Prefeitura vai implantar unidades do Samu nos distritos

Mais quatro unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão sendo implantadas pela prefeitura de Porto Velho. Serão contemplados os distritos de Jacy-Paraná, União Bandeirantes, Rio Pardo e São Carlos. Conforme o secretário municipal de saúde, Domingos Sávio Fernandes, o objetivo da gestão do prefeito Mauro Nazif é fazer com que a equipe médica chegue o mais rápido possível ao local das ocorrências para que mais vidas sejam salvas.

O secretário garante que a prefeitura já dispõe da equipe de profissionais, ambulâncias e local para atender os pacientes, que funcionarão ao lado ou nas próprias unidades de saúde nas localidades. “Desta forma, iremos melhorar não apenas os serviços aos que precisam do atendimento de urgência e emergência, como também nas unidades do Programa de Saúde da Família (PSF)”, disse o secretário.

Domingos Sávio avalia que a presença do Samu nesses distritos vai garantir atendimento 24 horas aos casos de urgência e emergência, mas também vai ajudar a desafogar os serviços do PSF. “A equipe não precisa parar as atividades rotineiras nas unidades de saúde para atender alguma vítima baleada ou esfaqueada, por exemplo. Isso passa a ser responsabilidade do Samu”, explicou. Acrescentou que em casos mais complexos, os pacientes serão estabilizados e levados imediatamente para o Hospital João Paulo II.

Em Jacy-Paraná, de acordo com o secretário, o Samu começou a funcionar nesta segunda-feira (11). Na próxima semana será a vez de Rio Pardo. Em São Carlos, na margem esquerda do Rio Madeira, a 90 quilômetros da Capital, a prefeitura já conta com uma ambulancha (barco), mas para melhorar os serviços médicos, uma base do Samu será montada na margem direita, em frente à comunidade. “A ambulancha só terá o trabalho de cruzar o rio. A equipe da ambulância transportará o paciente até a UPA ou ao Hospital João Paulo II”, informou o titular da Semusa.

Ainda segundo Domingos Sávio, uma parceria deverá ser firmada nos próximos dias com o Corpo de Bombeiros para unificar as chamadas telefônicas e, consequentemente, fazer a melhor distribuição das ambulâncias no momento de atender as ocorrências. “Às vezes, sem necessidade, duas ambulâncias são deslocadas para atender a mesma vítima, sendo que uma poderia estar em outro local”, comentou.

Trotes

E foi com a perspectiva de atender com maior rapidez os pacientes em situação de urgência e emergência, segundo o secretário, que o prefeito Mauro Nazif sancionou na última semana a Lei n° 2.089, de autoria do vereador Sid Orleans, que dispõe sobre medidas contra a prática de trotes telefônicos ao Samu. “Muita gente não entende que trotes impedem de salvar vidas”, lamentou o secretário Domingos Sávio.

Pela lei, os assinantes ou responsáveis pelas linhas telefônicas (fixas ou móveis) que fizerem chamadas ao número 192, que é o telefone do Samu , não havendo a veracidade do fato ficam sujeitos a pagar multas, independentemente das sanções já previstas na lei penal. O relatório assinado pela equipe que atender a ocorrência inexistente servirá para comprovar o ato ilícito, além do identificador de chamadas.

Conforme reza o texto da lei, a punição será para o proprietário ou responsável pela linha que originou a chamada. Os valores arrecadados serão investidos no aparelhamento, ampliação e modernização tecnológica da unidade do Samu. Quanto ao valor da multa, este será de 20 UPFs (Unidade Padrão Fiscal), que atualmente soma pouco mais de R$ 50 cada UPF. Caso a multa não seja paga, será transformada em dívida da municipalidade.

 

“As pessoas precisam entender que um minuto pode representar vida ou morte. A maior preocupação do prefeito Mauro Nazif ao sancionar essa lei é a preservação da vida humana e melhoria na qualidade dos serviços prestados à população do Município”, finalizou.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *