Avião de pequeno porte cai em área urbana de Manaus, diz Corpo de Bombeiros

Queda ocorreu perto do Aeródromo de Flores

Um avião de pequeno porte caiu nas proximidades do Aeródromo de Flores, situado na Zona Centro-Sul de Manaus, por volta das 9h30. O Corpo de Bombeiros informou que equipes foram acionadas ao local.

Um motorista testemunhou a queda do avião. Ele disse à Rede Amazônica que viu o piloto sair antes da aeronave pegar fogo.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e enviou equipes ao local. Ainda não há informações sobre o estado de saúde da vítima.

Fonte: g1/am

Mulher confunde linguiça com cobra e pede socorro aos bombeiros em MG

A moradora não informou como a linguiça foi parar no chão, mas a suspeita é de que o gato que ela tem possa ter pegado e arrastado o alimento

Uma moradora da cidade mineira de Viçosa acionou o Corpo de Bombeiros na noite de segunda-feira (14) depois de achar ter visto uma cobra em casa. Contudo, quando os militares chegaram à residência no Bairro Maria Eugênia, perceberam que se tratava de uma linguiça.

“Quando nossa equipe chegou ao local fomos indicados para o cômodo onde ela suspeitava que estava o animal. Estava muito escuro e a forma com que a linguiça estava no chão realmente poderia levar a pessoa a confundir com uma cobra”, contou por telefone ao G1 o tenente Alexandre Lima Fagundes, comandante do 3º Pelotão.

Ainda de acordo com o tenente, quando os militares chegaram à casa, a moradora estava desesperada e disse que temia ser atacada. “Nós a acolhemos e em seguida os militares adotaram todos os procedimentos de segurança para captura de cobras. Ao se aproximarem, os bombeiros perceberam que era uma linguiça com comprimento de pouco mais de um metro. Após a constatação, os bombeiros tranquilizaram a mulher “, acrescentou.

A moradora não informou como a linguiça foi parar no chão, mas a suspeita é de que o gato que ela tem possa ter pegado e arrastado o alimento.

Chamadas para perigos reais
Em entrevista ao G1, o comandante do 3º Pelotão destacou a importância de que as pessoas só acionem o Corpo de Bombeiros quando identificarem que estão em situação de risco real, pois chamadas como esta podem atrapalhar no atendimento de casos de perigo de fato.

“É importante que o solicitante certifique-se de que está em uma situação perigosa antes de acionar os bombeiros, pois um deslocamento desnecessário pode atrapalhar o andamento das atividades e prejudicar outras pessoas que necessitam de socorro”, ressaltou.

Repercussão

Ao longo desta terça-feira (15), vários sites locais publicaram reportagens sobre o assunto e colocaram a foto da linguiça encontrada pelos bombeiros. E apesar de reconhecer que a imagem que circula na internet é de fato da linguiça, o comandante disse ao G1 que desconhece que ela tenha sido tirada e compartilhada por alguém da corporação.

De acordo com o tenente Alexandre Lima Fagundes, a autoria da imagem será investigada. O nome da mulher também foi preservado pela corporação, que disse temer comportamento vexatório contra a moradora.

Fonte: g1/mg

Bombeiros encontram 2º corpo em escombros de prédio que desabou em SP

Segundo a corporação, trata-se de uma criança. O edifício, de 24 andares, desabou no dia 1º de maio

Um corpo de pequeno porte, aparentando ser de uma criança, foi localizado na manhã desta terça-feira (8/5) pelo Corpo de Bombeiros nos escombros do prédio no Largo do Paissandu, no Centro de São Paulo. A suspeita é de que o corpo possa ser de um dos filhos gêmeos de Selma Almeida da Silva, de 48 anos. Ela e as crianças Welder e Wender, de nove anos, estariam no 8° andar.

O edifício, de 24 andares, desabou durante um incêndio de grandes proporções no dia 1º de maio. Segundo a Polícia Civil, um curto-circuito em um barraco no 5º andar deu início às chamas.

As buscas se intensificaram na parte em que o corpo foi localizado nos escombros próximos à igreja, depois de a cadela Sara passar pela área e farejar alguma coisa. Segundo o Corpo de Bombeiros, há indícios de que outras vítimas possam ser encontradas na mesma região.

Trata-se do segundo corpo localizado. O primeiro foi o de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, morador que os bombeiros chegaram a tentar resgatar na madrugada da ocorrência.

Nesta segunda (7), a corporação informou sobre a possibilidade de uma nova vítima estar desaparecida. Parentes de Artur Hector de Paula, de 46 anos, que morava no local, registraram um boletim de ocorrência para informar o desaparecimento.

Irani de Paula diz que está há uma semana tentando localizar o sobrinho. Ela não tinha certeza se o rapaz estava no edifício, porque há dois meses outro familiar tentou contato com ele para cobrar uma dívida e não o encontrou no local. “Busquei por ele essa semana toda, fui em todos os lugares que me indicaram, hospitais, abrigos. Não o encontrei e os vizinhos me relataram que o viram no prédio na noite do incêndio”, contou Irani.

Lohane Mickely, de 37 anos, conta que conversou com Artur no pátio do prédio na noite anterior ao incêndio até pouco antes de meia noite. Ele teria subido ao seu apartamento para buscar um isqueiro e ela foi dormir. “Não o vi mais desde o acidente.” “Artur é a sexta pessoa que temos informação concreta de que estava no local”, disse o capitão Marcos Palumbo, porta-voz dos bombeiros.

Já nesta terça, a família de Francisco Dantas, que vivia há um mês o prédio, procurou a polícia para registrar seu desaparecimento. Ele ocupava um espaço no 8º andar e, desde o desabamento, parou de fazer contato com os parentes.

A lista oficial tem mais duas pessoas: Eva Barbosa Silveira, de 42 anos, e Valmir Souza Santos, de 47. No total, 49 pessoas não foram encontradas, mas não são consideradas oficialmente desaparecidas, já que não há confirmação de que elas estavam no prédio no momento do incêndio.

Fonte: metropoles

Goleiro Bruno deixa aulas em entidade para prestar serviços para o Corpo de Bombeiros em MG

Segundo defesa do goleiro, aulas foram suspensas em núcleo por falta de repasses de verba

O goleiro Bruno Fernandes, que está preso no Presídio de Varginha (MG), onde cumpre pena pela morte de Eliza Samúdio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho, está prestando serviços no Corpo de Bombeiros de Varginha há cerca de 10 dias. Segundo o advogado de Bruno, Fábio Gama, ele tem feito a capina e limpeza dos ambientes da unidade.

O Corpo de Bombeiros tem uma parceria com o sistema prisional e solicitou reeducandos para fazer esse serviço. Conforme a defesa, o próprio Bruno se ofereceu para a função. Desde agosto do ano passado ele era autorizado pela Justiça a dar aulas para crianças no Núcleo de Capacitação para a Paz (Nucap), que atende familiares de detentos em Varginha. No entanto, conforme a defesa de Bruno informou ao G1, as aulas de futebol para as crianças no Nucap estão suspensas há cerca de um mês por falta de repasse de verbas.

Para não ficar ocioso e continuar trabalhando para a remissão de pena, conforme a defesa, Bruno optou por fazer o trabalho no Corpo de Bombeiros. Conforme a defesa, a expectativa é que ele possa progredir para o regime semiaberto em agosto.

Prisão em Varginha

Bruno Fernandes está no Presídio de Varginha desde abril do ano passado. Ele foi preso na cidade após decisão do Supremo Tribunal Federal. Antes, ele havia retomado a carreira pelo Boa Esporte e atuou em partidas do Módulo II do Campeonato Mineiro de 2017.

Segundo atestado de pena atualizado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), ele poderá deixar a prisão ainda em 2018. O goleiro foi preso em 2010 e condenado pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samúdio e por sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Ele também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas esta pena foi extinta, já que o crime prescreveu.

A progressão, no entanto, ainda deve ser recalculada removendo 42 dias de remissão da conta. A medida vai ser tomada após o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) atender a um recurso do Ministério Público que contestava parte do período trabalhado na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (Apac) de Santa Luzia. Procurado pelo G1, o advogado Fábio Gama, que defende o goleiro, afirmou que já recorreu da decisão.

A revisão é necessária também porque o atestado mais recente ainda não engloba o período de trabalho após o dia 30 de setembro de 2017. Ou seja, Bruno já tem direito a mais dias de remissão, uma vez que continuou trabalhando no Núcleo de Capacitação para Paz (Nucap), em Varginha, após essa data – o que deve manter a data permitida para a progressão de pena ainda no 2º semestre de 2018.

Fonte: g1

Bombeiros encontram corpos de mulheres decapitadas no CE

O crime, que ocorreu no dia 2 de março, foi filmado pelos próprios executores e postado nas redes sociais

O Corpo de Bombeiros localizou, nesta sexta-feira (9/3), os corpos de três mulheres que foram torturadas, mortas e decapitadas em Fortaleza (CE). Por volta das 8h, a equipe de mergulhadores e de busca encontrou os restos mortais das jovens identificadas como Nara Alyne Mota de Lima, Darciele Anselmo de Alencar e Ingrid Teixeira Pereira em área de mangue próximo ao Liceu da Vila Velha, na zona oeste da capital cearense.

O crime, que ocorreu na sexta-feira passada (2), foi filmado pelos próprios executores e postado nas redes sociais.

As três mulheres foram sequestradas na noite do dia 1º e levadas para o mangue do Rio Ceará, localizado entre os bairros Vila Velha e Barra do Ceará, local onde teriam sido torturadas pelos assassinos.

No vídeo, uma delas, sob ameaça, diz que “rasgou a camisa” da facção Comando Vermelho (CV) e passou para o lado da facção Guardiões do Estado (GDE). Familiares das vítimas negaram, em depoimento, qualquer envolvimento dela com o crime organizado.

Mesmo implorando para que poupassem a sua vida, a jovem é executada com um tiro no rosto. Em seguida, um dos assassinos corta a cabeça dela com um facão. Na mesma cena, outro bandido mostra as três cabeças decapitadas e a joga na água do mangue, comemorando as mortes.

Fonte: metropoles

 

Bombeiros do DF afasta tenente-coronel suspeito de agredir ex-mulher

O Comando-Geral do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal informou na noite de terça-feira (23) ter afastado um tenente-coronel da corporação acusado de voltar a agredir a ex-mulher. O caso teria ocorrido no último fim de semana, um dia após o fim do prazo de uma medida protetiva que o impedia de se aproximar dela.

“Ele me pegou pelo braço e pelas costas e me jogou. Quando ele me jogou, eu caí e rolei pela calçada na frente do estabelecimento. E aí me gerou as lesões no cotovelo, no braço, no outro braço, um hematoma”, disse a vítima em entrevista à TV Globo.

“Estou denunciando ele hoje pela primeira vez porque já não aguento mais as ameaças.”

A defesa do tenente-coronel, Cláudio Lúcio de Araújo Góes, disse que uma primeira denúncia de agressão foi arquivada por ser falsa, assim como os novos relatos. Segundo o advogado do tenente-coronel, a ex-mulher retirou objetos da empresa que os dois tinham juntos, e da qual ela não é mais sócia.

Desde 2016, o bombeiro é chefe de gabinete do comandante-geral da corporação. Ele e a ex foram casados por 18 anos e têm três filhos. Segundo ela, as agressões começaram em 2016, quando ainda eram casados. A vítima diz ainda que ele já tinha desrespeitado a medida protetiva por duas vezes.

O Comando-Geral do Corpo de Bombeiros disse que aguarda informações da Corregedoria para esclarecer os fatos e tomar as medidas necessárias. Também declarou que vai garantir direito à ampla defesa do tenente-coronel.

Estatísticas

Todos os dias, no DF, 40 casos de violência doméstica são registrados em delegacias. Segundo a chefe da Delegacia de Atendimento à Mulher, Sandra Melo, os números são ainda maiores: a estimativa é de que 40% dos casos não sejam denunciados, ou por medo ou vergonha. Por isso, frisa que é importante denunciar sempre: seja a primeira ou a décima vez.

Em todo 2017, foram reportados 14.720 casos. Um aumento de 10,5% em comparação com 2016. Para a delegada, a violência normalmente se repete, e a maioria dos agressores têm entre 25 e 40 anos, personalidade dominadora e com dependência de álcool ou drogas.

Mulher sobe em árvore para tentar invadir casa do ex, fica presa e é salva pelos bombeiros

Acostumados a resgatar gatos e até animais silvestres em cima de árvores, militares do Corpo de Bombeiros de Montes Claros, no Norte de Minas, precisaram utilizar técnicas empregadas em locais de difícil acesso durante uma ocorrência inusitada na madrugada desta sexta-feira (17). Indignada com o fim do relacionamento, uma mulher de 33 anos subiu em uma árvore para tentar entrar na casa do ex-namorado, mas acabou ficando presa entre os troncos.

O tenente Reinaldo de Souza Freitas, que comandou a operação de resgate, contou que a corporação foi acionada por volta das 2h na rua N, no bairro Eldorado. “A vítima apresentava sintomas de embriaguez, o que nós não pudemos constatar. Ela tentou entrar na casa, mas acabou escorregando e ficou prensada entre os galhos”, explicou.

A árvore tinha cerca de três metros de altura. A corporação foi acionada por vizinhos que presenciaram a cena, já que o ex-namorado da mulher não estava em casa na hora da tentativa de invasão.

Foi necessário usar técnicas de salvamento em altura para resgatar a mulher

Fonte: otempo

Menino de 4 anos é resgatado após subir cerca de 30 metros em torre, em GO

Um menino de 4 anos e o avô dele, cuja idade não foi revelada, foram resgatados de uma torre de telecomunicações no início da tarde desta sexta-feira (6), em Goiatuba, no sul do estado de Goiás. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a criança escalou a estrutura metálica e parou a uma altura de cerca de 30 metros. O homem subiu para tentar pegá-lo, mas se sentiu mal e não conseguiu descer. Ambos foram retirados sem ferimentos.

O caso ocorreu por volta do meio-dia. Segundo o Tenente Vinícius Gratão, especialista em salvamento em altura, a torre, que no total tem cerca de 45 metros, fica instalada no quintal da casa da família.

“O avô percebeu que o neto estava lá em cima, mais ou menos a uns 40 metros de altura. Aí chamou o menino, que desceu até a uma altura de 30 metros. Foi quando o homem subiu para tentar resgatar a criança, mas, como tem labirintite, sentiu tontura e não conseguiu mais descer”, contou o bombeiro.

A corporação foi acionada e, com a ajuda do capitão Vanderly Alves Soares e do cabo Wesley Francisco Pereira Sales, Gratão conseguiu retirar avô e neto ilesos.

“Foi uma ocorrência atípica, pois o menino falava a todo tempo que tinha coragem de pular. Então, era um risco enorme, sem contar que, quanto mais no topo, a torre fica mais estreita e balança bastante. Felizmente deu tudo certo e o avô recebeu atendimento no local”, ressaltou.

O bombeiro diz que a família revelou que essa foi a terceira vez que o menino escalou a estrutura. “Das outras vezes ele subiu um pouco menos e conseguiu descer, então, alertamos a eles sobre os perigos e orientamos a procurarem a empresa responsável pela torre para construírem uma proteção melhor para evitar que o menino tenha acesso ao local”.

A torre é de responsabilidade da empresa New Master Telecom, que oferece serviços de provedor de internet. De acordo com o supervisor local da companhia, Thiago Donizete Mendes, a estrutura está instalada no imóvel há mais ou menos 7 anos e é feita a locação do espaço.

“Antigamente tinha um alambrado lá, uma proteção, mas ela foi retirada ao longo do tempo. Como ela fica em uma área do lote que era cercada por muros, não tinha riscos. Mas agora, depois disso que aconteceu hoje, vamos reforçar a segurança no local”, destacou ao G1.

Mendes explicou que os bombeiros fizeram uma notificação verbal a respeito dos riscos. “Eles nos ligaram e explicaram que precisamos fazer adequações no local. Vamos fazer isso, instalar um alambrado para que apenas os funcionários da empresa tenham acesso”, garantiu.

Criança e avô foram resgatados ilesos de torre de celular, em Goiatuba, Goiás (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
 Fonte: g1

Oficial do Corpo de Bombeiros do Rio é denunciado por venda de alvarás

Justiça do Rio de Janeiro aceitou denúncia contra o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Eric Soledade do Lago, acusado de integrar uma quadrilha que funcionava nos quartéis da corporação e recebia propina para conceder alvarás de licença a estabelecimentos comerciais na região metropolitana sem cumprir as exigências necessárias para o funcionamento. Ao ser preso, em casa, ele tinha um revólver com numeração raspada e mais de 50 cartuchos. O tenente-coronel Eric Soledade do Lago virou réu ao ter a denúncia aceita pela Justiça do estado.

No dia 12 de setembro, a Corregedoria-Geral Unificada da Secretaria de Segurança Pública e o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) realizaram a Operação Ingenium para cumprir mandados de prisão contra 38 pessoas, das quais 35 bombeiros militares e três empresários, acusados de integrar a quadrilha. No momento em que se buscava cumprir o mandado de prisão de Eric, foram encontradas em sua casa a arma e as munições. O oficial teve negado o pedido de liberdade provisória.

De acordo com o MPRJ, a investigação começou com escutas telefônicas feitas em 2015, referentes a uma investigação sobre agiotagem, na qual um bombeiro estava envolvido. Os diálogos eram cifrados e que gírias eram usadas para se referir aos valores. O MPRJ informou ainda que o grupo negociava a liberação de estabelecimentos comerciais sem as exigências e fiscalização necessárias no processo legal, por meio do controle dos serviços técnicos conhecido como Setor de Engenharia.

Fonte: noticiasaominuto

MP pede prisão de tenente por suposta tortura de aluno em treinamento

MP pede prisão de tenente por suposta tortura de aluno em treinamento

A 24ª Promotoria de Justiça Criminal de Cuiabá (MT) denunciou e pediu a prisão preventiva da tenente do Corpo de Bombeiros Izadora Ledur de Souza Dechamps por crime de tortura. Para os investigadores, a conduta dela resultou na morte do aluno Rodrigo Patrício Lima Claro, de 21 anos, na capital mato-grossense, em 10 de novembro. Além da tenente, cinco militares foram denunciados pelo mesmo crime.

O caso ocorreu durante o treinamento de atividades aquáticas em ambiente natural do 16º Curso de Formação de Soldado Bombeiro do Estado de Mato Grosso, na Lagoa Trevisan.

Segundo o Ministério Público, os responsáveis pelo treinamento não só “ignoraram a situação como utilizaram-se de métodos totalmente reprováveis, tanto pela corporação militar, quanto pela sociedade civil, para castigar os alunos do curso que estavam sob sua guarda”.

De acordo com as investigações, a vítima foi submetida a intenso sofrimento físico e mental com uso de violência. A atitude teria sido a forma utilizada pela tenente para “punir Rodrigo por ele ter apresentado mau desempenho nas atividades dentro da água”.

Diz um trecho da ação que “o aluno chegou a se jogar no chão na posição fetal e com as pernas encolhidas por não conseguir ficar em pé”. “Nesse momento, a tenente teria humilhado-o perante todos.”

O MP requereu ainda a perda do cargo público de bombeiro militar e a condenação na obrigação solidária de indenizar os danos causados pelo crime. Valores devem levar em conta a duração provável da vida da vítima.

Procurados, os advogados da tenente ainda não se manifestaram.

Fonte: metropoles.com