PT de Padre Ton critica CPI da câmara de Cacoal e defende o prefeito, Padre Franco

Porto Velho –– Em nota à imprensa divulgada nesta quarta-feira, o Partido dos Trabalhadores, que tem como presidente o ex-deputado federal Padre Ton saiu em defesa do prefeito de Cacoal, o também Padre Franco Vialetto, cuja secretária chefe de gabinete, Maria Ivanir, que mandava na Prefeitura, foi presa junto com outras pessoas acusados de corrupção durante a Operação Detalhe do Ministério Público e Polícia Civil.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]O PT, além de defender Franco, flagrado em gravações comprometedoras com Maria Ivani, ataca os vereadores da Comissão processante que investigará o prefeito petista, e principalmente a vereadora Maria Simões, integrante do partido e uma das principais responsáveis pelas investigações que resultaram na prisão de Maria Ivanir e de outros envolvidos no esquema de corrupção na Prefeitura. A nota, assinada pelo Partido dos Trabalhadores, não é unanimidade dentro da legenda, que está dividida. Outro grupo defende a punição exemplar de Franco e todos os envolvidos no caso.

Foi o grupo de Ton que em passado recente absolveu o ex-prefeito de Porto Velho Roberto Sobrinho, que encerrou o segundo mandato preso por acusações de corrupção e também a ex-deputada estadual Epifânia Barbosa, acusada de receber propina em troca de apoio político ao ex-deputado Valter Araújo, que presidia a Assembleia Legislativa e foi preso na Operação Termópilas, em 2011.

Leia a íntegra da nota do PT:

NOTA PÚBLICA DO PT: Comissão Processante da Câmara de Vereadores de Cacoal é mera disputa política

“Não temo qualquer indicio da participação do Prefeito Franco nos crimes investigados”: declaração do delegado da Policia Civil Arismar Araújo, responsável pela Operação “Detalhe”, em entrevista concedida no dia 17.05.2015.

O Partido dos Trabalhadores (PT) vem a público manifestar sua estranheza com a decisão insólita da Câmara de Vereadores, tomada em 15.05.2015, de abrir uma Comissão Processante contra o Prefeito Padre Franco, com o objetivo de supostamente investigar eventual participação daquele gestor público, conforme ponderações a seguir:

1) “Não temo qualquer indicio da participação do Prefeito Franco nos crimes investigados”. Essa declaração do delegado por si só já demonstra o total despropósito da tal Comissão Processante;

[su_frame align=”right”] [/su_frame]2) Qual o objetivo dessa Comissão Processante? Segundo os vereadores, seria investigar os fatos da Operação “Detalhe”. Entretanto, tais fatos já se encontram sobejamente investigados, tendo resultado em prisões e indiciamentos de vários envolvidos, incluindo vereadores que votaram a favor dessa Comissão contra o Prefeito;

3) Aquela Câmara não é exemplo e nem tem condições de “atirar a primeira pedra”; não bastasse vereadores envolvidos na própria Operação “Detalhe”, a autora do pedido responde inquérito por falsidade ideológica, aberto pela Polícia Civil, atendendo requerimento do Ministério Público, conforme expediente enviado à Câmara de Vereadores pela delegada Fabiana May Brandani em 15.05.2015;

3.1) Sendo que a autora do pedido da Comissão Processante deve muitos esclarecimentos, inclusive à população, sobre contratos da “Nossa Clínica” (Quieza & Simões Ltda), que está em nome de seu marido e irmão, com o município de Rondolândia-MT, como um no valor de R$ 521.880,00, para fazer exames de alta complexidade totalmente incompatíveis com aquela pequena clínica famíliar – http://www.jusbrasil.com.br/diarios/81834412/amm-mt-10-07-2014-pg-136

4) Por outro lado, não vereadores. Não haverá conflitos de interesses, com vereadores investigando a si mesmos? Nesta segunda-feira (15), por exemplo, foi vexatória a situação de um vereador que está envolvido na Operação “Detalhe” e foi sorteado para compor a Comissão Processante: foi sonoramente vaiado e teve que abrir mão da indicação.

Diante destes fatos, o PT reitera sua confiança nos trabalhos da Polícia Civil, do Ministério Público Estadual e da Justiça que brilhantemente investigaram, identificaram e indiciaram os envolvidos na Operação “Detalhe” e repudia essa Comissão Processante que tenta antecipar as eleições de 2016, caracterizada que está em mera disputa política.

Porto Velho-RO, 17 de junho de 2015.

Partido dos Trabalhadores

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário