Hospital é condenado a pagar R$ 30 mil a filho por trocar corpo da mãe e devolvê-lo nu aos parentes, em GO

Homem relata no processo que, após horas de espera pela liberação do corpo da mãe, descobriu que ele havia sido trocado e ainda levado a Itapaci, a 200 km de distância

O Hospital Evangélico Goiano (HEG), localizado em Anápolis, a 55 km de Goiânia, foi condenado a pagar R$ 30 mil de danos morais para Walter Gomes Veloso por ter trocado o corpo da mãe dele com o de outra mulher. Por causa da confusão, o corpo de Henriqueta Veloso ainda foi levado para Itapaci, a 200 km de distância, e, ao ser devolvido, estava nu.

A decisão foi tomada pelo juiz Walmory Sanches, no último dia 8, e ainda cabe recurso. O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do HEG, mas não recebeu um posicionamento até a publicação desta reportagem.

Henriqueta morreu na madrugada de 9 abril de 2014. De acordo com o processo, a família desejava enterrar o corpo no início da manhã do mesmo dia, mas o hospital não liberou o corpo a tempo.

Troca de corpo
Segundo o processo, os parentes cobravam da unidade de saúde a liberação do corpo, mas não obtiveram sucesso. Só depois do meio-dia um funcionário do HEG falou sobre a confusão para a família.

No relato dos parentes consta que Henriqueta foi arrumada com as roupas levadas pelos familiares da outra mulher que morreu no hospital. Quando desfizeram a troca, a idosa estava nua, o que causou mais indignação à família.

“Ao receber o corpo da senhora Henriqueta completamente descoberto, despida, nua, sem nenhum cuidado, onde, muito embora esta já não pudesse mais sentir frio, por sua ausência de vida, entretanto, tal cena tocou profundamente a todos os familiares”, alega a acusação.

Os parentes de Herinqueta pediram R$ 1 milhão por danos morais. O juiz considerou que o hospital agiu com “absoluta negligência”, mas avaliou que a quantia pedida era “fora da realidade” e a reduziu para R$ 30 mil.

“Revela-se inimaginável a fúria, a angústia, o sentimento de impotência do filho e da família. Até na hora da morte o brasileiro não é respeitado. Um espetáculo surreal”, defende o magistrado na ação.

Fonte: g1/go

Homem que atirou mais de 30 vezes contra mãe e filha de 8 dias, é foragido de presídio

A Polícia Civil informou que o autor dos disparos que atingiram Laura Catrine da Conceição Alves, de 21 anos, e a filha dela, de oito dias de vida, atirou 32 vezes dentro da casa das vítimas, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Responsável pelo caso, o delegado Renato Oliveira afirmou que não há dúvidas de que se trata de uma execução.

“O indivíduo que invadiu a casa foi para matar. Foram coletadas 32 cápsulas, mas nem todas atingiram as vítimas. A quantidade de tiros demonstra uma situação de raiva, de crueldade por parte do executor”, disse.

O crime ocorreu na quarta-feira (24), no Setor Las Palmas. Além da jovem e da filha, chamada Eloá, moravam na casa os pais dela e o irmão. No entanto, eles não estavam na residência no momento do crime.

De acordo com o delegado, o criminoso pulou o muro do imóvel e arrombou a porta da sala. Oliveira explicou que Laura correu com a recém-nascida para o quarto, mas o homem invadiu o cômodo. Após atirar, ele saiu pelo portão e fugiu em um carro.

Vizinhos ouviram os disparos e acionaram a polícia. A jovem foi encontrada morta com a filha nos braços.

Laura morreu com a filha recém-nascida no colo (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Foragido

O delegado suspeita que o criminoso se trata de um ex-namorado da vítima, pois, conforme o relato de familiares, a jovem estava sendo ameaçada por ele, que é foragido do presídio de Jaraguá, a 85 km de distância.

“Nós vamos ter que ver certinho esta questão de relacionamentos anteriores, de ameaças que ela sofreu para realmente chegar neste ponto, se foi um feminicídio, se foi um crime passional ou não”, disse o delegado.

Os policiais analisam o celular da vítima e buscam por imagens de câmeras de segurança. “A gente está trabalhando de forma bastante intensa. Em breve, a gente espera desvendar o crime”, explicou.

Os corpos de Laura e da filha são velados em uma igreja evangélica do Setor Las Palmas. O enterro está previsto para as 17h no Cemitério São Miguel.

G1/GO

Agente prisional é morto com mais de 20 tiros em emboscada; veja vídeo

O agente prisional e estudante de direito Ednaldo Monteiro, de 34 anos, foi morto a tiros em Anápolis (GO), cidade situada a 160 km de Brasília, na tarde de terça-feira (2/2), quando saia de uma floricultura. Segundo a Polícia Civil de Goiás, os autores chegaram em um carro fechando o veículo da vítima e atiraram mais de 20 vezes, a maioria na cabeça.

A execução foi filmada por câmeras de segurança instaladas nas proximidades onde o veículo do agente estava estacionado. Pelas imagens, é possível depreender que o servidor público não teve qualquer chance de reação. Os três bandidos usaram pistolas 9mm. Um outro homem que acompanhava Ednaldo foi baleado na perna. Ele só escapou de ser alvejado mais vezes porque não entrou no automóvel no mesmo instante que o colega.

Ele estava afastado das funções no presídio desde a deflagração da operação. O agente e o então diretor da unidade, Fábio de Oliveira, são acusados por promotores de cobrar propina de presos e, em troca, deixarem os detentos saírem para festas, traficarem drogas e até manterem um motel dentro da cadeia.

A vítima deixa esposa e filha. O delegado Celiton Lobo, responsável pelo caso, deve começar a ouvir parentes, amigos e colegas de trabalho da vítima nesta quarta-feira (3/1). A corporação também busca outras imagens de câmeras de segurança para levantar informações sobre o veículo  Spacefox prata usado pelos bandidos.

 

Fonte: metropoles

Com ajuda de internautas, pedreiro localiza família que não via há 60 anos: ‘Melhor presente’

Após uma reportagem do portal da Rede Globo, G1, o pedreiro Batista Cândido Rodrigues, de 67 anos, conseguiu localizar a família, que não vê há mais de 60 anos. Internautas se comoveram com o pedido de ajuda dele em busca de informações sobre os irmãos e se mobilizaram para encontrá-los. O idoso, que faz aniversário no próximo dia 12, está em êxtase.

“Melhor não tem como estar. É o melhor presente que poderia ganhar. Estou feliz demais da conta”, disse.

Natural de Monte Carmelo, em Minas Gerais, Batista se mudou na década de 1950 com o pai para a casa de um tio, em Goiás, e nunca mais teve notícias do restante da família. A mãe, Joana Bárbara de Jesus, a irmã caçula, Iracema, e o irmão mais velho, Abadio, ficaram no estado vizinho.

O pedreiro, que atualmente mora em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia, está ansioso para encontrar os parentes, pessoalmente, em Monte Carmelo, o que está previsto para o dia 17. “Queria ir logo, mas não vai dar. Acho que vai demorar como se fosse um ano, nem estou dormindo direito de ansiedade. Parece que eu perdi a direção”, revelou.

Por enquanto, Rodrigues conseguiu falar apenas por telefone com Iracema.

O pedreiro soube que o irmão mais velho morreu há cerca de um ano. Porém, descobriu que tem mais três irmãos por parte de mãe: Jeferson, Marina e Edir. Inclusive, Jeferson mora em Caldas Novas, cidade goiana que fica a cerca de 220 km de distância de Anápolis.

O pedreiro é casado com a dona de casa Elda Gonçalves Rodrigues, de 64 anos. Ele possui cinco filhos e dez netos.

Batista tinha apenas a foto do pai, Manuel Cândido Rodrigues, como recordação (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)

Ajuda de internautas

Uma das filhas dele, a cabeleireira Keila Patrícia Gonçalves Rodrigues, de 38 anos, conta que internautas foram fundamentais para que o pai encontrasse os irmãos. Um deles é um investigador de 49 anos da Delegacia Especializada Antissequestro de Campinas (DEA), que prefere não ser identificado. Mesmo o caso sendo de Goiás, ele quis ajudar.

“Se a gente encontra criminosos, como não vamos achar pessoas idosas? Basta ter vontade, perseverança, unir esforços. Apenas com um link, quem leu se emocionou e se prontificou a ajudar”, ressaltou.

O investigador pondera que não foi um trabalho fácil e contou com o apoio de instituições e unidades policiais de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Ele se sente realizado por ajudar a desvendar mais um caso.

“A gente se emociona, me dou por realizado em ouvir a voz do seu Batista, emocionada, agradecendo por telefone. A polícia tem obrigação de fazer o bem”, concluiu.

G1/GO

Polícia prende quatro suspeitos de matar transexual a pedradas

Em depoimento, todos confessaram algum grau de envolvimento no crime. Mãe da vítima disse que eles “são feras que estão soltos na sociedade e precisam ser enjaulados”

A Polícia Civil prendeu quatro jovens suspeitos de matar a pedrada transexual Emanuelle Muniz Gomes, de 21 anos. Ela foi assassinada após sair de uma boate e pegar carona em um carro em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Em depoimento, os quatro confessaram algum grau de envolvimento no crime. O corpo da vítima foi encontrado pela própria mãe em uma estrada na zona rural da cidade.

O crime aconteceu no dia 26 de fevereiro. Emanuelle e a mãe, Edna Girlene Gomes, saiam de uma boate quando decidiram pegar carona com quatro homens. Ao perceber que o veículo estava muito cheio, Edna saiu e tentou levar a filha, mas o carro saiu em alta velocidade e Emanuelle ficou no automóvel.

Durante a apresentação, a mãe de Emanuelle exibiu fotos da filha aos suspeitos. “Eles tinham que saber quem era a pessoa que eles tiraram da sociedade. Ela era uma pessoa de bem, que não queria o sofrimento do próximo”, disse.

Edna também contou que não possui nenhum sentimento pelos suspeitos de matar sua filha. “Não sei se posso perdoar, porque não sinto nada. Não tenho raiva, não tenho ódio, desprezo, nem compaixão”, completou.

Os suspeitos foram identificados após testemunhas informarem características do carro usado no crime. “O grupo estava em um Fiat Palio branco. E uma semana antes, na mesma boate, um grupo tinha se envolvido em uma briga. A partir daí, fomos identificando o dono do veículo, com quem ele andava e, assim, identificamos todos eles”, contou o delegado Cleiton Lobo.

Para o investigador, o assassinato foi motivado por homofobia. “No percurso, descobriram que ela era transexual e um deles sugeriu ao grupo que matasse a Emannuelle. Porém, eles não admitem isso, dizem que já sabiam que ela era homem e dão desculpas para o crime para tentar minimizar a pena”, disse.

O delegado informou ainda que Emanuelle se preparava para fazer uma cirurgia de mudança de sexo. “A mãe da vítima me contou que ela se preparava para a cirurgia, tanto que já estava na fase de acompanhamento psicológico. Mas a Emanuelle era muito feminina, tinha seios, então era difícil desconfiar da transexualidade dela. Por isso, ainda apuramos se o sequestrador não sabia disso e, ao descobrir, cometeu o assassinato. Ressalto que não descartamos nenhuma motivação ainda”, disse.

Além do homicídio, a polícia diz que eles cometeram outros crimes. “Eles roubaram o celular da mãe e tentaram roubar o da Emanuelle e também tentaram matar um homem que passava pelo local do assassinato e eles não queriam deixar testemunha”, disse o delegado.

Foram presos Daniel Lopes Caetano, 20, Sérgio Cesário Neto, 21, Reinivan Moisés Caetano, 20 e Márcio Machado Nunes, 18. Eles vão responder por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e sem chance de defesa para a vítima, além de estupro, roubo e tentativa de homicídio.

Cinegrafista é morto a tiros na porta da casa da namorada em Anápolis (GO)

Cinegrafista é morto a tiros na porta da casa da namorada em Anápolis (GO)

Elvis Greener Rosendo, de 25 anos, trabalhou em um programa policial de TV da cidade. Polícia Civil apura se crime tem ligação com atividade profissional do jovem.

O cinegrafista Elvis Greener Rosendo, de 25 anos, foi morto a tiros na porta da casa da namorada, na quinta-feira (27), em Anápolis, a 55 km de Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, o jovem estava dentro do carro quando um veículo se aproximou e o carro de Elvis foi alvejado. O caso está sendo investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da cidade.

Segundo o assessor de imprensa da corporação, o delegado Gylson Mariano, ainda não há suspeitas da motivação do crime. “Ao que tudo indica foi execução. Ele esperava a namorada dentro do carro e teve o veículo atingido por diversos disparos. A equipe do GIH de Anápolis compareceu ao local e já deu início à apuração”, disse ao G1.

O crime aconteceu por volta das 22h15 de quinta-feira, na Rua Floriano Peixoto. Segundo a Polícia Civil, o carro e o celular de Elvis foram apreendidos e encaminhados para perícia da Polícia Técnico-Científica.

Elvis Greener já trabalhou como cinegrafista do programa policial “190”, que era exibido por um canal fechado de televisão de Anápolis. No entanto, a Polícia Civil informou que ainda não tem informações se a morte do jovem tem algum tipo de ligação com a atividade profissional desempenhada por ele.

O corpo do cinegrafista foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade, passou por necropsia e foi liberado à família.

Fonte: g1/go

Vídeo mostra homem assediando e beijando criança na boca, em bar

Pelas imagens é possível perceber que um homem diante de um balcão observa uma menina de cerca de 10 anos ao seu lado

Num lugar repleto de testemunhas, uma cena ultrajante foi captada pelas lentes de uma câmera de segurança. O mais chocante é que os fatos se desenrolaram sem a intervenção dos presentes no local. Agora o material está correndo as redes sociais e os sites de notícias especializadas em fatos policiais.

A vítima é uma criança que aparenta ter cerca de 10 anos. O crime é assédio sexual, praticado por um cidadão que, embora estivesse aparentemente alcoolizado, sabia muito bem o que estava fazendo.

O material vem causando muita indignação e, ao mesmo tempo, tem servido de exemplo do perigo que menores sofrem diante da enorme quantidade de pedófilos soltos pelas ruas e comércios.

Pais que frequentam bares e restaurantes com a família e também pais que são donos desses estabelecimentos e que contam com a ajuda dos filhos pequenos no negócio devem ser duplamente alertados dos riscos.

Pelas imagens é possível perceber que um homem diante de um balcão observa uma menina de cerca de 10 anos ao seu lado. Não é possível saber ao certo o que ela está fazendo lá. Uma hipótese é que ajuda os pais servindo os clientes. Outra tese é de que estava no local para comprar algo e aguardava o produto.

O fato é que o cidadão que está bebendo ao lado começa a tocar nos cabelos da criança e a olhá-la com desejo. A menina parece não entender o risco que está correndo. Ele então segura sua cabeça e a força a receber beijos. Um dos beijos é na boca.

Tudo acontece diante dos olhos do balconista e dos demais clientes, que tratam as cenas com a mais completa naturalidade. A menina fica sem graça, prende os cabelos e sai de perto. Depois volta, sendo novamente alvo dos olhares do pedófilo. Depois de quase um minuto o vídeo termina.

De acordo com o post de uma das páginas no Facebook, as imagens foram gravadas recentemente, em um local chamado Gula Bar, que fica localizado no bairro Cidade Nova Heliópolis, na capital paulista.

Não há informações se a Polícia Civil investiga o caso, mas a intenção é que após a publicação do material na internet a identificação e prisão do sujeito ocorram rapidamente.

Três amigos que sumiram ao sair para festa são encontrados mortos

Corpos foram localizados com marcas de tiros em bairros diferentes de Anápolis (GO)

Três amigos foram encontrados mortos após irem a uma festa em Anápolis, a 55 km de Goiânia (GO). De acordo com a Polícia Civil, os corpos de Leandro Silva Vicente, de 37 anos, Filipy Henrique Nunes, de 29, e Rodrigo Henrique Santana Ferreira, cuja idade não foi divulgada, foram localizados em diferentes pontos da cidade, todos com marcas de tiros.

Segundo o delegado Vander Coelho, responsável pela investigação, os amigos marcaram de se encontrar na casa de Filipy para irem a uma festa na última sexta-feira (3). Ele afirma que o trio não chegou ao local do evento.

“Eles estiveram juntos na sexta-feira e, provavelmente, foram pegos na casa de Filipy, por alguém que tenha envolvimento com o crime. Desde então, não foram mais vistos. O curioso é que os corpos estavam em locais completamente distintos. Ainda não temos nenhuma pista sobre o que pode ter motivado este crime”, disse.

O corpo de Rodrigo Henrique foi o primeiro a ser encontrado, no sábado (4), em uma rua na região sudeste de Anápolis. No domingo (5), o corpo de Filipy foi achado em uma estrada de chão, próxima à GO-222. O último corpo, de Leandro, foi encontrado na segunda-feira (6) em um terreno próximo ao Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia).

“Em conversas preliminares com os peritos, ao que tudo indica, eles foram mortos nos locais onde foram encontrados. Eles não teriam só sido depositados naquele local. Mas continuamos em diligências em busca de mais informações sobre o caso”, disse.

Segundo o delegado, ainda não se sabe o que pode ter motivado o crime. Filipy, conforme o investigador, já tinha passagem por tráfico de drogas.

G1/GO