do mandato). Em 2014 já declarou uma evolução surpreendente, R$ 733.050 e agora em 2018 o cofrinho espocou, declarando R$ 1.301.704,58. Se essa dupla mantiver essa evolução, em 2022 eles podem até começar a dar palestras sobre sucesso financeiro, porque são fenômenos mercadológicos.

Só uma curiosidade

A casa de Marcos Rogério depreciou o valor. Em 2010 estava avaliada em R$ 200 mil, e agora em 2018 ele declarou que ela vale R$ 146.351,75. Só não entendi esses centavos e números quebrados. Vai ver que foi algum avaliador da Caixa super minucioso. Já o carro valorizou, o de 2010 custava R$ 60 mil e o de 2018 foi declarado no valor de R$231.000,00. Declarou um avião por R$ 266.664,95. Nas próximas colunas, falaremos sobre os demais “gênios das finanças”.

Sentir-se jovem é o primeiro passo para se manter jovem

A ciência deu mais um passo para demonstrar que pessoas mais velhas que se sentem mais jovens do que realmente são apresentam menos sinais de envelhecimento do cérebro se comparadas com aquelas que reconhecem o peso da idade ou até se sentem mais velhas. O estudo, publicado em junho pelo periódico científico “Frontiers in Aging Neuroscience”, partiu de uma questão que intrigava o médico Jeanyung Chey, da Universidade da Coreia do Sul: a idade subjetiva é apenas um sentimento ou se reflete na forma como nossos corpos envelhecem? Os pesquisadores usaram a ressonância para calcular a idade cerebral dos participantes e, como declarou o doutor Chey, “descobrimos que as pessoas que se sentiam mais jovens tinham a estrutura de um cérebro mais jovem. A diferença era significativa mesmo levando em conta outros fatores, como personalidade, sintomas de depressão e funções cognitivas”. De acordo com os cientistas, é possível que os idosos que se sentem mais jovens acabem tendo uma vida física e mentalmente ativa, com efeitos benéficos para o cérebro. Nesse caso, investir em hábitos saudáveis poderia contribuir positivamente para o segundo grupo.

Coluna – Sucessivos escândalos e traições empurram Confúcio para o ostracismo político

E ainda, PGR garante que não vai liberar candidatos com condenação em segundo grau e a candidatura de Ieda Chaves

O mimimi do “traidor”

Confúcio Moura governou Rondônia como quis. No seu primeiro mandato, nomeou José Batista Silva para cargo de secretário de saúde e o resultado foi um assalto milionário aos cofres públicos. Na época, o MDB havia indicado Williamens Pimentel para o cargo, mas Confúcio deu de ombros. Na secretaria de Obras passou quase dois anos colocando uma sucessão de incompetentes, até que nomeou Lúcio Mosquini. Terminou preso e eleito deputado federal. Recebeu doações de médicos que são donos de empresas que prestam serviços para o Estado, através de contratos milionários, mas a justiça eleitoral e os ministérios Público não se deram ao trabalho sequer de averiguar a listagem. E a saúde do Estado está praticamente toda privatizada. Confúcio nunca deu bola para os apelos da executiva do MDB, e agora quer falar em “democracia”, em “oportunidade” e “união”.

No segundo mandato

Encalacrado com dezenas de denúncias, escalou seu ex-chefe da Casa Civil para ficar pertinho do presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho, que ao invés de ter pego um  partido para chamar de seu, caiu na esparrela de acreditar em Confúcio. Filiou-se ao MDB encantado com os rapapés de Castro e Confúcio. Terminou traído, tendo uma conversa gravada clandestinamente em uma situação até hoje não muito clara. Percorreu 50 dos 52 municípios vendendo o nome de seu secretário de Finanças, Wagner Freitas como “seu candidato ao governo”. Wagner deveria trabalhar como maquiador, afinal enganou a população com seus números mágicos, cujo encantamento vai desaparecer no dia 3 de agosto, quando o Tribunal de Contas vai mostrar o rombo deixado pela turma de Confúcio nos cofres públicos.

Depois de tudo isso

Confúcio passou a pressionar, com força, os delegados do MDB, com promessas das mais variadas, para o público joga o lero de “traído” e ao mesmo tempo, coloca seus “voluntários da grande onda”, para fazerem todo tipo de promessas aos delegados mais incautos. O MDB já definiu o segundo voto ao Senado, e a executiva entendeu que Raupp é muito melhor para o partido que Confúcio. O ex-governador deveria cumprir ao menos uma promessa em sua vida, a de que vai cuidar de bois e de seus peixes na fazenda cinematográfica que possui em Ariquemes.

E nem vamos falar da ponte

Foi também na gestão de Confúcio Moura que o ex-diretor do DER, Izequiel Neiva (que insiste em ser Ezequiel) teve a ousadia de fechar um acordo milionário com uma construtora de Ji-Paraná para pagar uma dívida que não existia. Uma ação rápida da promotoria de Improbidade Administrativa conseguiu brecar a sangria aos cofres públicos e Izequiel e sua turma estão com bens bloqueados e ele vem tentando garantir uma vaga na Assembleia para garantir a impunidade, ops, imunidade.

Vai coligar

O REDE, de Marina Silva deve coligar com o PPS, em Rondônia e manter a candidatura do professor Vinicius Miguel ao governo.

Efeito suspensivo?

Advogados de Acir Gurgacz apostam que ele vai conseguir o registro de candidatura graças a um efeito suspensivo em recurso ao Supremo Tribunal Federal, que publicou na última quinta-feira o acórdão da condenação do senador por crimes contra o sistema financeiro. Mas, esse não será o grande desafio de Gurgacz. A Procuradoria Geral da República pretende rejeitar qualquer registro de candidato considerado “ficha suja”, mesmo que em grau de recurso. E mais, vai solicitar que os recursos do fundo partidário gastos nas campanhas desses candidatos sejam ressarcidas aos cofres públicos. A situação de Acir é exatamente igual a do ex-presidente Lula da Silva, se um puder ser candidato, o outro também pode.

Portanto

Além de correr o risco de não obter o registro, o senador ainda pode acumular uma dívida.

Vai ficar ruim

A primeira-dama do município, Ieda Chaves deve se lançar a uma cadeira para a Câmara dos Deputados. Se ela tiver uma votação pífia, vai ser péssimo para a já complicada gestão de seu marido, Hildon Chaves. Como o eleitorado anda distraído com eleições, deixou de lado os problemas do cotidiano da capital, mas a ressaca dessa eleição promete muita dor de cabeça aos tucanos.

Deu péssimo

Mariana Carvalho processou uma página de humor no Facebook, pediu “segredo de justiça” ao processo e perdeu nos dois pedidos, o de retirada dos memes do ar, e o segredo. Como resultado, apenas a postagem sobre o caso, feita pela página, está com 534 compartilhamentos.

Atrás dos comissionados

O ex-governador Confúcio Moura, através de seus ex-assessores, criou um abaixo assinado virtual “Confúcio Senador”. Ele foi visto por 333 pessoas e teve 57 assinaturas. Pelo jeito, sem a caneta que nomeava, tem mais gente querendo ver Confúcio afundar que salvar.

Reino Unido libera uso de maconha medicinal, mas exige prescrição médica

O governo britânico anunciou nesta quinta-feira (26) que, a partir de março do ano que vem (outono no hemisfério Norte), será permitida a prescrição de remédios derivados de cannabis no Reino Unido. A informação foi divulgada pelo ministro do Interior do país, Sajid Javid. A mudança na legislação britânica foi oficializada após o sinal verde da chefe médica do governo, Sally Davies, e do Conselho Assessor sobre o Abuso de Drogas. Estes medicamentos, que deverão “cumprir padrões de segurança e qualidade”, serão legais para pacientes “com uma necessidade clínica excepcional”. Até agora, a cannabis tinha categoria 1 dentro das regulações sobre o abuso de drogas no Reino Unido, o que significa que não tem valor terapêutico e que sua distribuição ou posse eram ilegais. O Departamento de Saúde e Assistência Social e a Agência Reguladora de Remédios e Produtos Sanitários (MHRA, por sua sigla em inglês) desenvolverão agora uma definição clara do que constitui um fármaco derivado de cannabis para que possam ser receitados, esclareceu o Ministério do Interior. O uso de cannabis para fins medicinais já é permitido em países como Canadá, Israel, Peru e Uruguai.

Coluna – Sob ameaça de ter de registro de candidatura indeferido, Rosani Donadon perde força em Vilhena

E ainda; Afastado, agente de trânsito em Porto Velho usa o cargo para se vingar de pedreiro que o acionou na justiça; e o bote de Mariana

O abuso do abusado

Um episódio envolvendo o fiscal de trânsito da prefeitura, Elcione José Sales e uma família inteira de trabalhadores, ocorrida na semana passada, causa revolta e indignação à sociedade. Para resumir a conversa, o fiscal, que estava afastado de suas funções há mais de 30 dias por um processo administrativo referente a abusos ocorridos em 2017, vestiu sua farda e autuou seu vizinho, um pedreiro que moveu uma ação de cobrança contra o fiscal. Enfurecido diante de sua impotência contra um agente público abusador, o pedreiro destruiu seu carro e terminou preso, junto com sua esposa e sogro. Na Central de Polícia, um advogado que representou a família, Breno Mendes, deu voz de prisão ao agente da Secretaria de Trânsito por ter usado o cargo para coagir um cidadão.

O problema

É o dano causado ao pedreiro e sua família. A humilhação, o tempo perdido, o trauma de uma ação protagonizada por um agente público totalmente despreparado, e reincidente nesse tipo de conduta, tanto que estava afastado de suas funções. Fica a pergunta, e se esse agente andasse armado, como quer a categoria, e ele disparasse contra o pedreiro, que cometeu o crime de ser pobre e de ter tido a coragem de buscar um direito seu na justiça. Não que todos os agentes de trânsito sejam problemáticos, mas que a situação exige uma reflexão e principalmente questionamentos sobre a capacidade cognitiva dessas pessoas que estão nas ruas para proteger a sociedade, isso é indiscutível. Tem que voltar o psicotécnico e acabar com esses “mandados de segurança” que são concedidos a pessoas com capacidade questionável.

Olha essa

Não apenas uma, mas várias pessoas já relataram à PAINEL POLÍTICO que Mariana Carvalho pretende insistir em ser candidata a governo mesmo tendo pactuado com Expedito Júnior que quer apenas disputar sua reeleição. Ela teria “dado um prazo” até o final de junho para que o ex-senador definisse se ele disputará ou não o governo, do contrário ela vai para a briga. A deputada estaria inclusive organizando uma equipe para executar o projeto. Mas, ela esbarra em uma situação complicada, quem tem mais delegados com poder de voto é Expedito. Ele, assim como ela, nega que exista qualquer tipo de conflito em relação a esse assunto, mas onde tem fumaça tem fogo, e Mariana, para quem não sabe ou não lembra, passou a rasteira no PSDB e contra a vontade do partido elegeu-se para a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Portanto, seu passado depõe contra…

Enquanto isso

Em Vilhena a situação anda bem complicada para a candidata (?) Rosani Donadon. É que o Ministério Público Eleitoral entrou com pedido de impugnação do registro de candidatura dela, tendo vista a ex-prefeita ter tido seu mandato cassado por estar irregular nas eleições de 2016. Como ela deu causa a nulidade do processo eleitoral, em tese não pode concorrer na eleição suplementar marcada para o próximo dia 3. Só que a campanha de seu adversário, Eduardo Japonês (PV) já está na rua, com carros adesivados e até comitê de campanha. E Rosani, que pode ser substituída caso não consiga o registro, não tem como colocar o “bloco na rua”, tendo em vista sua situação indefinida.

Portanto

Enquanto o pedido do MPE não for julgado, ela fica em “stand by”, o que vem sendo muito bom para seu adversário, que vem agregando lideranças e os insatisfeitos com Rosani. Como, segundo alguns de seus ex-correligionários e apoiadores, ela não cumpriu acordos feitos em 2016, agora na suplementar ela está se vendo abandonada. Na cidade o clima é de “agora é a vez do Japonês”.

A maior cobrança porém

Vem da população de Vilhena, que ficou à ver navios em relação as promessas feitas por Rosani durante a campanha de 2016, entre elas a de que colocaria 100 médicos à disposição da comunidade. Dizem as más línguas que o povo não entendeu direito a promessa, que seria “sem médicos, e não cem médicos”. Servidor público efetivo não quer nem ouvir falar em Rosani, “ela só nomeia parentes e amigos”, disse um deles à PAINEL POLÍTICO. Vilhena está abandonada e até o distrito industrial virou um “distrito habitacional”, já que a então prefeita distribuiu terrenos que deveriam ter sido doados à empresas para habitações. Nos próximos dias estaremos mostrando um panorama mais abrangente da real situação da cidade que é a porta de entrada do Estado.

Fora da curva

O empresário Ivan Rocha, conhecido em Porto Velho como “Ivan da Saga”por ter sido garoto-propaganda da empresa durante alguns anos, teve um desentendimento com os empresários Vagner Jobel e Isac Portela que foi parar na justiça. Ivan perdeu a ação, tanto em primeiro grau quanto no recurso e fez um desabafo em seu perfil no Facebook com graves insinuações contra o Tribunal de Justiça. O gracejo teve resposta dura e rápida do presidente do TJRO, Walter Waltenberg que prometeu acionar judicialmente o empresário. Para saber mais sobre o caso e entender o processo, CLIQUE AQUI.

Explicando

Na semana passada, em função de compromissos pessoais não foi possível atualizar a coluna, mas agora vamos manter nossa programação normal. Não deixe de baixar (e visitar todos os dias) nosso aplicativo para Android na PlayStore. Ainda este mês estaremos com a versão para IOs.

Cura para calvície pode estar próxima, mostra novo estudo

A calvície afeta cerca de metade dos homens até os 50 anos de idade, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), e é um problema que até hoje não tinha uma solução médica definitiva. No entanto, pesquisadores descobriram uma potencial cura para ela usando um remédio originalmente criado para tratar a osteoporose. Durante testes de laboratório, os cientistas identificaram que a droga teve um efeito forte sobre os folículos pilosos, estimulando-os a crescer. Ela contém um componente que tem como alvo uma proteína que atua como um freio no crescimento do cabelo e seria uma das responsáveis pela calvície. Atualmente, apenas dois remédios estão disponíveis no mercado para tratar calvície (alopécia androgenética): o minixidil (para homens e mulheres) e a finasterida (só para homens). Os dois têm efeitos colaterais e não são plenamente eficientes sempre. A pesquisa, publicada na revista médica PLOS Biology, foi feita em laboratório com amostras de folículos do couro cabeludo de mais de 40 pacientes homens que passaram por transplante de cabelo. Os pesquisadores, da Universidade de Manchester, primeiro aderiram a uma antiga droga imunossupressora, a ciclosporina A, usada desde a década de 1980 para impedir a rejeição de órgãos transplantados e para reduzir os sintomas de doença autoimune. Os cientistas descobriram, então, que essa droga reduziu a atividade de uma proteína chamada SFRP1, que é uma importante reguladora de crescimento que afeta muitos tecidos, incluindo os folículos pilosos. Mas por conta dos efeitos colaterais, a CsA não era adequada para o tratamento de calvície. A equipe começou a analisar, então, outros agentes que tinham como alvo a SFRP1 e descobriram que a WAY-216606 era ainda melhor para inibir a ação da proteína. Hawkshaw afirmou que o tratamento pode “fazer a diferença de verdade para pessoas que sofrem com a queda de cabelo”.