Promotores interrogam João de Deus e preparam terceira denúncia

A promotoria não quis detalhar por quais crimes João de Deus será acusado agora

Os promotores Gabriella Queiroz e Paulo Penna Prado, do Ministério Público de Goiás, foram até o Complexo Penitenciário Aparecida de Goiânia na manhã desta terça-feira (22) para interrogar João de Deus, acusado de assediar mulheres durante sessões espirituais. O depoimento deve servir para embasar uma nova denúncia contra o médium.

A promotoria não quis detalhar por quais crimes João de Deus será acusado agora. Atualmente, ele já é réu em duas ações por violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.

Preso desde 16 de dezembro, o médium também foi indiciado no dia 10 de janeiro pela Polícia Civil por posse ilegal de armas. Na ocasião, ele também foi indiciado por violação sexual mediante fraude por um crime que teria sido cometido há três anos contra uma vítima de São Paulo.

A força-tarefa do Ministério Público goiano já recebeu mais de 600 contatos sobre o médium, dos quais foram identificadas cerca de 300 vítimas. Com informações do Estadão Conteúdo.

Fonte: noticiasaominuto

Mulher chamada de ‘prostituta’ em matéria da Record processa emissora

Processo foi aberto na 13ª Vara Cível da capital fluminense

Uma mulher está processando a Record por ter sido chamada de “prostituta” durante uma reportagem da emissora sobre seu marido, que tentou cometer suicídio de cima de um prédio no Rio de Janeiro. O processo foi aberto na 13ª Vara Cível da capital fluminense.

De acordo com o site ‘Famosidades’, a mulher exigiu R$ 40 mil de indenização por ataque à sua honra. Ela disse que precisou se mudar para o Rio Grande do Sul pois se sentiu humilhada.

Fonte: noticiasaominuto

Motorista de Palocci revela encontros com banqueiros e empresários

Carlos Alberto Pocente trabalhou com o ex-ministro por mais de uma década e fez as revelações durante depoimento ao MP

O motorista do ex-ministro Antonio Palocci, Carlos Alberto Pocente, prestou depoimento à Justiça no qual revela que já esteve com o político em diversos encontros com banqueiros, inclusive nas sedes desses bancos. Segundo Pocente, as reuniões costumavam acontecer à noite. O material foi divulgado pelo site O Antagonista.

De acordo com o depoimento de Pocente, Palocci se encontrou com os proprietários do BTG, Santander e Safra. No primeiro banco, o motorista revela que as reuniões eram recorrentes e aconteciam até na residência de André Esteves, dono do BTG.

“[Pocente] se recorda de ter levado Palocci em muitas oportunidades ao banco Safra, bem como à residência de seu proprietário; que já levou Antonio Palocci em inúmeras oportunidades até a residência de André Esteves”, diz o depoimento prestado ao Ministério Público.

O motorista prestou serviços ao ex-ministro durante mais de uma década. Ao longo desse período, ele disse que o político se encontrava periodicamente com o empreiteiro Marcelo Odebrecht. Ele se recorda ainda que, em alguns episódios, o ex-presidente Lula e o empresário Léo Pinheiro, da construtora OAS, participavam das reuniões na residência de Odebrecht.

Fonte: metropoles

“Deus e a Justiça vão cuidar”, diz Datena sobre denúncia de assédio

José Luiz Datena se pronunciou nesta segunda-feira (21), durante o ‘Brasil Urgente’, sobre o caso do suposto assédio denunciado pela repórter Bruna Drews, de acordo com informações do UOL.

“É claro que vou dar uma satisfação para os meus telespectadores sobre o que está acontecendo. Mas vai ser uma coisa rápida, porque quem vai cuidar disso primeiro é Deus, depois a Justiça”. iniciou ele, antes de chamar o intervalo.

“É evidente que estou triste, eu sou um ser humano. E um ser humano quando enfrenta qualquer acusação mentirosa, embutida de calúnia e com o sentido de ferir, que vem principalmente de quem você não espera, é claro que você fica chateado. Eu acredito muito na justiça de Deus e dos homens. São palavras mentirosas que me colocam em destaque na imprensa. A verdade vai aparecer. E quem vai decidir isso, primeiro é Deus, e depois a Justiça. Faz 17, 18 anos que defendo as mulheres, de feminicídio, de assédio sexual… E vou continuar fazendo isso. Eu defendo todas as mulheres”, desabafou o apresentador na volta do intervalo.

Confira o desabafo de Datena na íntegra na Istoé.

PM é condenado a 24 anos de prisão por matar adolescente a pauladas

Três testemunhas, duas delas protegidas pela justiça, alegaram ter visto Jefferson Souza utilizar um cabo de enxada para agredir o rapaz no meio da rua

O policial militar Jefferson Alves de Souza, do 22º BPM, foi condenado a 24 anos e seis meses de prisão pelo homicídio do adolescente Gabriel Paiva, morto em abril de 2017 aos 16 anos após ser agredido a pauladas. O caso foi julgado nessa quinta (17) pelo 1º Tribunal do Júri no Fórum da Barra Funda.

Três testemunhas, duas delas protegidas pela justiça, alegaram ter visto Jefferson Souza utilizar um cabo de enxada para agredir o rapaz no meio da rua na Vila Missionária, zona sul de São Paulo. À época do crime, a Ouvidoria das Polícias do Estado apresentou versão semelhante, no qual o jovem foi abordado durante uma festa com 50 pessoas.

Gabriel Paiva foi socorrido e ficou internado por quatro dias no Hospital Regional Sul antes de falecer.

Ao proferir a sentença do júri, a juíza Débora Faitarone diz ter ficado comprovado o uso de violência por parte do policial e lembra que Gabriel não tinha nenhuma passagem criminal. A sentença afirma que a atitude “envergonha” a Polícia Militar de São Paulo pois o réu “nunca prendeu um traficante, nunca combateu o crime naquela comunidade, não enfrentava criminosos”.

Além da privação de liberdade, o júri também declarou a perda de cargo do policial na corporação.

Outro policial acusado de participação no crime foi absolvido. Com informações do Estadão Conteúdo.

Fonte: noticiasaominuto

Justiça condena Alexandre Frota a indenizar jornalista em R$ 30 mil

O ex-ator pornô e deputado federal eleito foi condenado a pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo condenou o ex-ator pornô e deputado federal eleito Alexandre Frota (PSL-SP) a indenizar o jornalista Juca Kfouri em R$ 30 mil por conta de postagens ofensivas feitas no Twitter.

Segundo o UOL, a Justiça considerou evidente o dano provocado pelas postagens do deputado federal eleito e majorou o valor da condenação por danos morais de R$ 15 mil para R$ 30 mil.

O CASO

Tudo começou quando Juca publicou um texto em seu blog chamando Alexandre Frota de “ator pornô” e dizendo que ele conduzia Roque Citadini, então candidato à presidência do Corinthians, para o abismo. O deputado eleito não gostou e chamou o jornalista de “capacho do PT”, e ainda o xingou com frases com conotações sexuais e escatológicas.

Juca acionou a Justiça e o relator do caso, José Carlos Ferreira Alves, entendeu que, se Frota se sentiu prejudicado com o texto publicado no blog do jornalista, ele “deveria ter buscado a via judicial com a regular oportunidade de esclarecimento quanto à culpa pelo ocorrido, sendo temerária a atitude de agredir publicamente o autor com palavras de baixo teor, o que acabou amplamente divulgado, ocasionando danosa repercussão”.

Além disso, o relator considerou que a liberdade de opinião não pode ser exercida de forma irresponsável. Sobre o texto de Kfouri, a Justiça entendeu que não há excessos, mas apenas posicionamento jornalístico.

Fonte: noticiasaominuto

Paciente diz ter sido operada do joelho errado em Juiz de Fora (MG)

Maria Aparecida Vale contou que erro teria acontecido mesmo com a sinalização por uma marca feita pela enfermeira

Uma manicure de 49 anos diz que teve o joelho errado operado nesta terça-feira, 15, no hospital da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG). Maria Aparecida Vale contou que foi internada para uma cirurgia no joelho esquerdo, mas o médico teria operado o direito.

Segundo ela, após notarem o erro, ele operou também o esquerdo. Assim, ao final da internação, os dois joelhos estavam enfaixados e tinham passado por procedimento cirúrgico. Foi assim, que ela obteve alta e deixou o hospital na manhã desta quarta-feira (16).

O erro teria acontecido mesmo com a sinalização por uma marca feita pela enfermeira. “Como estava sedada, só vi a cirurgia errada quando acabou o efeito da anestesia”, explicou sobre o primeiro procedimento. Ela chamou o médico e o avisou e, em seguida, passou pela outra operação.

A cirurgia foi realizada após oito meses na fila de espera e a família pretende agora processar o hospital. Uma advogada já foi contratada e informou que a ação, para obter indenização por danos morais e materiais, relatará a demora na realização do procedimento e o erro.

Investigação

O Hospital Universitário, que tem como gestora a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), diz que o caso está sendo apurado. A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) informou ter cobrado da superintendência do hospital a “apuração rigorosa” da denúncia.

Fonte: noticiasaominuto

Cantora Mariah Carey processa ex-assistente executiva

A cantora Mariah Carey acionou a Justiça nesta quarta-feira contra um ex-assistente a quem acusa de quebra de acordo de confidencialidade, negligência e roubo, de acordo com documentos do processo.

Mariah Carey, uma das cantoras mais bem-sucedidas em termos de vendas do mundo, com 200 milhões de discos vendidos e hits como “We Belong Together”, pede o ressarcimento de ao menos 3 milhões de dólares em danos causados por Lianna Azarian e também uma medida cautelar para impedir que a ex-assistente volte a quebrar o acordo de confidencialidade, de acordo com a petição protocolada na Suprema Corte do Estado de Nova York.

Lianna Azarian trabalhou para Carey de março de 2015 a novembro de 2017 como assistente executiva, de acordo com os documentos no processo.

Os advogados de Mariah Carrey não responderam a pedidos de comentário. Lianna Azarian também não respondeu.

O portal de entretenimento TMZ.com noticiou nesta quarta-feira que Azarian gravou Carey em segredo e ameaçou divulgar vídeos “embaraçosos” a menos que a estrela pop pagasse 8 milhões de dólares. Até o momento, a Reuters não conseguiu confirmar as informações.

Fonte: Reuters

Rihanna processa seu próprio pai por usar nome Fenty em empresa, diz site

Segundo TMZ, cantora diz que pai, Ronald, tenta se aproveitar de sua marca ao usar sobrenome deles em empresa de entretenimento. Rihanna tem companhia de beleza chamada Fenty Beauty.

Rihanna está processando seu próprio pai, Ronald, por causa do uso da marca “Fenty”, que é o sobrenome da família, em uma empresa. A informação foi divulgada nesta terça-feira (15) pelo site TMZ.

Rihanna lançou diversos produtos de beleza usando uma marca criada por ela chamada Fenty Beuty. Depois disso, em 2017, o pai criou a empresa de entretenimento que também tem o nome Fenty, sem o conhecimento de Rihanna.

A cantora diz na ação que Ronald Fenty está tentando lucrar às custas dela. Ela chegou a enviar cartas pedindo que ele interrompa o uso do mesmo nome de sua empresa de beleza. Como não foi atendida, ela entrou com ação judicial, segundo o TMZ.

Não foram divulgados detalhes do processo, e Rihanna e seu pai não se pronunciaram oficialmente sobre o assunto.

Fonte: g1

Justiça bloqueia bens de Cabral, Pezão e de quatro deputados do Rio

A Justiça determinou também o bloqueio de R$ 37 milhões do MDB, R$ 900 mil do PDT e R$ 25 mil do PSD

A juíza Roseli Nalin, da 15ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro, determinou o bloqueio e indisponibilidade de bens de seis políticos, entre os quais os ex-governadores Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão e o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio Jorge Picciani por suspeita de improbidade administrativa.

A decisão partiu de um pedido do Ministério Público estadual, que tinha ajuizado em dezembro uma ação civil pública contra dez envolvidos em irregularidades em doações de campanha do então governador Luiz Fernando Pezão, do ex-governador Sérgio Cabral e de deputados estaduais em troca da concessão de benefícios fiscais e financeiros, que teriam financiado o grupo político.

Na decisão, a juíza Roseli Nalin escreveu que “através da utilização indevida da máquina estatal os réus beneficiaram ao arrepio da lei, diversas sociedades empresariais com incentivos fiscais e financeiros em troca de propina, sendo que parte desses recursos ilícitos foi utilizada em proveito dos réus, para financiar a campanha majoritária do MDB ao governo do estado (chapa Pezão/Dornelles), bem como do então candidato a deputado federal Marco Antônio Cabral, pelo mesmo partido”, disse.

A magistrada disse na decisão que houve financiamento ilícito de campanha do então deputado estadual Chistino Áureo, por meio do diretório nacional do PSD e pagamentos indevidos ao PDT, todos relativos às eleições de 2014. “Os fatos praticados constituem improbidade administrativa, tendo causado dano ao erário e enriquecimento ilícito do grupo, formando ciclo vicioso que em última seara, visou à perpetuação dos mesmos no poder político do Estado”, escreveu a juíza Roseli Nalin.

Bloqueio das contas

Nas contas bancárias, Pezão teve bloqueados R$ 31 milhões; Sérgio Cabral Filho, R$ 33 milhões; Jorge Picciani , R$ 40 milhões; Hudson Braga, R$ 31 milhões; Christino Áureo da Silva, R$ 12 milhões e o deputado federal Marco Antônio Cabral, R$ 12 milhões. A Justiça determinou também o bloqueio de R$ 37 milhões do MDB, R$ 900 mil do PDT e R$ 25 mil do PSD.

Fonte: agenciabrasil