Defesa de Beto Richa afirma que suspeitas já foram esclarecidas

Ex-governador do Paraná foi preso em caráter preventivo

Em nota enviada à jornalistas, os advogados do ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), questionaram a prisão em caráter preventiva do tucano. Richa foi detido na manhã de hoje (25), em Curitiba, por suspeitas de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa na concessão de rodovias estaduais.

Segundo a defesa de Richa, os fatos apresentados pelo Ministério Público Federal (MPF) no pedido de prisão preventiva acolhido pelo juiz federal substituto Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, são “antigos”.

Os advogados sustentam que os fatos apresentados pelos procuradores da República foram devidamente esclarecidos, “não restando qualquer dúvida quanto à regularidade de todas as condutas praticadas” pelo ex-governador, no exercício de suas funções.

“Mais que isso. Os fatos ora invocados já foram anteriormente utilizados, na decretação das medidas cautelares expedidas contra o ex-governador”, sustenta a defesa, referindo-se ao primeiro mandado de prisão preventiva cumprido contra Richa, em setembro de 2018, quando o ex-governador passou menos de três dias no Regimento da Polícia Montada, da Polícia Militar, em Curitiba.

“Cumpre registrar que o Supremo Tribunal Federal, ao julgar referidas medidas, reconheceu a flagrante ilegalidade na ordem prisão decretada [em setembro]”, acrescentam os advogados, argumentando que a nova prisão, hoje, “afronta o quanto decidido pelo STF com o evidente objetivo de desrespeitar os julgamentos proferidos pela Suprema Corte, sobre o tema”, tendo baseado-se em “ilações do MPF, exclusivamente suportadas em falsas e inverídicas informações prestadas em sede de colaboração premiada, por criminosos confessos”.

Também a pedido do MPF, o juiz Paulo Sérgio Ribeiro autorizou a prisão preventiva de Dirceu Pupo Ferreira, contador da empresa da ex-primeira dama Fernanda Richa. Ferreira é apontado como “homem de confiança da família e administrador das empresas Ocaporã e BFMAR, ambas da família Richa e alvos da Operação Integração – uma fase da Operação Lava Jato deflagrda em fevereiro de 2018 para apurar suspeitas de irregularidades nos contratos de concessões de rodovias.

Segundo o MPF, há indícios de que André Richa, um dos filhos do ex-governador, foi beneficiado com pelo menos R$ 2,5 milhões em dinheiro vivo, usados para a aquisição de, pelo menos, três imóveis registrados em nome de uma empresa pertencente a Fernanda Richa.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Dirceu Pupo Ferreira. Já os advogados de Fernanda Richa seguem, em nota, a mesma linha apresentada pelos advogados do ex-governador.

“A operação federal desencadeada hoje baseia-se em fatos antigos e já esclarecidos na investigação estadual do GAECO. Há evidente conflito entre as duas investigações que versam sobre os mesmos fatos”, comentam os advogados, sustentando que a empresa Ocaporã nunca foi administrada formal ou informalmente por Carlos Alberto Richa.

“Não há qualquer fato que ligue a empresa ou seus sócios a qualquer fato ilícito sob investigação. Fernanda e André Richa estão, como sempre estiveram, à disposição da justiça, do Ministério Público e da polícia. É notório, inclusive, que ambos já prestaram depoimentos e responderam a todos os questionamentos que lhes foram feitos”, acrescentam os advogados.

A Polícia Federal realizará, esta tarde, uma coletiva de imprensa para fornecer detalhes sobre o cumprimento dos mandatos de hoje.

Fonte: agenciabrasil

Suspeito é preso por extorquir a própria mãe durante 14 anos

Osvaldo Monteiro da Costa, de 52 anos, usava uma arma para tirar dinheiro da mulher

Um homem foi preso nesta quarta-feira (23) por extorquir a mãe durante 14 anos usando uma arma. O caso ocorreu o município de Nazária, a 38 km de Teresina. Osvaldo Monteiro da Costa, de 52 anos, era foragido do sistema prisional do Piauí.

“Osvaldo Monteiro tem duas passagens pela polícia. A primeira vez que foi detido foi pelo crime de extorsão com emprego de arma. Durante 14 anos, vinha constrangendo, mediante grave ameaça e com emprego de arma, sua genitora com o intuito de obter vantagem econômica”, disse o delegado Matheus Zanatta, o gerente de polícia especializada.

Segundo o G1, o intuito de Osvaldo era tirar dinheiro da mãe. O suspeito já tinha passagem pela polícia após tentar matar um homem a facadas em 2016. “Ele tentou matar este homem no dia 22 de janeiro no bairro Lourival Parente, a vítima era um motorista de ônibus e a discussão foi por motivo banal. Eles discutiram e ele acabou esfaqueando o homem”, completou.

Fonte: noticiasaominuto

Beto Richa, ex-governador do PR, é preso em Curitiba

Há suspeita de o político estar ligado ao favorecimento da Odebrecht em contrato de duplicação da PR-323, no interior do estado

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso na manhã desta sexta-feira (25/1) no apartamento dele, em Curitiba. Recaem sobre ele suspeitas de participação em esquema de corrupção na concessão de rodovias no estado. Teriam sido movimentados R$ 55 milhões em propinas.

A prisão foi decretada pelo juiz Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, como desdobramento da Operação Integração – que foi uma fase da Lava Jato, que investigou a concessão de rodovias no estado.

Nesta sexta-feira, também foi preso o homem de confiança de Richa, o contador Dirceu Pupo Ferreira. Segundo investigação, o arranjo que supostamente envolvia o ex-governador gerou dois esquemas de pagamento de propinas. O primeiro deles teve início há 20 anos, em 1999, com quantias que somam R$ 35 milhões. Já o segundo movimentou R$ 20 milhões entre 2011 e 2014.

No mesmo dia, a casa de Richa passou por busca proveniente da Operação Lava Jato, outra investigação na qual ele está envolvido, por suspeita de estar ligado ao favorecimento da Odebrecht em contrato de duplicação da PR-323, no interior do Paraná.

Três dias depois da prisão, o ex-governador foi solto por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes.

ostamente envolvia o ex-governador gerou dois esquemas de pagamento de propinas. O primeiro deles teve início há 20 anos, em 1999, com quantias que somam R$ 35 milhões. Já o segundo movimentou R$ 20 milhões entre 2011 e 2014.

Em 11 de setembro do ano passado, Beto Richa foi preso durante a Operação Radiopatrulha – ofensiva que apura supostos desvios em contratos de manutenção de estradas, no âmbito do Programa Patrulha Rural.

Fonte: metropoles

Homem denuncia esposa por agressão e acaba preso por tentativa de estupro em RO

Prisão aconteceu na tarde desta segunda-feira (21), em Porto Velho. Suspeito, de 45 anos, foi encaminhado à Central de Polícia da capital.

Um homem, de 45 anos, que denunciou a esposa por agressão, na tarde desta segunda-feira (21), acabou preso em flagrante por tentativa de estupro, em Porto Velho. À Polícia Militar (PM) local, a vítima, de 47 anos, informou que arranhou as costas do marido porque ele tentou violentá-la.

O caso aconteceu por volta das 14h em uma residência da rua Hematita, bairro Jardim Santana, Zona Leste da região.

De acordo com registro de ocorrência, o suspeito acionou a PM alegando que tinha sido agredido pela esposa. Ele apresentava alguns arranhões nas costas.

Os policiais questionaram a mulher sobre a suposta agressão e ela confirmou que o marido, sempre que fica bêbado, se torna violento e que tentou manter relação sexual com ela a força nesta segunda.

O homem recebeu voz de prisão e foi encaminhado à Central de Polícia da cidade, onde o crime foi registrado como tentativa de estupro.

Fonte: g1

Cantor Chris Brown é preso em Paris após acusação de estupro

Vítima é uma jovem de 24 anos

O rapper Chris Brown foi preso em Paris, na França, nesta terça-feira (22) após uma denúncia de estupro. A informação foi confirmada pela agência de notícias AP.

