Suspensão da compra de carne por Hong Kong atinge mercado de RO

Suspensão da compra de carne por Hong Kong atinge mercado de RO

Escalas de abate já foram reduzidas em 40% no estado, dizem frigoríficos.
Hong Kong é um dos principais compradores do estado de Rondônia.

A suspensão da compra da carne bovina brasileira por Hong Kong já atingiu o mercado de Rondônia (RO). A suspensão foi anunciada na terça-feira (21), após problemas apontados na Operação Carne Fraca, deflagrada na sexta-feira (17) pela Polícia Federal (PF). Segundo os frigoríficos de Rondônia, Hong Kong era o maior comprador da carne do estado e, com a interrupção da exportação, as escalas de abate já foram reduzidas em 40%.

Hong Kong suspendeu temporariamente a importação de carne bovina brasileira, nesta semana devido aos indícios de irregularidades encontradas nos produtos e venda de carne vencida e estragada, durante operação da PF.

Conforme o governo do estado, Hong Kong é o maior comprador do estado, seguido da Rússia e Egito. A média é de 200 mil animais abatidos por mês em Rondônia, mas as escalas de abate de gado já foram reduzidas em 40% por causa da suspensão na exportação.

Em entrevista à Rede Amazônica, o secretário de agricultura, Evandro Padovani, disse que a carne bovina é importante para a economia do país.

“Toda a economia não só de Rondônia, mas de todo o Brasil. Nós precisamos do agronegócio e a cadeia produtiva da carne a nível de estado e a nível Brasil é o que puxa a alavanca comercial. E é o recurso que gira dentro do estado, dentro dos municípios”, disse.

As autoridades já se reuniram e estão em campanha com o objetivo de mostrar aos consumidores do estado e para os 40 países importadores, que a carne é de origem tem sanidade garantida.

Segundo o presidente da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus, a qualidade do rebanho já está sendo comprovada com qualidade.

“Hoje nós exportamos carne in natura, e se você for ver nós não tivemos nenhum problema. Nós estamos passando pelo crível do Polícia Federal (PF) e pelo crível do Ministério Público (MP-RO) e está tudo comprovando a qualidade que tem hoje a inspeção do nosso rebanho”, declara Anselmo.

A Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (Fiero) também defende o consumo interno e externo no estado. O superintendente da Fiero, Gilberto Baptista, diz que os principais problemas foram encontrados em produtos embutidos.

“O que aconteceu nos frigoríficos do país são a questão de carne processadas, aquela carne que recebe algum condimento com conservantes que não é o caso de Rondônia. O estado não trabalha com esse tipo de alimento. A nossa carne sai daqui tanto para o mercado interno como para o mercado externo, in natura, os seja, congelado mas sem nenhum conservante. Então quer seja aqui em Rondônia, quer seja em qualquer lugar do Brasil ou do Mundo, a carne de Rondônia tem qualidade, isso nós podemos atestar sem dúvida nenhuma”, relata Gilberto.

A carne bovina está em primeiro lugar na exportação no estado de Rondônia e em segundo vem a soja. No mês de janeiro e fevereiro deste ano, metade de tudo o que foi exportado no estado foi de carne bovina.

Fonte: g1/ro

Deixe um comentário