Prefeita de Jaru teria adulterado TAC para favorecer empresa de ônibus

Suposta adulteração teria permitido a contratação de veículos mais velhos

Porto Velho — Por 12 votos a 3 a Câmara de Vereadores de Jaru afastou a prefeita Sônia Cordeiro (PT) no início da tarde desta segunda-feira em uma sessão tumultuada e com plenário lotado de populares. O afastamento é por 90 dias, até sejam concluídas as investigações de [su_frame align=”right”] [/su_frame]uma comissão que avalia uma suposta adulteração em um Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público, assinado logo em seu primeiro mês de mandato.

O documento previa, entre outras cláusulas, que a prefeitura não contratasse veículos para o transporte escolar com idade superior a 12 anos de fabricação. A prefeita teria alterado por conta própria esse cláusula para 16 anos, e essa mudança, supostamente teria sido feita para favorecer uma empresa ligada à ela.

Com o afastamento, assume o vice-prefeito, Inaldo Pedro (PP), que segundo informou o segundo secretário da Câmara, vereador Jeverson Lima (PMDB), “não terá problemas para administrar”.

Atualmente na Câmara de Jaru, outras comissão de investigação estão em andamento, uma apura denúncia de venda irregular de maquinários da prefeitura e outra sobre o município ter extrapolado o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário