Expedito diz que Maurício não será vice decorativo

Jovem vereador fala dos avanços obtidos na Câmara em pouco mais de um ano de gestão

Da assessoria – Ao participar na noite de terça-feira (21), da inauguração do comitê eleitoral da candidata à reeleição, deputada Mariana Carvalho, o candidato a governador pela coligação “Rondônia, esperança de um novo tempo”, Expedito Junior (PSDB) disse que seu candidato a vice, o presidente da Câmara Municipal de Porto Velho, vereador Maurício Carvalho (PSDB), não será um vice figurativo.

Segundo Expedito, Maurício terá que desempenhar importantes funções junto aos municípios, principalmente com relação às demandas da capital que conhece muito bem. “Até por sermos do mesmo partido, temos uma afinidade de ideias muito grande”, observou Expedito.

Maurício disse que seu sonho era concorrer a deputado estadual, mas que para fechar a composição da chapa majoritária, aceitou o pedido de Expedito. Maurício foi eleito vereador logo em sua estreia na política, em 2016, com quase três mil votos. Foi escolhido presidente da Câmara por 18 dos 21 vereadores e à frente do parlamento municipal vem colhendo os melhores de resultados de uma administração austera e de parceria com os servidores da casa.

Aos 30 anos, completados em junho último, Maurício diz que teve que vencer a desconfiança, tanto por ser considerado muito jovem para dirigir o parlamento, quanto por ser um iniciante na política, embora conviva no meio desde criança, vez que seu pai, Aparício Carvalho foi vereador, deputado federal, vice-governador e sua irmã, Mariana Carvalho, militante no partido tucano desde os 16 anos, está em busca de seu segundo mandato na Câmara dos Deputados, onde exerce a função de segunda secretária da Mesa.

“Tive que mostrar minhas qualidades e provar aos céticos que eles estavam errados”, avalia. Com uma gestão transparente e responsável, Maurício vem contabilizando importantes resultados, como o saneamento de dívidas da Câmara, cujo valores chegavam a quase R$ 2 milhões; pôs em votação projetos que ajudaram a destravar o município e ainda concluiu uma negociação salarial com os servidores, já em seu primeiro ano à frente do Legislativo, quando conseguiu viabilizar um reajuste de 11,7%.

O jovem dirigente da Câmara também aproximou o Legislativo da população, por meio de sessões itinerantes nos distritos de União Bandeirante, Nova Califórnia e Jacy-Paraná e mais recentemente implantou um programa de aposentadoria incentivada, que contou com a adesão de 25 dos servidores mais idosos. “Isso vai nos permitir a renovação do quadro. Ainda neste ano vamos fazer um concurso público para a contratação de novos servidores”, anunciou.

Expedito anuncia duplicação da RO-010 e regionalização da saúde no interior

Candidato inaugurou comitês com grandes festas na zona da mata e cone sul do Estado

Da assessoria – Ao lançar sua campanha e inaugurar comitês no último fim de semana pelo interior do Estado, o candidato a governador pela coligação “Rondônia, esperança de um novo tempo”, Expedito Junior (PSDB/PSD/Democratas/PRB), anunciou medidas pontuais para atender a necessidade de cada região, numa demonstração prática do que vem afirmando em seus discursos: que aproveitou os últimos dez anos para se reciclar, estudar os problemas do Estado e propor as melhores soluções.

Em Rolim de Moura, onde esteve na manhã de domingo (19), acompanhado de seu candidato a vice, Maurício Carvalho e do candidato ao Senado, deputado federal Marcos Rogério, ao inaugurar o comitê eleitoral disse em seu discurso que uma das medidas prioritárias de seu governo, caso eleito, será a duplicação da RO-010, rodovia que liga Rolim de Moura a Nova Brasilândia, numa extensão de 60km, onde se registra alto índice de acidentes automobilísticos.

“Aqui é minha casa, onde já fiz bastante por Rolim de Moura, mas o muito que eu fiz ainda é pouco. Sei que posso fazer muito mais e investir em melhoria das condições das estradas é, sobretudo, salvar vidas”, destacou.

Ainda no domingo, já a noite, Expedito fez o lançamento da campanha em Vilhena, onde destacou em seu discurso a necessidade de se investir na construção de um hospital regional, de forma que o município possa se tornar um polo e uma referência em saúde no cone sul.

Além de Vilhena, o cone sul e formado por outros seis municípios (Colorado do Oeste, Cerejeiras, Pimenteiras, Cabixi, Corumbiara e Chupinguaia), além de comunidades, como o distrito de Planalto São Luiz, cujos moradores poderão recorrer a Vilhena em casos que exijam atendimento de alta complexidade.

Na segunda-feira (20), ao percorrer os municípios de Colorado, Cerejeiras e Cabixi, região grande produtora de grãos, principalmente soja, Expedito falou de seus projetos para fomentar o agronegócio, garantir as boas condições de trafegabilidade nas estradas estaduais o ano todo e anunciou ainda que buscará estreitar a relação com a Embrapa, de forma a levar mais tecnologia ao setor produtivo. “Juntos, vamos transformar Rondônia em uma grande geradora de empregos e uma potência econômica”, instigou.

Na segunda-feira (20) a noite Expedito e Maurício Carvalho fizeram o lançamento da campanha em Guajará-Mirim, onde se reuniram lideranças de toda a região, inclusive de Nova Mamoré. O candidato ao governo de Rondônia retornou a Porto Velho por volta das 10h30 desta terça-feira (21), onde, nesta tarde, participa de reuniões organizadas por candidatos a deputado em bairros da capital.

Expedito lança campanha em Ariquemes, “não serei um governo da mesmice”

Evento estava repleto de servidores, produtores, empresários, lideranças políticas e comunitárias

Da assessoria – Durante lançamento de sua campanha rumo ao governo, na noite de sexta-feira (17) em Ariquemes, o candidato da coligação “Rondônia, esperança de um novo tempo!”, Expedito Junior, disse que não se permitirá ser um “governo da mesmice”. Segundo ele, os dez anos que ficou sem mandato eletivo, foram ocupados com muito estudo sobre os problemas do Estado e as melhores soluções em todas as áreas.

Num evento repleto de público, com a presença de servidores, empresários, produtores rurais, prefeitos, vereadores e lideranças políticas e comunitárias, Expedito reafirmou sua disposição em romper com a mediocridade que tem marcado as gestões do Estado.

“Gente, seu sou obrigado a fazer um governo diferente. Eu não posso ser a mesmice. Eu não tenho idade para isso, eu tenho idade para fazer um governo responsável. Eu fiquei dez anos fora da política. Nestes dez anos, eu estava me reciclando, estava andando por Rondônia, estava analisando, pensando Rondônia, verificando os problemas e buscando soluções”, disse.

O candidato tucano citou a educação como um dos setores que precisa de uma “chacoalhada”. Segundo ele, os investimentos no setor vêm crescendo na medida em que cresce a receita, no entanto, os resultados não acompanham a evolução dos gastos. Em 2014, o gasto anual por aluno era de R$ 4,45 mil. Em 2017, subiu para R$ 5,75 mil, entretanto, o Estado não conseguiu cumprir as metas do Ideb em nenhum dos últimos quatro anos.

Expedito falou ainda sobre a política de incentivo à produção, na qual investirá sobretudo na assistência técnica e na articulação com os bancos oficiais para facilitar o financiamento a pequenos, médio e grandes produtores. Também reafirmou o compromisso de criar hospitais regionais, humanizar o atendimento na saúde e reavaliar toda a estratégia da segurança pública no combate à criminalidade.

JARU

Na manhã deste sábado (18) Expedito Junior e seu candidato a vice-governador, Maurício Carvalho fizeram o lançamento da campanha em Jaru. Ainda nesta tarde, às16h, fará o lançamento em Ji-Paraná e à noite, às 20h, em Cacoal. Expedito retorna ainda neste sábado a Porto Velho, onde no domingo (19), às 9h, participa do lançamento da campanha à reeleição de Expedito Neto. Por volta das 10h segue para Rolim de Moura onde irá lançar a campanha, às 11h30. De lá segue para São Miguel do Guaporé, onde fará um ato às 16h e encerra a programação do dia em Vilhena, com o lançamento da campanha às 20h. Ao final, Expedito retorna a Porto Velho e na segunda-feira (20) à noite fará um ato de lançamento em Guajará-Mirim.

Expedito diz que será governo do diálogo e da união entre todos

Durante lançamento da campanha, Expedito disse que percorreu o estado por diversas vezes nos últimos oito anos e conhece todos os problemas

Da Assessoria – “É chegada a nossa hora e a nossa vez”. Com essa frase carregada de confiança, o candidato a governador pela coligação “Rondônia, esperança de um novo tempo” PSDB/PSD/Democratas/PRB, Expedito Junior abriu seu discurso durante ato de lançamento oficial da sua campanha eleitoral, na noite de quinta-feira (16), na esquina das avenidas Jorge Teixeira com Amazonas, em Porto Velho, onde funcionará o comitê central da campanha.

O evento foi transmitido para todo o Estado e em oito municípios foram montadas bases nas quais os participantes puderam interagir por meio da internet. Ao lado de sua esposa Val Ferreira, do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves; dos candidatos aos Senado Marcos Rogério e Pastor Edésio; de seu candidato a vice, Maurício Carvalho e dos deputados federais Mariana Carvalho e Expedito Neto, candidatos à reeleição, Expedito se disse preparado para “ser o melhor governador da história de Rondônia”.

O candidato tucano disse que nos últimos oito anos percorreu e estudou todo o Estado para conhecer seus problemas. “Nos últimos quatro anos principalmente, vocês não viram nenhuma entrevista ou manifestação pública minha, apesar de atento a tudo o que estava acontecendo. Eu estava me reciclando, conversando com o povo para saber de suas necessidades”, disse.

Expedito anunciou que adotará um modelo de governo calcado no diálogo e na união de todos: população, servidores, micro, pequenos, médios e grandes empresários, prefeitos, agentes do agronegócio e toda a classe política. “Precisamos da união de todos para fazer crescer a economia do Estado”, convocou.

Bastante aplaudido, Expedito pontuou alguns itens nos quais pretende dar uma atenção especial. Ele citou a “regularização de terras, uma articulação junto aos bancos oficiais para facilitar o acesso a linhas de crédito agrícola, o incentivo à geração de emprego e renda, a humanização do atendimento na saúde, a conclusão do novo pronto-socorro João Paulo II, construção de unidades regionais em Ariquemes, Ji-Paraná, Guajará-Mirim e Vilhena e a reativação da cultura que ficou esquecida nos últimos anos. Nossas principais manifestações foram relegadas praticamente ao esquecimento, não tem incentivo. Comigo vamos voltar a ter a Expovel, vamos voltar a ter a mostra de quadrilhas e boi bumbás Flor do Maracujá digna. Vamos ser o governo da construção e do respeito a todas as culturas e diversidades. Não quero ser governo da mediocridade, apenas para pagar folha de servidor e exportar comodities. Vamos criar, vamos inovar e vamos apresentar os melhores resultados”, relatou demonstrando firmeza e confiança na vitória.

Agenda

A partir desta sexta-feira, Expedito fará o lançamento da campanha no interior. Nesta sexta-feira (17) o ato será em Ariquemes, às 20h, onde irá pernoitar. No sábado, às 10h, vai lançar a campanha em Jaru, depois, às 16h em Ji-Paraná e em Cacoal às 20h. Assim que encerrar Expedito retorna a Porto Velho, onde no domingo, às 9h, participa do lançamento da campanha à reeleição de Expedito Neto. Por volta das 10h segue para Rolim de Moura onde irá lançar a campanha, às 11h30. De lá segue para São Miguel do Guaporé, onde fará um ato às 16h e encerra a programação do dia em Vilhena, com o lançamento da campanha às 20h. Ao final, Expedito retorna a Porto Velho e na segunda-feira (20) à noite fará um ato de lançamento em Guajará-Mirim.

Mariana Carvalho prepara bote em Expedito Júnior

Ninho tucano está calmo apenas aparentemente

Olha essa – Não apenas uma, mas várias pessoas já relataram à PAINEL POLÍTICO que Mariana Carvalho pretende insistir em ser candidata a governo mesmo tendo pactuado com Expedito Júnior que quer apenas disputar sua reeleição. Ela teria “dado um prazo” até o final de junho para que o ex-senador definisse se ele disputará ou não o governo, do contrário ela vai para a briga.

A deputada estaria inclusive organizando uma equipe para executar o projeto. Mas, ela esbarra em uma situação complicada, quem tem mais delegados com poder de voto é Expedito.

Ele, assim como ela, nega que exista qualquer tipo de conflito em relação a esse assunto, mas onde tem fumaça tem fogo, e Mariana, para quem não sabe ou não lembra, passou a rasteira no PSDB e contra a vontade do partido elegeu-se para a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados.

Portanto, seu passado depõe contra…

Leia mais sobre outros assuntos na coluna PAINEL POLITICO

Coluna – A pergunta do milhão, Cassol registra ou não sua candidatura?

E ainda, Hildon Chaves perde tempo demais com vereadores e esquece de administrar a cidade

Um ano

Passou desde que Hildon Chaves assumiu o comando da capital de Rondônia. Cercado de expectativas por grande parte da população, graças a um discurso que ele próprio desenvolveu durante a campanha, de que seria o “grande salvador da cidade”. E começou embalado, com muitas selfies, lives, elogios e postagens de incentivo, parecia que a coisa ia funcionar. Mas, logo de cara começaram as críticas, e ele passou a usar seu então adversário nas eleições, Léo Moraes, como “recalcado”, ou que “ele não desceu do palanque”. Léo silenciou. Foi cuidar de seus afazeres como deputado estadual.

Porém

A culpa não era de Léo. Hildon passou a ocupar grande parte de seu tempo reunido com vereadores, entre pedidos de cargos, futricas palacianas, viagens e bate-boca com munícipes. Alguns episódios, bem lamentáveis foram registrados e viralizaram nas redes sociais. Hildon acostumou a deixar seus eleitores “falando sozinhos”. Desacostumado à críticas, coisa que promotor nenhum gosta, adotou uma postura agressiva em relação a quem queria apenas aconselha-lo. Fez isso com praticamente todos os aliados de primeira hora, deixando-se ficar cercado apenas de quem tece elogios. Esse é o caminho mais rápido para o fundo do poço.

Salvando

A jornalista Ivonete Gomes foi a grande surpresa da gestão Chaves. Ela assumiu a secretaria de Esportes do município e graças a seu perfil empreendedor vem conseguindo salvar a pele do prefeito. Bem articulada, Ivonete transformou uma secretária insípida em vitrine de gestão. Mas, isso não é suficiente para garantir a popularidade de Hildon, que a cada semana despenca três ou quatro degraus naquela escala de 0 a 100.

Falha grave

A falha mais grave que Hildon vem cometendo é típica de quem não tinha um plano definido, ou experiência política, a falta de definição de prioridades. Enquanto o prefeito perde tempo precioso atendendo vereadores o dia inteiro, todos os dias, se torna refém das picuinhas trazidas por eles. Hildon tinha que dedicar apenas um dia da semana para atender as demandas trazidas pelos edis. Tinha que se cercar de três ou quatro assessores competentes que definiriam prioridades do dia a dia e ter um chefe de gabinete com traquejo para lidar com os assuntos mais espinhosos. Enquanto ele perde tempo com as futricas, a população começa a achar que a armadura do cavaleiro não era assim tão brilhante.

A coisa só não está pior

Porque muitos ainda não querem dar o braço à torcer, reconhecendo que fez uma má escolha. O fenômeno outsider que pipocou nas eleições de 2016 está se mostrando um fiasco em todos os lugares que adotaram essa novidade. Política não é para amadores, e boa vontade não faz de ninguém um bom gestor. Se Léo Moraes seria melhor? Honestamente não sei responder a essa pergunta, mas certamente ele não teria se deixado envolver na teia a qual Hildon está perdido agora. E se ele não se encontrar rápido, vai ter problemas bem mais sérios no futuro.

Por falar em futuro

A pergunta do milhão nessas eleições é, Ivo Cassol registra ou não sua candidatura à governador? Essa resposta vai depender fortemente do jurídico de campanha que ele escolher. Os tribunais superiores estão constantemente revendo seus próprios entendimentos, e o que não podia, passou a ser novamente discutido. É inegável que a situação jurídica de Cassol é delicada, então, se estivéssemos em uma bolsa de apostas, eu diria que a possibilidade é de meio a meio.

Não se discute

É que o futuro de Cassol mexe com o tabuleiro das eleições em Rondônia. Sem entrar no mérito de pesquisas de opinião, entre os prefeitos que circulam por Brasília, o nome do senador é sempre lembrado como “forte concorrente” e alguns recordam com saudosismo de sua gestão. Cero também é que ele tem planos bem definidos para caso seja eleito, “tudo que eu podia errar, errei quando fui governador eleito e reeleito. Se Deus permitir que eu assuma o comando do Estado novamente, as coisas vão ser muito diferentes, a começar pela equipe. Hoje eu sei quem estava junto para trabalhar em benefício próprio. Já deu para saber quem são os traíras”, declarou o senador à coluna.

Vai pensar muito

Já o ex-senador Expedito Júnior, também muito lembrado quando o assunto é governo, anda pensando seriamente em ficar onde está. Apesar de ser o segundo do grupo, caso Cassol não consiga registro, Expedito avalia que sua vida anda bem tranquila ultimamente, “tenho tempo de me dedicar à família e cuidar um pouco de mim”, disse o ex-senador. Mas, a política fala mais alto. A pressão para que Expedito volte à vida pública é grande, e ele se livrou de todos os empecilhos jurídicos do passado, “sofri muito com acusações e condenação injusta, mas enfim, é a vida”, desabafou essa semana ao ser questionado se seria ou não candidato, “essa é uma decisão que não tomarei agora”, afirmou.

Contas à pagar

Confúcio Moura deixou algumas dívidas bem grandes nas eleições de 2014. Algumas ele pagou, outras jogou nas costas do MDB, que agora anda querendo fechar o balanço, mas algumas não estão fechando. Resta saber quem vai assumir o prejuízo, o partido ou Confúcio. “Pedalada” é com Confúcio mesmo. Que o digam as contas do Estado de Rondônia. À conferir nos próximos meses.

Sai mais não

Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, que pelo jeito só não roubou a estátua do Cristo Redentor porque ela pesa demais, levou mais uma condenação por lavagem de dinheiro e suas penas somadas chegam a um século. Isso mesmo, 100 anos de prisão acumulados. Como no Brasil ninguém fica mais que 30 anos preso, Cabral vai sair da cadeia com uns 85 anos…completou 55 no dia 27 de janeiro.

Evite redes sociais 30 minutos antes de dormir

Os jovens de hoje passam uma quantidade impressionante de tempo diante de telas – adolescentes entre 11 e 15 anos, por exemplo, entre seis e oito horas por dia, isso sem incluir o tempo gasto em frente ao computador para fazer as tarefas de casa. Aliás, até mesmo o adulto médio no Reino Unido passa mais tempo olhando para uma tela do que dormindo, indicam as pesquisas. Desde o crescimento meteórico das redes sociais, Brian Primack, diretor do Centro de Pesquisa em Mídia, Tecnologia e Saúde da Universidade de Pittsburgh, tem estudado seu impacto na sociedade. Junto com Kessica Levenson, ele examina as relações entre tecnologia e saúde mental, observando o lado bom e o ruim. Ao pesquisarem a possível ligação entre redes sociais e depressão, eles esperavam um efeito duplo – que as redes sociais pudessem às vezes aliviar a depressão e às vezes exacerbá-la, um resultado que pode criar uma curva em formato de “u” em um gráfico. No entanto, uma pesquisa com quase 2 mil pessoas revelou algo muito mais surpreendente. Não houve curva alguma, a linha era reta e em uma direção indesejável. Em outras palavras, um aumento do uso de redes sociais está associado a um aumento da possibilidade de sofrer de depressão, ansiedade e um sentimento de isolamento social. Mas há outro impacto preocupante. Em um estudo de setembro de 2017 com mais de 1,7 mil jovens adultos, Primack e seus colegas descobriram que, em termos de interação nas redes sociais, o horário do dia tem um papel fundamental. O engajamento durante os últimos 30 minutos do dia era o mais forte indicador de uma noite de sono ruim. “Era completamente independente do tempo total de uso durante o dia”, diz Primack.

Expedito Júnior avalia, com Cassol, candidatura ao governo em 2018

Em 2002 e 2006 Ivo Cassol e Expedito Júnior integravam um grupo político que comandou o Estado por oito anos. Em 2010 eles romperam relações por desavenças internas. Naquele ano Expedito avaliou que conseguiria disputar o governo e Cassol alegava que era melhor eles apoiarem a candidatura de João Cahúlla. Em função desse “racha”, o PMDB conseguiu eleger Confúcio Moura que foi reeleito em 2014.

No segundo turno das eleições de 2014, Cassol e Expedito voltaram a se falar, evidente que restaram mágoas e desconfiança, mas as relações estão se estreitando. Em função da nova configuração na disputa em 2018 e dada a fragilidade de Cassol em obter o registro de sua candidatura, eles estão avaliando a possibilidade de lançar Expedito Júnior ao governo. Expedito seria o “plano b” no caso de uma negativa ao registro de Cassol.

As conversas estão acontecendo durante agendas pelo interior. O grupo vem avaliando que trabalhando juntos, conseguem ainda eleger quatro deputados federais (Jaqueline Cassol, Luiz Cláudio, Mariana Carvalho e Expedito Netto) com a possibilidade de puxar mais um.

Expedito, que vem trabalhando desde sempre com a convicção de ser senador novamente, avalia que, se Cassol mantiver essa disposição de seguirem juntos e alinhados, o grupo sai fortalecido, com chances reais de governar o Estado e “colocar as coisas nos trilhos novamente”.

Como Expedito Júnior conseguiu se tornar um dos principais articuladores das eleições 2018

Com uma trajetória política conturbada, e pode-se dizer bem sucedida, o ex-senador Expedito Júnior, atualmente filiado ao PSDB de Rondônia, parecia que estava fadado ao ostracismo político, após perder o mandato em junho de 2009, depois de ter sido eleito em 2006 em uma dobradinha com o então candidato ao governo Ivo Cassol. Usando de subterfúgios que seriam revelados anos depois, o adversário de Expedito na época, o agora senador Acir Gurgacz, conseguiu a vaga de Júnior, assumindo em novembro de 2009.

Uma operação cheia de contradições, deflagrada à época, acusava Expedito e Cassol de compra de votos nas eleições através de pagamentos feitos à empregados de uma empresa de vigilância. As “testemunhas” chegaram a ser presas após caírem em contradição em seus depoimentos, e mais tarde seriam filmados recebendo vantagens da empresa Eucatur, de propriedade da família de Acir Gurgacz.

Após ser cassado, Expedito passou a se dedicar inteiramente ao PSDB. Organizou a legenda no Estado e passou a percorrer todos os municípios, mantendo conversas com lideranças e ampliando sua presença política.

Em 2009, durante o processo de cassação do mandato

Em 2010 Expedito tentou se candidatar ao governo, mas teve um recurso indeferido na época pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello, que não acatou os argumentos de que ainda havia recurso em andamento em relação à cassação em 2009. O caso de Expedito, na época, foi emblemático já que naquele ano os tribunais passaram a adotar as regras da Lei da Ficha Limpa, mesmo sem a legislação estar completamente definida. Nas eleições de 2014 o caso voltaria a pauta exatamente pelo caso de Júnior. Na época, os tribunais regionais eleitorais entendiam que a inelegibilidade de 8 anos, “a contar da eleição”.

LEIA TAMBÉM: 

Porém, em 2013, durante um julgamento de um recurso do Amazonas, o TSE passou a adotar um novo entendimento, a cessação da inelegibilidade antes do pleito permite o registro de candidatura, por constituir fato superveniente, seguindo a tese sobre a alínea “d”, da lei, que passou a vigorar assim, “as condições de inelegibilidade devem ser aferidas no dia do pedido do registro, considerando-se ainda o dia da eleição para verificar-se a existência de fatos supervenientes”. Com isso, em 2014 Expedito conseguiu seu registro, mas o prejuízo causado pela demora do julgamento  já era irreversível. Mesmo assim ele ainda conseguiu disputar o segundo turno, perdendo para Confúcio Moura por uma diferença de 6,86% dos votos.

Expedito Júnior candidato ao governo em 2014

As eleições de 2014 foram marcadas por abusos grotescos por parte da coligação capitaneada por Confúcio Moura, além do uso da máquina pública para favorecer o candidato. Confúcio chegou a ser cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral em março de 2015, porém, em outubro, em um julgamento com decisões totalmente contrárias a tudo que o TSE entendia, e para evitar uma “convulsão política”, nas palavras de Gilmar Mendes, então membro da Corte, Confúcio foi mantido no cargo.

Mas foi em 2016 que Expedito Júnior conseguiu uma grande vitória, a eleição do então desconhecido Hildon Chaves, como prefeito de Porto Velho. Promotor aposentado, empresário, Chaves já acompanhava a rotina de Expedito e avaliava ser suplente de senador em 2018. Durante o processo eleitoral de 2016, sem experiência alguma e com marketing agressivo, além de conseguir viralizar uma fala curta durante um debate modorrento, editado pelo site Rondoniaovivo, em menos de 24 horas Hildon virou o jogo e foi para o segundo turno das eleições que definiria o prefeito da capital.

Expedito Júnior teve papel fundamental no processo de transição e orientação à Hildon no primeiro momento, e atualmente observa de longe, sem interferir na gestão.

DE OLHO NO SENADO

Ao ser questionado por PAINEL POLÍTICO sobre suas intenções políticas, o ex-senador declarou que “está muito cedo para definir qualquer coisa”, e que cogita a possibilidade de não ser candidato, “hoje estou com minha vida bem organizada e a correria de campanha e do próprio mandato nos afasta da família. Tenho conversado com minha esposa e filhos e ainda estou avaliando”, afirma.

Porém, sondagens que são feitas no Estado incluem cenários com Expedito tanto para governador quanto Senado, e ao ser confrontado com os números ele desconversa, “isso é resultado do trabalho que a gente em um curto mandato no Senado, imagina se eu tivesse ficado os oito anos”.

Passada a turbulência de 2009 e 2010, sem processos eleitorais, Expedito não tem pressa. E fala sério quando alega estar “avaliando a possibilidade de não disputar nenhum cargo”. Apesar disso, ele se mantém politicamente ativo no Estado. Conseguiu eleger o filho, Expedito Netto deputado federal em 2014 e no final do ano passado, em um entendimento com sua legenda, entregou a presidência a deputada federal Mariana Carvalho e a seu fiel escudeiro, o deputado estadual Laerte Gomes. Ele nega qualquer rompimento com Mariana ou com o PSDB, mas existe a possibilidade dele migrar para outra legenda, e levar consigo grande parte do ninho tucano, o que deixaria o partido em uma condição delicada nas eleições desse ano.

LEIA TAMBÉM:

Fato é que, dada as circunstâncias do momento político, a candidatura de Expedito Júnior ao senado é natural. São duas vagas e analistas entendem que ele não teria muitas dificuldades durante o processo. Aliado a isso, nas eleições de 2014 ele voltou a conversar com o senador Ivo Cassol (PP), com quem havia rompido relações em 2010. A possibilidade do grupo voltar a se unir em 2018 é real, mas depende do aparo de algumas algumas arestas.

Com perfil mais conciliador e menos afoito, Expedito conseguiu sobreviver a um turbilhão que parecia colocar fim a sua carreira política. Ele pode até ter sido derrotado em algumas ocasiões, mas a perseverança vem construindo uma trajetória que pode ser coroada com um mandato de 8 anos no Senado Federal. Já o futuro político de Acir Gurgacz, que conseguiu legitimar o mandato nas eleições de 2014 em um processo onde praticamente não haviam adversários, é uma incógnita. Pré-candidato ao governo, se não for eleito amargará mais uma derrota, com a possibilidade de não conseguir se reeleger também em 2022.

Tucanos negam “debandada” em RO, “partido está mais forte que nunca”

“Quem apostar no racha do PSDB, vai perder”, declarou o deputado estadual Laerte Gomes, tesoureiro da legenda em Rondônia. A declaração à PAINEL POLÍTICO na tarde desta quinta-feira foi uma resposta a boatos que circularam esta semana sobre uma possível debandada dos principais nomes do partido (Laerte entre eles) para o PSD, do deputado federal Expedito Netto devido a uma suposta insatisfação do ex-senador Expedito Júnior com a eleição da deputada federal Mariana Carvalho para presidente do partido no Estado.

“Nós acabamos de eleger nossa executiva, que pela primeira vez está composta por prefeitos, deputados e vereadores. Temos um partido coeso, maduro e vamos compor ou lançar candidaturas em 2018 e esse é o nosso foco. Quem apostar no racha, vai perder”, declarou Laerte Gomes.

Na terça-feira o ex-senador Expedito Júnior, que agora é secretário geral da legenda em Rondônia também já havia negado os boatos, “se fosse acontecer isso (a debandada), não teríamos feito nenhum esforço para compor uma executiva de peso e responsável como a que conseguimos” declarou Expedito.

A nova executiva, eleita na semana passada, tem como líder a deputada federal Mariana Carvalho (presidente), o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves como primeiro vice, o vereador da capital Alan Queiroz como segundo vice-presidente, o ex-senador Expedito Júnior como secretário Geral, Laerte Gomes como tesoureiro e fazem parte ainda os prefeitos de Presidente Médici, Castanheiras, Rolim de Moura e Jaru.

Eleições 2018

Laerte Gomes declarou ainda que o partido pretende lançar candidatura ao governo em 2018, “temos dois nomes que acreditamos com chances reais, o de Expedito Júnior e Mariana Carvalho. Claro que vamos discutir isso internamente e avaliar se vamos por esse caminho ou priorizar outros, como por exemplo o Senado, mas isso será feito de forma democrática. Fizemos uma união inteligente com lideranças de respaldo, e isso nos fortaleceu como partido e tenho certeza que fará a diferença nas eleições do ano que vem”, finalizou Laerte.

Mariana Carvalho assume PSDB em RO

A deputada federal Mariana Carvalho será a próxima presidente estadual do PSDB em Rondônia. A eleição acontece no próximo dia 11 e já existe um entendimento para que ela assuma o comando.

O atual presidente, ex-senador Expedito Júnior comandou a legenda por 4 anos e não pode mais ser reeleito. Rumores davam conta que ele iria migrar para o PSD, mas ele nega veementemente, “nada mais justo que Mariana assuma a presidência do partido. É uma deputada federal atuante e vem se destacando no cenário nacional, será uma grande líder, não tenho dúvidas”, declarou Júnior.