Em carta, Lula diz que vai criar o “Dia do Volto”

Em mensagem, ex-presidente faz alusão ao ato de Dom Pedro que decidiu ficar no Brasil, em 1822, ao invés de ir para Portugal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Operação Lava Jato, afirmou em carta que vai criar o “Dia do Volto”, em alusão ao Dia do Fico, quando Dom Pedro decidiu ficar no Brasil, em 1822, ao invés de ir para Portugal, como mandava a Corte do país.

A carta foi direcionada ao presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana. “O imperador Dom Pedro I criou o Dia do Fico. E eu vou criar o dia do ‘Volto’ para, junto com o povo, fazer o Brasil feliz outra vez”, escreveu o ex-presidente ao amigo.

Na carta, Lula também agradece pela blusa que Wagner lhe deu de presente, dizendo que vai usá-la, afirmando que os trabalhadores e o sindicato são “sua própria vida”.

“Diga bem alto para todo mundo que sou candidato porque tenho certeza que vou recuperar o Brasil, recuperar empregos, salários, escolas, saúde, autoestima, dignidade e a soberania do nosso povo”, diz outro trecho da carta.

O ex-presidente está preso em Curitiba desde 7 de abril após ter sido condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Apesar de a Lei da Ficha Limpa determinar inelegibilidade por oito anos a políticos condenados por órgão colegiado, o PT tem reafirmado publicamente a candidatura de Lula à Presidência nas eleições 2018.

Fonte: metropoles

Em carta lida por Gleisi, Lula critica Fachin

Lula reafirmou que será candidato à Presidência

A presidente do PT, senadora Gleisi Hofmann (PR), leu hoje (3) uma carta na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirma sua pré-candidatura à Presidência da República e acusa o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin de fazer manobras na tramitação processual dos habeas corpus protocolados por seus advogados.

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba há mais de 80 dias em função da condenação a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. Por determinação do juiz Sérgio Moro, Lula foi preso para começar a cumprir a pena após ter os recursos rejeitados pela segunda instância da Justiça Federal.

Na carta lida pela senadora, durante reunião da Executiva Nacional do PT, Lula diz que foi condenado sem provas e afirma que o “comportamento público de alguns ministros da Suprema Corte é a mera reprodução do que se passou na primeira e na segunda instâncias”.

“Primeiro, o ministro Fachin retirou da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal o julgamento do habeas corpus que poderia impedir minha prisão e o remeteu para o plenário. Tal manobra evitou que a Segunda Turma, cujo posicionamento majoritário contra a prisão antes do trânsito em julgado já era de todos conhecido, concedesse o habeas corpus. Isso ficou demonstrado no julgamento do plenário, em que quatro dos cinco ministros da Segunda Turma votaram pela concessão da ordem”, diz Lula na carta.

Na sexta-feira (22), Fachin enviou pedido de liberdade ou prisão domiciliar do ex-presidente para julgamento pelo plenário, e não na turma, como queria a defesa. Ao justificar o envio, o ministro disse que a questão deve ser tratada pela Corte por passar pela análise do trecho da Lei da Ficha Limpa que prevê a suspensão da inelegibilidade “sempre que existir plausibilidade da pretensão recursal”.

Em outro trecho da carta lida por Gleisi, o ex-presidente Lula disse que não cometeu nenhum crime e reafirma sua pré-candidatura às eleições presidenciais de outubro.

A Agência Brasil entrou em contato com o gabinete do ministro Edson Fachin e ainda não recebeu retorno.

Fonte: agenciabrasil

Carta de teor racista e com pó branco é enviada a noiva de Príncipe Harry

Uma carta com pó branco, parecida com aquelas enviadas com antrax, e com uma suposta mensagem racista, foi enviada ao príncipe Harry da Inglaterra e sua futura esposa Meghan Markle, revelou nesta quinta-feira (22/2) o jornal Evening Standard.
O jornal britânico explicou que agentes antiterroristas da Polícia Metropolitana foram notificados em 12 de fevereiro, pouco depois de receber a carta, pelo palácio de Saint James.
A análise do pó revelou que era inofensivo. Procurado pela AFP, o serviço de imprensa do príncipe não quis comentar o caso. “A polícia está investigando a entrega no palácio de Saint James, em 12 de fevereiro, de um pacote contendo uma substância”, afirmou a polícia em um comunicado.
“A substância foi analisada e foi confirmado que não era suspeita. E os agentes também investigam a comunicação maliciosa em relação ao mesmo pacote”, afirma o texto. O Evening Standard afirma que a polícia está investigando se esta carta tem algo a ver com a recebida pelo Parlamento em 13 de fevereiro e que também continha pó branco.

O príncipe, o quinto na linha de sucessão ao trono, e a atriz americana vão se casar no Castelo de Windsor em 19 de maio. Ao revelar  seu relacionamento em 2016, Harry publicou um duro comunicado contra “a onda de insultos e assédio” a sua namorada.

Fonte: diariodepernambuco

Carta de mulher de 27 anos com câncer terminal comove a internet

No dia 3 de janeiro, ao descobrir um câncer em estágio termina, a australiana Holly Butcher publicou um post no Facebook que emocionou milhares de internautas. No texto, ela escreveu uma lista de lições aprendidas durante a vida. No dia seguinte, morreu aos 27 anos, ao lado da família.

“É muito estranho perceber e ter que aceitar sua mortalidade tão nova, aos 26. É uma daquelas coisas que ignoramos durante a vida. Os dias passam e você acha que eles vão continuar passando, até que o inesperado acontece. Sempre me imaginei ficando velha, com rugas e cabelos brancos, com uma família cheia de crianças”, contou, no início do post. “A vida é muito frágil, preciosa e imprevisível. Cada dia é não apenas um direito, mas um presente”, completou.

Depois de afirmar que as pessoas não devem se preocupar tanto com “as coisas pequenas e insignificantes que provocam irritação na vida’, ela listou vários ensinamentos que aprendeu na vida. São eles:

– Quando você estiver irritado com coisas ridículas, pense nas pessoas que estão realmente enfrentando problemas. Sinta gratidão por seus pequenos problemas e os supere. Depois, respire fundo e perceba o quão sortudo você é por simplesmente poder respirar.

– Ouço muitas reclamações sobre como o trabalho é terrível, como é difícil se exercitar… Seja grato pelo fato de que você é fisicamente apto a fazer isso. Trabalho e exercícios parecem atividades triviais – até o seu corpo não conseguir fazê-las.

– Aprecie seu corpo, mas se ele estiver num tamanho que não é considerado ideal. Movimente-se, coma comida saudável. Mas não fique obcecado com isso. Saúde mental é tão importante quanto saúde física. Os corpos exibidos nas redes sociais não devem ser seu ideal de beleza.

– Seja grato pelo fato de não sentir dor diariamente. Mesmo se você estiver resfriado. Isso passará.

– Ajudem uns aos outros.

– Doe, doe, doe. Você ganhará mais felicidade ajudando aos outros do que ajudando a si mesmo. Queria ter feito mais disso. Quando você estiver morrendo, dinheiro não significará nada.

– Compre algo sincero para seus amigos, em vez de apenas outro vestido, produto de beleza ou joia. Ninguém ligará se você usar a mesma roupa duas vezes. Leve-os para um restaurante ou, melhor ainda, cozinhe para eles. Dê uma planta, uma mensagem ou uma vela. Ou apenas diga que os ama.

– Valorize o tempo das outras pessoas. Não os deixem esperando.

– Use seu dinheiro em experiências de vida.

– Se esforce para fazer aquele passeio na praia que você está sempre adiando.

– Tente aproveitar cada momento, em vez de simplesmente pensar em capturá-los em fotos de celular.

– Meninas: aquele tempão que vocês gastam fazendo o cabelo ou passando maquiagem são realmente necessários? Nunca entendi isso.

– Acorde cedo para ouvir os pássaros e ver as cores bonitas que o sol produz quando ele nasce.

– Ouça música. Mas realmente ouça. Música é terapia. E as mais antigas são as melhores.

– Faça carinho no seu cachorro. Vou sentir tanta falta disso.

– Converse com seus amigos. Desligue seu celular.

– Viaje, se você gosta de viajar. Se não gostar, não viaje.

– Trabalhe para viver, não viva para trabalhar.

– Faça o que alegra seu coração.

– Coma o bolo. Sem culpa.

– Diga ‘não’ para coisas que você não quer fazer.

– Não se sinta pressionado a fazer o que as pessoas pensam ser importante para ter uma vida completa. Talvez você queira viver uma vida medíocre… e tudo bem!

– Diga às pessoas queridas que você as ama.

– Se algo faz você se sentir terrível, mude. Você tem o poder de mudar, seja no trabalho ou no amor. Tenha coragem para mudar. Não gaste o pouco tempo que você tem na Terra vivendo situações terríveis.

– Se você puder, doe sangue regularmente. Cada doação pode salvar três vidas. É um impacto enorme no mundo. Doações de sangue permitiram que eu vivesse um ano mais, e serei eternamente grata por ter passado mais esse tempo na Terra, ao lado da minha família, dos meus amigos e do meu cachorro. Esse ano foi um dos melhores da minha vida.”

Moradora de New South Wales, na Austrália, Holly morreu de Sarcoma de Ewing, uma forma rara de câncer ósseo que afeta principalmente pessoas jovens. Clique para conferir o post completo, que já foi compartilhado mais de 40.000 vezes na rede social.

Ex-mulher de Cesare Battisti envia carta para Cármen Lúcia

A ex-mulher do italiano Cesare Battisti enviou uma carta à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, fazendo um apelo para que ele não seja extraditado.

A correspondência foi obtida pela jornalista Mônica Bergamo, do jornal “Folha de S. Paulo”. A professora Priscila Pereira, que tem um filho de quatro anos com Battisti, diz na carta que o ex-marido tem o “direito de continuar exercendo sua paternidade de maneira integral”.

Em carta, Aécio pede para colegas do Senado devolverem seu mandato; leia a íntegra

Afastado do cargo de senador por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Aécio Neves (PSDB-MG) pede, em carta enviada aos colegas, para voltar ao exercício do mandato. O tucano afirma que os pares podem “imaginar a indignação diante da violência” a que ele foi submetido. A informação foi dada pelo site “O Antagonista”.

“Talvez você possa imaginar a minha indignação diante da violência a que fui submetido e o sofrimento causado a mim, à minha família e a tantos mineiros e brasileiros que me conhecem de perto em mais de trinta anos na vida pública, como parlamentar e como governador de Minas Gerais”, disse em trecho da carta enviado aos senadores.

Aécio diz ainda que as medidas cautelares impostas pelo Supremo – afastamento do Senado e recolhimento noturno – foram tomadas sem que uma denúncia fosse aceita contra ele.

O tucano afirma ainda que não foi possível apresentar defesa do caso e chama Joesley Batista, da JBS, de “réu confesso”.

“A determinação dessas cautelares, sem que sequer houvesse denúncia aceita contra mim, e o mais grave, sem que eu sequer pudesse apresentar as provas de minha defesa, se sustenta em uma gravação feita de forma clandestina, portanto criminosa, por um réu confesso, Joesley Batista, em busca dos extraordinários benefícios de sua delação premiada, agora interrompida”, afirmou.

O advogado de defesa, Alberto Zacharias Toron também assinou uma nota refutando as acusações contra o tucano.

Leia a íntegra da carta de Aécio Neves: 

Caro colega, Talvez você possa imaginar a minha indignação diante da violência a que fui submetido e o sofrimento causado a mim, à minha família e a tantos mineiros e brasileiros que me conhecem de perto em mais de trinta anos na vida pública, como parlamentar e como governador de Minas Gerais.

Só vejo um caminho para enfrentar trama tão ardilosa construída, como se sabe agora, com a participação de agentes públicos ligados à Procuradoria Geral da República ao lado de empresários inescrupulosos que não se constrangem em acusar pessoas de bem para obter os benefícios que buscavam.

Em razão da gravidade do que será decidido, tanto em relação a mim, pessoalmente, quanto ao próprio Senado, tomo a liberdade de encaminhar-lhe de forma bastante objetiva alguns esclarecimentos para os quais desde já agradeço sua atenção.

A determinação dessas cautelares, sem que sequer houvesse denúncia aceita contra mim, e o mais grave, sem que eu sequer pudesse apresentar as provas de minha defesa, se sustenta em uma gravação feita de forma clandestina, portanto criminosa, por um réu confesso, Joesley Batista, em busca dos extraordinários benefícios de sua delação premiada, agora interrompida.

O encontro, como demonstram as novas gravações que haviam sido omitidas pelos delatores, tinha como objetivo oferecer ao empresário um apartamento de propriedade de minha família, cuja venda ajudaria a pagar as despesas de minha defesa. Já claramente orientado, ele transformou essa consulta numa proposta de empréstimo que seria devidamente regularizado e pago não fosse outra a intenção do delator.

Não houve em nenhum momento oferta de contrapartida ou envolvimento de dinheiro público, o que descaracteriza qualquer ato ilícito. Aliás, outro delator da própria JBS, Ricardo Saud, afirma em seu depoimento: “Ele (Aécio) nunca fez nada por nós.”

Novos depoimentos de delatores, apontam para o que é ainda mais grave: o prévio conhecimento de agentes do Estado, notadamente da Procuradoria Geral da República, sobre essas gravações, o que por si só configuraria crime de responsabilidade. Descobre-se agora que o Sr. Joesley saiu de reunião de várias horas na PGR para, no mesmo dia, horas depois, fazer a criminosa gravação de que fui vítima, sem prévia e devida autorização do STF,como determina a Constituição.

Caro colega,

Já me desculpei, e volto a fazê-lo, e me penitencio diariamente pelos termos inadequados que utilizei naquela conversa que imaginava privada, sabendo que nem isso os justifica. Mas reitero: não cometi qualquer crime.

O que peço é única e exclusivamente aquilo a que tem direito qualquer cidadão e que não deve ser retirado de alguém pelo fato de ser detentor de mandato eletivo: a oportunidade de apresentar a minha defesa e provar a minha inocência, sem pré- julgamentos e sem sentença antecipada.

Como sabem os que me conhecem mais de perto, não cheguei ontem na vida pública, tenho 31 anos de mandatos eletivos, cumpridos de forma dedicada e honrada em nome dos mineiros.

Tomo, portanto, a liberdade de levar à sua consideração essas questões, pois, mais do que a preservação de um mandato, legítima e democraticamente conquistado, está em jogo a garantia do livre e pleno exercício de mandatos eletivos e a não prevalência de um Poder sobre outro, como preconiza a nossa Constituição, que tive a honra de assinar como constituinte.

Ao final, o que estará em jogo é se pode, de forma monocrática ou por maioria de votos de uma das turmas do Supremo, um parlamentar ser afastado de suas funções sem ser previamente julgado.

Veja que essa é uma decisão que terá repercussão também nos Estados e municípios de todo o país.

Por fim, peço seu apoio e seu voto para que eu possa no exercício do mandato, que me foi conferido pelos mineiros, apresentar minha defesa e provar minha inocência frente a ataques tão violentos quanto injustos.

Agradecendo sua a atenção, coloco-me à sua disposição para qualquer esclarecimento que julgar necessário.

Aécio Neves 

Nota do advogado Alberto Zacharias Toron, que defende Aécio Neves

A Primeira Turma do STF, em recentíssimo acórdão relatado pela ministra Rosa Weber, ao julgar a Ação Penal n 580, assentou que: liA presunção de inocência, princípio cardeal no processo criminal, é tanto uma regra de prova como um escudo contra a punição prematura …”.

Se isso é verdade, no caso do senador Aécio Neves é eloquente a necessidade de se banir as cautelares que o afastaram do mandato. Vejamos:

1) Ele não é réu em nenhuma ação penal;

2) Ele ainda não teve o direito de se defender para demonstrar sua inocência;

3) Provas novas, oriundas de gravações omitidas e *escondidas pelos delatores*, surgem a cada momento, desmerecendo a versão inicial por eles apresentada;

4) O que se disse num primeiro momento contra o senador Aécio não mais se sustenta;

5) gravações omitidas pelos delatores comprovam que a família Neves procurou Joesley Batista para lhe oferecer à venda um apartamento no valor de R$ 40 (quarenta) milhões, a fim de obter recursos para fazer frente a diversas despesas, inclusive com advogados. Partiu do delator, como contraproposta a essa venda, a sugestão de empréstimo pessoal, no valor de R$ 2 milhões de reais, custo estimado com a defesa. Jamais houve pedido de propina e nada envolvia dinheiro público.

6) Os delatores narraram que teriam realizado pagamentos ilegais na monta de R$ 60.000.000,00 (sessenta) milhões para o senador Aécio Neves. Contudo, todos esses pagamentos referem-se a doações de campanha oficiais, devidamente declaradas e disponíveis no site do TSE.

7) os próprios delatores confessaram nunca terem obtido qualquer contrapartida, vantagem ou benefício por parte do senador Aecio, inexistindo, sob qualquer ângulo, corrupção.

8) A alegada obstrução de justiça jamais existiu, restringindo-se ao legítimo exercício da função legislativa, que abrange a discussão e votação de leis.

9) Portanto, pretender manter o afastamento do Senador Aécio sem processo e sem o correlato direito de defesa, mais que ofender o princípio da presunção de inocência, vilipendia a própria representação democrática da República.

Fonte: otempo

Em carta a parlamentares, Temer usa Cunha para se defender da delação de Funaro

O presidente Michel Temer escreveu uma carta a parlamentares para se defender das acusações que sustentam a denúncia contra ele na Câmara dos Deputados.

No texto, que o Blog da jornalista Andréia Sadi, do jornal G1 teve acesso, Temer usa declarações do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para atacar a delação de Lúcio Funaro, operador do PMDB preso pela Lava Jato que fechou uma delação premiada.

“Em entrevista à revista Época, o ex-deputado Eduardo Cunha disse que a sua delação não foi aceita porque o procurador-geral exigia que ele incriminasse o presidente da República. Esta negativa levou o procurador Janot a buscar alguém disposto a incriminar o Presidente. Que, segundo o ex-deputado, mentiu na sua delação para cumprir com as determinações da PGR. Ressaltando que ele, Funaro, sequer me conhecia”.

Segundo auxiliares do presidente, a carta será enviada em mãos aos parlamentares e se trata de um “desabafo”.

Conforme apurou o G1, a carta começou a ser entregue nos gabinetes dos deputados e senadores no final da manhã desta segunda. De acordo com a assessoria do Planalto, funcionários do próprio palácio estão distribuindo a mensagem em papel.

Assessores dos parlamentares estão recebendo a mensagem, já que a maior parte dos políticos ainda está em suas bases eleitorais. Por isso, uma versão em PDF da carta também está sendo enviada por WhatsApp.

Leia a íntegra da carta:

Prezado Parlamentar.

A minha indignação é que me traz a você. São muitos os que me aconselham a nada dizer a respeito dos episódios que atingiram diretamente a minha honra. Mas para mim é inadmissível. Não posso silenciar. Não devo silenciar.

Tenho sido vítima desde maio de torpezas e vilezas que pouco a pouco, e agora até mais rapidamente, têm vindo à luz.

Jamais poderia acreditar que houvesse uma conspiração para me derrubar da Presidência da República. Mas os fatos me convenceram. E são incontestáveis.

Começo pelo áudio da conversa entre os dirigentes da JBS. Diálogo sujo, imoral, indecente, capaz de fazer envergonhar aqueles que o ouvem. Não só pelo vocabulário chulo, mas pelo conteúdo revelador de como se deu toda a trajetória que visava a impedir a prisão daqueles que hoje, em face desse áudio, presos se encontram.

Quem o ouviu verificou uma urdidura conspiratória dos que dele participavam demonstrando como se deu a participação do ex-procurador-geral da República, por meio de seu mais próximo colaborador, Dr. Marcello Miller. 

Aquele se tornou advogado da JBS enquanto ainda estava na PGR. E, dela sendo exonerado, não cumpriu nenhuma quarentena prevista expressamente no artigo 128, parágrafo 6°, da Constituição Federal.

Também veio a conhecimento público a entrevista de outro procurador, Ângelo Goulart Vilela, que permaneceu preso durante 76 dias, sem que fosse ouvido. Nela, evidenciou que o único objetivo do ex-procurador-geral era “derrubar o presidente da República”.

“Ele tinha pressa e precisava derrubar o presidente”, disse o procurador. “O Rodrigo (Janot) tinha certeza que derrubaria”, afirmou. A ação, segundo ele, teria dois efeitos: impedir que o presidente nomeasse o novo titular da Procuradoria-Geral da República, e ser, ou indicar, o novo candidato a presidente da República. Veja que trama.

Mas não é só. O advogado Willer Tomaz, que também ficou preso sem ser ouvido, registrou igualmente em entrevista os fatos desabonadores em relação à conduta do ex-procurador-geral.
  
Em entrevista à revista Época, o ex-deputado Eduardo Cunha disse que a sua delação não foi aceita porque o procurador-geral exigia que ele incriminasse o presidente da República. Esta negativa levou o procurador Janot a buscar alguém disposto a incriminar o Presidente. Que, segundo o ex-deputado, mentiu na sua delação para cumprir com as determinações da PGR. Ressaltando que ele, Funaro, sequer me conhecia.

Na entrevista, o ex-deputado nega o que o dirigente-grampeador, Joesley Batista, disse na primeira gravação: que comprara o seu silêncio.

No áudio vazado por “acidente” da conversa dos dirigentes da JBS, protagonizado por Joesley e Ricardo Saud, fica claro que o objetivo era derrubar o presidente da República. Joesley diz que, no momento certo, e de comum acordo com o Rodrigo Janot, o depoimento já acertado com Lúcio Funaro “fecharia a tampa do caixão”. Tentativa que vemos agora em execução.

Tudo combinado, tudo ajustado, tudo acertado, com o objetivo de: livrar-se de qualquer penalidade e derrubar o presidente da República.

E agora, trazem de volta um delinquente conhecido de várias delações premiadas não cumpridas para mentir, investindo contra o presidente, contra o Congresso Nacional, contra os parlamentares e partidos políticos.

Eu, que tenho milhares de livros vendidos de direito constitucional, com mais de 50 anos de serviços na universidade, na advocacia, na procuradoria e nas secretarias de Estado, na presidência da Câmara dos Deputados e agora na Presidência da República, sou vítima de uma campanha implacável com ataques torpes e mentirosos. Que visam a enlamear meu nome e prejudicar a República. 

O que me deixa indignado é ser vítima de gente tão inescrupulosa. Mas estes episódios estão sendo esclarecidos.

A verdade que relatei logo no meu segundo pronunciamento, há quase cinco meses, está vindo à tona. Pena que nesse largo período o noticiário deu publicidade ao que diziam esses marginais. Deixaram marcas que a partir de agora procurarei eliminar, como estou buscando fazer nesta carta.

É um desabafo. É uma explicação para aqueles que me conhecem e sabem de mim. É uma satisfação àqueles que democraticamente convivem comigo.

Afirmações falsas, denúncias ineptas alicerçadas em fatos construídos artificialmente e, portanto, não verdadeiros, sustentaram as mentiras, falsidades e inverdades que foram divulgadas. As urdiduras conspiratórias estão sendo expostas. A armação está sendo desmontada.

É preciso restabelecer a verdade dos fatos. Foi a iniciativa do governo, somada ao apoio decisivo da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, que possibilitou a retomada do crescimento no país.

Trecho da carta de Michel Temer a parlamentares para se defender de denúncia da PGR

Fonte: Blog Andréia Sadi, jornal G1

Papa Francisco envia carta a casal gay por batismo dos filhos

Depois de batizar os três filhos em uma igreja católica de Curitiba, no Paraná, o casal Toni Reis e David Harrad recebeu uma carta de felicitações do Papa Francisco.

“O Papa Francisco lhe deseja felicidades, invocando para a sua família a abundância das graças divinas, a fim de viverem constante e fielmente a condição de cristãos”, diz o documento, assinado pelo assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado, Monsenhor Paolo Borgia.

A cerimônia ocorreu em abril e, dois meses depois, o casal enviou fotos e os certificados de batismo para o pontífice, mas não esperava uma resposta.

“Nós estamos extremamente felizes. Queríamos comunicar ao sumo sacerdote essa acolhida da igreja católica que foi muito importante para nós, porque nossos filhos foram bem acolhidos e muito bem tratados pelo arcebispo e pelo padre”, contou Toni Reis.

Ele acrescentou que foram a quatro igrejas da capital paranaense, mas o batismo era negado. A cerimônia só foi possível depois que falaram com o Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom José Antonio Peruzzo, que disse um “sim” imediato.

Fonte: metropoles.com

Jovem tatua carta de avó após idosa ser diagnosticada com Alzheimer

Jovem tatua carta de avó após idosa ser diagnosticada com Alzheimer

A quase infinitude de uma tatuagem parece ser o perfeito contraponto à devastação do Alzheimer. Ao ficar marcado na pele, aquele desenho garantirá uma lembrança, não importa quão degradado esteja o cérebro. Esse talvez tenha sido um dos pensamentos que passou pelo cabeça do estudante Leonardo Martins, de 19 anos, quando homenageou sua avó.

Ao saber que ela foi diagnosticada com Alzheimer, o jovem decidiu não apenas ficar ao lado da mulher que cuidou dele por 18 anos, mas garantir que ele mesmo não corra o risco de esquecê-la. Em um texto emocionante, ele descreve sua relação com a avó, o que explica a grande tatuagem que fez a partir de uma carta escrita por ela quando ele passou no vestibular para jornalismo.

A carta que originou a tatuagem

“Foi ano passado que a vó escreveu essa carta pra mim, quando entrei na faculdade. Eu fiquei com medo de perder, acho que agora eu não perco mais”. No relato, Leonardo conta como a doença começou a se manifestar e, mais ainda, como isso afetou sua família.

“A vó sempre cuidou de tudo e todos, morava com a gente em casa, mas o ambiente começou a semear uma sensação de estranheza. O sofá, que dividimos durante 19 anos, foi ficando cada vez mais estranho, menos confortável. Nem a Kátia Fonseca e o Cesar Tralli, ídolos da vó, salvavam a tarde”, escreveu.

Leonardo, então, segue agradecendo. “Todo dia penso que pelo menos Deus me deu a chance de deparar um farol amarelo para curtir o máximo que eu pudesse o melhor ser humano que eu já conheci”. E termina lembrando que ela não vai passar por isso sozinha.

“Tudo o que precisamos está bem pertinho de nós. Tão pertinho que eu consigo até sentir o toque da pele fina da sua mão no meu rosto só de fechar os olhos. Que gostoso o seu abraço, vó. Nem consigo mais lembrar o que queria dizer com isso tudo. Pra você ver, acho que eu que tô meio esquecido hoje!”

Fonte: metropoles.com

Madonna tenta impedir leilão de carta de Tupac sobre fim de namoro

A cantora Madonna tentou interromper, nesta terça-feira (18) o leilão de uma carta escrita pelo rapper Tupac Shakur sobre o relacionamento dos dois e um bilhete, na qual chamava a cantora Whitney Houston e a atriz Sharon Stone de “horrivelmente medíocres”.

De acordo com informações da Reuters, a atista apresentou um pedido de ordem de restrição temporária na Suprema Corte de Nova York contra a casa de leilões Gotta Have It Collectibles, para impedir a venda, programada para começar na quarta-feira (19).

Madonna alega que os itens foram consignados para leilão por Darlene Lutz, uma mulher que a cantora descreve em documentos judiciais como uma ex-amiga e consultora de arte, que “traído minha confiança em uma tentativa revoltante de obter minhas posses sem meu conhecimento ou consentimento”.

Um representante da casa de leilões e Marlene afirmaram, em um comunicado por e-mail, que a ação Madonna para impedir a venda era “uma ação completamente sem fundamento e sem mérito”, e eles desafiariam suas reivindicações no tribunal.

Na carta, escrita quando o rapper estava na prisão por abuso sexual, Shakur confidencia que namorar uma mulher branca poderia prejudicar sua carreira.

Fonte: noticiasaominuto