De acordo com o jornal inglês ‘Independent’, o cantor teria sido denunciado por uma jovem de 24 anos, que alegou ter sido estuprada pelo artista no dia 15 de janeiro. Os dois teriam se conhecido em clube noturno na capital francesa.

Fonte: noticiasaominuto

Major da PM é preso suspeito de ligação com morte de Marielle Franco

Ao menos cinco integrantes da milícia que atua na Zona Oeste do Rio foram presos até o momento

A Operação ‘Os Intocáveis’ foi deflagrada na manhã desta terça-feira (22) em Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio, e outras localidades da cidade. Cerca de 140 policiais foram mobilizados para prender integrantes da milícia mais antiga e perigosa do estado – 13 mandatos de prisão preventiva contra a organização criminosa foram expedidos.

Até o momento, cinco pessoas já foram presas, entre eles dois chefes do grupo miliciano: o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira e Maurício Silva da Costa, o Maurição, tenente reformado da Polícia Militar. De acordo com o jornal ‘O Dia’, os outros presos são Manoel de Brito Batista, o Cabelo; Benedito Aurélio Ferreira Carvalho, o Aurélio; e Laerte Silva de Lima.

A operação é do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), com o apoio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil. Embora o objetivo da ação policial seja prender a milícia que explora de forma violenta o ramo imobiliário ilegal em Rio das Pedras, há suspeita de que o grupo esteja envolvido no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. O crime ocorrido no dia 14 de março do ano passado continua sem respostas.

Fonte. noticiasaominuto

No Egito, apresentador é condenado à prisão por entrevistar homossexual

O apresentador foi condenado a um ano de prisão, uma multa de 3000 libras egípcias (R$ 626,72 no câmbio atual).

Um tribunal egípcio condenou neste domingo (20), a um ano de prisão o apresentador Mohammed al Ghaity, sob a acusação de “desprezo à religião, libertinagem e propagar a homossexualidade” por ter convidade durante um programa ao vivo um jovem homossexual.

O apresentador foi condenado a um ano de prisão, uma multa de 3000 libras egípcias (R$ 626,72 no câmbio atual) e a um ano de vigilância por ter convidado ao programa ‘Sah al Num’ do canal egípcio ‘LTC’ o jovem homossexual, cuja imagem aparecia pixelada. A decisão ainda cabe recurso em instância judicial superior.

De acordo com a agência Efe, quem denunciou o apresentador à Procuradoria Geral foi o advogado egípcio Samir Sabry que afirmou que o programa ‘contradiz as regras e os pilares mais básicos religiosos’

“O apresentador começou a fazer muitas perguntas, e todas sujas e de baixo nível. As respostas ao vivo foram todas inclusive piores e que não podem ser transmitidas na televisão nem em outros veículos de comunicação”, comentou o advogado.

Fonte: noticiasaominuto

Mulher é presa após simular sequestro e exigir R$ 300 mil de resgate ao marido, no RS

O casal se conhecia há aproximadamente 14 anos, mas estavam vivendo como marido e mulher há cerca de dois anos.

Uma mulher foi presa em flagrante, na manhã desta sexta-feira, em Novo Hamburgo (RS), após simular o próprio sequestro e exigir R$ 300 mil de resgate ao marido. Segundo a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, ela foi autuada pelos crimes de estelionato, organização criminosa e falsa comunicação de crime.

O delegado João Paulo de Abreu, da 1ª Delegacia de Repressão a Roubos, afirmou que o sequestro teria ocorrido na segunda-feira, na cidade de Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Em entrevista ao EXTRA, Abreu contou que o marido da presa ficou “extremamente surpreso” quando os investigadores descobriram indícios suficientes que mostravam que o sequestro era falso. Embora o final da história não tenha sido o esperado por ele, disse o delegado, o comerciante se mostrou agradecido ao trabalho da polícia.

Abreu afirmou que, no momento em que a mulher foi encontrada, ela estava tremendo e chorando, como se realmente estivesse feliz e aliviada por ser resgatada.

— Ela alegou desde o inídio que houve o sequestro mesmo, onde foi encontrada. Depois que mostramos que os indícios de que estava mentindo, ela confessou, mas antes chegou a dizer que as demais pessoas que participaram do crime a tinham ameaçado de morte, caso não levasse a ideia adiante.

O casal se conhecia há aproximadamente 14 anos, mas estavam vivendo como marido e mulher há cerca de dois anos.

“Após diversas diligências, foi descoberto que a vítima do sequestro, na verdade, estaria participando de uma associação criminosa com vistas a enganar o marido e auferir vantagem indevida. Ela foi localizada na cidade de Novo Hamburgo, após uma teatral libertação de seu local de cativeiro”, relatou o delegado.

O diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), delegado Sander Ribas Cajal, salientou a importância de se atender de forma diferenciada os casos de extorsão mediante sequestro, com todos os recursos possíveis.

“Ainda que não tenha se enfrentado o caso tradicional, o resultado obtido pela equipe da Especializada foi extremamente positivo, vez que confirma que as metodologias de investigação empregadas estão sendo suficientes a descobrir autoria dos fatos e, no caso, o crime de estelionato”, afirmou Cajal.

Fonte: extra

Procuradora aposentada condenada por torturar criança é presa

Ela foi condenada pelo crime de tortura contra a menor de dois anos que estava sob sua guarda provisória.

A Polícia Civil do Rio prendeu na manhã desta quinta-feira, 17, a procuradora de Justiça aposentada Vera Lúcia de Sant’anna Gomes. Condenada por espancar uma criança de dois anos que pretendia adotar, em 2010, ela era considerada foragida há quase três anos.

Reportagem da Globonews dessa quarta-feira mostrou que Vera Lúcia estava em sua residência, um apartamento em Ipanema, na zona sul. Agentes da Polícia Civil foram até o endereço na manhã desta quinta e a procuradora aposentada foi encaminhada à Cidade da Polícia, na zona norte do Rio.

Vera Lúcia havia sido condenada, ainda em 2010, a oito anos e dois meses de prisão em regime fechado. Posteriormente, a pena foi reduzida para cinco anos e cinco meses de prisão, em regime semiaberto.

A procuradora aposentada chegou a ganhar um habeas corpus, mas em 2016, após esgotados todos os recursos, deveria ter começado a cumprir a pena. Desde então, era considerada foragida.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa da acusada.

Fonte: bandab

Homem é preso por matar vizinho que queria aumentar volume de música

Os dois estavam bebendo na casa do suspeito no dia do crime

Um homem foi preso suspeito de ter matado um bombeiro a facadas em Colônia Terra Nova, na Zona Norte de Manaus. Joarez Pinheiro de Lima, de 35 anos, esfaqueou o vizinho Ivanildon Gonçalves Juvêncio por conta do volume da música que tocava dentro de casa. Os dois estavam bebendo na hora do crime, ocorrido na madrugada do dia 16 de dezembro.

“Um motivo banal. Eles bebiam. Acabaram tendo uma briga pelo volume da música, o suspeito pegou uma faca e cravou uma a vítima no peito. Após o crime, começamos a investigar o ocorrido”, contou o delegado Paulo Martins, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

De acordo com o G1, Lima foi identificado logo após o crime. Nesta quinta-feira (10), ele se apresentou na DEHS e disse ter cometido o assassinato. O suspeito foi preso em seguida.

“Eu ia colocar o som na televisão que era mais baixo e ele queria que colocasse na caixa de som. Ele disse ‘coloca no aparelho, se não eu vou te matar’, e tacou uma latinha em mim. Começamos a brigar. Eu peguei a faca e desferi, mas eu não sabia que ia acertar ele. Eu não tive a intenção”, revelou Lima durante uma coletiva de imprensa nesta sexta.

Fonte: noticiasaominuto