Secretário explica chamamento público a empresas de ônibus em Porto Velho

O secretário municipal de Administração (Semad), Mário Medeiros, foi entrevistado no programa A Voz do Povo, da Rádio Cultura FM, nesta terça-feira (21), onde tratou de alguns assuntos relativos ao desempenho da atual gestão. Perguntado sobre efetivos benefícios que a gestão tenha trazido à cidade até agora, incluindo benefícios ao funcionalismo público, o secretário respondeu que apesar de muitos problemas enfrentados, o quadro se mostra bastante positivo.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Como problemas enfrentados, apontou as dificuldades de organizar a máquina pública após a Prefeitura herdar muitos problemas judiciais, a diminuição de receitas em função da crise financeira que se abateu sobre o país, a pior enchente já enfrentada na cidade, além de outras. Apesar de tudo isso, os pagamentos estão em dias, o funcionalismo teve um aumento real de mais de cinquenta por cento, máquinas foram adquiridas e muitas obras estão acontecendo em todo o município.

Outra questão posta, disse respeito ao que o apresentador, Arimar de Sá, chamou de “queda de braço entre o prefeito e as empresas de ônibus”. Segundo Sá, recentemente, outros entrevistados do programa teriam denominado como “maracutaias” a forma de contratação de uma nova empresa por parte da Prefeitura, e teriam dito também que as empresas atuais não poderiam desenvolver bem seus serviços em função de ser a cidade muito mal cuidada.

O secretário disse que o problema de buracos nas ruas é uma realidade com a qual a cidade sempre conviveu e não pode ser visto como um problema exclusivo da atual administração. “Mas há bairros inteiros já asfaltados, como o Eletronorte e outros. Estamos trabalhando pelo asfaltamento de, pelo menos, quarenta bairros na cidade. Logo tudo isso poderá ser visto, pois os trabalhos já estão em andamento”, afirmou, esclarecendo também que em campanha o prefeito já falava sobre a necessidade de quebra do monopólio das empresas de ônibus. “Assim que assumiu, quis que uma terceira empresa entrasse, mas foi de muitas formas impedido. Ele tentou negociar com as empresas e realizou mais de trinta reuniões, todas acompanhadas pelo sindicato da categoria, mas não se chegou a nenhuma conclusão, porque sempre foi condicionada a melhoria no sistema ao aumento de passagens, e quanto a isso ele nunca quis considerar a possibilidade”, disse Medeiros.

Um telespectador do programa questionou o porquê de não atender ao aumento de tarifas e negociar a melhoria do sistema, o que poderia ter evitado muitos transtornos. O secretário respondeu que isso foi feito em outras administrações sem que nenhuma melhoria acontecesse realmente, restando sempre apenas os aumentos das passagens. “O prefeito também não achou justo que a população pagasse por algo que as empresas deveriam fazer. Além disso, elas devem aos cofres da Prefeitura uma exorbitante quantia, de forma que isso seria premiar quem não paga suas contas com o município”, enfatizou o secretário.

Sobre o processo de contratação de uma nova empresa, Medeiros esclareceu que o prefeito decretou a caducidade do contrato com as empresas vigentes e logo foi formada uma comissão para elaborar um chamamento público para contratação de uma nova empresa. “O edital é público e pode ser acompanhado passo a passo por qualquer pessoa. É muito injusta a acusação de manobras por parte da Prefeitura nesse processo, pois está sendo acompanhado pela Justiça, que entende ser ele aberto e correto. Diversas vezes foram colocados impedimentos ao seu avanço, mas a Justiça tem se declarado favorável a sua continuidade, porque não vê nada obscuro. O prefeito poderia ter contratado diretamente uma nova empresa, isso lhe era facultável, no entanto, decidiu-se por um chamamento público, aberto e transparente. Não há nada de obscuro e qualquer pessoa pode acompanhar a tramitação do processo pelo Diário Oficial e pelo Site da Prefeitura”, destacou o secretário.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário