Secretaria de Saúde de SP gasta R$ 522 mil com aluguel de prédio que segue vazio

9ullvt58iwdvlrj4rdkqnmwr6Caindo aos pedaços. É assim que servidores estaduais do Departamento Regional de Saúde se referem ao prédio em que trabalham na cidade de Taubaté, a 130 km de São Paulo. Após anos de reclamação, a Secretaria Estadual de Saúde prometeu reformar o edifício e transferir seus funcionários para outro, já alugado. Mas a mudança não aconteceu um ano e quatro meses depois da assinatura do contrato e o edifício, sem uso, já custa R$ 522 mil aos cofres públicos.

a0rqvvh840cettat9vb7ybrkiO prédio da foto ao lado é onde funciona o Departamento Regional de Saúde de Taubaté, responsável por articular as ações de Saúde do Estado em 39 cidades do interior paulista. De acordo com funcionários que falaram com a reportagem sob anonimato, os problemas começam no encanamento, passam por janelas quebradas e chegam ao telhado envelhecido. “Em uma chuva forte esse ano, os computadores ficaram encharcados. A água descia tão forte pelas escadas que parecia uma cascata.”
Diante do caos, a Secretaria de Saúde alugou um imóvel na Avenida Assis Chateubriant, 359, no bairro Independência. O contrato, assinado em julho do ano passado, previa aluguel de R$ 25 mil mensais por um ano. A Secretaria também desembolsou de última hora R$ 32.366,08, pagos à Still Office Móveis, para trocar o mobiliário, que, de tão velho, não resistiria à mudança.

Quando estava tudo pronto, a empresa de energia Bandeirantes embargou o prédio alugado após vistoria: as instalações elétricas eram insuficientes para suportar tantos equipamentos. Mas a adequação não saiu e o prédio ficou fechado por um ano e quatro meses, embora o aluguel continuasse a ser pago.

Fonte: IG

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário