Servidores municipais prometem protestos na Câmara de Porto Velho; entenda a confusão

Presidente suspendeu sessão de segunda-feira e proibiu entrada de servidores na Casa

O presidente da Câmara Municipal de Porto Velho, Maurício Carvalho (PSDB) suspendeu a sessão na última segunda-feira após um tumulto formado por servidores do município que estão revoltados com a retirada do quinquênio, pelo prefeito Hildon Chaves, também do PSDB.

Como medida para evitar ainda mais tumultos, o vereador proibiu a permanência de servidores no plenário da Casa nesta terça-feira, quando está marcada uma nova sessão para tratar do assunto. Servidores do município estão sendo convocados, através de redes sociais para participarem da sessão e eles já começaram a chegar.

Documento que proíbe a entrada de servidores na sessão

A retirada da gratificação vem causando problemas ao prefeito e aos vereadores que por uma enorme falha na comunicação, tanto da prefeitura quanto da Câmara, não conseguiram explicar qual a vantagem em retirar um direito adquirido. Bem que tentaram, mas…

Rejeição

O resultado dessa trapalhada é que o prefeito vem sendo chamado de “traidor” e o presidente da Câmara de “ditador”. Pelo jeito, a vida de Hildon Chaves e Maurício Carvalho deve ficar bem atrapalhada nos próximos meses.

Servidores começam a se mobilizar

Pior

É que os vereadores que assinaram abolindo o quinquênio se dizem “enganados” e tentam anular a sessão que retirou o benefício, criado em 1990 pelo ex-prefeito Chiquilito Erse, foi sepultada na semana passada. O prefeito foi às redes sociais dizer que o quinquênio onera a folha em mais de R$ 100 milhões. Os sindicalistas querem saber de onde Hildon Chaves tirou esse número. Á tarde, a reunião é entre sindicatos e servidores. Na pauta, a discussão é sobre a forma administrativa e jurídica que será utilizada pelas entidades  para anular a extinção e congelamento do quinquênio.

Anúncios
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário