No início do governo Confúcio, quando Roberto Sobrinho ainda era prefeito, foi anunciada com toda pompa, com direito inclusive a solenidade oficial, um convênio de R$ 5 milhões entre governo e prefeitura para a reforma da rodoviária de Porto Velho. Na época a coluna questionou a falta de planejamento por parte dos dois entes, em querer reformar um prédio que ocupa um espaço obsoleto, cuja área total não permite que se faça algo que fique realmente bom e que fosse definitivo. A placa sobre a reforma, prazo da obra e custos estava lá até um dia desses, mas também foi só.

Continua um lixo

Ano passado, o governo através de uma licitação feita sem chamar a atenção, o governo passou o gerenciamento da rodoviária para uma empresa de Ouro Preto do Oeste, mas as coisas continuam quase iguais, exceto pelo valor das taxas, que aumentaram desde então. O próprio governador chegou a promover uma enquete em seu perfil no Facebook, pedindo sugestões sobre um local para construir uma nova rodoviária (o que eu falei sobre falta de planejamento?), mas após respostas como “onde o senhor achar melhor, será”, creio que até ele desistiu. Desde então, ninguém tocou mais no assunto.

Leia mais na coluna PAINEL POLÍTICO

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *