Resgate busca piloto e empresário que ainda estão desaparecidos em Florianópolis

Corpos de Robson Magalhães e do piloto Marlon Neves não foram localizados; avião caiu no litoral catarinense quando vinha para Rondônia

O monomotor TBM7, de prefixo PP-LIGdecolou às 5h20min do aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis em direção a Ji-Paraná, em Rondônia – a 3 mil km da Capital catarinense. Quando estava a seis milhas (9,6 quilômetros) do aeroporto, ele perdeu a comunicação com a torre de controle. A Base da Aeronáutica acionou o Corpo de Bombeiros às 5h30min, mas não forneceu mais informações.

Segundo o Capitão Ferreira, do Helicóptero Arcanjo, manchas de combustível edestroços da carcaça vermelha e branca foram avistadas durante sobrevoos por volta das 7h. Ao todo, 12 bombeiros participam das buscas em uma área de cerca de 50 m² na parte leste da Ilha. Ainda segundo o capitão, as buscas estão concentradas embaixo da mancha de combustível.

Mergulhadores dos bombeiros do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) dos Bombeiros também participam das buscas por desaparecidos a cerca de 26 metros de profundidade.

Quatro militares da Marinha também participam das buscas na região a bordo de uma embarcação de salvamento:

— Estamos focando nossa atenção na parte leste da Ilha do Campeche, que é onde encontramos alguns destroços que condizem com os do monomotor. A prioridade, no momento, é encontrar os desparecidos. Mas até agora só encontramos uma mochila, que não possuía nenhuma identificação — afirma o comandante Juarez Mello, da Marinha.

A mochila, assim como pedaço dos destroços, foram resgatados em uma rede de um pescador de 48 anos. Ainda no amanhecer, ele estava pescando próximo ao local quando verificou os destroços e acionou os bombeiros.

Pescador encontrou destroços do avião nas primeiras horas da manhãFoto: Guto Kuerten / Agencia RBS
[su_frame align=”right”] [/su_frame]De acordo com o centro de comunicação social da Força Aérea Brasileira (FAB), asinvestigações das causas do acidente serão realizadas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronauticos (Seripa 5), locado em Canoas, no Rio Grande do Sul. Uma equipe já está em deslocamento para Florianópolis para as primeiras análises. Ainda de acordo com a FAB, não há tempo máximo para a conclusão do relatório.

Segundo a assessoria da Infraero, o tempo estava chuvoso na Capital, mas não apresentava condições extremas que impossibilitariam um voo.

Com informações do Diário Catarinense

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário