Produção de veículos no Brasil cai 2,2% em setembro, diz Anfavea

Comparação é sobre o mesmo mês do ano passado. No acumulado de janeiro a setembro, setor encolheu 18,5%.

A produção de veículos no Brasil recuou 2,2% em setembro, na comparação com o mesmo mês de 2015, segundo dados divulgados pela associação de fabricantes (Anfavea) nesta quinta-feira (6).

Foram montados no total 170.815 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. É o menor número para o mês de setembro desde 2003, quando saíram 155 mil unidades. O volume mostra certa estabilidade com relação a agosto, que teve 177.726 unidades – uma diferença de apenas 3,9%. “Observamos que uma de nossas associadas, que teve problemas, ajudou este número a ficar inferior”, disse o presidente da Anfavea, Antonio Megale, em referência à Volkswagen, que ficou parada praticamente metade do mês.

No acumulado de janeiro a setembro, o setor apresenta encolhimento de 18,5%, com 1,55 milhão de unidades fabricadas, contra 1,90 milhão no mesmo período do ano passado.

A produção nacional nos 9 primeiros meses do ano também voltou a um patamar apenas superior ao de 2003, que teve 1,21 milhão de unidades. No entanto, a capacidade instalada é muito maior agora.

Emprego

Segundo os dados da Anfavea, cerca de 9 mil postos de trabalho foram cortados nas fabricantes nos últimos 12 meses, sendo 5 mil vagas apenas neste ano, de janeiro a setembro. “A queda de 1,1% no número de empregos de agosto a setembro se deve principalmente aos programas de demissões voluntárias”, explicou Megale.

O setor, que chegou a empregar diretamente quase 160 mil pessoas em 2013, agora tem 124 mil funcionários – um “enxugamento” de 21% na mão de obra em 3 anos.

No final de setembro, 7.350 trabalhadores estavam com alguma restrição na jornada, sendo 2 mil em lay-off e 5.350 no Plano de Proteção ao Emprego (PPE). O número é bem menor do que o divulgado no final de agosto, quando 22,3 mil estavam afastados, com contratos suspensos ou com a carga horária reduzida.

Vendas

Na véspera, a associação de concessionários (Fenabrave) divulgou queda de 20% nas vendas de carros novos em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, o mercado brasileiro encolheu 22,7%, de 1,95 milhão para 1,55 milhão de unidades.

“51,9% das vendas foram feitas por financiamentos, que é o piso, isso porque a greve dos bancos atrapalhou”, disse o presidente da Anfavea.

Mercado externo

As exportações de veículos montados somaram 38.779 unidades, o que representa um leve recuo de 3,5% sobre agosto, mas uma alta de 15,8% na comparação com setembro de 2015. No ano, as vendas para outros países cresceram 19,2%. “Temos uma tendência ainda positiva nas exportações, apesar da queda de agosto para setembro. O número poderia ser maior se uma de nossas associadas tivesse regularizado a produção”, disse Megale, novamente em referência à Volkswagen.

Expectativas otimistas

A Anfavea ainda projeta uma redução de apenas 5,5% na produção ao final do ano, com relação a 2015, mas o acumulado de 18,5% até setembro já acendeu um alerta. “As previsões para o ano ainda estão mantidas, mas o desempenho tem nos gerado preocupações”, afirmou Megale.

Anúncios
Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Participe do debate. Deixe seu comentário