Protestos continuam em cidades dos Estados Unidos

Os manifestantes fizeram protestos no centro de Nova York, em Los Angeles e em San Francisco, no estado da Califórnia, e na Filadélfia

Pela quinta noite consecutiva, manifestantes voltaram a marchar nesse domingo (13) pelas ruas das principais cidades norte-americanas em protesto contra as políticas de Donald Trump, o empresário que ganhou as eleições para a presidência  dos Estados Unidos na última terça-feira (8). A vitória de Trump ocorreu depois de uma campanha eleitoral em que ele prometeu expulsar imigrantes sem documentos e construir um muro na fronteira com o México.

Os manifestantes fizeram protestos no centro de Nova York, em Los Angeles e em San Francisco, no estado da Califórnia, e na Filadélfia, maior cidade do estado da Pensilvânia.

Em Nova York, os manifestantes gritaram refrãos contra as políticas do novo presidente. Um dos cartazes, no meio da multidão, dizia: “O ódio não nos fará grandes”. Na Filadélfia, os manifestantes gritaram palavras de ordem a favor da democracia e carrregaram cartazes com os dizeres: “Donald Trump tem de ir”.

Em Los Angeles, os manifestantes se reuniram nas proximidades da sede local da rede de televisão CNN e, em San Francisco, 8 mil pessoas marcharam pelo centro da cidade cantando “O amor supera o ódio”.  Em Oregon, a polícia informou que prendeu 71 pessoas no início do domingo durante os protestos contra Trump em Portland, a maior cidade do estado. Os manifestantes foram acusados de “má conduta” pela polícia.

Não temam, diz Trump

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que os participantes dos protestos contra ele, que estão ocorrendo há algumas noites, não devem ter “medo” em relação ao futuro do país. A informação é da Agência Ansa.

Em entrevista à emissora norte-americana CBS, ele afirmou que eles protestam porque não o conhecem. “Mas eu lhes digo para não terem medo, vamos trazer nosso país de volta”, ressaltou o magnata novaiorquino em sua primeira declaração pública sobre a onda de manifestações em diversas cidades dos Estados Unidos desde a última quarta-feira (9), quando o resultado das eleições presidenciais foi divulgado.

Trump disse que se Hilary tivesse vencido, as coisas iam ser diferentes. “Se Hillary tivesse vencido e os meus eleitores fossem protestar, todos diriam ‘oh, isso é terrível”, acrescentou o republicano, comentando também que existem “dois pesos e duas medidas” quando se trata dele e da sua rival democrata.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário