Coluna – Delegados são aposentados “na marra” e entram na justiça

Saída de Fauzi e Élvio Tavares garantiu promoção e ascensão de Antônio Reis e Elizeu Muller à categoria de “delegados de classe especial”. Aposentados estão perdendo R$ 10 mil cada devido à saída forçada

Fica olhando

Desde a Constituição de 1988, que sindicalistas, representantes de associações de classes e alguns “avulsos” procuram congressistas para pressionar por “direitos adquiridos” por suas categorias. Alguns com razão, outros por puro oportunismo, que enxergam na peneira que são nossas leis, brechas onde cabem interpretações esdrúxulas que vão se transformando em penduricalhos salariais ou ações coletivas e individuais cujos valores são astronômicos. Um desses monstrengos são os tais “precatórios do Sintero”, que atingiram números absurdos. Também temos aqui em Rondônia, a tal “transposição”.

Antes de começar o mimimi

Preste atenção às próximas linhas e siga o raciocínio. A transposição surgiu da necessidade de garantir o emprego de servidores que haviam sido contratados sem concurso pelo governo do Estado quando Rondônia era território. José Bianco, em um ato necessário devido a recém-criada Lei de Responsabilidade Fiscal, precisava adequar a folha e mandou para a rua cerca de 2 mil servidores, a maioria cargos de baixos salários (copeiras, cozinheiras de escolas, auxiliar de serviços gerais, etc). Mas eles foram demitidos injustamente, deveriam ter ido para os quadros da União, como foram os de Roraima e Amapá. Porém, a bancada federal da época, irresponsavelmente, não atentou para a questão, daí a origem do problema.

Continuando

Após anos de discussão, reuniões intermináveis e muito papo furado, a tal transposição foi aprovada, originalmente favorecendo os contratados até 1988, ano da Constituição. Porém, como Rondônia passou a ser Estado em 1982 e a União bancou as despesas da “nova estrela” até 1992 (dez anos), a turma viu uma oportunidade de “empurrar mais” nos cofres públicos e tivemos início a uma outra discussão, se quem foi contratado até esse período tem direito. Outros mais espertos, querem “perdas salariais” referentes a todo esse tempo, tomando como base os salários dos servidores federais. Em síntese, são tantos “direitos” que a brincadeira tomou uma proporção gigantesca e virou um balaio de gato. Fiz esse breve e grosseiro resumo para continuar falando sobre a questão dos salários no serviço público brasileiro.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]É claro

Que ninguém nunca está (nem pode) satisfeito com o que ganha. Se aumenta o salário, aumentam os descontos e as dívidas, mas entenda, não tem como você, servidor público, enriquecer como funcionário público, a não ser que você seja corrupto. É, não se ofenda, mas é verdade. O funcionalismo público tem teto salarial, seus proventos são publicados nos portais de transparência e essas “ações reparatórias” só deram dinheiro para aquela turma antiga. Você que está entrando agora vai ficar só na vontade. Portanto, se você quer ficar rico, vá para a iniciativa privada, seja empreendedor, se arrisque, seu país precisa de você, e não de mais um burocrata atrás de uma mesa inventando moda. Já temos atualmente 10 milhões fazendo isso nas esferas federal, estaduais e municipais.

Por cima

Jesualdo Pires, prefeito de Ji-Paraná, informou oficialmente nesta terça-feira que não é candidato à reeleição. Ele comunicou sua decisão ao PSB e confirma informação antecipada pela coluna em 9 de dezembro do ano passado. Jesualdo quer dedicar os próximos dois anos a organizar sua vida e sai cacifado para disputar uma das 8 vagas na Câmara dos Deputados ou quem sabe voos mais altos, como Senado e governo.

Pulando fora

Espertamente o deputado federal Nilton Capixaba (PTB) resolveu pular fora da barca furada que é a relatoria do processo contra o presidente da Câmara Eduardo Cunha na comissão de ética da Câmara dos Deputados. O deputado de Cacoal fez as contas rapidamente e viu que era mais fácil ele ser cassado antes de Cunha. Capixaba rapidamente virou manchete dos principais jornais e revistas do país, que relembraram seu processo que tramita no STF. E não é apenas “um processo”, é uma Ação Penal, a 644, que tramita na mesma velocidade que uma sanguessuga anda….

Na marra

Dois delegados da polícia civil de Rondônia foram aposentados compulsoriamente, de forma ilegal, ferindo a Constituição que foi alterada pela tal “PEC da Bengala”. Já existe decisão do STF que proíbe essa prática, mas Mohamed Fauzi e Elvio Tavares não puderam nem questionar, foram mandados para o “pijama”, o que representou uma redução em seus contracheques de cerca de R$ 10 mil. Obviamente eles ingressaram na justiça, e deverão ser reintegrados.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Porém

A manobra foi feita por um detalhe, para que os delegados Antônio Reis e Elizeu Muller fossem promovidos à delegados de classe especial e pudessem assumir a secretaria de Defesa e Direção Geral de Polícia, respectivamente.  Ocorre que existe um quantitativo de delegados de classe especial, e se a justiça determinar o retorno de Fauzi e Tavares, o que vai acontecer com as “promoções” de Reis e Muller? Eles vão devolver os salários que receberam nos últimos tempos, já como classe especial?

Não dá mesmo

O STF proibiu a venda dos veículos do senador Fernando Collor para ressarcimento dos cofres públicos. O pedido havia sido feito pela Procuradoria Geral da República, mas os ministros negaram. 

Medium

Bruna Surfistinha, ex-garota de programa que blogava suas aventuras e conseguiu um livro e um filme, agora lida com o além. A moça descobriu que tem poderes mediúnicos e agora também é mão-de-santo em São Paulo. Disse que estava numa roda quando “caiu no chão e incorporou uma pombagira”. Só falta agora ela descobrir que pode ser vereadora…

0,38%

É quanto Dilma Roussef quer de CPMF, para, segundo ela, “poder dividir com estados e municípios e acelerar o crescimento do país”. Ela também já tem bons olhos para o projeto do senador Ciro Nogueira que prevê a legalização dos jogos de azar no Brasil, mas segundo a presidente, “o projeto de Ciro – que será discutido pelo plenário do Senado – poderia reforçar em pelo menos 15 bilhões de reais os cofres do governo em impostos”. Pois é… parece que o governo petista não consegue administrar sem transformar isso aqui em um grande cassino…

Confirmado

Familiares reconheceram em partes de corpos localizados no fundo do litoral catarinense, marcas de cirurgia e um tênis do empresário Robson Guimarães e também vestes do piloto Marlon Neves. Com isso, chega definitivamente ao fim um drama que durou duas semanas. Piloto e empresário, um dos mais importantes de Rondônia morreram em acidente aéreo no dia 1 de fevereiro, quando o avião caiu cerca de 3 minutos após decolar de Florianópolis com destino a Ji-Paraná. Agora terão início as investigações sobre a causa do acidente.

Posse

Nesta quinta-feira, 18, toma posse no Palácio das Artes em Porto Velho, a nova diretoria da OAB-RO. O evento acontece a partir das 19 horas e vai contar com a presença do presidente nacional da entidade, Cláudio Lamachia. Por aqui, Andrey Cavalcante foi reeleito.

Clínica Mais Saúde informa – Desempenho na escola é mais alto pela manhã, diz pesquisa

Crianças que reclamam que determinada nota baixa apareceu no boletim porque elas estavam desconcentradas na hora da prova — e não porque tinham estudado pouco — podem ter um argumento cientificamente comprovado. Uma pesquisa da Escola de Negócios de Harvard, nos EUA, revela que o desempenho em testes escolares costuma ser melhor quando os exames são realizados durante a manhã ou logo após intervalos de 20 ou 30 minutos. Segundo o estudo, as notas alcançadas diminuem 0,9% a cada hora que passa, o que indica que, em geral, fazer provas à noite é uma péssima ideia. A pesquisa destaca, ainda, que as notas tendem a subir 1,7% quando os alunos são avaliados depois de um intervalo de, no máximo, meia hora. A razão para essas alterações é o que a pesquisadora Francesca Gino, autora do estudo, chama de fadiga cognitiva. O cansaço mental, que afeta de forma negativa as atividades do dia a dia de cada indivíduo, teria uma influência maior ou menor de acordo com a hora do dia. Publicada ontem na revista “Proceedings of the National Academy of Sciences” (PNAS), a pesquisa mostra que o horário afetou o desempenho de alunos entre 8 e 15 anos que frequentaram escolas públicas da Dinamarca de 2010 a 2013. No total, foram avaliados cerca de dois milhões de testes. Embora o estudo de Harvard eleve o horário da manhã ao patamar de melhor momento para um aluno ser avaliado, a Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças e os adolescentes não entrem na escola antes das 8h30. Segundo a entidade, este seria o horário ideal para permitir que os jovens durmam uma quantidade de tempo suficiente durante a noite — entre 8h30 e 9h30 —, o que considera essencial para a saúde deles. Em agosto do ano passado, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos chegou a divulgar um relatório afirmando que a condição física e mental e o sucesso acadêmico dos jovens poderia ser comprometido caso eles continuassem acordando muito cedo para estudar. Em média, nos EUA, as aulas começam às 8h. No Brasil, grande parte dos colégios abre às 7h.

Bigsal: Familiares reconhecem marca de cirurgia em restos mortais encontrados em destroços de avião; é Robson Guimarães

O Instituto Médico Legal (IML) de Florianópolis confirmou nesta terça-feira que os restos mortais encontrados nos destroços do monomotor são de duas pessoas diferentes. Segundo o diretor da instituição, Rodnei Tenório, é praticamente certo que se tratam de pedaços dos corpos do empresário Robson Guimarães e do piloto Marlon Neves, que estavam na aeronave no momento da queda, no dia 1º de fevereiro.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Familiares reconheceram os tênis achados no local, além de uma cirurgia que Robson havia feito na coxa. Agora, é preciso fazer a comprovação científica. Material genético das vítimas está sendo trazido de Rondônia para a realização de um exame, que deve ocorrer nesta quarta-feira. A confirmação deve sair até o final desta semana.

— Até o momento, o reconhecimento (por parte das famílias) é positivo. Esperamos o material genético para a confirmação — afirma Tenório.

Restos mortais foram achados nesta segunda

Os restos mortais de duas pessoas foram achados nesta segunda-feira. Na última sexta-feira, os bombeiros haviam afirmado que as buscas seriam finalizadas no domingo. Os destroços, que incluem motor e a cabine da aeronave, foram encaminhados para investigação no Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V), com sede em Canoas, no Rio Grande do Sul.

De acordo com a Força Aérea Brasileira, assim que a maior parte dos destroços chegar ao Seripa, uma equipe de investigadores virá até Florianópolis para a coleta de indícios (sinais que auxiliam a compreender o comportamento da aeronave no momento do acidente). Caso necessário, algumas partes da aeronave poderão passar por testes, em uma apuração da Aeronáutica que não tem prazo para terminar.

Com informações do Diário Catarinense

Bigsal – Corpo é encontrado em destroços de aeronave em SC

Indícios de um corpo foram encontrados na tarde desta segunda-feira na cabine do monomotor que caiu em Florianópolis no dia 1º de fevereiro. Conforme informações dos bombeiros, tecido humano foi localizado durante a operação para retirada dos destroços da aeronave no Sul da Ilha nesta segunda-feira. O Instituo Geral de Perícias (IGP) foi acionado e a identificação dos restos mortais só deve ser possível por meio de exame de DNA.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]O monomotor que caiu minutos após decolar no dia 1º de fevereiro próximo a Ilha do Campeche, em Florianópolis, foi encontrado na manhã desta segunda. Segundo o tenente-coronel Elton Souza Zeferino, do Corpo de Bombeiros, pedaços maiores do cockpit foram localizados a cerca de uma milha náutica (cerca de 1.800 metros) do local onde as buscas foram concentradas na região leste e sul durante duas semanas.

A área foi encontrada na última tentativa da empresa Sulmar Serviços Subaquáticos, contratada pelos familiares dos desaparecidos para auxiliar nas buscas no dia 4 de fevereiro. O Grupo de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros encerrou as buscas no domingo sem sucesso.

As informações são do Diário Catarinense

Bigsal – Corpos de piloto e empresário podem estar a 32 metros de profundidade e a 1800 metros do local das buscas

O monomotor que caiu minutos após decolar no dia 1º de fevereiro próximo a Ilha do Campeche, em Florianópolis, foi encontrado na manhã desta segunda-feira. Segundo o tenente-coronel Elton Souza Zeferino, do Corpo de Bombeiros, pedaços maiores do cockpit foram localizados a cerca de uma milha náutica (cerca de 1.800 metros) do local onde as buscas foram concentradas na região Leste e Sul durante duas semanas.

URGENTE (ATUALIZADA ÀS 17H12MIN HORÁRIO DE RO) – Bigsal – Corpo é encontrado em destroços de aeronave em SC 

A área foi encontrada na última tentativa da empresa Sulmar Serviços Subaquáticos, contratada pelos familiares dos desaparecidos para auxiliar nas buscas no dia 4 de fevereiro. O Grupo de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros encerrou as buscas no domingo sem sucesso.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]— Encontramos pedaços maiores da aeronave, mas ela está bastante destruída. Vamos começar os trabalhos ainda hoje com mergulhadores do bombeiros e da empresa particular — explicou o tenente-coronel Elton Souza Zeferino.

A princípio não serão utilizados equipamentos como guinchos para a retirada das peças. Segundo o tenente-coronel, as peças que estão a cerca de 32 metros de profundidade podem ser retiradas pelos próprios mergulhadores.

Apesar de não ter mais chances de encontrar os dois desaparecidos com vida, a esperança é encontrar ao menos os corpos para dar uma resposta às famílias. O empresário Robson Guimarães e o piloto Marlon Neves estavam a bordo no momento da queda.

— Nossa intenção é exatamente essa: encontrar as vítimas. Se acharmos, a confirmação de se realmente se tratam do piloto e do empresário será feito através de exames do Instituto Médico Legal (IML) — afirmou o tenente-coronel Zeferino.

*Matéria atualizada às 14h35min (horário de RO). Os corpos ainda não foram localizados, mas podem estar próximos ao cockpit que foi localizado nesta segunda-feira.

Bigsal: Encerram as buscas pelos corpos de empresário e piloto em SC

Encerraram neste domingo (14) as buscas pela aeronave de pequeno porte que caiu próxima à Ilha do Campeche, na região Sul de Florianópolis, na madrugada do dia 1º de fevereiro. Duas pessoas desapareceram.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o trabalho de buscas atrás das vítimas durou duas semanas. No avião estavam o piloto, Marlon Neves, e o proprietário do monomotor, Robson Guimarães, que tinha como destino Ji-Paraná, em Rondônia, cidade natal deles.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Além dos bombeiros, uma empresa especializada em serviços subaquáticos foi contratada pela família do empresário, mas também encerrou os trabalhos neste domingo.

O acidente
A aeronave decolou às 5h15  e caiu aproximadamente três minutos depois, a seis milhas do aeroporto, conforme os bombeiros.

O sistema de controle aéreo da Aeronáutica acionou o Corpo de Bombeiros por volta das 5h30. Em sobrevoo, os bombeiros avistaram do helicóptero Arcanjo destroços e manchas de óleo no mar. Mergulhadores do Corpo de Bombeiros e embarcações da Marinha também auxiliaram nas buscas.

Os Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA V) irá investigar as causas do acidente.

Leia a cobertura completa AQUI

Bigsal: Buscas por empresário e piloto completam uma semana com auxílio de dois equipamentos e empresa particular

Uma semana após a queda do monomotor TBM 900 em Florianópolis, o empresário Robson Guimarães, o piloto Marlon Neves e o cockpit da aeronave continuam desaparecidos. Segundo o coronel do 1º Grupo de Salvamento do Corpo de Bombeiros, Elton Zeferino, além do sonar, um segundo equipamento foi incorporado às buscas: um magnetômetro.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Esse equipamento, que foi emprestado por uma empresa particular para a guarnição, auxilia na localização de peças metálicas através da conversão de sinais magnéticos em impulsos elétricos. Um sinal foi emitido ainda na sexta-feira, primeiro dia de utilização do magnetômetro, mas foi constatado que era apenas o cabo submarino que passa próximo à Ilha do Campeche. Os bombeiros também utilizam um sonar, outro equipamento que emite sinais ao encontrar peças metálicas.

Quatro bombeiros em duas embarcações seguem as buscas em uma área de 20 km² no sul de Florianópolis. Inicialmente, a área era concentrada nos 50 m² onde foi avistado uma mancha de óleo ainda na segunda-feira, dia 1º. A abrangência aumentou – leste e sul da Ilha – devido à ação das correntes marítimas. Segundo o Coronel Zeferino, técnicos da Força Aérea Brasileira foram acionados para auxiliar nos cálculos de onde o avião teria caído de forma mais precisa e assim facilitar as buscas:

— Nós nos concentramos na área onde foi vista a mancha de óleo e onde o monomotor sumiu dos radares. Pedimos ajuda da Força Aérea para calcular com mais precisão essas informações e assim tentarmos localizá-los mais rapidamente.

A empresa Sulmar Serviços Subaquáticos, contratada pela família dos desaparecidos para auxiliar nas buscas, também segue na região. Eles trabalham em conjunto com o corpo de bombeiros dividindo a área de atuação.

As buscas serão reavaliadas após o final do Carnaval. Segundo o coronel, uma nova área de atuação ou até repensar o número de homens utilizados nas buscas deve ser refeito a partir de quinta-feira.

Bigsal: Bombeiros iniciam quarto dia de buscas

Bombeiros do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) sairão pelo quarto dia seguido da base próximo a cabeceira da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, em busca dos dois desaparecidos após a queda do monomotor na segunda-feira.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Três mergulhadores e outros três bombeiros irão se dividir em duas embarcações para fazer uma varredura na área que vai da Praia da Armação, no Sul da Capital, até a Praia da Joaquina, na região leste. A previsão é de que as buscas iniciem às 9h. O helicóptero Arcanjo fará sobrevoos pontuais ao longo do dia para auxiliar nos trabalhos.

Eles procuram pelo empresário Róbson Guimarães e pelo piloto Marlon Neves, que estão desaparecidos desde que decolaram às 5h30min de segunda-feira quando a aeronave que ia em direção a Ji-Paraná, em Rondônia, sumiu dos radares da torre de controle.

O Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V), braço da Força Aérea Brasileira, irá investigar as causas do acidente. Mas não tem data máxima para a entrega do relatório.

Bigsal: Defeito no sonar prejudica segundo dia de buscas em Florianópolis

O segundo dia de resgate na operação que mobiliza 11 homens do Corpo de Bombeiros e representantes da Marinha não teve sucesso na localização dos corpos das vítimas ou dos destroços do avião monomotor TBM 900 que caiu segunda-feira após decolar do aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis. As buscas devem ser retomadas nesta quarta-feira pela manhã.O aparelho Sonar, que consegue detectar a presença de objetos metálicos em profundidade, sendo o único capaz de localizar corpos, veículos ou embarcações submersas, apresentou problemas.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]A equipe continuou as buscas com uma corda presa a dois botes e arrastada pela área onde se acredita estar os destroços do avião, ao sul da Ilha do Campeche.   – Pelo peso da aeronave, acreditamos que ela deve estar ainda no mesmo local da queda. O local tem uma profundidade de aproximadamente 25 metros e não temos visibilidade.

O objetivo do Sonar é nos dar visão no fundo do mar, com o equipamento podemos ganhar tempo. Continuaremos a varredura com o cabo, até que o equipamento possa ser utilizado – disse  observa o comandante das operações no local, Hilton de Souza Zeferino.  O aparelho é o único do Sul do Brasil.

Bigsal: o que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o acidente aéreo

O acidente com um monomotor na manhã de segunda-feira em Florianópolis mobilizou bombeiros e pescadores. A aeronave particular TBM 900 sumiu dos radares três minutos depois de decolar do Aeroporto Internacional Hercílio Luz a caminho de Ji-Paraná, em Rondônia. Os dois, o empresário e pecuarista Robson Guimarães e o piloto Marlon Neves, únicos ocupantes seguem desaparecidos.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Veja o que se sabe e o que ainda é dúvida sobre o acidente:

Como aconteceu o acidente?

O monomotor TBM 900, com prefixo PP-LIG, decolou às 5h20min do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis, com destino a Ji-Paraná, em Rondônia. Três minutos depois, a aeronave perdeu a comunicação com a torre de controle e desapareceu dos radares.

Qual o trajeto percorrido pela aeronave e onde aconteceu o acidente?

Durante os três minutos no ar, a aeronave percorreu um caminho de cerca de 10 km em direção ao Sul de Florianópolis. Às 7h, os bombeiros do helicóptero Arcanjo localizaram manchas de combustível e destroços do monomotor a cerca de 800 metros da parte leste da Ilha do Campeche.

Quando começou a operação de resgate das vítimas?

A operação conjunta do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) dos Bombeiros, do helicóptero Arcanjo e da Marinha começou às 5h30min, logo após o alerta da Aeronáutica. Os primeiros destroços foram encontrados por volta das 7h. As buscas seguiram, mesmo com dificuldades de visibilidade, até as 20h de segunda-feira, quando foram suspensas. Os trabalhos foram retomados na manhã desta terça-feira.

Como estão sendo realizadas as buscas? 

Três mergulhadores do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) e quatro bombeiros militares seguem nas buscas próximo à Ilha do Campeche, onde os destroços da aeronave foram avistados. A área de atuação dos bombeiros, que na segunda-feira estava restrita aos 50m² da mancha de óleo, foi estendida nesta terça-feira para corresponder ao percurso da praia da Armação até a praia da Joaquina. Os mergulhadores, no entanto, senguem concentrados no mesmo local.

Os bombeiros do Arcanjo fizeram buscas durante toda a segunda-feira e por quarenta minutos nesta terça. A partir desta manhã, eles farão apenas ações pontuais, como sobrevoos ocasionais.

O que já foi encontrado da aeronave? 

Destroços da carcaça vermelha e branca do TBM 900 já foram encontrados, assim como pedaços do assento e objetos pessoais. A maior parte da estrutura, no entanto, ainda não foi resgatada. Os bombeiros acreditam que ela ainda esteja submersa na região.

Quais foram as causas do acidente? 

Ainda não se sabe o que causou o acidente na manhã de segunda-feira. O Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V), braço da Força Aérea Brasileira, irá investigar as causas do acidente. Técnicos sediados em Canoas, no Rio do Grande do Sul, já iniciaram a análise dos destroços encontrados.

Em nota, a FAB informou que “os técnicos já trabalham com levantamento de dados (documentação, meteorologia, plano de voo, inspeção etc). Ainda não é possível levantar hipóteses sobre os fatores que contribuíram para o acidente”.

A investigação não tem prazo final para ser concluída.

As informações são do Diário Catarinense. Para ver a cobertura completa sobre o acidente CLIQUE AQUI!

Bigsal: Buscas são retomadas em Santa Catarina

As buscas pelos dois desaparecidos após a queda de um monomotor próximo a Ilha do Campeche, em Florianópolis, foram retomadas na manhã desta terça-feira. Os trabalhos foram iniciados entre às 9h em uma ação conjunta dos bombeiros do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) e do helicóptero Arcanjo.

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Segundo o comando do Corpo de Bombeiros, doze homens começaram na busca peloempresário Róbson Guimarães e pelo piloto Marlon Neves. Os dois saíram do Aeroporto Hercílio Luz, a caminho de Ji-Paraná, em Rondônia, às 5h20min de segunda-feira. Três minutos depois perderam a comunicação com a torre de controle. Destroços da aeronave PP-LIG foram resgatadas pelos bombeiros e pela Marinha ainda na manhã e tarde de segunda-feira em uma operação que durou cerca de 12 horas.

A ação dos mergulhadores dos Bombeiros seguirá próximo a mancha de óleo, uma área de 50 m² a cerca de 800 metros da parte leste da Ilha do Campeche. Mergulhadores utilizarão um sonar, aparelho que emite ondas mecânicas para auxiliar na procura de objetos em alto mar. A profundidade do local é entre 25 e 30 metros e a crença é de que grande parte da estrutura da aeronave ainda esteja submersa.

As embarcações dos bombeiros, no entanto, começaram a cobrir uma área significativamente melhor. Ela vai desde a praia da Armação até a praia da Joaquina. Cinco bombeiros do helicóptero Arcanjo realizaram um sobrevoo no local durante quarenta minutos.

Segundo os Bombeiros, a previsão é de que as buscas continuem até que os desaparecidos sejam encontrados.