Enfermeiro mata a namorada médica e justifica: ‘Me passou coronavírus’

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Antonio De Pace ainda tentou tirar sua própria vida. O crime aconteceu na Itália

O enfermeiro Antonio De Pace, de 28 ano, assumiu ter matado a própria namorada, a médica recém-formada, Lorena Quaranta de 27 anos, na Itália. De acordo com uma publicação do Daily Mail, o crime aconteceu em um apartamento e o homem ligou para as autoridades logo na sequência.

Ele ainda tentou se suicidar cortando os pulsos, no entanto, foi socorrido e, ainda atordoado, confessou ter matado a namorada. O crime aconteceu na região de Furci Siculo, que fica na maior ilha do mediterrâneo, na Sicília.

Eles trabalhavam no mesmo hospital em Messina e se dedicavam ao atendimento de infectados pelo coronavírus.

Antonio e Lorena (Foto: Reprodução/Facebook)

Depois do crime, o casal foi testado para a doença, mas os exames não apontaram diagnóstico positivo para o COVID-19.

Antes do crime, Lorena chegou a publicar em suas redes sociais um texto sobre a morte de 41 médicos italianos por Covid-19. “Agora, mais do que nunca, precisamos demonstrar responsabilidade e amor pela vida. Vocês devem demonstrar respeito por si mesmos, suas famílias e o país. Vamos ficar todos em casa. Vamos evitar que o próximo adoecer seja um ente querido ou nós mesmos”, escreveu a médica.

Via Marie Claire

MG: Jovem é assassinada a golpes de faca e machado por namorado, de 17 anos

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Após a faca quebrar, ele usou um machado; foi preso aguardando a polícia chegar

Um crime bárbaro ocorrido na manhã da última terça-feira abalou a população da cidade de Córrego Fundo (MG). Lays Almeida, de 19 anos foi morta a golpes de faca e machado, por seu namorado de 17 anos.

De acordo com informações do Tapiraímgtv, o rapaz apoderou-se de uma faca e desferiu com vários golpes em sua namorada. Após a faca quebrar, o menor usou uma machadinha para continuar a golpear a jovem, que não resistiu aos ferimentos e faleceu no local do crime.

O autor do feminicídio, que tem 17 anos e acumula várias passagens na polícia, aguardou a chegada dos policias militares, confessando o assassinato. Ele foi apreendido, em flagrante, juntamente com as armas usadas no crime e encaminhado para a Delegacia.

Os motivos do crime não foram divulgados.

VOTE NA ENQUETE

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Jovem de 18 anos grita por socorro e é morta a facadas pelo ex, em MT

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Testemunhas contaram à polícia que Laiany Lemos Almeida, de 18 anos, e o suspeito moravam juntos e tinham dois filhos

Uma jovem foi assassinada na noite desa quinta-feira (27) em Peixoto de Azevedo, a 692 km de Cuiabá. De acordo com a Polícia Civil, Laiany Lemos Almeida, de 18 anos, foi morta com diversas facadas. O principal suspeito do crime é o ex-marido dela, de 23 anos. Ele foi identificado, mas fugiu.

Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu por volta de 23h55 (horário de Mato Grosso) no bairro Menino de Deus.

Os vizinhos ouviram Laiany pedindo socorro e gritando. Depois que os gritos pararam, as testemunhas viram uma pessoa em uma motocicleta saindo do local.

A Polícia Militar foi chamada e encontrou a jovem morta a facadas na residência.

Testemunhas contaram à polícia que Laiany e o suspeito moravam juntos e tinham dois filhos. O casal havia se separado há pouco tempo.

A perícia realizou investigação no local e a arma utilizada no crime foi apreendida. As investigações seguem para localizar o suspeito do crime. Via G1

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Ex-marido, usando tornozeleira por descumprir medida protetiva, mata mulher com seis tiros, em GO

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Segundo delegada, Shellyda Duarte levou ao menos seis tiros quando saía de casa, em Luziânia, na frente dos filhos pequenos

Uma professora de 31 anos foi morta a tiros quando saia de casa, em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal. Shellyda Santos Duarte foi atingida por ao menos seis tiros. Segundo a Polícia Civil, o crime foi cometido pelo ex-marido dela, o serralheiro Márcio Ordones da Silva, 41, na frente dos dois filhos pequenos do casal e da sogra, por ele não aceitar o fim do casamento. Em seguida, o homem fugiu.

O homicídio ocorreu por volta das 19h de segunda-feira (24). De acordo com a delegada Dilamar de Castro, a professora e os familiares estavam saindo de casa quando ela foi abordada pelo ex-marido.

Ex-marido é suspeito de matar professora Shellyda Duarte na frente dos filhos pequenos por não aceitar fim da relação — Foto: Reprodução/Facebook

“Ela deu ré no carro para sair da garagem, veio um veículo e bateu na traseira. No que ela desceu para ver o que era já se deparou com o ex-marido efetuando os disparos”, disse.

Antes de fugir, conforme a delegada, Márcio afirmou para a sogra que “iria atrás” da outra pessoa que estaria se relacionando com Shellyda.

A filha mais velha da professora correu até uma casa vizinha para pedir socorro. Com ferimentos no tórax e abdômen, ela chegou a ser socorrida e levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos.

Tornozeleira eletrônica

A polícia afirmou que o casal já estava separado há cinco anos, mas que ele nunca aceitou o término. Conforme revela Dilamar, Márcio já foi denunciado várias vezes por violência doméstica e até usava tornozeleira eletrônica justamente por descumprir uma medida protetiva em favor da professora.

A delegada disse que existe a suspeita de que Shellyda estava grávida, mas que é necessário a emissão do laudo pericial para confirmar ou não a informação. Via G1

VOTE NA ENQUETE

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Filha presencia mãe ser assassinada com 20 facadas no Mato Grosso do Sul

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Jovem de 16 anos ficou sem reação ao ver a mãe ser morta

Rosenilda Lopes, de 38 anos, foi morta pelo ex-companheiro a facadas nesta segunda-feira (24), em Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul. O homem, de 42 anos, tentou se matar após cometer o crime e foi socorrido em estado grave, conforme apuração do portal G1.

“A filha única dela, de 16 anos, presenciou tudo”, conta Reginaldo Lopes, irmão de Rosenilda Lopes.

Segundo ele, Rose, como era conhecida, saía para trabalhar quando foi morta. “Ele surpreendeu ela no quarto”, conta.

O irmão da vítima relatou que a filha de Rose tentou pedir ajuda, mas só conseguiu lembrar de chamar a tia, que mora ao lado.

“Ela foi na casa da minha outra irmã. A minha irmã me ligou e eu fui correndo pra casa dela. Quando cheguei, eles estavam caídos no chão, minha irmã toda furada, a faca cheia de sangue”, lembra, emocionado.

Ao chegar no local, os policiais e socorristas constataram a morte da mulher e socorreram Emerson.

“Ainda não caiu a minha ficha. Estou sem chão.Todos nós vamos morrer, mas não pode ser desse jeito”, desabafa Reginaldo.

Reginaldo conta ainda que, o relacionamento entre os dois durou aproximadamente seis meses, mas há 20 dias Rose decidiu romper com Emerson, que não aceitava o fim da relação.

VOTE NA ENQUETE

++destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Homem que matou ex à facadas dentro de escola em Florianópolis, é encontrado morto na cela

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Elenir de Siqueira Fontão foi morta na quarta. Ex-namorado dela, de 39 anos, foi preso no dia do crime e encontrado morto na manhã deste domingo na cela onde estava sozinho na penitenciária da capital

O homem preso preventivamente suspeito de matar a diretora de escola Elenir de Siqueira Fontão, de 49 anos, foi encontrado morto na prisão na manhã deste domingo (23) em Florianópolis. A causa da morte não foi divulgada pelo Departamento de Administração Prisional (Deap) que informou em nota que “todas as providências legais e periciais foram tomadas”.

A diretora, que trabalhava na Escola Estadual Januária Teixeira da Rocha, no bairro Campeche, em Florianópolis, foi assassinada a facadas dentro da unidade na tarde de quarta. O suspeito, ex-namorado da vítima, foi detido pela polícia logo após o crime. Ele estava com um ferimento no abdômen e marcas de luta corporal e foi levado ao hospital. Na saída da unidade hospitalar, foi autuado.

O suspeito de 39 anos foi preso em flagrante no dia da morte e na quinta-feira (20) a prisão havia sido convertida em preventiva pela Vara do Tribunal do Júri de Florianópolis pelos crimes de feminicídio, tentativa de homicídio qualificado, cárcere privado e resistência. Segundo o Deap, o suspeito foi encontrado morto por volta das 6h na cela onde estava sozinho na Penitenciária de Florianópolis.

O crime

Elenir foi rendida pelo ex-namorado, armado com uma faca, dentro da sala da direção da escola e levada ao banheiro, onde foi esfaqueada no pescoço. Um vizinho que ouviu a vítima pedir socorro tentou ajudar e acabou ferido.

Conforme a polícia, o criminoso chegou ao local por volta das 17h30, quando as aulas na escola já tinham terminado. A educadora tinha ficado na unidade até aquele horário para acompanhar um aluno que esperava os pais.

Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, testemunhas disseram que o agressor manteve a diretora trancada no banheiro por cerca de meia hora. Nesse momento um homem tentou ajudar a vítima, mas foi esfaqueado no braço pelo suspeito. Por isso, Geovanio foi enquadrado também o crime de tentativa de homicídio.

Os policiais também disseram que precisaram usar a força progressivamente para render o agressor, já que ele resistiu à prisão e tentou fazer com que os agentes atirassem nele. Foto de capa – Elenir de Siqueira Fontão, 49, foi assassinada em escola no bairro Campeche, em Florianópolis. — Foto: Reprodução/Facebook – Via G1

VOTE NA ENQUETE

++destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Jovem que confessou ter matado namorada é encontrado morto em cela, em Aparecida de Goiânia

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Segundo a DGAP, Alan dos Reis estava sozinho no local

Foi encontrado morto neste sábado (22) o jovem que confessou ter matado a namorada, a gerente de hipermercado Fernanda Souza, de 33 anos. Alan dos Reis, de 22 anos, estava preso no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia. Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), o detento estava sozinho em uma das celas da unidade, para onde havia sido transferido na última sexta-feira (21).

De acordo com a DGAP, procedimentos administrativos internos foram abertos para apuração da morte de Alan. A Polícia Científica e a Polícia Civil também foram acionadas.

Fernanda Souza Silva, havia sumido há cerca de uma semana em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia. O corpo da gerente de hipermercado foi encontrado queimado e enterrado em uma região de mata entre Caldas Novas e Piracanjuba, no sul do estado, na quinta-feira (20).

A Polícia Civil disse que Alan foi quem indicou o local onde estava o corpo. De acordo com a delegada Cybelle Tristão, o jovem contou que o casal discutiu, e que ele a matou ainda em Bela Vista de Goiás. O relacionamento deles tinha pouco mais de 20 dias, conforme depoimento do jovem.

A Polícia Civil disse que o jovem confessou ter matado a gerente na noite do último dia 13 de fevereiro e levado, na mesma noite, o corpo dela para o local onde foi encontrado. Ele ainda confessou ter voltado ao local do crime um dia depois. “Ele voltou ao local, cavou cerca de 40 centímetros e enterrou o corpo”, disse.

Desaparecimento de Fernada

Segundo a família, Fernanda desapareceu no último dia 12. Ela saiu do trabalho em Goiânia e voltou para Bela Vista de Goiás. Câmeras de segurança registram o carro passando por uma rua. Depois, saiu novamente e não foi mais vista.

A família chegou a receber uma mensagem do celular de Fernanda na quinta-feira (13) dizendo que, caso ela não atendesse às ligações, é porque o aparelho estava com problema.

O carro da vítima foi encontrado abandonado em uma região de mata ainda em Bela Vista de Goiás. Durante as investigações, os policiais também encontraram um pedaço de madeira, sangue e fios de cabelo que estão sendo analisados para saber se são ou não da gerente.

Prisão de Alan

O então namorado de Fernanda foi preso na terça-feira (18) suspeito de elo com o desaparecimento. O rapaz foi encontrado em Marianópolis do Tocantins, na região oeste do estado, quando apresentou uma CNH falsa.

Mesmo assim, ele foi identificado por causa de uma tatuagem. Policiais de Goiás foram buscá-lo no Tocantins.

A polícia informou à TV Anhanguera que Alan usou os cartões de crédito da vítima para fazer compras em um shopping de Goiânia após o sumiço da namorada. A família diz que uma das contas dela teve todo o dinheiro retirado.

‘Frieza’ ao praticar o crime

Mesmo com 16 anos de experiência, o delegado Antônio André Santos Júnior se disse assustado com a forma como o crime foi cometido, bem como pela atitude de Alan.

A investigação apontou que mesmo após ter cometido o crime, ele fingiu estar preocupado e acompanhou a família na procurar por Fernanda, inclusive, indo até a delegacia para registrar a queixa.

Além disso, conforme a apuração policial, horas depois de atear fogo ao corpo e enterrá-lo, ele foi passear em um shopping com a ex-mulher e dois filhos pequenos. Câmeras de segurança registram ele caminhando tranquilamente no centro de compras.

“Em que pese a gente perceber que ele estava agitado, só o fato dele ter ido a delegacia juntamente com os pais, dissimulando que estava preocupado quando, na verdade, ele já havia cometido esse ato brutal contra a Fernanda, demonstra a frieza dele”, destaca. Via G1

VOTE NA ENQUETE

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

No Acre: adolescente de 17 anos é decapitada e a cabeça é entregue para sua mãe; ex foi preso

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Crime aconteceu em Rio Branco, no Acre, nesta sexta-feira

A adolescente de 17 anos, Larissa Aurélia da Costa Silva, foi morta a facadas e depois teve a cabeça decapitada nesta sexta-feira, em Rio Branco, no Acre.

O principal suspeito do crime é o ex-companheiro, Ivanhoé de Oliveira Lima, que exerceu a função de policial penal. Lima tinha sido nomeado no dia 6 de setembro de 2010 ao então cargo de agente penitenciário. Ele acabou demitido em fevereiro de 2013 por improbidade administrativa.

O homem teria levado a cabeça da vítima até a casa da mãe dela. 

A família da vítima não quis comentar o crime e de acordo com o delegado responsável pelo caso, Martin Hessel, as investigações começaram.

Lima foi preso no final da tarde desta sexta-feira (21), no bairro Tangará, em Rio Branco.

Ivanhoe de Oliveira é suspeito de decapitar companheira em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

A prisão foi feita após denúncias anônimas no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). Lima foi achado pela polícia consumindo bebida alcoólica com outras quatro pessoas, sentado na arquibancada de um campo de futebol.

O casal estaria junto há pelo menos dois anos e a polícia investiga para saber como era o relacionamento dos dois. “O que sabemos é que houve uma discussão entre eles e, nessa discussão, o autor, em posse de uma faca, desferiu os golpes e depois cortou a cabeça dela. São as informações que a gente tem, inicialmente”, informou.

O corpo de Larissa foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da capital para exames. Com G1 e O Dia

VOTE NA ENQUETE

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Em Goiás, homem levou ex e filhos para passeio em shopping horas após matar e queimar corpo de namorada, diz delegado

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Segundo Polícia Civil, eles fizeram compras e tomaram açaí. Jovem afirmou que matou vítima por ela chamar seus filhos de ‘bastardos’. Fernanda Silva ficou uma semana desaparecida até seu corpo ser localizado enterrado em mata

O jovem preso suspeito de matar a gerente de um hipermercado Fernanda Souza Silva, 33 anos, passeou em um shopping de Goiânia com a ex-mulher e os filhos horas depois de queimar e enterrar o corpo dela, segundo o delegado Antônio André. Em depoimento à corporação, Alan Pereira dos Reis, 22, – que está preso – confessou o crime e disse que cometeu o homicídio porque a vítima teria chamado os filhos dele de “bastardos”.

“Cerca de três, quatro horas depois de voltar do local onde deixou, incendiou e enterrou o corpo, ele buscou a ex e os dois filhos que tem com ela, foi ao shopping. Fizeram compras, compraram brinquedos e tomaram açaí”, contou.

Segundo a polícia, Alan ainda não tem advogado.

Fernanda, que morava em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia, ficou desaparecida por uma semana até seu corpo ser encontrado em uma região de mata entre Caldas Novas e Piracanjuba – no sul do estado.

Segundo a Polícia Civil, a ex-mulher do investigado foi localizada no final de semana e interrogada. Neste depoimento, ela disse que achou estranho o jovem tê-la buscado de carro, já que ele nunca tivera um veículo, e que viu vestígio de sangue.

“Ela disse que lembra de sentir cheiro de sangue no carro e, quando um melão que eles haviam comprado rolou no chão, ficou com pequenas marcas de sangue”, completou o delegado.

Também em depoimento, a ex teria dito à corporação que Alan tinha um temperamento violento, mas não relatou agressões físicas.

Fernanda foi encontrada morta após ficar uma semana desaparecida — Foto: Vilma Souza/Arquivo Pessoal

Desaparecimento e relação

A denúncia de desaparecimento foi feita pela família da vítima e pelo próprio namorado dela na última sexta-feira (14).

Segundo o delegado, eles estavam juntos há apenas 20 dias. Já na ocasião do registro da ocorrência, o delegado disse que o jovem apresentava informações confusas.

“No primeiro depoimento ele chegou a dizer que haviam terminado e que teria visto ela com outro homem perto do cemitério. Ele disse que se conheceram em um ônibus que vai de Bela Vista de Goiás a Goiânia. Depois a procurou de casa em casa no bairro que ela disse que morava e eles começaram um relacionamento amoroso”, afirmou.

De acordo com o delegado, ao denunciar o desaparecimento da gerente na Polícia Civil de Bela Vista, foi pedido a ele que não viajasse e mantivesse o celular ligado.

“No sábado [15] ele já não nos atendia. Ele comprou roupa na Região da 44 e pegou um ônibus em direção ao Pará, onde ele tem família. No caminho, em um ônibus no Tocantins, ele foi preso por estar usando um documento falso”, explicou.

Conforme a delegada Cybelle Tristão, o documento foi alterado para constar a foto dele, mas era de uma outra pessoa que o havia perdido. A corporação ainda apura como ele conseguiu o documento e sabia as senhas dos cartões da vítima para conseguir usá-los.

A delegada, que é a responsável pela Regional de Aparecida, contou que ainda não está definido o tipo de crime pelo qual ele responderá. As investigações continuam para identificar se ele a matou para ficar com o carro e dinheiro dela, ou se pelo motivo fútil da suposta ofensa aos filhos dele.

Corpo enterrado

A Polícia Civil disse que o namorado da vítima, preso suspeito do crime, indicou o local onde deixou o corpo, achado pela corporação no final da noite de quarta-feira (19).

A perícia recolheu o corpo e roupas que estavam no local e encaminhou tudo ao Instituto Médico Legal (IML) para análise.O casal teria discutido, a mulher teria sido morta ainda em Bela Vista da Goiás.

A Polícia Civil disse que o jovem confessou ter matado a gerente na noite do último dia 13 de fevereiro e levado, na mesma noite, o corpo dela para o local em que foi encontrado.

“O corpo que está ali realmente é o da Fernanda. Ele a levou para a zona rural de Bela Vista, deu um mata leão nela, a sufocou. Na hora que ela apagou, ele finalizou com uma paulada”, explicou o delegado Antônio André Santos Júnior.

Também de acordo com ele, o preso confessou ter voltado ao local do crime um dia depois. “Ele voltou ao local, cavou cerca de 40 centímetros e enterrou o corpo”, disse.

Durante depoimento ao delegado, o suspeito também contou que cometeu o crime por impulso, que foi um ato não planejado.

“Ele confidenciou que foi tomado por um sentimento de ódio profundo, que o Capeta atentou ele e que cometeu esse ato bárbaro”, acrescentou Antônio.

Prisão do namorado

O então namorado de Fernanda foi preso na terça-feira (18) suspeito de elo com o desaparecimento. O rapaz foi encontrado em Marianópolis do Tocantins, na região oeste do estado, quando apresentou uma CNH falsa.

Mesmo assim, ele foi identificado por causa de uma tatuagem. Policiais de Goiás foram buscá-lo no Tocantins. Via G1

||VOTE NA ENQUETE

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Em Goiás, homem levou ex e filhos para passeio em shopping horas após matar e queimar corpo de namorada, diz delegado

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Segundo Polícia Civil, eles fizeram compras e tomaram açaí. Jovem afirmou que matou vítima por ela chamar seus filhos de ‘bastardos’. Fernanda Silva ficou uma semana desaparecida até seu corpo ser localizado enterrado em mata

O jovem preso suspeito de matar a gerente de um hipermercado Fernanda Souza Silva, 33 anos, passeou em um shopping de Goiânia com a ex-mulher e os filhos horas depois de queimar e enterrar o corpo dela, segundo o delegado Antônio André. Em depoimento à corporação, Alan Pereira dos Reis, 22, – que está preso – confessou o crime e disse que cometeu o homicídio porque a vítima teria chamado os filhos dele de “bastardos”.

“Cerca de três, quatro horas depois de voltar do local onde deixou, incendiou e enterrou o corpo, ele buscou a ex e os dois filhos que tem com ela, foi ao shopping. Fizeram compras, compraram brinquedos e tomaram açaí”, contou.

Segundo a polícia, Alan ainda não tem advogado.

Fernanda, que morava em Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana de Goiânia, ficou desaparecida por uma semana até seu corpo ser encontrado em uma região de mata entre Caldas Novas e Piracanjuba – no sul do estado.

Segundo a Polícia Civil, a ex-mulher do investigado foi localizada no final de semana e interrogada. Neste depoimento, ela disse que achou estranho o jovem tê-la buscado de carro, já que ele nunca tivera um veículo, e que viu vestígio de sangue.

“Ela disse que lembra de sentir cheiro de sangue no carro e, quando um melão que eles haviam comprado rolou no chão, ficou com pequenas marcas de sangue”, completou o delegado.

Também em depoimento, a ex teria dito à corporação que Alan tinha um temperamento violento, mas não relatou agressões físicas.

Fernanda foi encontrada morta após ficar uma semana desaparecida — Foto: Vilma Souza/Arquivo Pessoal

Desaparecimento e relação

A denúncia de desaparecimento foi feita pela família da vítima e pelo próprio namorado dela na última sexta-feira (14).

Segundo o delegado, eles estavam juntos há apenas 20 dias. Já na ocasião do registro da ocorrência, o delegado disse que o jovem apresentava informações confusas.

“No primeiro depoimento ele chegou a dizer que haviam terminado e que teria visto ela com outro homem perto do cemitério. Ele disse que se conheceram em um ônibus que vai de Bela Vista de Goiás a Goiânia. Depois a procurou de casa em casa no bairro que ela disse que morava e eles começaram um relacionamento amoroso”, afirmou.

De acordo com o delegado, ao denunciar o desaparecimento da gerente na Polícia Civil de Bela Vista, foi pedido a ele que não viajasse e mantivesse o celular ligado.

“No sábado [15] ele já não nos atendia. Ele comprou roupa na Região da 44 e pegou um ônibus em direção ao Pará, onde ele tem família. No caminho, em um ônibus no Tocantins, ele foi preso por estar usando um documento falso”, explicou.

Conforme a delegada Cybelle Tristão, o documento foi alterado para constar a foto dele, mas era de uma outra pessoa que o havia perdido. A corporação ainda apura como ele conseguiu o documento e sabia as senhas dos cartões da vítima para conseguir usá-los.

A delegada, que é a responsável pela Regional de Aparecida, contou que ainda não está definido o tipo de crime pelo qual ele responderá. As investigações continuam para identificar se ele a matou para ficar com o carro e dinheiro dela, ou se pelo motivo fútil da suposta ofensa aos filhos dele.

Corpo enterrado

A Polícia Civil disse que o namorado da vítima, preso suspeito do crime, indicou o local onde deixou o corpo, achado pela corporação no final da noite de quarta-feira (19).

A perícia recolheu o corpo e roupas que estavam no local e encaminhou tudo ao Instituto Médico Legal (IML) para análise.O casal teria discutido, a mulher teria sido morta ainda em Bela Vista da Goiás.

A Polícia Civil disse que o jovem confessou ter matado a gerente na noite do último dia 13 de fevereiro e levado, na mesma noite, o corpo dela para o local em que foi encontrado.

“O corpo que está ali realmente é o da Fernanda. Ele a levou para a zona rural de Bela Vista, deu um mata leão nela, a sufocou. Na hora que ela apagou, ele finalizou com uma paulada”, explicou o delegado Antônio André Santos Júnior.

Também de acordo com ele, o preso confessou ter voltado ao local do crime um dia depois. “Ele voltou ao local, cavou cerca de 40 centímetros e enterrou o corpo”, disse.

Durante depoimento ao delegado, o suspeito também contou que cometeu o crime por impulso, que foi um ato não planejado.

“Ele confidenciou que foi tomado por um sentimento de ódio profundo, que o Capeta atentou ele e que cometeu esse ato bárbaro”, acrescentou Antônio.

Prisão do namorado

O então namorado de Fernanda foi preso na terça-feira (18) suspeito de elo com o desaparecimento. O rapaz foi encontrado em Marianópolis do Tocantins, na região oeste do estado, quando apresentou uma CNH falsa.

Mesmo assim, ele foi identificado por causa de uma tatuagem. Policiais de Goiás foram buscá-lo no Tocantins. Via G1

||VOTE NA ENQUETE

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %