Mulher que tentou matar a vizinha do namorado por ciúmes, vai à júri popular

Defesa da ré nega que ela agiu em legítima defesa e sem o intuito de matar a vítima. Crime ocorreu em 2016

A vendedora Jordana de Araújo Nunes, de 28 anos, enfrenta júri popular nesta terça-feira (4) pela acusação de ter tentado matar a vizinha do então namorado, Solange Nazareth da Silva, de 41 anos, em Goiânia. Segundo a denúncia, ela cometeu o crime por ciúmes do companheiro, pois acreditou que ele estava tendo um caso com vítima.

Presidido pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, a sessão ocorre no Fórum Criminal de Goiânia. Sete jurados compõem o Conselho de Sentença.

Advogado da ré, Paulo Sérgio dos Santos reconhece que a cliente feriu a vizinha do ex-namorado. No entanto, defende que Jordana não tinha a intenção de matar Solange.

“Temos duas teses legítimas e fortes. Ela agiu em legítima defesa e queremos desclassificar de homicídio para lesão corporal porque não há prova de que ela tentou matar. Foram lesões leves e superficiais, de dois centímetros e meio”, afirma o advogado.

Responsável pela acusação, o promotor de Justiça Agnaldo Bezerra Lino Tocantins preferiu não se pronunciar antes do júri.

Depoimentos

O primeiro depoimento foi o da vítima, única testemunha a ser ouvida na sessão. Solange disse que não sabia que o vizinho tinha uma namorada. Mesmo assim, ela garante que não se relacionou com ele.

“Não tive nenhuma relação com ele, a gente saiu para tomar uma cerveja, mas não ocorreu nada a mais”, afirmou.

De acordo com Solange, ela recebeu uma mensagem do número do vizinho e, logo depois, um telefonema. No entanto, quando ela atendeu, a ligação caiu. Por isso ela resolveu ir à casa dele. A vítima conta que levou a primeira fachada logo após entrar no imóvel.

“Ela disse, você não vai sair daqui, vou te matar. Falei deixa eu ir embora, não tenho nada com ele, mas ela disse que não, que ia me matar”, relatou.

A mulher conta que o vizinho interviu e ela conseguiu deixar o local. Em seguida, outro morador da rua a socorreu e a levou a uma unidade de saúde. De acordo com Solange, ela teve uma perfuração no pulmão e teve de ficar três meses em repouso.

Após o depoimento da vítima, a ré foi chamada para o auditório. Jordana alegou que já tinha relatado duas vezes o que aconteceu, durante a investigação, e, por isto, não ia se pronunciar nesta manhã.

Crime

O crime aconteceu por volta das 15h, em 7 de agosto de 2016, na casa do namorado de Jordana, no Setor Jardim Novo Mundo.

Conforme a denúncia, Solange recebeu uma mensagem do celular do vizinho para que fosse até a residência. Ao chegar ao imóvel, ela foi recepcionada por Jordana e perguntou onde estava o namorado.

De acordo com o Ministério Público, Jordana disse que o namorado estava nos fundos da residência e, logo após a vítima se deslocar para o local, a ré a agrediu com três facadas, sendo duas nas costas e uma no peito.

No processo consta que o rapaz estava deitado e, ao ouvir os gritos, correu para o local e impediu que Jordana continuasse golpeando a vizinha. Atualmente, os dois não mantêm mais o relacionamento.

A vítima conseguiu sair da casa e correu até um vizinho, que a levou para o hospital. O MP denunciou Jordana por tentativa de homicídio qualificado, observando que ela utilizou de emboscada para atrair a vítima até o local do crime, o que dificultou sua defesa.

Do G1/GO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.