Projeto de lei proíbe barrigas de aluguel na Tailândia

O parlamento da Tailândia aprovou em primeira votação um projeto de lei para proibir as barrigas de aluguel, uma prática comercial que ganhou força no país nos últimos anos graças a um vazio legal.

O projeto de lei, que prevê penas de até 10 anos de prisão para as pessoas que lucram com uma gestação do tipo, foi aprovado quase por unanimidade, anunciou o deputado Wallop Tungkananurak.

“Queremos acabar com a ideia dos estrangeiros de que a Tailândia é uma fábrica de bebês”, disse.
A junta militar que governa o país desde um golpe de Estado em maio anunciou a intenção de acabar com o comércio das mães de aluguel após uma série de escândalos, como o do casal australiano que abandonou um bebê com síndrome de Down com a jovem de 21 anos que ficou grávida e levou do país sua irmã gêmea.

Segundo o Conselho de Medicina da Tailândia, mais de 100 clínicas privadas se especializaram na reprodução assistida, por meios que incluem a barriga de aluguel.

A junta prometeu estudar de maneira individual os casos de centenas de bebês que teriam ficado bloqueados na Tailândia com os pais biológicos, muitos deles procedentes da Austrália.
Fonte: terra

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário