MP denuncia “fantasmas” que invadiram prefeitura do Novo Gama(GO)

MP denuncia “fantasmas” que invadiram prefeitura do Novo Gama(GO)

Três ex-secretários foram denunciados por furto qualificado. Cobertos por lençóis, eles levaram computadores e impressoras da administração.

O promotor de Justiça Walter Tiyozo Otsuka ofereceu denúncia contra os ex-secretários de Novo Gama Adriano Marques Tavares, Carlos Alarcon Cartaxo Martins e Dean André Ferreira da Silva pelo furto qualificado de um computador, três impressoras e um microcomputador da prefeitura municipal. Em 31 de dezembro de 2016, véspera do ano-novo, eles cometeram um crime que teve repercussão nacional, uma vez que entraram na sede da administração cobertos por lençóis.

De acordo com a denúncia, pouco antes da meia-noite, os três combinaram de subtrair bens da prefeitura. Dean ficou incumbido de distrair o vigilante, enquanto Adriano e Carlos entraram na sede do Executivo.

Ex-secretários furtam prefeitura vestidos de fantasma

Ex-secretários furtam prefeitura vestidos de fantasma

O crime aconteceu nos primeiros minutos do dia 1º de janeiro; ex-servidores arrombaram gabinete do prefeito para ‘levar uma recordação’ do local.

Dois ex-secretários da prefeitura municipal de Novo Gama, em Goiás, se apresentaram à polícia nesta segunda-feira após imagens da câmera de segurança flagrarem dois homens vestidos de fantasmas invadindo a prefeitura e furtando objetos nos primeiros minutos do dia 1º de janeiro.

Os ex-servidores são Carlos Alarcom Cartaxo Martins, ex-secretário de Transportes, e Adriano Marques Tavares, ex-chefe da secretaria de Desporto, Lazer e Turismo. Em depoimento, Tavares afirmou que, durante as festas de final de ano, eles beberam muito e decidiram ir até a prefeitura com lençóis sobre o corpo para “assustar os guardas”. Na data, havia apenas um guarda no local que alegou, em depoimento, não ter visto a dupla ou ouvido barulhos suspeitos.

De acordo com delegado Felipe Guerrieri, responsável pelo caso, Martins não quis se pronunciar durante o depoimento. “O Adriano afirma que, por conta das festas de final de ano, eles acabaram bebendo demais e, quando já estavam dentro da prefeitura, decidiram levar ‘uma recordação’ do gabinete do prefeito. Eles arrombaram a sala e levaram uma impressora do local”, afirma o delegado.

A prefeitura, no entanto, informou que outras três impressoras, dois computadores e outros objetos também “sumiram” do gabinete. As investigações em andamento e os ex-servidores ainda não foram indiciados. Após prestarem depoimento, eles foram liberados já que não havia mandado de prisão expedido e não houve flagrante.

Fonte: veja.com