Spotify é processado em US$ 1,6 bilhão por direitos autorais

O serviço de música por streaming Spotify foi processado pela gravadora Wixen Music Publishing na última semana de dezembro por supostamente estar usando milhares de músicas, incluindo as de artistas como Tom Petty, Neil Young e The Doors, sem ter pagado pela licença das faixas. A gravadora pede pelo menos US$ 1,6 bilhão por causa dos danos sofridos.

O processo corre em um tribunal federal da Califórnia. De acordo com a Wixen, o Spotify não fez esforços suficientes para obter uma licença direta ou obrigatória que a permitiria reproduzir e distribuir as músicas da gravadora, que representa cerca de 200 artistas.

A Wixen também alega que o Spotify transferiu seu trabalho de licenciamento e pagamento de royalties para a agência Harry Fox, que não estava preparada o suficiente para obter todas as licenças mecânicas necessárias.  Até agora, o Spotify se recusou a comentar o tema.

Em maio de 2017, em Estocolmo, a empresa sueca concordou em pagar mais de US$ 43 milhões em um acordo após uma ação coletiva a acusar de não pagar os royalties para algumas das músicas que ela disponibiliza para os usuários da sua plataforma.

Nos últimos meses, o Spotify, que planeja fazer sua oferta inicial de ações este ano, cresceu cerca de 20% em valor, atingindo a casa dos US$ 19 bilhões.

Fonte: metropoles

Anúncios
Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário