Procurador Angelo Villela e advogado Willer Tomaz devem depor na CPI da JBS

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS ouvirá, na quarta-feira (27), o procurador da República Angelo Goulart Villela e o advogado do grupo JBS Willer Tomaz de Souza. A reunião está marcada para as 9h.

O procurador do Ministério Público Federal Angelo Goulart Villela foi convocado a depor na CPMI por ter sido acusado de vender informações aos donos da JBS em troca de suborno, o que levou à sua prisão, em 18 de maio de 2017, durante a Operação Patmos, deflagrada pela Polícia Federal.

O outro convocado, o advogado Willer Tomaz de Souza, foi denunciado por Joesley Batista, durante colaboração premiada, como cooptador do procurador Angelo Goulart para agir como infiltrado na força-tarefa da Operação Greenfield – que investigou desvios dos fundos de pensão – em troca de recebimento de suborno com origem na empresa JBS.

A reunião será na sala 2 da Ala Senador Nilo Coelho.

Transferência de sigilo

Na terça-feira (26), os integrantes da CPMI reúnem-se às 14h30 para apreciação de requerimentos, entre eles, os que pedem a transferência dos sigilos bancário e telefônico e também eletrônico dos e-mails enviados e recebidos pelo ex-procurador da República Marcello Miller.

Também serão analisados requerimentos sobre os dados telefônicos, com o registro e a duração de todas as ligações (originadas e recebidas) do diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e dos celulares do empresário Joesley Batista e do executivo da J&F Ricardo Saud.

Ainda devem ser votados pedidos de levantamento detalhado de todos os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) às empresas do Grupo J&F; análises de risco junto ao Banco Central, decorrentes dos empréstimos; e o levantamento de todas as operações de câmbio realizadas por essas empresas.

Agência Senado

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário