Desabafo de Alex Testoni sobre operações da Civil de Rondônia, viraliza; veja

Político – ::Painel Político:: - https://politico.painelpolitico.com

Ex-prefeito de Ouro Preto foi alvo de duas operações policiais; vídeo foi compartilhado pelo ex-governador Daniel Pereira

Alex Testoni, ex-prefeito de Ouro Preto do Oeste, na região central de Rondônia, havia gravado um vídeo em 2017 onde falava sobre as operações policiais que havia sido alvo na época. Considerado um dos melhores prefeitos do País e o melhor de Rondônia por pelo menos duas vezes consecutivas, Testoni foi preso, afastado do cargo e retornou depois por determinação judicial.

O vídeo de Testoni foi compartilhado esta semana pelo ex-governador Daniel Pereira, que também foi alvo de buscas e apreensões em sua residência pela Operação Pau Oco, deflagrada pela Polícia Civil de Rondônia. Áudios de delegados, vazados para a imprensa, mostraram que delegados induziram o Tribunal de Justiça a erro deliberadamente, apenas para envolver Pereira.

Após a postagem, o vídeo de Testoni passou a ser compartilhado e dezenas de moradores de Ouro Preto pedem a volta dele à prefeitura, em 2020. O ex-prefeito não se manifestou sobre o caso. Veja o vídeo:

Testoni também foi deputado estadual.

LEIA TAMBÉM

Polícia Civil de Rondônia teria incriminado falsamente ex-governador, revela áudio

Político – ::Painel Político:: - https://politico.painelpolitico.com

Delegado responsável pelas investigações teria induzido, propositalmente, justiça a erro; e é ele quem confessa

“Ninguém está acima da lei”. A frase que vem sendo uma espécie de mantra para alguns setores da segurança pública no Brasil vem causando estragos em reputações e vidas país afora. Em Rondônia, o que parecia ser uma promissora investigação da Polícia Civil contra uma suposta organização criminosa que teria como ‘chefe’ o ex-governador Daniel Pereira, deve se transformar em um vexame jurídico e entrar para a história ao lado da famigerada “Apocalipse”, como a segunda maior lambança institucional do órgão.

Delegado Júlio Cezar

Um áudio, revelado pelo radialista Fábio Camilo em seu programa Informa na Hora, mostra o delegado Júlio Cezar afirmando que não existiam provas contra o ex-governador, e mesmo assim a polícia teria mantido o pedido de busca e apreensão que aconteceu em 12 abril deste ano, durante a operação Pau Oco. Na ocasião, a polícia informou que “os suspeito são investigados pelos crimes de corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, crimes contra a flora, contra a administração ambiental, advocacia administrativa, peculato digital, tráfico de influência, falsificação de documento público e falsidade ideológica”.

Ouça a íntegra do áudio do delegado Júlio Cezar

Na época, o ex-governador, em entrevista, afirmou desconfiar que a operação na verdade tinha cunho político, “a impressão que se tem é que o papel maior dessa operação não é esclarecer fatos, não é buscar informações, porque ao chegar na minha casa as autoridades policiais e a representante do Ministério Público, eu perplexo disse: me ajuda a dizer o que é que vocês estão buscando de informação. Se tem alguém que tem interesse em esclarecer os fatos e não deixar pairar qualquer dúvida sobre minha conduta, sou eu. Tenho mais de 30 anos de vida pública, nunca me apropriei de um copo d’água de qualquer entidade. E não é agora, com 50 e poucos anos, que eu vou começar a fazer. Realmente não sei o conteúdo do processo”, complementou o ex-governador.

O advogado do ex-governador, Nelson Canedo, afirmou que o caso é extremamente grave, “induziram um magistrado a erro”, afirmou.

Operação Pau Oco

Em novembro de 2018, quando Daniel Pereira ainda era governador, a Polícia Civil, através da Delegacia de Repressão as Ações Criminosa Organizadas de Cacoal (Draco/Interior), em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco/RO) e o Ministério Público de Rondônia (MP/RO). deflagrou a Operação Pau Oco, cujas investigações haviam iniciado em julho do mesmo ano, visando apurar um esquema de extração ilegal de madeiras, sem qualquer verificação prévia em áreas florestais de jurisdição estadual.

Na operação, foram presos quatro servidores públicos que, segundo a Polícia Civil, faziam parte ou chefiavam uma organização criminosa e eram suspeitos de lavagem de capitais, crimes contra a administração ambiental e falsidade ideológica. As ações da organização envolviam lançamentos de informações falsas em documentos e sistemas públicos, bem como tomadas de decisões administrativas que iam contra a legislação.

O conhecimento sobre as fraudes aconteceu após a Polícia Civil realizar operações em reservas estaduais, no Vale do Jamari, em 2017. Na região, os policiais identificaram e entenderam as formas de ilegalidades na concessão de licença.

Daniel Pereira foi alvo da Pau Oco

Teste do Sabre

Em novembro deste ano, a polícia deflagrou a fase batizada de “Teste do Sabre” que cumpriu buscas e apreensões na residência de Daniel Pereira, já ex-governador do Estado.

Ex-governador Daniel Pereira se filia ao SD e pode ser candidato à prefeito de Porto Velho

Politico - https://politico.painelpolitico.com

“Mas primeiro precisamos de uma proposta bem estruturada”

O ex-governador Daniel Pereira deixou o PSB, legenda a qual ficou filiado nos últimos 16 anos e ingressou no Solidariedade. A decisão, segundo Pereira, não se deveu a nenhum rompimento com o deputado federal Mauro Nazif, que comanda o partido no Estado, “Mauro é um amigo pessoal e sempre será”, declarou na manhã desta sexta-feira à PAINEL POLÍTICO.

A ida para o Solidariedade é o primeiro passo para consolidar um projeto que pode culminar com a candidatura de Daniel Pereira a prefeitura de Porto Velho, em 2020, “mas para isso precisamos primeiro de uma proposta bem estruturada”, e continuou, “mais importante que quem vai ser o candidato, A, B, C ou D, é a gente construir um projeto. E hoje tá cheio disso, por causa de uma conjuntura qualquer o cara ganha uma eleição e depois descobre que não tem idéia do que vai fazer. Então eu defendo que a gente construa, inclusive com pessoas de fora do partido, algumas idéias que possam melhorar a vida da população”.

Daniel Pereira foi vice-governador no segundo mandato de Confúcio Moura (MDB) e assumiu no último ano, quando o então governador renunciou para disputar o Senado. Pereira não foi candidato à reeleição alegando um suposto “acordo de cavalheiros” com o senador Acir Gurgacz (PDT) a quem ele atribuía ter sido responsável pela indicação de seu nome a vice na chapa de Confúcio. Acir estava disputando o governo mas foi condenado pelo Supremo em uma ação de crimes contra o sistema financeiro nacional. O senador terminou sendo preso e Pereira não concorreu.

Atualmente ele está na direção do Sebrae no Estado.

Porto Velho

Atualmente a prefeitura da capital de Rondônia é comandada pelo empresário Hildon Chaves (PSDB), que foi eleito em 2016 com a promessa de “ser diferente”. Hildon defendia a implantação de parcerias público-privadas em praticamente todos os setores da administração, mas não conseguiu concretizar nenhuma. O prefeito vem enfrentando uma grave crise devido a falta de transporte escolar para crianças da zona rural da capital desde o ano passado.

Além disso, Hildon Chaves também está rompido com o vice-prefeito Edgar do Boi (PSDC) há pelo menos dois anos.

[Coluna] – Golpe denunciado por PAINEL POLÍTICO na Sedam foi responsável pela Pau Oco 2, mas erraram os alvos

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Daniel Pereira passou longe de ser responsável por qualquer tipo de ilegalidade; golpe foi armado na gestão de Confúcio Moura (para variar)

Quem vai pagar a fatura?

Rondônia foi surpreendida com a segunda fase da operação policial batizada de “Pau Oco”, deflagrada pela Polícia Civil com intuito de combater a corrupção na secretaria de Meio Ambiente. O problema é que, entre os investigados estava o ex-governador Daniel Pereira (PSB), que foi alvo de uma busca em sua residência. Ora, Rondônia, como diz o advogado Amadeu Machado, “é terra de muros baixos” e por essas bandas de Rondon, todo mundo sabe exatamente quem é pilantra, quem prevarica, os propineiros e quem rouba. E sabe também que Daniel Pereira não se enquadra em nenhuma dessas categorias. E não, não tenho procuração para defendê-lo, tampouco tenho, como se diz atualmente, “político de estimação”.

Porém

Conheço bem a trajetória política de Daniel Pereira para saber que ele não se meteria em uma lambança dessa natureza por dinheiro. Pelo contrário, seria o primeiro a denunciar qualquer irregularidade que lhe chegasse ao conhecimento, estando governador ou não. E eis que de repente ele se vê metido em um emaranhado criado na Sedam pela turma de Confúcio (sempre eles). Em fevereiro deste ano, PAINEL POLÍTICO publicou uma denúncia que havia sido feita ao Ministério Público do Estado, referente a uma permuta supostamente ilegal feita pela SEDAM em uma área denominada Seringal Paraty, situada na região de Guajará-Mirim.

O golpe

Começou em 2016 e basicamente foi o seguinte, uma empresa, apresentando uma simples escritura pública de cessão, que por sua vez não fazia referência a nenhum direito de propriedade sobre o imóvel, ou seja, forte indício de nulidade. E para completar, foram anexados aos referidos processos CCIR – Certificado de Cadastro de Imóvel Rural que apesar de serem do mesmo imóvel traziam informações totalmente divergentes no que se refere ao tamanho da área, sendo que um retratava uma área de 117 hectares e outro uma área de 117.048,00 hectares, ou seja, 1000 (mil) vezes maior. Se levarmos em conta que o preço médio comercializado no Estado de Rondônia pelo hectare de servidão florestal que gira em torno de R$ 700,00 o golpe foi equivalente a R$ 45.224.176,62.

Em 2016 já haviam questionamentos sobre a área

Agora olha só

Com apenas o documento de cessão, com uma série de irregularidades pesadas, a Sedam emitiu para a empresa uma Certidão de Habilitação de Imóvel para fins de Compensação de Reserva Legal no 001/2017 onde esta se creditou de 64.605,966 hectares. Isso tudo foi apontado pelo procurador Antônio Isac Nunes Cavalcante de Astrê na época, e nada foi feito. Mais interessante ainda é que Daniel Pereira sequer comandava o Estado, tampouco tinha qualquer tipo de influência sobre a Sedam que era comandada por Vilson de Salles Machado – e tinha Denison Trindade Silva como coordenador de unidade de conservação. Onde Daniel Pereira entra nesse rolo? Nem o Ministério Público sabe. Mais curioso ainda é saber quem autorizou o grampo no governador, sendo que para que isso seja feito, é necessário que o inquérito seja instaurado pelo STJ.

Processo formalizado em 2016
Informações prestadas estavam incorretas e foram dadas em 2016

Enquanto isso…

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, gastou R$ 1 milhão da verba de gabinete para contratar os serviços de três pequenas gráficas em Brasília. O caso tornou-se um mistério na Casa. Os negócios realizados entre 2014 e 2018, permanecem em sigilo porque o setor de Transparência do Senado, há três meses, se recusa a fornecer ao jornal O Globo, que descobriu a negociata, as notas fiscais apresentadas pelo senador. Transparência com dinheiro público pra que, né?

Vida difícil

Eyder Brasil, líder do governo na Assembleia Legislativa bem que se esforçou, mas passou longe de convencer seus pares que os primeiros 100 dias de governo Marcos Rocha serviram para alguma coisa. Em discurso na Casa, alegou que “o enxugamento e a desburocratização da máquina pública e o combate à corrupção” são destaques nesta gestão. E como prometer não dói, alegou que Rocha vai atuar “prioritariamente com investimentos maciços na segurança pública, educação e saúde”. Eyder, ao que tudo indica, faz jus a seu sobrenome Brasil, aquele que vive de esperança e sonha com aquele “país do futuro” que nunca chega…

Agora é oficial, estudo comprova que carne vermelha e carnes processadas são responsáveis por câncer colorretal

Um estudo do Reino Unido feito a partir de dados de 475 mil pessoas mostrou uma ligação entre o consumo de carne vermelha e de carnes processadas, como bacon e linguiça, à ocorrência de câncer colorretal (de intestino ou reto). A pesquisa foi publicada nesta quarta (17) na revista International Journal of Epidemiology. Foram avaliadas informações de pacientes entre 40 e 69 anos, ao longo de 5,7 anos, em média. Nesse período foram detectados 2.609 casos de câncer colorretal. A ideia dos cientistas era investigar se o consumo de alguns alimentos poderia ser associado ao surgimento da doença. Nessescasos é difícil falar em causalidade, já que as causas propriamente ditas podem ser múltiplas, inclusive genéticas, mas sim de uma correlação estatística. A favor do estudo está o grande número de casos, que dá peso à associação. Quanto maior o consumo de carne vermelha (bovina, ovina e suína, por exemplo) e de carnes processadas (salame, presunto, charque etc), maior a incidência de câncer colorretal. Pelas contas dos pesquisadores, um consumo diário de carne vermelha e/ou processada de 76 gramas em comparação a um de 21 gramas está associado a um aumento de 20% na chance de desenvolver câncer colorretal.

Daniel Pereira nega ter deixado “rombo” de R$ 400 milhões e diz que “Rocha nem ligou para orçamento”

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Em nota, ex-governador rebate o atual, diz que Marcos Rocha deixou Rondônia acéfalo por três dias e desmente o chefe do Poder Executivo Estadual

O governador Marcos Rocha concedeu entrevista a uma rádio em Porto Velho esta semana, onde ele fez uma série de alegações, entre elas a de que teria recebido o Estado com “rombo” de R$ 400 milhões, e que o orçamento continha furos que atrapalham sua gestão. Ocorre que o ex-governador Daniel Pereira, que antecedeu Rocha, enviou nota desmentindo o governador, onde afirma, entre outras coisas, que “Rocha nem ligou para as tratativas sobre o orçamento”, e deixou o Estado sem comando. Veja a íntegra da nota:

Daniel Pereira e Marcos Rocha

NOTA PÚBLICA

Conheceis a verdade, e a verdade vos libertará. João, 8:32

No dia primeiro de abril último, o Governador Marcos Rocha, em audiência concedida recentemente ao Programa Papo de Redação, na SIV TV, com repercussão em outros veículos de comunicação, ao ser indagado sobre a situação financeira do Estado de Rondônia, afirma que foi pego de “surpresa” com o orçamento estadual de 2019, no qual há a “ausência” de previsão de 120 milhões na saúde, 100 milhões na segurança, mais o pagamento da dívida do Beron, com valor de 17 milhões mensais, totalizando déficit 400 milhões de reais, buscando justificar as dificuldades de sua gestão ao término dos primeiros 90 (noventa) dias de governo.

Visando apenas prestar esclarecimentos à sociedade, como sempre fiz, durante todos os mandatos que exerci, quero apenas apontar aqui algumas considerações:

01. Quando da realização do segundo turno das eleições para governador, por manifestas disposições legais, a proposta de orçamento para o ano de 2019 já se encontrava na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia;

02. Imediato às eleições, foi disponibilizando abertura total para os ajustes que o novo governador achasse necessário na proposta orçamentaria de 2019, no que ele nunca demonstrou o menor interesse. Também é de conhecimento público que ele nunca foi ou determinou que algum assessor seu procurasse a Assembleia Legislativa para discutir tal assunto.

03. Além do estranho desinteresse do atual mandatário estadual quanto ao orçamento de 2019, é de conhecimento de todos que ele somente veio nomear seus secretários no dia 04 de janeiro/2019, deixando o estado totalmente acéfalo durante três dias, pois sequer ele se encontrava em Rondônia, em situação inusitada.

a) Acredito saber ele que a Constituição Federal estabelece aos Estados o investimento mínimo obrigatório na área de saúde de 12% (doze por cento) das receitas correntes liquidas. Nos últimos anos, por diversas razões, principalmente pela expansão na prestação de serviços, o Estado de Rondônia tem gasto aproximadamente 15% (quinze por cento), fatos que ocorreram em 2016, 2017,2018 e que poderá ocorrer em 2019 e anos subsequentes;

b) No tocante a ausência de previsões orçamentárias na área de segurança, é totalmente improcedente a fala de nosso atual mandatário, pois os titulares das principais pastas da gestão dele são egressos de meu governo, como é o caso do Delegado Geral da Policia Civil, os Comandante-Gerais da Policia Militar e Corpo de Bombeiros, que devido aos seus relevantes serviços, foram acertadamente mantidos pelo atual governador, dentre outros;

c) Importante e oportuno que em nosso curto período de gestão deixamos um legados na área de segurança pública, com investimentos próprios e parcerias com instituições diversas, consolidando iniciativas do Govenador Confúcio Moura e desenvolvendo ações próprias, como o Sistema de Análise Criminal, construído com o Ministério Público, a presença de requerimento inicial de identidades em todos os municípios do estado (parcerias com os municípios), a aquisição de equipamentos científicos para a coleta de vestígios criminais em todos as delegacias de policia civil, modernos procedimentos e equipamos aos policiais, como os mobile e câmaras individuais aos policiais militares, aquisição de aviões, veículos e escadas de incêndio ao corpo de bombeiro, dentre muitos outros.

a) No tocante ao pagamento das “Dívidas do Beron”, um conjunto de dividas consolidadas em 1998, foi suspensa pelo STF em 2014, em decorrência das cheias do Rio Madeira, com retorno de pagamento em agosto de 2018, dentro da minha gestão, cujo pagamento foi exigido na totalidade da União, em valor aproximado a meio bilhão de reais, que foram renegociados, com amplo acompanhamento dos Poderes Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública, no Conselho de Estado, com deliberação autorizativa pela Assembleia Legislativa, em discussão e encaminhamento de soluções republicanas, cujos pagamentos foram iniciados em agosto/2018, com desembolso R$ 85.000.000,00 (oitenta e cinco milhões de reais) em meu governo, cuja previsão orçamentária também inexistia.

b) Importante destacar que a dívida consolidada do Estado custaria ao governo Marcos Rocha algo próximo a R$ 25.000.000,00 (vinte e cinco milhões) mês, num total de 1.200.000.000,00(um bilhão e duzentos milhões) durante a gestão dele. Com a renegociação que fizemos, ele pagará, durante 19 (dezenove) meses a quantia mensal de 17.000.000,00 (dezessete milhões), mais 29 (vinte e nove meses) de R$ 11.000.000,00 (onze milhões), num total de R$ 642.000.000,00 (seiscentos e quarenta e dois milhões de reais), reduzindo R$ 558.000.000,00 (quinhentos e cinquenta e oito milhões) nos próximos 4 anos.

04. Diferente do insinuado pelo governador Marcos Rocha, por total responsabilidade com o povo de Rondônia, criei condições dele investir mais de meio bilhão de reais nos quatro anos, além de deixar R$ 93.000.000,00 (noventa e três milhões de reais) na fonte 100 do tesouro, e mais R$ 215.000.000,00 (duzentos e quinze milhões e reais) em diversos fundos estaduais, totalizando R$ 866.000.000,00 (oitocentos e sessenta e seis milhões de reais), que bem gerido permitirá a ele deixar muitas obras em benefício do povo rondoniense.

Afirmo sem medo de ser contraditado que nunca um governador de Rondônia encontrou um início de governo em condições tão favoráveis que o Governador Marcos Rocha. Também é verdade que todos os governadores que o antecederam, mesmo com suas dificuldades conjunturais, sempre legaram ao povo algo melhor do que encontraram. Esperamos que essa agradável tradição continue. Daqui a quatro anos saberemos. Vamos aguardar até lá.
Saúde, Paz e Sucesso ao nosso povo!
Rondônia, 06 de abril de 2019.

Daniel Pereira
Ex-governador de Rondônia

Vaias no governador; senador Marcos Rogério, o novo Garçon ?

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Quem começou a legislatura entrando de bicão  nas entrevistas concedidas pelo senador Davi Alcolumbre, novo presidente do Congresso nacional, nas principais redes de TV, foi o senador rondoniense Marcos Rogério (DEM). Confira a coluna de Robson Oliveira

PRESIDÊNCIA – A  eleição do deputado estadual Laerte Gomes (PSDB) para a presidência da Assembleia Legislativa foi algo representativo e demonstra que o legislativo estadual optou pela independência e erguer barricadas contra qualquer ato de força do executivo contra direitos e garantias fundamentais, embora, na posse, o novo presidente do poder legislativo tenha ressaltado a harmonia entre os poderes. Laerte é um parlamentar ponderado, habilidoso e bom no trato institucional. A presidência da Assembleia Legislativa necessitava de ares bem mais puros.

VAIAS – Não passaram despercebidas as vaias que o coronel-governador tomou durante a posse dos deputados estaduais. Não foram tão ensurdecedoras da forma como comentaram pelas mdias sociais, mas servem de alerta a um governante com tão pouco tempo de governo. Os cupinchas vão dizer que é bobagem e que foram orquestradas por servidores que tiveram interesses contrariados, o que é verdade. No entanto,  uma bobagem que tem tudo para virar um problema caso o coronel não melhore a forma de se comunicar com os governados. Pensar que vai ser ouvido usando o mesmo método do presidente é um engano. O coronel não é o capitão. E vice-versa.

MEMES-O ex-deputado federal Lindomar Garçon terminou passando para a história do Congresso Nacional como um parlamentar folclrico que fazia questão de sair em toda fotografia ou entrevista onde houvessem as lentes apontadas para uma autoridade. A intromissão do parlamentar terminou virando meme nas mídias sociais de forma avassaladora e ele (Garçon) achava que aquilo era uma boa forma de faturar na mídia. Ledo engano, os memes, em sua maioria, ridicularizam, apesar do deputado adorar e fazer questão de aparecer.

FOLCLORE – Quem começou a legislatura entrando de bicão  nas entrevistas concedidas pelo senador Davi Alcolumbre, novo presidente do Congresso nacional, nas principais redes de TV, foi o senador rondoniense Marcos Rogério (DEM). Vaidoso que é, a persistir com a mesma atitude do ex-deputado Garçon, em pouco tempo vira um personagem folclórico. A liturgia senatorial é bem diferente da Câmara baixa e exige de quem quer ser longevo na casa postura de altivez, senão vira folclore aos olhos de todos.

CAPITÃO DO MATO – Quem procurou conhecer o currículo do senador amapaense Davi Alcolumbre, ex-vereador, três vezes deputado federal e senador eleito na legislatura passada, conclui que o discurso de nova política que entoou no Senado Federal e que o catapultou à  cadeira de presidente não é tão  verdadeiro quanto informou. Foi um discurso para enganar os desavisados. Contudo, disputou a presidência senatorial com o alagoano Renan Calheiros, figura carimbada que dispensa adjetivos, fato este que ajudou com que as mídias sociais não esquadrinhassem a biografia do amapaense já que estava ocupada em detonar o alagoano, um capitão do mato acostumado a estripulias e com uma folha corrida maior que a casa grande.

LOROTA –  A sessão de preparação da posse dos senadores ocorreu com todo tipo de bagunça e causou perplexidade em alguns setores da população. Porém, o Senado já protagonizou cenas piores com um senador tomando um tiro dado por um dos seus pares, na frente de sua família. Cenas de pugilatos também já foram registradas, a exemplo dos sopapos dados pelo senador baiano Toninho Malvadeza nas fuças do senador paraibano Ney Suassuna. São cenas que devem ser repudiadas, mas nem a Câmara dos Lordes inglesa está  salva de cenas de selvageria. Basta rever os debates sobre o Brexit.

DESVIOS–  Os índices de violência em Rondônia, nesses primeiros dias do ano, têm assustado a população . Ainda não estão fora do controle, todavia são altos. É bom o imberbe governador colocar as barbas de molho porque,  em pouco tempo,  a população  vai exigir que ele devolva o número imenso de policiais militares às ruas, visto que muitos foram convocados para cargos de primeiro escalão governamental bem distinto da segurança publica.

AMBISMO –  O ex-governador Daniel Pereira (PSB) tem confidenciado a amigos próximos e ex-colaboradores que ambiciona a prefeitura municipal de Porto Velho e estuda o cenÁrio para definir o partido ideal a encarar a disputa. Hoje o ex-governador responde pela sinecura do SEBRAE.

DNIT – ResponsÁvel pela manutenção das rodovias federais, o DNIT se faz de morto e nÃo tapa os buracos da Jorge Teixeira e Avenida Imigrantes, ambas de responsabilidade do  órgão . A inoperância técnica obriga que os motoristas da capital façam manobras arriscadas quando trafegam pelas duas rodovias com as vias urbanas. Até os candirus do Madeira sabem que nesta época chuvosa os buracos aparecem nas rodovias, todos os anos, sem que nenhuma atitude preventiva seja tomada antes que as crateras destruam as BRs.

“PLEA BARGAIN”–  A única novidade  anunciada pelo pacote jurídico apresentado pelo ministro da justiça,  Sérgio Moro,  o “plea bargain”, instituto penal comum ao direito americano que permite ao suposto criminoso se declarar culpado sem ter que enfrentar todo o rito processual penal, ou seja, o acusado transaciona com o juiz e o MP uma pena mais branda, dando fim à contenda. Do ponto de vista da economia processual é um avanço, porém, ao que parece, solapa em tese o princípio constitucional da não autoincriminação. Moro é fã  dos resultados da operação Mãos Limpas, ocorrida na Itália, mas gosta mesmo dos meios processuais estadunidenses para que sejam atingidos os fins do processo penal.

CURIOSIDADE – Uma curiosidade que não passou despercebida no mundo jurdico foi a forma pela qual Moro optou para modificar a legislação que autoriza a prisão em segunda instância. Ao invés de enviar ao Congresso Nacional uma proposta de emenda constitucional, enviou em forma de lei ordinária. Mistério!!!!

MASMORRAS – O Ministro da Justiça vai ser obrigado, cedo ou tarde, a mexer também com o sistema penitenciário brasileiro que está  à beira do caos. Ao arrochar a legislação penal os efeitos nas masmorras serão sentidos imediatamente. Assim como a elevação dos custos.  

[COLUNA] – Daniel Pereira e Vinicius Miguel pretendem disputar a prefeitura da capital em 2020

Politico - https://politico.painelpolitico.com

Ex-governador comanda o Sebrae atualmente. Vinicius Miguel viria em dobradinha com Coronel Charlon, que também disputou o governo em 2018. Hildon Chaves não cumpriu a principal promessa de sua campanha, e não tá nem aí para Porto Velho

Voltando à normalidade…

Passada a euforia da eleição, com promessas loucas de “mudanças”, a velha rotina começa de novo. Nesta terça-feira o Superior Tribunal de Justiça soltou os engenheiros responsáveis por atestarem a “segurança” da barragem de Brumadinho que haviam sido presos, surpreendentemente dois dias após a tragédia. Nenhum executivo foi preso ou apontado como a pessoa que pagou propina a esses engenheiros. E é claro que eles receberam alguma vantagem, ou então se formaram pela mesma faculdade da Damares. A Vale segue com as ações em recuperação e daqui a mais algum tempo, o assunto cairá no esquecimento e naquela infindável teia de recursos e chicanas jurídicas. E o povo, bem…

Batendo chapa

Vinicius Miguel (Rede) que teve uma votação expressiva para governo, anunciou que pretende disputar a prefeitura ano que vem. Terá como vice o coronel Charlon, que também disputou o governo ano passado. A dupla tem uma química parecida com água e óleo.

Outro

Que também anda sonhando em comandar o município de Porto Velho é o ex-governador Daniel Pereira, que atualmente é diretor-presidente do SEBRAE. Pereira, que não disputou a reeleição vai ter problemas para convencer a base que sempre lhe deu sustentação, os sindicatos, que não gostaram nem um pouco de sua atitude ao não encarar as urnas quando teve chance. Teria feito a diferença no cenário eleitoral em 2018, com grandes chances de ser eleito. Mas, por um daqueles mistérios do universo que ninguém consegue decifrar, manteve um acordo com Acir Gurgacz (PDT) que em fevereiro de 2018 já sabia que não conseguiria registrar sua candidatura.

Resultado?

Acir preso e Daniel Pereira no ostracismo político que o Sebrae oferece. Uma entidade elitizada, que deverá encolher assim como todo o Sistema S e que sempre serviu para abrigar a turma que prefere vestir o pijama à enfrentar às urnas.

Queda livre

Hildon Chaves anda mais “baixo que barriga de cobra” junto à população de Porto Velho, cidade que ele “prometeu cuidar” durante a campanha eleitoral de 2016. Crise no transporte público, briga com o vice que sumiu, transporte escolar ineficiente e claro, sua eterna ausência do município lhe renderam um tremendo desgaste à imagem. A pessoas próximas Hildon confidenciou que só não entregou o cargo porque não quer Edgar do Boi no comando. Ele quer evitar comparações, achando que o vice seria bem mais eficiente do que ele. É a vaidade falando mais alto que a preocupação com a cidade.

“Quem disse?”

A primeira dama Ieda Chaves em bate-boca pelo Facebook com um usuário da rede que questionava o abandono da cidade pelo prefeito respondeu, “quem disse que ele quer?” quando o internauta disse que o comportamento de Hildon não era condizente com alguém que pensa em reeleição.

A bem da verdade

Hildon se meteu nessa de ser prefeito sem acreditar muito. A idéia era projetar o nome para conseguir uma vaga na Câmara Federal em 2018, ou Senado. Por um daqueles pontos fora da curva, foi eleito prefeito, sem equipe, sem plano de governo e o pior, atrapalhando a vida sossegada que Hildon tinha. Promotor aposentado, comandando um grupo educacional milionário, se vê às voltas com questões que fogem a seu controle, porque a máquina pública é totalmente adversa à vontade do chefe de plantão.

Devolveu geral

Laerte Gomes, novo presidente da Assembleia Legislativa, devolveu ao governo todos os servidores que estavam à disposição da Casa. Pretende chamar apenas os estritamente necessários na medida da necessidade.

Ninguém solta a mão de ninguém

E os deputados seguem em bloco com a decisão de não aceitarem cargos ou indicarem funções no governo de Marcos Rocha, como é comum na administração. Os deputados estão na linha de frente e sabem quem deve ocupar funções nas regionais do Executivo. Com essa decisão, Marcos Rocha vai governar sozinho, resta saber até quando ele vai manter essa postura. E até quando os deputados vão aguentar.

Cães podem ter maior capacidade de alertar sobre a glicemia do que se acreditava

Pesquisadores do Reino Unido revelaram que os cães treinados para alertar sobre o “diabetes” nos pacientes com diabetes tipo 1, tiveram maior sensibilidade às alterações da glicemia do que o demonstrado em estudo feitos anteriormente. Estes cães, quando bem treinados, teriam a capacidade de melhorar a qualidade de vida destes pacientes, especialmente dos que não percebem os sinais da hipoglicemia. Os autores, liderados pela Dra. Nicola J. Rooney, da Bristol Veterinary School, University of Bristol, no Reino Unido, estudaram 28 cães e seus parceiros humanos, em mais de 4.000 episódios de hiper ou hipoglicemia. Estas pesquisa, publicada on-line no dia 15 de janeiro no periódico PLOS One, mostrou que os cães – que passaram por um programa de treinamento rigoroso – alertaram os seus parceiros humanos em 83% dos episódios de hipoglicemia e em 67% dos de hiperglicemia. Quatro cães tiveram valor preditivo positivo (VPP) para detecção de episódios de glicemia alta ou baixa de 100%, e a mediana foi de 81%. Os pesquisadores dizem que um quarto dos pacientes com diabetes tipo 1 não percebem as suas alterações da glicemia, o que aumenta mais de sete vezes o risco de hipoglicemia grave. Além disso, o medo da hipoglicemia, especialmente à noite, pode fazer com que os pacientes manipulem os seus níveis de insulina de forma a manter a glicemia alta. Isto aumenta o risco das complicações causada pela hiperglicemia.

MDB pode deixar apenas vaga para Confucio disputar a federal

E ainda, Daniel Pereira é candidatíssimo à reeleiçã0

EMPULHAÇÃO – Vai começar a mesma empulhação em relação ao atual governador Daniel Pereira (PSB) que vinha sendo alimentada na imprensa em relação à saída do antecessor para disputar as eleições 2018. Daniel é candidatíssimo ao governo e vinha se movimentando nos bastidores nesse sentido. Conversou com vários dirigentes de partidos. Conheço vários relatos das conversas, tentando atrair força ao seu projeto de reeleição. Ainda é cedo para dizer que terá musculatura para avançar ao segundo turno, visto que não é uma liderança carismática – muito pelo contrário é sisudo e muitas das vezes grosseiro – e nunca foi muito bem nas eleições que disputou.

CANDIDATO – Dependerá do grupo político que Daniel Pereira conseguir reunir em torno desse projeto eleitoral e da habilidade para equacionar os interesses dos grupos antagônicos que atualmente gravitavam em torno do governo que acabou de renunciar.  Em condições normais – caso permanecesse como vice-governador – não seria candidato ao executivo estadual e, portanto, a empulhação não teria resistido à data de hoje. Sua viabilidade eleitoral vai depender do desempenho daqui para a frente e dos concorrentes que vão se habilitar nas eleições. Embora com a máquina a possibilidade da pré-candidatura é pule de dez.

SINDICATOS – Pela formação ideológica do novo governador, os sindicatos estão em êxtase com a possibilidade de avançar nas negociações salariais já que Daniel Pereira é oriundo do movimento sindical e dirigiu pelo menos dois dos mais importantes: Sintero e Sindsef. A prova de fogo do governante será atender aos interesses dos servidores da CAERD quanto aos salários atrasados e, ao mesmo tempo, decidir o que fazer com o ato do antecessor Confúcio Moura que no último dia como governador assinou um decreto  que dá início ao fim da companhia. Daniel não é (era) adepto da privatização, pelo menos enquanto respondia como dirigente sindical. Vai ser pressionado pelo Sindur a salvar a empresa,  o que não é uma tarefa fácil mesmo para quem tem a formação ideológica de centro esquerda.

APOSTA – Muito se comentou nos bastidores políticos sobre a coragem do ex-governador Confúcio Moura em permanecer no MDB, para disputar uma vaga senatorial, sabendo que o senador Valdir Raupp domina a estrutura partidária e também é pré-candidato à mesma vaga. A turma do emedebê ligada ao ex-governador aposta num revés judicial do senador no STF, haja vista que há um processo concluso para ser julgado na primeira Câmara Criminal. O problema é que mesmo que seja pautado em maio até as convenções (julho) os embargos não terão sido julgados a tempo de inabilitar o senador. Os demais inquéritos sequer foram conclusos e ninguém tem previsão de quando serão enviados ao MPF para formularem as denúncias. Já a turma dos militantes do partido ligado ao ‘barba’ confidencia em reservado que não há candidatura nata ao Senado, exceto a do chefe. A melhor aposta a fazer é que as relações entre estes dois grupos vão azedar à medida que se aproximar a convenção. Os adversários agradecem. Quem viver verá!

GUISO – Já há quem cogite, nas hostes do MDB, que seja concedida a Confúcio Moura apenas uma vaga para a Câmara Baixa. Restando tão somente quem se habilite na direção do partido informá-lo da decisão antes que ele (Moura) coloque o bloco na rua visando pré-candidatura para a Câmara Alta. A avaliação é de que o momento não é propício já que o ex-governador desfruta de uma certa popularidade, mas como o tempo é senhor da razão, assim que o novo governador colocar as unhas de fora, será o momento para pôr o guiso no ex-governador.

RETORNO – A indicação de Eurípedes Miranda – ex-deputado federal e ex-candidato ao senado pelo PT – para a Casa Civil foi um acerto do novo mandatário do governo. É uma pessoa experiente, ponderada e avessa ao deslumbramento. O governador necessitará muito da expertise de Miranda para frear o clima belicoso que ele próprio criou com os principais líderes da Assembleia Legislativa. Em particular com o presidente do Legislativo.

PAPAGAIO – Embora seja um político com credenciais para almejar disputar qualquer candidatura depois que administrou Ji-Paraná, o segundo colégio eleitoral estadual, com competência, Jesualdo Pires deveria evitar o excesso de exposição ao lado do governador Daniel Pereira. Em todos os atos ou eventos públicos o ex-prefeito cola no governador feito grude. Em breve vai desbancar Lindomar Garçon da condição de papagaio de pirata. Aí vira folclore o que será uma lástima para quem foi avaliado com um excelente alcaide.

ESPÓLIO – Para quem conhece o mínimo da legislação eleitoral sabe que é dificílimo Lula conseguir levar ao fim e ao cabo a candidatura a presidente da república por estar inelegível. No último discurso, antes de se entregar ao cárcere, ele deu a pista para onde deverá emprestar seu prestígio ao dizer que a partir de agora deixou de ser um simples mortal e passou a ser uma ideia. E a ideia é emprestar o espólio lulista a um petista próximo ao ex-presidente. Haddad pode ser o ungido.  

ESPARRELA – O troca troca de partidos que ocorreu até o último dia 7, pela janela casuística aberta pelo Congresso Nacional,muitos parlamentares aproveitaram para migrarem para as legendas menores na tentativa de escaparem da concorrência interna. Ocorre que nestas eleições. os filiados estão espertos e não querem servir de escada para eleger as velhas raposas e o troca troca pode ter sido uma armadilha para quem se achava esperto. Há deputado que se filou numa dessas legendas nanicas, o que afugentou outros interessados, e para alcançar o coeficiente eleitoral vai ser compelido a se coligar com seu ex-partido. Os nanicos não querem repetir a esparrela para atender os interesses dos espertalhões e, portanto, muita gente vai perder a eleição mesmo bem votado.

TEMPO – Os céus de Rondônia estão turvos para um especto político. O tempo indica nuvens carregadas…

Coluna – Confúcio amarela, tumultua o processo e joga Rondônia no caos

E ainda, vaiado, Hildon Chaves sobe mais um degrau rumo a impopularidade. Isequiel Neiva falou, falou e não fez, Espaço Alternativo continua inacabado

Irresponsabilidade

Mais que um mero jogo político, a decisão de Confúcio Moura em não deixar o cargo, conforme ele próprio havia combinado com seu vice Daniel Pereira, no dia 12 de março, afeta a vida de todos os rondonienses graças a atitude que podemos classificar de, no mínimo, irresponsável. Ao comunicar seu afastamento e dar carta branca à Pereira, o vice passou, em comum acordo com Confúcio, a fazer trocas na estrutura administrativa do Estado, que ele acreditava, resolveria alguns problemas, como a segurança pública.

Porém

Confúcio decidiu mudar de idéia como quem muda de camisa. No fim de semana, alegando sentir-se pressionado por deputados e pelo MDB, desistiu (extra-oficialmente) de ser candidato ao senado (ao menos por enquanto, vai que ele muda de idéia de novo) e nesta segunda, sem sequer fazer a gentileza de comunicar seu vice oficialmente, passou a desfazer o que Pereira tinha feito. Reempossou o exonerado Enedy Araújo e trocou o diretor do DER. Pior, vai enfrentar a greve da educação por pura falta de gente qualificada para dialogar com o sindicato.

LEIA A COLUNA COMPLETA NO POLÍTICO!!

Coluna – Confúcio deixa governo dia 12 de março; e o novo “jênio” do governo que foi condenado por fraude

É mais um que integra a longa lista de enganadores que passou pelo governo da cooperação; E ainda, Confúcio vai “trair de novo”

Antecipando

Daniel Pereira assume o comando do Estado dia 12 de março, data em que Confúcio Moura renuncia ao mandato. O governador pretende disputar uma das duas vagas ao Senado nas eleições desse ano. Confúcio só precisaria sair em abril, e a antecipação faz parte de uma estratégia para fortalecer Daniel Pereira e dar mais tempo para que ele possa “mostrar serviço” e se capitalizar para disputar o governo.

Com isso

Fica bem claro que Confúcio não anda nem um pouco preocupado com a candidatura de Maurão de Carvalho, a quem Moura deve sua permanência no governo. Com dezenas de irregularidades, escândalos e muita explicação faltando, não fosse a leniência do Legislativo, Confúcio Moura sequer estaria fechando esse segundo mandato. Ao invés de ajudar Maurão, o governador resolveu traí-lo na cara dura, assim como fez com Raupp e todos os demais membros do MDB.

Engodo

O governo de Confúcio é marcado pelo engodo e enganação, virou uma verdadeira “curva de rio” onde engancharam alguns profissionais na arte da enrolação e do papo furado. Outros se vendem como “gênios” de qualquer coisa, em qualquer área. Para quem não sabe ou não lembra, Confúcio arrastou para Rondônia, e envolveu em um grave escândalo, o ex-ministro “de coisa nenhuma” Mangabeira Unger, pagando passagens com recursos públicos, alugando um apartamento caríssimo para que ele usasse uma semana por ano porque não gosta de hotéis. Isso foi ainda no primeiro mandato de Confúcio. E nos últimos tempos, ele arrumou um pseudo-escritor-produtor-marqueteiro-gênio das redes sociais que atende pelo pseudônimo de “Augusto Branco”, mas se chama Nazareno Vieira de Souza. E não, não é o “Professor Nazareno”.

