Nada se assemelha à “Ilha de Man Tourist Trophy”, durante anos a corrida mais famosa do mundo e ainda a mais perigosa. O japonês Yoshinari Matsushita foi a última vítima mortal da centenária prova, que já cobrou a vida de ao menos 240 pilotos. Um vício muito arriscado, que começou em 28 de maio de 1907, quando vinte e cinco malucos das duas rodas atreveram-se a competir pelos tortuosos trilhas de cavalos [su_frame align=”right”] [/su_frame]que atravessavam a Ilha de Man, situada no Mar da Irlanda.

Deram a volta na ilhota em um percurso de 61 quilômetros, a uma velocidade de 60 quilômetros por hora. Naqueles tempos, as corridas de motos eram proibidas na Inglaterra, mas Man tinha status de nação e sua legislação era independente. Uma autonomia que permitia à ilha evitar os limites de velocidade. Foi o argumento chave para converter o lugar no palco de uma prova que se transformou em lendária graças a sua periculosidade.

A corrida chegou a fazer parte do Mundial de Motociclismo entre 1949 até 1976, quando foi eliminada do calendário precisamente por seu preço em vidas. Porque, com o passagem do tempo, alguns dos caminhos de cavalos foram asfaltados, mas o percurso continuou o mesmo.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário