Assessor parlamentar que trocou figurinhas em sessão na Alerj é exonerado

Em nota, deputado Carlos Osorio afirma que considera esse tipo de comportamento inadequado e inaceitável e por isso exonerou o assessor

Um dos assessores parlamentar que aparece em um vídeo trocando figurinhas do álbum da Copa do Mundo da Rússia durante uma sessão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) foi exonerado. O vídeo do episódio que aconteceu nesta quarta-feira (4) viralizou na internet.

Em nota, o deputado Carlos Osorio afirma que considera esse tipo de comportamento inadequado e inaceitável e que o assessor parlamentar envolvido no caso já foi identificado e exonerado do cargo.

Ao G1, a Alerj informou que o comportamento “não é justificável”. O outro homem que aparece nas imagens é o assessor parlamentar do deputado Tio Carlos (SDD). O G1 também entrou em contato com a assessoria dele, mas até a última atualização desta reportagem não houve retorno.

Fonte: g1

Assessor parlamentar e estagiário do TJ-DF são presos no CE por estupro

Um assessor parlamentar da Câmara dos Deputados e um estagiário do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) foram presos em flagrante em Fortaleza (CE), acusados de estuprar e filmar o crime contra uma adolescente de 17 anos em um hotel na Praia de Iracema. Além disso, segundo a Delegacia de Defesa da Mulher cearense, eles teriam compartilhado o vídeo em um grupo de WhatsApp.

O caso ocorreu no domingo (6/8). Segundo informações da polícia, eles estavam na cidade a passeio e conheceram um grupo de amigas no sábado (5). Na ocasião, criaram um grupo na rede social para trocar mensagens e marcar novos encontros. Ao retornar de um bar na noite de domingo, a jovem teria dormido no hotel em que os brasilienses estavam hospedados.

Testemunhas contaram que ela havia ingerido bebida alcoólica no bar, mas estaria consciente quando chegou ao hotel.

O vídeo postado no grupo das amigas mostra o servidor público tocando as partes íntimas da jovem enquanto ela estava nua e desacordada. As colegas da menina acionaram a Polícia Militar, que levou a ocorrência até a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Na delegacia, os dois confessaram ter produzido o vídeo, mas alegaram que a adolescente havia pedido que eles gravassem o ato.

Os dois, que não tiveram os nomes divulgados, foram autuados por gravar material pornográfico envolvendo adolescente, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O autor do vídeo também foi autuado por estupro de vulnerável e por divulgar material pornográfico envolvendo adolescente. Os aparelhos celulares dos suspeitos foram apreendidos e serão submetidos à perícia.

Fonte: metropoles.com