Agora olha essa

Nazareno Vieira de Souza, ou Augusto Branco Tagliani Arenhart, ou Rogerio Romeu Dias e Silva, ou Carlos Eduardo Silva Pontes, ou  Cassiano Bulhosa Feijó, ou Celso Gomes dos Reis e Wilson Moreira da Cruz são todos a mesma pessoa. Nazareno foi condenado em 2016, a 3 anos e 6 meses de prisão por ter criado 88 (isso mesmo, oitenta e oito) CPFs e RGs entre agosto e setembro de 2005, quando trabalhou na Caixa Econômica em São Paulo, para obtenção de financiamentos fraudulentos. Ele recorreu da sentença e a Justiça Federal reduziu para 3 anos. Para entender o golpe todo (a história é longa) CLIQUE AQUI e veja a sentença. E é essa pessoa, com esse histórico, que atualmente circula pelo governo de Rondônia como “novo gênio”.

“Mundialmente conhecido”

Chegado a “escrever poemas” ele se vende como “grande escritor, de projeção mundial”, e vem ocupando espaços em áreas do governo sensíveis, como a educação. Nazareno é irmão da secretária de Assuntos Estratégicos do governo, Rosana Cristina Vieira de Souza e eles andam com uns projetos daqueles que gastam muito dinheiro e nenhum resultado. Estão bolando um tal “Facescola”, e foi lá, pelo Facebook que Nazareno mostrou seus dotes. Nas eleições de 2014 ele foi condenado pela Justiça Eleitoral por ter criado uma página para atacar o então candidato Expedito Júnior e exaltar Confúcio Moura.

E é assim

Que o governo da enganação vem agindo desde sempre, sorrateiramente, dando espaço para pessoas com passado (e presente) extremamente duvidosos, que vão se criando. A última do Nazareno foi ter usado a página dp evento público Infoparty para promoção pessoal e familiar.

Para encerrar o assunto

Mais conhecido como Augusto Branco (um dos nomes que ele fraudou para obter financiamento), nome que ele usa para se vender como poeta, criou até uma historinha, “ele conta que o pseudônimo veio do tempo de escola, quando a professora sempre o confundia com um amigo de classe que se chamava Augusto. Então, certo dia a professora de Português pediu para que todos escrevessem um texto literário e assinassem com um pseudônimo. Ele não teve dúvidas, assinou Augusto Branco. ‘Eu só lembrei dos palhaços de Shakespeare, o Augusto e o Branco, que representam opostos da natureza humana, e assinei assim um de meus primeiros poemas’, recorda. E tem uns tontos que acreditam nisso.

Vai trair, de novo

Acir Gurgacz, apesar de toda sua complicada condição jurídica, afirmou que pretende ser candidato ao governo em 2018. Ele conta com a ajuda de Confúcio (assim como Maurão), mas pelo jeito o governador vai passar uma rasteira também em Acir. Confúcio tem duas opções, caso saia do MDB, o PSB de Mauro Nazif e o DEM, que ele estaria negociando para tomar o controle que atualmente está nas mãos de Marcos Rogério.

Vitaminadas

E teve início a divulgação de pesquisas eleitorais “vitaminadas”, com números confusos com o propósito de influenciar o eleitor. O que não faltam são números escandalosamente manipulados, que contribuem enormemente para o descrédito dos institutos.

Duas coisas

Que uma pessoa precisa ter em Brasília é um crachá (ou broche) e trânsito entre as autoridades. O crachá é conquistado ou por cargo na estrutura de um dos três poderes e o broche pelo voto. O trânsito é mais complicado, não basta ter o broche, tem que ter influência, conquistada com relações ao longo dos anos. Brasília é complicada, e quem chega de paraquedas não consegue passar da maioria das recepções. Prefeitos, vereadores e parlamentares estaduais que vem à capital federal em busca de recursos ou projetos, sentem isso na pele. Quando não estão acompanhados de algum parlamentar federal com trânsito, ficam nas longas filas.

É por isso

Que se torna tão necessário que os parlamentares federais sejam pessoas com mínimo preparo e clareza sobre o funcionamento da estrutura. Evidente que o eleitor, em sua grande maioria, não tem compreensão sobre as engrenagens que movem essa máquina complexa que é o Brasil, e cobram coisas simples de seus representantes, como a honestidade. Mas o problema é exatamente esse. Ao oferecer seu voto em troca de alguma vantagem pessoal, você já inicia o processo de forma corrompida, e o resultado a gente vê depois, imprensa massacrando políticos, justiça julgando com base na legislação e o povo sofrendo. Por isso lembre-se, por vezes, trocar o carro velho que você já conhece os enguiços por outro que você acha que é novo só porque recebeu uma pintura, nem sempre é uma boa idéia. Normalmente o motorista fica à pé. Não, não estou defendendo ninguém, apenas pedindo para você eleitor, prestar muita atenção às novidades que costumam surgir nesses períodos que antecedem as eleições.

Nove fatores que prejudicam o fígado

Ainda na ressaca das festas de fim de ano, férias e carnaval? Judiou do “figueiredo” com whisky, cerveja e muita feijoada né? De acordo com a revista “Health”, são nove os fatores que podem danificar a saúde do fígado e, por isso, desencadear de uma forma direta ou indireta vários tipos de doenças hepáticas. 1 – Obesidade, pois aumenta consideravelmente o número de células gordas no fígado, deixando-o incapaz de funcionar corretamente. 2 – Consumo regular ou diário de refrigerantes, péssimo hábito que aumenta a gordura no fígado. 3 – Ingestão constante de paracetamol, um remédio que, quando consumido em altas doses, pode causar falência hepática. 4 – Ingestão a longo prazo de esteróides anabolizante. 5 – Sofrer de hepatite B ou C, duas variantes da doença crônica que mais desencadeia câncer no fígado. 6 – Doenças hereditárias como a hemocromatose, caracterizada pela absorção elevada de ferro. Esta condição pode provocar cirrose ou uma potencial falência hepática. 7 – Doenças auto-imunes, que, por si só, levam o próprio organismo a atacar o fígado. 8 – Ser um fumante, pois este hábito não só aumenta o risco de cirrose, como também de câncer no fígado (e noutras partes do corpo). 9 – Consumir bebidas alcoólicas de forma exagerada faz com que as pessoas ganhem uma condição chamada de cicatrização do fígado, além de que aumenta o risco de cirrose e outras doenças hepáticas.