Preso, Delcídio é notificado pelo Conselho de Ética do Senado

Alvo da Lava Jato, senador terá dez dias para apresentar defesa no colegiado, cujo trabalho pode culminar na cassação de seu mandato. Prisão completará um mês na próxima sexta-feira

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado notificou, às 14h20 desta terça-feira (22), o senador Delcídio do Amaral (PT-MS). Com o aviso, o parlamentar está oficialmente informado sobre o inteiro teor do processo de quebra de decoro parlamentar que corre contra ele no Conselho.
O documento foi entregue por servidores da Secretaria de Apoio a Órgãos do Parlamento (Saop), da Secretaria-Geral da Mesa do Senado (SGM). Os servidores não tiveram contato com o senador no Batalhão de Trânsito, onde está preso.

A notificação foi entregue ao advogado de Delcídio, que colheu a assinatura de seu cliente e devolveu para os servidores do Senado. Na tarde da segunda-feira (21), o senador recusou-se a receber a notificação por não estar acompanhado de seu advogado, Luis Henrique Alves Sobreira Machado.

Delcídio do Amaral completará um mês de prisão na sexta-feira (25). A prisão do parlamentar, que era líder do governo no Senado, foi autorizada pelo ministro relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Teori Zavaski, que atribuiu ao senador a tentativa de obstruir as investigações.

Agora, Delcídio e seus advogados terão dez dias úteis para apresentar defesa no Conselho de Ética. Como o prazo não conta durante o recesso parlamentar, ele deve se estender até meados de fevereiro.

Depois que receber a defesa, o relator do caso, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), terá cinco dias úteis para oferecer parecer indicando a continuidade ou não do processo de investigação. A decisão será submetida à votação do colegiado. A representação contra Delcídio foi apresentada no último dia 1º pelos partidos de oposição Rede Sustentabilidade e PPS, com o apoio do PSDB e do DEM.

Com informações da Agência Brasil.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário