PF deflagra operação que investiga propina em Belo Monte

É a primeira fase ostensiva da operação solicitada pela Procuradoria-geral da República e autorizada pelo ministro Edson Fachin, novo relator da Lava Jato no STF

A Polícia Federal cumpre na manhã desta quinta-feira, 16, mandados de busca e apreensão expedidos pelo ministro Edson Fachin, novo relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Batizada de Leviatã, a operação tem como alvo o filho do senador Edison Lobão (PMDB), Márcio Lobão e Luiz Otavio Campos, ex-senador.

Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro/RJ, em Belém/PA e Brasília/DF, nas residências dos investigados e escritório de trabalho.

As buscas tem como objetivo aprofundar a investigação do Inquérito que apura pagamento de propina a dois partidos políticos, no percentual de 1% sobre as obras civis da Hidrelétrica de Belo Monte, por parte das empresas integrantes do consórcio construtor. Os principais envolvidos no esquema de repasse de valores aos agentes políticos são o filho do senador Edison Lobão (PMDB), Marcio Lobão e o ex-senador Luiz Otavio Campos.

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O nome escolhido pela PF se inspira na obra do filósofo político Thomas Hobbes. Nela ele afirmou que o “homem é o lobo do homem”, comparando o Estado a um ser humano artificial criado para sua própria defesa e proteção, pois se continuasse vivendo em Estado de Natureza, guiado apenas por seus instintos, não alcançaria a paz.

TSE inicia sessão que analisará registro de candidatura de Lula; acompanhe ao vivo

Defesa do petista esperava que Corte Eleitoral não julgasse o pedido nesta sexta-feira. Pauta extraordinária foi atualizada nesta tarde

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciou, pouco depois das 14h30 (horário de Brasília) desta sexta-feira (31/8), a sessão extraordinária convocada para analisar pedidos de registro de candidatura à Presidência, entre os quais o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lançado pelo PT à sucessão presidencial, mesmo preso em Curitiba desde abril.

A defesa do petista esperava que a Corte Eleitoral não julgasse o pedido nesta sexta, mas o tribunal atualizou a pauta e incluiu o processo, conforme a expectativa criada no meio político desde o anúncio da convocação de sessão extraordinária.

Para o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira, não seria uma apreciação igualitária, visto que o TSE abriu prazo para alegações finais para o candidato do PSL, Jair Bolsonaro e para o tucano Geraldo Alckmin. “Não seria um tratamento isonômico”, ponderou. O PT buscava ganhar tempo na Justiça e, enquanto o julgamento não fosse marcado, investia na articulação internacional a favor do ex-presidente e na mobilização com o objetivo de aumentar o poder de transferência de votos para o vice na chapa, Fernando Haddad.

ACOMPANHE:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ON1Qlbiqr2g]

Fonte: metropoles

 

Polícia Civil realiza operação contra esquema de financiamento de veículos operado por locadora em Porto Velho

Até o momento já foram identificados mais de 100 (cem) veículos, adquiridos, de forma fraudulenta, em quase todas das concessionárias da capital.

A Polícia Civil, através da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – DRACO, em parceria com a Delegacia Especializada de Repressão aos Furtos e Roubos de Veículos Automotores – DERFRVA, desencadeou na manhã desta quinta-feira Operação Akhav, para cumprimento de prisões e apreensões envolvendo esquema de financiamento em Porto Velho.

As equipes de policiais da DRACO, DERFRVA e DECCV cumprem mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal desta Comarca, sendo 6 em residências e 1 em empresa de venda e aluguel de veículos, todas localizadas em Porto Velho.

A ação desta manhã é resultado de uma investigação de cerca de 3 meses, e teve início a partir de uma denúncia anônima, recebida no “Disque 197 da Polícia Civil”, que dava conta da atuação de um grupo criminoso especializado em um esquema de estelionato praticado para fins de aquisição de veículos em uma concessionária da capital.

As diligências do SEVIC da DRACO confirmaram os fatos narrados na denúncia, chegando, inclusive, a identificar várias pessoas que teriam servido como “laranjas” para aquisição de veículos. Os estelionatários cooptavam, em sua maioria, egressos do sistema penitenciário, que forneciam documentação necessária para a viabilização dos contratos de financiamento. Após retirar o veículo da concessionária, o laranja recebia sua contrapartida, variando de R$ 3.000,00 a R$ 5.000,00, e imediatamente repassava o veículo para membros do grupo criminoso mediante procuração registrada em Cartório.

Além disso, ainda no início das investigações constatou-se a prática de outros crimes, conexos ao esquema de estelionato, já que os “veículos finan” estariam sendo deliberadamente fornecidos para outros criminosos os utilizarem em furtos e roubos ocorridos em nossa capital e outras localidades.

De início, acreditava-se que o aperfeiçoamento do esquema criminoso invariavelmente dependeria da participação de uma pessoa responsável pela “preparação” dos documentos para aprovação do financiamento em nome dos laranjas apresentados pela dupla para aquisição de carros. Entretanto, com a evolução da investigação, comprovou-se que, na verdade, os criminosos apenas se aproveitavam da fragilidade das próprias instituições financeiras quando da exigência de documentos para fins de financiamento de veículos automotores.

Até o momento já foram identificados mais de 100 (cem) veículos, adquiridos, de forma fraudulenta, em quase todas das concessionárias desta capital.

Segundo a Polícia Civil, apesar de em um primeiro momento, figurarem as instituições financeiras como vítimas imediatas dos golpes, a sociedade também é lesada, seja pelo desequilíbrio no mercado de venda e aluguéis de veículos, já que os criminosos se locupletariam sem arcar como os custos naturais – e legais – desse ramo do comércio, bem como pelos crimes patrimoniais praticados por criminosos com a auxílio material dos investigados, que alugavam os automóveis para que outros criminosos praticassem roubos e furtos em diversas localidades.

Entre os alvos desta fase da investigação, figuram a dupla de criminosos JAMES F.S. e RAILTON L.S.A que já foram presos e indiciados na “Operação Apocalipse”, deflagrada, em 2013, pelo extinto GCCO/PC/RO. Entre os diversos crimes descobertos na época, foi apurado um esquema milionário de estelionato envolvendo aquisição, dentre outros bens, de imóveis e veículos automotores.

A denominação da operação remete à história de Jacó, em hebraico Yaakhov, que vem do verbo akhav, que significa “suplantar”, “tomar pelo calcanhar”. No dicionário Aurélio, por sua vez, define “suplantar” como “meter debaixo dos pés, prostrar, levar vantagem”.

Fonte: rondoniagora

FGV divulga gabaritos do concurso da ALE/RO; confira

As avaliações foram aplicadas no último domingo, dia 26 de agosto e contou com 36.182 inscritos.

O certame foi divulgado com 110 (cento e dez) vagas para os cargos de Assistente Legislativo, Analista Legislativo, Consultor Legislativo e Advogado da Assembleia . As avaliações foram aplicadas no último domingo, dia 26 de agosto  e contou com 36.182 inscritos.

Clique aqui e confira as provas e os gabaritos das respostas.

Suspeita de fraude

Uma mulher foi detida no último domingo, 26 de agosto, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio João Bento da Costa, localizada na Zona Sul da capital, suspeita de tentar fraudar o concurso da Assembleia Legislativa de Rondônia (Concurso da Assembleia Legislativa ALE-RO).

A suspeita foi levada até a coordenação do concurso na Escola, onde entregou os dois celulares. Em um deles, foi constatada a filmagem.

 

Aécio Neves desiste de reeleição ao Senado e vai ser candidato a deputado federal

Em nota, senador afirma que desistência tem “objetivo de ampliar o campo de apoio à candidatura do senador Antonio Anastasia” ao governo de Minas

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) desistiu de disputar a reeleição ao Senado e anunciou na tarde desta quinta-feira, 2, que vai disputar uma vaga de deputado federal por Minas Gerais.

A decisão foi comunicada em nota distribuída à imprensa. “Com o objetivo de ampliar o campo de apoio à candidatura do senador Antonio Anastasia, informei a ele hoje a decisão pessoal de não disputar, este ano, a eleição para o Senado, colocando meu nome como pré-candidato à Câmara dos Deputados.”

Na nota, o senador disse ainda que essa não foi uma decisão fácil. “Farei isso em respeito à minha trajetória política, à minha família e a todos que me levaram a conduzir o que muitos consideram o mais exitoso governo da nossa história recente.”

Aécio vinha sendo pressionado por tucanos e até por aliados a desistir da disputa pela reeleição. Ele não participou de nenhuma atividade de pré-campanha do senador Antonio Anastasia, que é candidato ao governo de Minas pelo PSDB.

O senador declarou que sua decisão tem o objetivo de fortalecer a candidatura de Anastasia e lembrou que foi presidente da Câmara dos Deputados durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). “A gravidade da situação do nosso Estado exigirá uma bancada forte e unida na defesa dos interesses de Minas no Congresso e junto ao governo federal”, afirmou.

Aécio enfrenta vários processos decorrentes das investigações da Operação Lava Jato. Em abril de 2018, ele se tornou réu no Supremo Tribunal Federal, sob a acusação de ter recebido propina de R$ 2 milhões do empresário  Joesley Batista, da JBS. O senador também é alvo de outros cinco processos, instaurados após ter sido citado por delatores da Odebrecht.

“Todos conhecem os ataques violentos e covardes de que tenho sido alvo. Diariamente as falsas versões engolem os fatos”, afirmou o senador. “Mas apesar de todas as injustiças, estou seguro de que, ao final, a verdade prevalecerá e com ela restará provada a correção de todos os meus atos’, disse.

Com decisão do senador de não disputar a reeleição, o PSDB deve preencher as vagas ao Senado na chapa de Anastasia com o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Dinis Pinheiro (Solidariedade) e o jornalista Carlos Viana (PHS). Ainda existe a expectativa por parte de aliados de Aécio de conseguir atrair o pré-candidato ao governo mineiro, Rodrigo Pacheco (DEM).

A seguir, a íntegra da nota:

Belo Horizonte, 02 de agosto de 2018

Caras amigas e caros amigos,

Nos últimos 30 anos, seja no Congresso Nacional ou à frente do governo do nosso Estado, dediquei minha vida a defender os interesses de Minas e dos mineiros.

Por isso, nos últimos meses, refleti muito sobre qual a melhor forma de contribuir para que Minas supere a dramática situação que enfrenta hoje e reencontre o caminho do desenvolvimento econômico e social vivenciado nos anos em que governamos o Estado.

Com o objetivo de ampliar o campo de apoio à candidatura que melhor atende ao projeto de reconstrução de Minas, a do senador Antonio Anastasia, informei a ele, hoje, minha decisão pessoal de não disputar, este ano, a eleição para o Senado, colocando meu nome como pré-candidato à Câmara dos Deputados, Casa que já presidi e onde, como líder partidário, à época do governo Fernando Henrique, ajudei a implementar algumas das principais reformas feitas no Brasil contemporâneo.

A gravidade da situação do nosso Estado exigirá uma bancada forte e unida na defesa dos interesses de Minas no Congresso e junto ao Governo Federal.

Estou certo de que poderei contribuir para isso.

Não foi, como podem imaginar, uma decisão fácil.

Por um lado, porque todas as pesquisas realizadas até aqui apontam meu nome entre os mais bem avaliados na disputa para o Senado.

Por outro, porque estão vivas na minha memória as inúmeras manifestações de estímulo que tenho recebido de lideranças dos mais variados setores e de todas as regiões de Minas.

Mas tomo essa decisão com a responsabilidade daqueles que sempre colocaram os interesses de Minas acima de qualquer projeto pessoal. Os que me conhecem sabem que foi assim que sempre agi e assim continuarei agindo.

Meus amigos,

Todos conhecem os ataques violentos e covardes de que tenho sido alvo. Diariamente as falsas versões engolem os fatos. Mas apesar de todas as injustiças, estou seguro de que, ao final, a verdade prevalecerá e com ela restará provada a correção de todos os meus atos.

Até lá, estarei lutando para que a verdade prevaleça.

Farei isso, em respeito à minha trajetória política, à minha família e a todos que me levaram a conduzir o que muitos consideram o mais exitoso governo da nossa história recente.

E farei isso, especialmente, em respeito a todos aqueles que sempre me honraram com a sua confiança.

Continuarei minha caminhada com o mesmo entusiasmo e determinação, e movido pelo mesmo sentimento que, há tantos anos, me trouxe para a vida pública: o amor a Minas e aos mineiros.

Aécio Neves

Presidente do TSE afirma em processo que Lula está inelegível

Fux, entretanto, rejeitou impugnação prévia do ex-presidente

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luiz Fux, considerou ontem (1º) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está inelegível. A afirmação do ministro consta na decisão na qual ele rejeitou um pedido de um cidadão para barrar a candidatura do ex-presidente antes mesmo do período de registro, que termina em 15 agosto.

Embora tenha rejeitado o pedido do advogado por entender que o profissional não pode contestar o registro de candidatura, Fux reconheceu a inelegibilidade, mas disse que não pode decidir sobre a questão.

“Não obstante vislumbrar a inelegibilidade da chapa do requerido, o vício processual apontado impõe a extinção do processo”, decidiu Fux.

Lula é pré-candidato à Presidência da República, mas pode ser barrado pela Lei da Ficha Limpa devido à condenação na segunda instância. No entanto, a inelegibilidade não é automática, e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) precisa analisar o pedido para Lula concorrer. De acordo com o PT, o pedido de registro será feito no dia 15 deste mês, último dia previsto no calendário eleitoral.

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na segunda instância da Justiça Federal, o que o enquadra nos critérios de inelegibilidade da Lei da Ficha Limpa. Ele recorre em instâncias superiores contra a condenação.

Fonte: agenciabrasil

PC-RO prende vereadores, secretários e suspeitos de mandar matar radialista Hamilton Alves

As prisões estão sendo efetuadas na manhã desta segunda-feira; autoridades suspeitas de matar radialista estão presas.

A Policia Civil de Rondônia, através da Delegacias de Homicídios de Ji-Paraná e de Jaru, com o apoio do Ministério Público, deflagraram nesta segunda-feira (30) a Operação “Abrindo o Jogo”, e neste momento estão sendo cumpridos 10 mandados de prisão e 15 mandados de busca.

Dentre os presos há vereadores, secretária de Educação e empresários do município de Governador Jorge Teixeira e Jaru. O crime está relacionado a tentativa de homicídio do radialista Hamilton, ocorrido dia 20 de abril de 2018, além de corrupção, associação criminosa, peculato, fraude a licitação, envolvendo o transporte escolar.

Quase 100 policiais civis das cidades de Ji-Parana, Jaru, Cacoal, São Miguel, São Francisco, mirante da serra, Ouro Preto do Oeste, Ministro Andreazza, Rolim de Moura, participam da Operação.

O radialista sofreu uma emboscada no dia 20 de abril, praticada por dois homens em uma motocicleta, e ser atingido por vários tiros, Hamilton Alves, que apresenta o programa Abrindo o Jogo pela Rádio Nova Jaru FM (94,1) foi socorrido ao HM de Jaru, recebeu os primeiros socorros, foi entubado momentaneamente, e foi necessária a transfusão de três bolsas de sangue antes de ele ser removido para a Capital do Estado, ao Hospital João Paulo II.

O radialista foi atingido por vários disparos, perdeu o controle da caminhonete Chevrolet S10, bateu o veículo, o pistoleiro que efetuou os disparos com uma pistola.380 desceu da motocicleta e se dirigiu para assegurar a execução da vítima, porém um policial militar à paisana que transitava pela BR-364 surgiu na cena do crime e afugentou os criminosos.

Ele foi atendido ainda no local por uma equipe composta de quatro médicos de Porto Velho que estavam em trânsito viajando com destino a Rolim de Moura. Os médico pararam e realizaram os procedimentos corretos, e acompanharam o radialista até o Hospital Municipal de Jaru.

Fonte: correiocentral

O que é a ‘Momo do WhatsApp’ e quais são os riscos que ela representa?

Autoridades e especialistas advertem que pode ser algo muito mais sério do que uma simples distração online

Ela se chama Momo e sua aparência é aterrorizante: olhos esbugalhados, pele pálida e um sorriso sinistro. Sua imagem ficou famosa pelo WhatsApp, disseminada como um desafio viral. Mas autoridades e especialistas advertem que pode ser algo muito mais sério do que uma simples distração online.

“Tudo começou em um grupo de Facebook onde os participantes eram desafiados a começar a se comunicar com um número desconhecido”, publicou no Twitter a Unidade de Investigação de Delitos Informáticos do Estado de Tabasco, no México.

“Vários usuários disseram que, se enviassem uma mensagem à Momo do seu celular, a resposta vinha com imagens violentas e agressivas. Aliás, há quem afirme que teve mensagens respondidas com ameaças.”

O fenômeno se estendeu por todo o mundo, da Argentina aos Estados Unidos, França e Alemanha.

Não está claro o quão disseminado o jogo está no Brasil, mas Rodrigo Nejm, da ONG Safernet, alerta para os riscos. “É mais uma isca usada por criminosos pra roubar dados e extorquir pessoas na internet”, diz.

Nejm diz que sua organização já foi procurada por pais e educadores preocupados com o jogo, mas ainda não recebeu nenhuma denúncia específica.

A BBC News Brasil procurou o Ministério da Justiça e a Polícia Federal para saber se há alguma investigação em andamento ou providência sendo tomada, mas não houve resposta.

A Polícia Nacional da Espanha também fez alertas sobre o assunto, reforçando que “é melhor ignorar desafios absurdos que entram na moda no WhatsApp”.

A Guarda Civil do país disse no Twitter: “Não entre no ‘Momo’! Se gravar o número na sua agenda, vai aparecer um rosto estranho de mulher. É o mais recente viral de WhatsApp a entrar na moda entre os adolescentes.”

Mas apesar das advertências, ainda há muita confusão. Quem é Momo, de onde saiu e por que temos que prestar atenção nisso?

De onde vem o jogo Momo

A internet está cheia de perguntas sobre Momo.

No Reddit, alguém perguntou em inglês há apenas uma semana: “Quem é Momo, a menina do WhatsApp? Encontrei há pouco um vídeo que dava medo. Acho que é uma brincadeira elaborada, mas não tenho certeza”.

Esta foi a resposta mais votada: “Alguém de um país de língua espanhola tirou a foto, criou uma conta de WhatsApp e espalhou os rumores para contactar a Momo. Dessa conta, envia mensagens e imagens inquietantes a quem escreve para ela. Em algumas, insinua que tem informações pessoais sobre a pessoa.”

A Momo interage com quem escreve para ela através do WhatsApp, às vezes, de um número mexicano

O youtuber ReignBot, que tem mais de 500 mil inscritos em seu canal, publicou um vídeo visto por milhões de pessoas em que explica que é difícil encontrar o usuário de WhatsApp que criou a Momo, mas sabe-se que está vinculado a pelo menos três números de telefone que começam com 81, código do Japão, e dois latino-americanos, um da Colômbia (52) e outro do México (57).

Talvez por isso a Momo tenha ficado especialmente conhecida na América Latina.

Segundo o especialista Rodrigo Nejm, há cada vez mais números se espalhando com a Momo.

A origem da imagem é japonesa. Pertence a uma escultura de uma mulher-pássaro que foi exposta em 2016 numa galeria de arte em Ginza, um luxuoso distrito de Tóquio, e que fez parte de uma exposição sobre fantasmas e espectros.

As fotos foram tiradas de uma conta do Instagram, explicam as autoridades mexicanas.

Os riscos do jogo Momo

Mas por que o jogo é perigoso? Qual é o problema de escrever para um número desconhecido no WhatsApp?

Os investigadores mexicanos citam cinco possíveis razões:

  • roubo de informações pessoais
  • incitação ao suicídio ou à violência
  • assédio
  • extorsão
  • transtornos físicos e psicológicos (ansiedade, depressão, insônia etc.)

“Lendas urbanas existem desde sempre, e com a internet isso não mudou. Criminosos aproveitam para surfar essa onda”, diz Rodrigo Nejm.

Os especialistas em crimes cibernéticos aconselham a não fomentar a cadeia de mensagens e não contactar números desconhecidos para evitar cair em fraude, extorsão ou outro tipo de ameaça.

Dar seu número a um estranho pela internet nunca é uma boa ideia.

O que os pais podem fazer

“Pais devem orientar seus filhos de que é mais um golpe e deixar claro para eles que é importante proteger seus dados pessoais na internet”, diz Nejm.

“Ter domínio do aparelho não significa ter maturidade para reconhecer situações de perigo.”

Nejm diz que, se alguém estiver “conversando” com a Momo e ela pedir algo indevido – se houver uma extorsão ou um pedido de foto, por exemplo -, deve-se salvar a conversa e procurar uma autoridade. Ele adverte que não basta dar “print” na conversa. É preciso exportar a conversa para nós mesmos. O WhatsApp tem uma ferramenta que permite isso.

Ele também sugere que pais consultem o canal de ajuda da ONG, canaldeajuda.org.br, que orienta as pessoas sobre o que fazer em situações de violência online.

Momo é o novo ‘Baleia Azul’?

Alguns comparam o fenômeno Momo com o “Baleia Azul”, um desafio que se tornou viral em abril de 2017 e sobre o qual as autoridades levantaram alertas porque incitava o suicídio.

Assim como Momo, se disseminou rapidamente pela internet e as redes sociais.

Os primeiros casos foram registrados na Rússia, mas o jogo chegou ao Brasil, México, Colômbia e outros países.

Alguns comparam a Momo com o `Baleia Azul`, um desafio que se tornou viral em abril de 2017 e sobre o qual as autoridades alertaram porque incitava o suicídio.

No caso da Momo, seu principal meio de disseminação é o WhatsApp, mas também se popularizou através do jogo Minecraft, que tem mais de mil jogadores por dia.

Fonte: bbc

‘Quero olhar nos olhos dele primeiro’: Janaína Paschoal e a indecisão sobre ser vice de Bolsonaro

Em viagem de última hora para participar do lançamento da candidatura presidencial do deputado, no Rio, advogada diz que não é “aderente” e mostra preocupação com caixa 2.

Às 8:30h da manhã desse domingo, em um táxi no qual se deslocava do aeroporto ao centro do Rio de Janeiro, a advogada Janaína Paschoal trocava seu sapato baixo por um alto – em tom róseo que combinasse com seu vestido – e se preparava para estar frente à frente com o deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) pela primeira vez na vida.

