Segurança do MPF mata funcionário da presidência da República e filho em condomínio; Temer diz que ‘justiça será feita’

Um segurança de 43 anos matou os vizinhos – pai e filho – durante uma briga em um condomínio na noite desta sexta-feira (8) no Jardim Botânico, em Brasília. Segundo a ocorrência, por volta das 23h45, Roney Ramalho Sereno sacou a arma e disparou contra os dois.

Ele foi preso e detido na carceragem da Polícia Civil.

Anderson Ferreira de Aguiar, de 49 anos, morreu na hora. Ele era servidor da área de Finanças da Presidência da República. Já o filho, de 21 anos, Rafael Macedo de Aguiar foi atingido na cabeça e acudido pelo irmão.

O filho foi socorrido pelos bombeiros, mas não resistiu até chegar ao hospital. Os dois estavam indo abastecer o carro.

De acordo com a Polícia Militar, a discussão teria começado por causa de uma lixeira instalada há quatro anos entre os lotes.

Dentro da casa de Sereno, no condomínio Estância Quinta da Alvorada, foram encontrados um revólver, uma pistola, uma espingarda e ao menos 30 mil projéteis.

Neste sábado, o presidente Michel Temer disse em sua conta pessoal no Twitter que a “justiça será feita”.

Presidente Michel Temer comenta morte de servidor da presidência e do filho em assassinato no DF (Foto: Twitter/Reprodução)

“Falei hoje com o João, filho do nosso servidor Anderson Ferreira de Aguiar e irmão do Rafael Macedo de Aguiar, barbaramente assassinados em Brasília. Transmiti à família minha solidariedade e a certeza de que a Justiça será feita. Anderson era um servidor exemplar.”

Por meio de nota, a Presidência da República disse que “lamenta a perda” do funcionário e do filho dele e que a Secretaria de Administração tem prestado assistência à família. “Anderson, funcionário exemplar, sempre cumpriu corretamente com suas obrigações.”
“Cabe à polícia fazer a investigação e à Justiça julgar esses bárbaros crimes.”

Assassino era segurança

O homem que matou pai e filho, Roney Ramalho Sereno, de 43 anos, é membro da Federação Brasiliense de Tiro Esportivo e segurança no Ministério Público Federal (MPF). Dentro da casa dele, a polícia encontrou um revólver, uma pistola, uma espingarda e ao menos 30 mil projéteis.

Disponível online, o regulamento interno da Federação diz que os atletas devem “rejeitar com energia qualquer tendência ou manifestação de violência, racismo, uso de drogas, estimulantes químicos desautorizados, corrupção passiva ou ativa, dentro ou fora âmbito esportivo”.

Em nota, o Ministério Público Federal disse que se solidariza com as famílias das vítimas e está buscando acompanhar as investigações. O órgão disse ainda que não havia nenhuma arma sob a guarda de Sereno de propriedade do MPF.

Com G1

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário