Quatro são presos suspeitos de matar empresário por engano e planejar morte de advogado

A Polícia Civil concluiu nesta quarta-feira (20) um investigação que prendeu quatro homens suspeitos de matar por engano o dono de uma loja de carros e planejar a morte de um advogado, em Goiânia. Segundo a corporação, os crimes foram encomendados de dentro da cadeia por dois detentos e estão ligados à disputa pelo tráfico de drogas na capital.

Foram detidos Matheus Martins Sampaio, Ítalo Daniel Policarpo de Souza, Victor Dias Souza e João Pedro Ferreira de Souza. Além deles, já estavam presos John Kley Pascoal de Souza e Claudinei Rodrigues Oliveira dos Santos, considerados chefe e “gerente”, respectivamente, do grupo criminoso. Os dois eram quem encomendavam os homicídios.

O primeiro crime aconteceu no dia 21 de junho deste ano. O empresário Francisco de Assis Sena, de 41 anos, foi morto a tiros quando chegava para trabalhar, no bairro Esplanada do Anicuns.

A Polícia acredita que ele foi assinado por engano. “O alvo era o irmão dessa vítima, mas criminosos não conheciam o alvo pessoalmente, tinham apenas foto. Como o Francisco era muito parecido com o irmão, acabou morto”, disse o delegado Francisco Júnior.

O crime está ligado ao tráfico de drogas, pois o alvo é um dos principais membros de um grupo rival.

Advogado

Os presos também são suspeitos de planejar a morte do advogado Emerson Tadeu Vita. Um dos criminosos foi preso no dia 29 de junho, dia em que cometeria o homicídio.
“Eles acreditavam que o advogado tinha participação na morte do Thiago Topete, que estava preso e foi assassinado por outros presos durante uma rebelião momentos depois de falar com esse advogado”, explicou o delegado.

De acordo com as investigações, na morte do empresário, participaram Matheus, que o dirigiu o carro e Ítalo, que efetuou o disparo. Matheus também estava envolvido no planejamento do homicídio do advogado, cujo crime iria cometer com Victor. Já João Pedro teria a função de se desfazer do veículo usado no homicídio.
A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO) emitiu nota assinada pelo presidente Lúcio Flávio de Paiva lamentado o planejamento da morte de Emerson.

Leia a íntegra abaixo:

A OAB-GO e a advocacia goiana veem com incredulidade o fato de que é cada vez mais corriqueiro que malfeitores tenham poder sobre a vida dos cidadãos, julgando, condenando e executando seus desafetos à revelia das leis, da ordem e de qualquer regra de civilidade. Causa ainda maior preocupação que advogados sejam alvos preferenciais de quadrilhas, visto que é ente fundamental para a administração da Justiça, o que atenta não apenas contra a vida de pessoas e a dignidade de uma categoria profissional, mas contra o Estado Democrático de Direito e toda a organização da sociedade.

Em que pese o trabalho dedicado da Polícia Civil no episódio, é preciso compreender que o aparato estatal de segurança pública tem deixado a população à mercê da violência e dos bandidos; faz-se necessário reconhecer que cabe à sociedade e às instituições civis, onde a OAB-GO se inclui, exigirem do poder público o investimento suficiente para um combate eficaz ao crime organizado.

A OAB-GO manifesta sua total solidariedade com o dr. Emerson Thadeu Vita e, mais que isso, fará o que estiver ao seu alcance para preservar sua vida, seu bem maior, e a segurança necessária que possa fazer o seu trabalho. Reforça também que, como concorda a Polícia Civil, não há indícios bastantes para crer que o referido advogado esteja envolvido em ilícitos. Ao contrário, tão-somente exerce seu mister em meio vulnerável, altamente sujeito a tais violências, garantindo a todos o direito de defesa preceituado na Carta Magna.

Lúcio Flávio de Paiva
Presidente da OAB-GO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *