STF abre inquérito contra Paulinho da Força por suposto esquema em ações trabalhistas

Caso é sobre captação ilícita de clientes para processos a partir de lista de trabalhador demitido vendidas por R$ 100 mil

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, autorizou abertura de inquérito para investigar se o deputado Paulo Pereira da Silva (Solidariedade-SP), Paulinho da Força, participou de um suposto esquema de captação ilícita de clientela para ajuizamento de ações trabalhistas a partir de listas com nomes e dados de trabalhadores demitidos, obtidas junto aos sindicatos sob influência do parlamentar.

O caso foi apresentado à Procuradoria da República em São Paylo por Clóvis Carvalho Serra. Segundo ele, a aquisição dos dados dos trabalhadores ocorria mediante pagamento de R$ 100 mil ao mês. Foi entregue aos procuradores cópia de contrato celebrado com o grupo de advogados que seriam responsáveis por encaminhar “lista válida de possíveis clientes com o intuito de aforar ação trabalhista”. O caso tramita em segredo de justiça no STF.

Ao todo, sete advogados são implicados no caso, que serão ouvidos durante as investigações.

O objetivo dos investigadores é reunir elementos sobre o responsável por fornecer as listas dos trabalhadores demitidos, as pessoas contatadas nos sindicatos, os sindicatos que encaminharam as listas e o tipo de relacionamento que possuem com o deputado federal, bem assim a visita ao prédio alegadamente utilizado como escritório de apoio para captação dos trabalhadores demitidos.

Marco Aurélio autorizou ainda a realização de diligência ao prédio supostamente utilizado como escritório de apoio do grupo para captação dos trabalhadores demitidos.

O relator também concedeu prazo para que, em 15 dias, se tiver interesse, o deputado se manifeste, por escrito, sobre os fatos em apuração no inquérito.

Fonte: Jota

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.