Viagem de Rocha e esposa a Brasília custou mais de R$ 11 mil ao Estado. Sem comando, presos fugiram

Fugas foram registradas no dia 31 e dia 2; presídios estão sem diretores nomeados e estado sem secretários

A viagem do governador Marcos Rocha, acompanhado de sua esposa Luana Rocha a Brasília para participar da posse de Jair Bolsonaro custou aos cofres do Estado R$ 11.365,63 entre passagens e diárias (R$ 2.240,00 para o governador e para futura secretária da SEAS R$ 1.990,00).

O governador afirma ter uma agenda com o novo ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, em busca de apoio e para solução urgente em relação á surperlotação do Hospital João Paulo II e de liberação de R$ 85 milhões de reais para obras do Heuro.

O ex-governador Daniel Pereira disse que deixou nos cofres do Estado mais de R$ 65 milhões para que as obras do Heuro pudessem ser licitadas. Marcos Rocha não confirmou a informação.

Sem comando, fuga de presos

Nenhum dos indicados por Marcos Rocha aos cargos de secretário possui legitimidade para agir em nenhuma situação, já que não foram editados decretos de nomeação, tampouco foram empossados nas funções. Com o Estado sem comando devido a uma viagem desnecessária do novo governador, já foram registradas 7 fugas do sistema prisional de Porto Velho, sendo 5 na madrugada do dia 31 e 2 na madrugada do dia 2. Eles estavam no presídio Aruanã, serraram as grades e ganharam o mundo.

Foragidos do Aruanã

 

Participe do debate. Comente!