Para Márcio Oliveira, Hildon Chaves foi irresponsável, “isso nunca aconteceu”

O vereador Márcio Oliveira (MDB) disse que o prefeito foi irresponsável no trato com o serviço de transporte público em Porto Velho, não dando a devida atenção para uma questão que é de fundamental importância para a população do município, afetando drasticamente a parte mais necessitada.

Márcio Oliveira relatou que fez parte, juntamente com a vereadora Cristiane Lopes, representantes da Defensoria Pública, do Ministério Público e Ministério do Trabalho e da Semtran, criando uma comissão para elaboração do edital de licitação para o transporte municipal. Foram várias reuniões de mais de cinco horas, até o edital ficar pronto, passando este pelos órgãos de controle e foi aprovado, com o prazo de que a licitação procederia em novembro do ano passado.

“Infelizmente o prefeito e a Superintendência de Licitações, (SML)que não lícita nada no município, não tomaram as medidas necessárias na hora certa, simplesmente protelaram de forma não explicável, lamentavelmente, de forma irresponsável”, disse o vereador.

O caos no transporte coletivo que se está vivendo na cidade de Porto Velho, disse o vereador, é justamente por essa negligência por parte do prefeito e sua superintendente, que emperra de forma inexplicável o processo licitatório para a contratação da nova empresa para gerir o transporte coletivo na capital. “A comissão da qual fiz parte entregou esse trabalho pronto em agosto do ano passado e até agora a prefeitura não publicou o Edital. É inadmissível tanta demora, tanta incompetência no trato com um serviço essencial para a população”, disse o vereador.

Márcio Oliveira sempre foi um crítico veemente do serviço de transporte coletivo em Porto Velho, afirmando que, da forma que está sendo praticado é de total desrespeito com os usuários, por isso, que várias vezes exigiu, via Câmara Municipal, providências quanto fiscalização e cobrança em relação a manutenção e limpeza dos ônibus das linhas do transporte público em Porto Velho.

“Entendemos que o poder concedente, no caso a prefeitura (Semtran), como gerenciador, impõe regras, e como fiscalizador, exige o cumprimento. Lamentavelmente isso nunca aconteceu, tanto que chegamos ao verdadeiro caos no serviço”, disse Márcio Oliveira.

O vereador observou que os ônibus voltaram a circular, mas insuficientes para atender a demanda, e sem garantia de continuidade, diante dessa realidade, encaminhou ao prefeito documento cobrando quais providências efetivas serão tomadas para o retorno da atividade normal do serviço dado a iminência do retorno das aulas da rede municipal e estadual de ensino.

Márcio Oliveira disse ainda que o município está sem comando, pois nesse total caos que a vive quanto ao transporte coletivo, o prefeito está viajando. “Quanto o desleixo e a morosidade do processo licitatório deve-se responsabilizar a Superintendência Municipal de Licitações por tanto descaso” afirmou o vereador.

Prefeito em Miami

Esta semana, durante uma audiência para tentar resolver a questão do transporte, o prefeito Hildon Chaves saiu porque “tinha que pegar um voo”. Ele viajou para Miami (EUA) para o casamento de sua filha, deixando a cidade sem prefeito. O sistema de transporte continua sem operar em sua capacidade total, e os usuários estão optando por transportes alternativos, já que a prefeitura não consegue resolver o problema.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário