Produtor nega estupro de cantora gospel; jovem já apresentou problemas antes

A Polícia Civil informou que o depoimento da cantora Geslyane Piassa, de 16 anos, está cheio de contradições em relação ao sequestro e desaparecimento de cinco dias em Goiânia (GO). No entanto, a garota afirmou várias vezes que foi estuprada pelo produtor musical e por moradores de rua. O suspeito também foi ouvido na segunda-feira (8) e disse, no entanto, que manteve relação sexual com o consentimento de Geslyane. A adolescente apareceu durante reportagem com os cabelos curtos, bem diferente de como saiu de casa.

Um amigo do produtor musical apontado pela adolescente como autor do sequestro também é suspeito de participação e deve ser ouvido nos próximos dias. A polícia pretende também percorrer todo o trajeto feito por Geslyane e tenta imagens de circuito de segurança

Durante entrevista ao programa Cidade Alerta, na segunda-feira (8), a menor disse que foi até a gravadora do produtor para uma reunião.

— Tudo foi à força e disso eu tenho certeza. Ele [o produtor] sempre me achou interessante e disse para mim várias vezes, mas eu negava porque sei que ele é casado e tem filho. Eu fui até a produtora e depois ele disse que ia me levar em casa. No caminho, mudou a rota e me levou para o motel. Eu fiquei nervosa e ele me deu uma água. Foi quando eu comecei a ficar tonta. Daí só lembro de ter acordado machucada e com o cabelo cortado.

Geslyane está confusa e não apresenta discurso coerente, segundo a polícia. Ela foi ouvida acompanhada de uma psicóloga e poderá ser ouvida novamente quando melhorar o estado psicológico.

A menor apresentou marcas pelo corpo. Ela foi achada em uma praça próxima ao aeroporto de Goiânia (GO), no sábado (6), com roupa de homem. A cantora gravou um CD recentemente produzido pelo suspeito do crime. Imagens de circuito de segurança mostram a última vez que ela saiu de casa. Para a mãe, a jovem contou que ia a um salão de beleza.

Eliane Licatta, mãe da cantora, conta que a menina era caseira e estava empolgada com a carreira gospel.
— Dou graças a Deus que achei minha filha viva. Agora eu só quero justiça.

Cantora gospel já se envolveu em dois casos parecidos em outras cidades, diz polícia

Na tentativa de entender o que aconteceu com a adolescente Geslyane Piassa, de 16 anos, a polícia vasculhou até o passado da garota e descobriu que ela já se envolveu em casos parecidos ao do ocorrido na última semana.

Segundo a delegada que investiga o caso, em 2012 foi aberto um inquérito em Xavantina, Mato Grosso, quando a garota alegou ter sido abusada sexualmente, mas a família abandonou o processo, por isso ele não chegou a ser concluído. Na cidade de Iporá, sul de Goiás, a família acusou um homem de querer aliciar a cantora. A segunda ocorrência foi registrada no mesmo ano.

A polícia quer retomar essas duas investigações. Geslyane foi encontrada enrolada em um cobertor em uma praça próxima ao aeroporto de Goiânia (GO), no último sábado (6).

A vítima contou em entrevista à Rede Record que recebeu uma ligação do produtor musical marcando uma reunião. Assim que o encontrou, ela bebeu uma água oferecida por ele e passou a ficar tonta. Depois foi levada para um motel e não lembra direito o que ocorreu, mas diz que foi abusada por vários usuários de droga na rua. Geslyane foi encontrada com roupas de homem e teve os cabelos cortados.

A delegada informou que ela foi ouvida na tarde desta segunda-feira (8) e que uma psicóloga acompanhou o depoimento. A polícia já considera o produtor musical e um amigo como suspeitos. O produtor é casado, tem filhos, e ainda não foi ouvido. A polícia disse que investiga o caso e que ainda não pediu à Justiça a prisão preventiva de ninguém. Uma simulação de todo o trajeto percorrido será feita.

A cantora gravou um CD recentemente produzido pelo suspeito do crime. Imagens de circuito de segurança mostram a última vez que ela saiu de casa. Para a mãe, a jovem contou que ia a um salão de beleza.

O produtor musical se posicionou sobre a questão e negou abuso praticado contra Geslyane. Ele disse que manteve relações com a menina, mas com a aprovação dela.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

1 thought on “Produtor nega estupro de cantora gospel; jovem já apresentou problemas antes

  1. ” a polícia vasculhou até o passado da garota e descobriu que ela já se envolveu em casos parecidos”
    Infelizmente ela pode ser ninfomaníaca… ou tratam ela ou vai se perder mais ainda na vida.

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: