Preso com mais de 400 vídeos de estupros de bebês no celular é transferido para hospital psiquiátrico em MS

A 5ª Vara da Justiça Federal determinou que o rapaz de 21 anos preso na quarta-feira (27), na segunda fase da operação Cabrera, da Polícia Federal, no bairro Monte Castelo, em Campo Grande, por suspeita de pedofilia, seja transferido da carceragem da unidade para o hospital psiquiátrico Nosso Lar.

Segundo a Polícia Federal, o suspeito tinha mais de 400 vídeos com conteúdo de pornografia infantil no celular. Somente em uma pasta do aparelho dele, os policiais encontraram de sexo com bebês, sexo explícito e sexo anal com bebês.

De acordo com a polícia, o suspeito é um jovem desempregado, que mora com os pais e tinha acesso ao sobrinho.

Na mesma decisão em que determina a transferência do suspeito, a Justiça Federal determina ainda que ele não tenha mais acesso a criança.

“Mas para a perícia não está constatado que ele chegou a abusar do sobrinho. Esse tipo de operação já serviu para família não deixar ele livre com criança, porque nós pegamos no celular ele enviando foto do sobrinho dele, foto de short, para outros contatos suspeitos”, disse o delegado responsável pela investigação, Marcelo Alexandrino, chefe da delegacia de defesa institucional da PF.

Alexandrino disse que o suspeito armazenava, baixava e compartilhava material de pedofilia desde 2014.
“É uma grande quantidade de vídeos e fotos que vão ser analisados pela perícia da Polícia Federal pra analisar se esses vídeos são de outras pessoas, baixados pela internet, ou se esse pedófilo que está preso mesmo produziu esses vídeos, ou seja, se ele aparece nos vídeos. Quem gosta, quem fica baixando esse tipo de material, envia para alguém esse tipo de material de pedofilia ou ele já abusou, está abusando ou na primeira oportunidade que tiver vai abusar de uma criança. Ele não vai ficar olhando isso à toa”, destacou.

Marcelo Alexandrino frisou a importância de operações policiais para combater pedofilia. “Quando a gente atua pegando essas pessoas trocando esse tipo de material pela internet, na verdade acredito que seja uma prevenção, a gente está tirando esse cara de circulação antes que ele faça esse tipo de coisa [abuso]. É um modo de identificar uma pessoa dessa antes que ela vá para o meio da rua, com vizinho.”

Operação

A prisão do jovem ocorreu no bairro Monte Castelo, durante a segunda fase da operação Cabrera. Um sistema criado por peritos criminais de Mato Grosso do Sul tem ajudado no combate à pedofilia no Brasil e em mais sete países e foi fundamental para a PF prender o suspeito.

O programa de computador consegue identificar fotos e vídeos com conteúdo pornográfico infantil em qualquer tipo de mídia. O sistema, criado pelo perito criminal federal Pedro Monteiro da Silva Eleutério, faz uma varredura nos arquivos.

Um outro mandado de busca e apreensão também foi cumprido nesta quarta-feira, mas no endereço nenhum material foi encontrado.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário