Sebrae vai ser ‘avalista’ de empréstimos para pequenas empresas

Programa contará com ajuda de bancários aposentados para orientar concessão de crédito a pequenas empresas.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Micro Empresas) vai ser avalista dos empréstimos solicitados por pequenas e microempresas. O programa Senhor Orientador, do Sebrae, pretende facilitar a concessão de crédito para 50 mil pequenas empresas.

O presidente da entidade, Guilherme Afif Domingos, diz que esse público não consegue pegar dinheiro em banco hoje por falta de garantias reais de pagamento.

“O gerente de banco está engessado na hora de dar crédito. Quem dá crédito não é ele, é o computador. E se não estiver dentro do perfil, não pode dar”, disse. “Hoje, 83% das micro e pequenas empresas não têm acesso ao crédito do sistema bancário.”

Para reduzir o risco de calote e, por consequência das taxas de juros do empréstimo, o Sebrae vai ser avalista dos pequenos e microempresários. Esse aval será dado por meio do Fundo de Aval do Sebrae, que conta com 780 milhões de reais.

“Mesmo que a empresa não tenha bens reais para dar em garantia, o Sebrae vai dar o aval”, afirma.

Segundo Afif, é possível alavancar em capital em até 12 vezes. Em um primeiro momento, o crédito aos pequenos empresários será concedido pelo Banco do Brasil. A ideia é que outras instituições também criem linhas de crédito para esse público.

“Na primeira etapa, temos um limite para emprestar de 1,5 bilhão de reais, mas o BB diz que dá para chegar a 8 bilhões de reais”, afirma o presidente do Sebrae.

Crédito orientado

Um dos instrumentos do programa de crédito orientado é a utilização de aposentados, que vão avaliar os pedidos de empréstimo dos micro e pequenos empresários. “O crédito assistido com coach, com alguém que dá orientação, tem risco menor de calote”, diz Afif.

Esses aposentados, segundo o presidente do Sebrae, vieram do setor bancário. “Essa turma sabia emprestar dinheiro quando era gerente de banco. Resolvemos chamar turma da velha guarda, a que sabia emprestar dinheiro.”

Para trabalhar como avalista do programa é preciso ter experiência anterior em agências bancárias, principalmente em concessão de crédito para pessoas jurídicas. “Esse pessoal tem vivência, experiência. Batia o olho e sabia se podia ou não dar crédito, o crédito olho no olho”, diz Afif.

Esses analistas de crédito podem, inclusive, sugerir que não seja concedido crédito. “Eles vão fazer um plano de crédito. Pode ser que eles digam para não pegar empréstimo, que o problema é de gestão, e não de crédito. Que se pegar, vai piorar a situação.”

Fonte: veja.com

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário