Alimentos saborosos podem ajudar a controlar sintomas da TPM; confira

Inchaço, desânimo, dor de cabeça e alterações de humor são alguns dos sintomas característicos da tensão pré-menstrual, mais conhecida como TPM. Normalmente, essas manifestações começam a aparecer de 10 a 14 dias antes da chegada do ciclo menstrual e podem se agravar, gradativamente, até o início da menstruação. “Devido à oscilação dos hormônios durante esse período, é possível ter alguns incômodos físicos e emocionais”, comenta a nutricionista Marília Zagato.

No entanto, investir em uma boa alimentação pode fazer toda a diferença para diminuir os aborrecimentos desta fase. Marília explica que apostar em alimentos que conferem o gosto umami – quinto gosto do paladar humano, ao lado do doce, salgado, azedo e amargo – proporciona o prazer de comer, deixando o prato ainda mais saboroso.

Confira abaixo a lista de alimentos que ajudam a reduzir os sintomas:

Peixes

Os peixes de água fria, como salmão e atum, são ricos em ômega-3, um tipo de gordura boa com ações anti-inflamatórias. “O consumo dos nutrientes presentes nesses alimentos pode ajudar na redução de dores de cabeça e na diminuição da retenção hídrica durante o período menstrual”, explica Marília.

Cenoura

Outra ótima opção para auxiliar no alívio dos sintomas da TPM é a cenoura. Ela contém vitamina B6, que desempenha funções que contribuem na melhoria das mudanças de padrão do sono e, inclusive, em alterações do humor. “Você pode consumir a cenoura em diferentes tipos de preparações, desde pratos frios até sucos. Em apenas uma cenoura é possível consumir 10% da quantidade de B6 recomendada para o dia”.

Gema de ovo

Essa parte do ovo contém vitamina B1, que atua diretamente na produção da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação do bem-estar. “A vitamina presente neste alimento está relacionada à produção da serotonina, que é responsável pela sensação de conforto”.

Laranja

Aposte em alimentos que são fontes de vitamina C – responsável pela atuação na produção dos neurotransmissores, contribuindo com a sensação de bem-estar e menor agitação. “A laranja é uma excelente fonte de vitamina C. Inclui-la no cardápio é uma ótima opção”, comenta Zagato.

#DicaDaNutri

Principalmente neste período, é importante diminuir o consumo de cloreto de sódio, mais conhecido como sal de cozinha, para não reter líquido. A nutricionista dá a dica: “Para diminuir o consumo exagerado, é recomendada a utilização de glutamato monossódico, que realça o sabor das refeições e contém 2/3 a menos de sódio em sua composição”, recomenda.

“A porção de glutamato monossódico deve substituir a metade da porção de sal. Por exemplo, se a receita pede uma colher de chá, você utiliza meia colher de glutamato e meia de sal, reduzindo o teor de sódio na preparação, sem perder o sabor”, finaliza Marília Zagato.

Fonte: noticiasaominuto

Entenda como a TPM acontece e aprenda a amenizar os sintomas

A TPM ou Síndrome pré-menstrual é o período cíclico que precede a menstruação. Ela é caracterizada com um conjunto de sintomas físicos e emocionais causados por alterações hormonais que trazem desconfortos para a vida das mulheres.

Segundo a ginecologista de São Paulo, Maria Elisa Noriler, durante cada ciclo menstrual, o organismo feminino passa por importantes mudanças como a elevação do estrogênio e queda da progesterona. Além disso, como as células nervosas são afetadas pela produção dos hormônios femininos, há uma influência no aumento e queda mensal da produção de serotonina – hormônio que dá a sensação de bem-estar.

“Cólicas, alterações de humor e retenção de líquido são alguns dos sintomas que podem surgir, porém eles dependem muito de mulher para mulher, e podem ser muito evidentes em algumas ou muito discretos em outras”, explica a especialista.

Pensando nisso, Maria Elisa listou algumas dicas sobre o que fazer o que evitar durante os dias que antecedem a menstruação, que podem ajudar a tornar este período menos turbulento:

Prática regular de exercícios físicos: Atividades físicas, como musculação e corrida, liberam endorfina que traz a sensação de bem-estar e prazer, relaxa e ajuda no funcionamento de intestino. “Outra dica é realizar atividades de alongamento como yoga, que auxilia na normalização dos níveis de adrenalina e no controle da ansiedade”, aconselha a especialista.

Alimentação correta: Aposte em aveia, abacate ou banana. Esses alimentos são ricos em magnésio, nutriente capaz de realizar mais de 300 reações enzimáticas, que ajudam a relaxar o sistema nervoso e muscular. Outra vitamina que pode auxiliar durante este período, são os vegetais escuros, que possuem grandes níveis de cálcio, responsáveis por diminuir as crises de cólica.

Evitar o consumo bebidas alcoólicas: O álcool, assim como o chocolate, traz uma sensação de prazer imediata, no entanto, seu consumo acentua a retenção de líquidos, aumenta a irritabilidade e, além disso, alterar o ciclo do sono da mulher, gerando sonolência excessiva ou insônia.

Consumir carboidratos integrais: O alto teor de fibra presente em carboidratos integrais evita a prisão de ventre e alguns desconfortos gastrointestinais que se acentuam durante a TPM.

“A escolha do tratamento vai de acordo com as queixas da paciente, as vezes é necessário prescrever anti-inflamatórios ou tratamentos hormonais, por isso é muito importante consular um ginecologista para obter maior sucesso no controle dos sintomas da TPM”, finaliza Elisa.

Saiba porque as mulheres sofrem de tensão pré-menstrual

A TPM atinge sete em cada dez mulheres

A tensão pré-menstrual (TPM) ainda gera muitas dúvidas para o universo feminino. Durante este período, mudanças físicas e psicológicas acontecem, em diferentes intensidades, o organismo das mulheres. Muitas vezes tratada como “frescura”, o tema ainda é muito controverso.

De acordo com a ginecologista e obstetra, Dra. Érica Mantelli, a TPM não só existe, como atinge sete em cada dez mulheres. “São mais de 200 sintomas e 90% das mulheres podem apresentar ou manifestar pelo menos um deles. Alterações de humor, entre irritabilidade, agressividade e choro fácil, além de sonolência, insônia, aumento ou diminuição do apetite e inchaço, são os mais comuns”, explica.

A médica reforça que o tempo de duração da TPM varia de 7 a 10 dias antes da menstruação, e segue até o fim dela. Todavia, se a mulher apresentar os sintomas frequentemente após o término, possivelmente é um problema mais sério e o recomendável é buscar ajuda. Além disso, muitos desconfiam que a libido diminui durante este tempo, mas essa informação não procede. Quando ocorrem as oscilações de humor, a mulher pode ficar com a autoestima baixa e, desse modo, sentir-se irritada, o que ocasiona menos vontade para as relações sexuais”, comenta a especialista.

O uso excessivo de bebidas alcoólicas podem intensificar em até 80% os sintomas durante o período pré-menstrual. No entanto, a TPM tem tratamento. “A tensão pré-menstrual pode atingir graus mais severos e isso pode comprometer a qualidade de vida, o ambiente familiar, social e profissional. Em alguns casos mais graves, a TPM é tratada com medicamentos. Já nos casos mais simples, é tratada com uma rotina de atividades físicas e uma boa alimentação. Isso ameniza bastante os sintomas”, completa Érica.

Fonte: noticiasaominuto

Cientistas relacionam consumo de álcool com maior incidência de TPM

Nova pesquisa alerta que abusar de bebidas alcoólicas aumenta em 79% o risco de sofrer com os sintomas pré-menstruais

O confuso (e intenso) período pré-menstrual é conhecido por grande parte das mulheres: mudanças de humor e de apetite, seios sensíveis, dores no corpo, padrão de sono alterado… Mas nem sempre eles têm relação apenas com os hormônios – certos hábitos podem intensificar esses sinais, como o consumo de bebidas alcoólicas.

O alerta vem de um estudo conduzido por cientistas espanhóis e ingleses, que revisaram outros 19 trabalhos, realizados em oito países e que envolviam mais de 47 mil pessoas. A conclusão foi que existe, sim, associação entre o álcool e a TPM.

Os resultados estão longe de ser insignificantes: estima-se que um em cada dez casos de tensão pré-menstrual está ligado a bebidas etílicas. Além disso, as mulheres que bebem moderadamente têm uma tendência 45% maior de sofrer com as alterações da TPM; no caso daquelas que abusam mesmo dos drinques, esse risco sobe para 79%.

Como isso acontece? De acordo com os autores do artigo, a bebida pode causar desequilíbrios hormonais. O álcool também seria culpado por interferir nas taxas de serotonina, hormônio responsável pelas alterações de humor.

Os especialistas ponderam que ainda são necessários mais estudos para entender melhor o efeito do álcool no período que antecede a menstruação. Mas o trabalho certamente reforça aquela velha orientação: beba com (bastante) moderação!

Fonte: Boa forma