Travesti rondoniense é assassinada com tiro nas costas em Brasília e amigos fazem homenagens

Karliane Vitória, 21, uma travesti que já tinha morado em Porto Velho e possuía vários amigos na cidade, morreu próximo a um quiosque em Taguatinga, cidade satélite de Brasília onde, segundo a Polícia Civil, travestis costumam receber clientes para programas. Ninguém foi preso. O episódio aconteceu na terça-feira, 4.

Vários internautas de Rondônia estão usando as redes sociais para homenagear Karliane.

Em seu perfil no Facebook, dezenas de amigos estão postando homenagens e pedindo Justiça pelo crime.

“Estou abalada com a notícia ???? Minha amiga, minha linda. Infelizmente mais uma vítima de homofobia no Brasil! Saiu de Rondônia para viver em Brasília e ser assinada dessa forma. Estava com tanta saudade, vai fazer mais ainda. Espero que você tenha realizado seus sonhos! Minha linda! ???????????????? ????”, esceveu uma amiga.

Para a maioria dos conhecidos, a morte de Karliane se trata de homofobia. “Que Deus te receba de braços abertos Karlinha ????. Mais uma trans belíssima que é vítima de violência bruta”, diz uma amiga da vítima.

Outro internauta questionou a violência recorrente contra travestis e transexuais no país. “Onde vamos chegar com tanta crueldade com a sociedade #LGBTS? ???????????????? Mais uma assassinada nas mãos desses homofóbicos”, ressalta.

Na delegacia, uma testemunha contou que viu a vítima andando na frente de um ciclista, apontado pelas investigações como o principal suspeito do crime. Em depoimento, essa pessoa disse que a vítima gritou por socorro e, em seguida, “ouviu vários disparos”.

Assustada, a testemunha correu no sentido contrário, mas outras pessoas afirmaram ter visto o ciclista fugindo em direção a um local conhecido como “favelinha”, na mesma região. De acordo com a perícia, Karliane foi atingida por um disparo de arma de fogo 22 milímetros.

O caso está sendo investigado pela 21ª Delegacia de Polícia. O aparelho celular da vítima foi apreendido e será periciado.

Com informações do G1/DF/RO

Deixe uma resposta