“Como posso estar decidida se nunca olhei nos olhos dele? Quero olhar nos olhos deles. Estou indo conhecer. Vamos conversar”, dizia, sobre a possibilidade de ser indicada como vice na chapa do PSL ainda neste domingo, na Convenção Nacional do partido que chancelaria Bolsonaro como o candidato do partido ao Planalto nas eleições 2018.

Depois de ganhar notoriedade, em 2015, ao longo do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, de cujo pedido foi autora, Janaína viu a pressão pública sobre si se intensificar de novo na última quinta-feira – após o senador Magno Malta, do PR, e o General Heleno, do PRP, declinarem do posto de vice de Bolsonaro e sepultarem as possibilidades de coligação dos seus partidos com o PSL.

“(Interlocutores do Bolsonaro) me ligaram na quinta à noite. A sexta foi um inferno de indefinição. E ontem compramos passagens pra vir pra cá”, contou Janaína à BBC News Brasil.

Sua primeira reação às sondagens foi a negativa – não queria correr o risco de se mudar para Brasília ou expor a família. “Eu nunca nem tinha pensado sobre isso, é tudo tão prematuro”, diz ela, que se filiou ao PSL no “puro feeling”, em 7 de abril – o último dia permitido pela Justiça Eleitoral para quem quisesse se candidatar ainda em 2018.

“Não tinha amigos no partido nem nada, achei que tinha a ver. Mas nem sabia se queria mesmo me candidatar a algo”, afirma a advogada.

Mas os contatos do partido não pararam desde o fim da semana passada. “Praticamente colocaram uma arma na cabeça dela”, diz, em tom de piada, um dos envolvidos na negociação.

Janaína Paschoal e Jair Bolsonaro se encontram pela primeira vez na vida durante a Convenção Nacional do PSL, no Rio de Janeiro, que vai lançar a candidatura do militar à Presidência

Como foram as sondagens do partido de Bolsonaro a Janaína Paschoal?

A cadeia de reveses da semana ameaçavam levar a campanha do ex-capitão do Exército a lançar a candidatura em meio a uma agenda negativa. Para tentar chegar ao evento com sucesso em sua missão de obter um vice, Bolsonaro escalou o presidente do partido, o advogado Gustavo Bebianno, para escoltar Janaína de São Paulo ao Rio.

“Janaína! Que saudade, não te vejo desde o impeachment! Que bom que vai ser nossa vice”, a cumprimentou uma militante quando Janaína chegou ao Centro de Convenções Sulamerica, onde ocorre o lançamento da candidatura de Bolsonaro neste domingo.

Celular em punho, a militante rapidamente registrou o encontro em uma selfie. Janaína aceitou a foto sorridente, mas esclareceu: “ainda não está nada definido”, para desânimo da militante.

Os interlocutores de Bolsonaro que procuraram a advogada indicaram à ela que, caso aceitasse a vice-candidatura, teria que submeter seus pontos de vista aos do candidato, movimento que ela se diz impossibilitada de fazer. “Eu não sou aderente, minha força no processo de impeachment veio porque fui autêntica”, disse, atribuindo ao traço de personalidade seus problemas políticos na Faculdade de Direito da USP, onde é professora.

Presença de Janaína pode reduzir rejeição de Bolsonaro entre mulheres

Na antessala da reunião com o deputado, Janaína se perguntava sobre qual seria seu papel “nesse processo”. Ela sabia que sua presença na campanha poderia diminuir a rejeição do Bolsonaro junto ao eleitorado feminino, uma das principais fragilidades de Bolsonaro.

Segundo a última pesquisa Ibope sobre as eleições presidenciais, realizada entre 21 e 24 de junho, Bolsonaro lidera a corrida eleitoral em cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – atinge 17% de intenção de voto, 24% entre homens e apenas 10% entre as mulheres.

Embora seja contra a legalização do aborto, Janaína é comedida ao falar de questões de gênero, diferentemente de Bolsonaro. Em entrevista ao jornal O Globo publicado neste domingo, ele afirmou sobre as pautas feministas: “não estou preocupado com movimento de mulher com braço cabeludo. Quer depilar, depila. Não quer, não depila”.

“Vou apoiá-lo com certeza esse ano. Não sei se como vice ou não. Mas isso não quer dizer que eu concordo com tudo o que ele fala”, disse Janaína, que mais tarde seria fortemente aplaudida pelos 2,5 mil militantes que compareceriam ao ato de lançamento.

Sua principal preocupação, no entanto, é com corrupção. “Ainda não vi nada de caixa 2 nessa campanha. Conversei com um empresário que disse que ofereceu dinheiro e o Bolsonaro não pegou, achei bom. Mas se voce souber de alguma coisa, ‘pelamordedeus’, me avisa”, pediu à reportagem, antes de sumir por trás da porta da sala vip, onde se encontraria com Bolsonaro.

Enquanto isso, Bebbiano declarava aberta a Convenção Nacional, para uma plateia ainda vazia, sob o jingle “muda Brasil, muda Brasil, muda de verdade, Bolsonaro com amor e com coragem”.

Fonte: bbc

Dentistas voluntários de SP montam consultórios em barco para atender indígenas e ribeirinhos em RO

Equipe é formada por 40 profissionais especializados que vieram do Sudeste para a Região Norte. Doutores sem Fronteira surgiu em 2014 durante a enchente do Rio Madeira.

Um grupo de dentistas de São Paulo montou vários consultórios dentro de um barco para atender comunidades indígenas e ribeirinhas isoladas em Rondônia, tudo de forma voluntária. Esta é a primeira vez que a grande estrutura foi montada em um barco. Seis alas odontológicas foram montadas com equipamentos super modernos.

A equipe é formada por 40 profissionais especializados, que, até o final de julho, deixam os consultórios e outras atividades em São Paulo para cuidar de outros sorrisos a mais de 3 mil quilômetros de distância.

A falta do dente da frente, para o professor José Oro Nao, sempre foi considerado um problema. Além da estética, a falta do dente dificultava na dicção durante as aulas.

“Às vezes você fala a palavra errada. Com o dente não sai muito o ar. Agora ficou legal, gostei”, disse.

Já a Aldeneide Oro Nao se emocionou quando olhou no espelho após o tratamento. “Parabéns pra vocês que vieram fazer o trabalho aqui conosco, muito obrigada. Agradeço a vocês”, comentou

Um dos equipamentos usados no atendimento foi doado por uma empresa alemã. Com o aparelho, os profissionais escaneiam a boca do paciente e, após isso, a arcada dentária em 3D surge no computador. Segundo o grupo, em 10 minutos o dente de porcelana já está pronto.

Quando se trata das crianças o trabalho fica mais difícil. A maioria nunca foi a um dentista, segundo o grupo de voluntários. Um dos atendimentos resultou na extração de quatro dentes de leite de uma bebê de apenas um ano.

A dentista Maria Barreto Lima, uma das voluntárias, garante que fazer parte da causa gera muita felicidade, mas, ao mesmo tempo, um sentimento de revolta vem com a situação atual do país.

Projeto

Os Doutores sem Fronteira surgiram em 2014, durante a cheia histórica do Rio Madeira, em Porto Velho.

O doutor Caio Machado, que conheceu as comunidades indígenas e ribeirinhas quando era estudante de odontologia, se juntou com outros dois profissionais para ajudar as comunidades durante a cheia. Ao se apaixonarem pela causa, fundaram a Organização Não Governamental (ONG).

Atualmente 120 profissionais voluntários fazem parte da causa. “Eu acredito que nós, como profissionais da saúde, temos o dever a obrigação de ajudar. A odontologia foi criada pra salvar, pra curar. Em atuação como esta, nós descobrimos o verdadeiro valor da nossa profissão”, afirma Caio, presidente da Associação Doutores sem Fronteira.

Fonte: g1