Repórter da Globo de Nova York vai parar na delegacia após confusão com a PM em Campo Grande

Todos os envolvidos foram encaminhados para fazer exame de corpo de delito, já que dois PMs também apresentaram ferimentos na boca e no braço, conforme a SSP

Dois jornalistas – entre eles Felipe Santana, correspondente da TV Globo em Nova York – e policiais militares tiveram um desentendimento na noite deste domingo, 26, no Circuito Osmar (Campo Grande) e o caso foi parar na delegacia. A Secretaria da Segurança Pública (SSP), que divulgou as informações do caso por meio de nota, determinou a apuração rigorosa da situação.

Segundo a SSP, após o desentendimento o caso foi para a Central de Flagrantes do Passeio Público. Os policiais alegam desacato e, os profissionais de imprensa – que não estavam trabalhando –, acusam truculência policial.

O outro jornalista envolvido na confusão é Bruno Aversa Dellalata, que teve um ferimento no supercílio e foi levado ao posto médico para atendimento. Em seguida, Bruno foi encaminhado ao Hospital Aliança, no Rio Vermelho, onde permanecia em observação até a madrugada desta segunda-feira, 27.

Já Felipe Santana foi ouvido ainda na noite de domingo na Central de Flagrantes. Ele veio para Salvador para curtir férias. Os militares envolvidos também prestaram depoimentos.

Todos os envolvidos foram encaminhados para fazer exame de corpo de delito, já que dois PMs também apresentaram ferimentos na boca e no braço, conforme a SSP.

Apesar da acusação contra os jornalistas, desacato deixou de ser crime no Brasil em dezembro de 2016, em uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça. O STJ  justifica que criminalizar o desacato à autoridade contraria leis internacionais de direitos humanos.

“Não há dúvida de que a criminalização do desacato está na contramão do humanismo porque ressalta a preponderância do Estado, personificado em seus agentes, sobre o indivíduo”, escreveu o ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas em seu parecer.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário