Por falta de energia, noivos casam no escuro e são indenizados

A Justiça condenou a empresa de energia de Tocantins, Energisa, a pagar R$ 33,8 mil ao casal.

Um casamento à luz de velas pode soar romântico, mas não foi bem isso que um casal do Tocatins experimentou quando trocou alianças em 2014. Este ano, a Justiça condenou a empresa de energia do estado, Energisa, a indenizar os dois em R$ 33,8 mil.

A cerimônia estava marcada em um clube de Araguaína. Sem eletricidade, a assistente de gestão de pessoas Danielly Costa Soares, 24 anos, teve que ser levada até o noivo, o pedreiro Elizeu de Oliveira Martins, 34 anos, quase na completa escuridão.

“Eu entrei sem música, praticamente no escuro. Algumas pessoas tropeçavam e caíam, a comida estragou. Ninguém pôde usufruir de nada”, disse ela ao G1. A noiva só soube do que estava acontecendo quando chegou ao local. “Não queriam me deixar preocupada. Só percebi quando estava na porta do clube. Eu via os carros voltando e ficava desesperada”.

A cerimônia precisou começar já que, no horário marcado, 19h30, a luz ainda não havia retornado. Partiu da irmã de Danielly a ideia de comprar velas. Mesmo assim, tudo atrasou duas horas.  “Eu entrei sem música, sob a luz de velas e de lanterna. Também ligaram os faróis dos carros para ajudar. Não pudemos usufruir de nada. Ainda não pegamos nosso álbum de fotografia. Não temos vontade”, argumenta Danielly.

A decisão cabe recurso. De acordo com a Energisa, uma chuva forte foi responsável pelo corte no fornecimento de energia.

Fonte: metrópoles.com

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário