Chefe de Neymar, presidente do PSG é acusado de subornar ex-secretário da Fifa

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Al-Khelaifi é presidente do maior clube da França e foi responsável pelas contratações de Neymar e Mbappé na equipe

O presidente do Paris Saint-Germain, Al-Khelaifi, foi acusado de subornar o ex-secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke. O antigo braço direito do ex-presidente da Fifa Sepp Blatter também foi acusado de receber subornos pelos direitos de televisão da Copa do Mundo. O mandatário do clube francês já se livrou de imputações referentes a corrupção acerca das Copas de 2026 e 2030.

Um comunicado de imprensa do escritório do procurador-geral da Suíça diz que “o órgão acusou Valcke de aceitar subornos, várias acusações de má gestão criminal e falsificação de documentos. Os fatos não são mais caracterizados como fraude. Al-Khelaifi e um terceiro nome são acusados de indiciar Valcke por cometer má gestão criminal. O terceiro também é acusado de suborno.”

Em resposta, o presidente do PSG fez questão de lembrar que já se livrou de acusações anteriores e se diz inocente novamente.

– Eu tenho enorme expectativa de que isso seja provado completamente infundado e sem qualquer substância. Após três anos de exaustivas investigações, em que cooperei abertamente com o Ministério Público da Suíça, estou satisfeito por todas as acusações de suborno relacionadas às Copas do Mundo de 2026 e 2030 terem sido retiradas.

Valcke foi banido do futebol por 12 anos a partir de 2016 após ter sido considerado culpado por má conduta com a venda de ingressos para a Copa do Mundo, abuso de despesas de viagem, tentativa de vender os direitos de TV abaixo do valor de mercado e destruição de provas. Já Al-Khelaifi é presidente do maior clube da França e foi responsável pelas contratações de Neymar e Mbappé na equipe. Via Lance

||VOTE NA ENQUETE

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Pacientes se queixam de exames cancelados em dias de jogos: ‘Ouvi os funcionários torcendo’

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, os hospitais vão funcionar normalmente, mas centros ambulatoriais podem ter alterações de horário. A pasta diz que pacientes com exames ou consultas marcados para a hora do jogo já foram avisados de novas datas

A bióloga Cristiane Pestana agendou a realização de três exames de ultrassom para a manhã do dia 22 de junho. Seguiu a orientação do laboratório e chegou com 30 minutos de antecedência a uma unidade no Meier, zona norte do Rio de Janeiro. Porém, deu de cara com a porta trancada. Nenhum sinal de que, àquela hora, alguém estava sendo atendido.

Do lado de fora, ela conseguia ouvir os funcionários do laboratório particular Sérgio Franco gritando com os lances da Seleção Brasileira, que enfrentava um jogo duríssimo contra a Costa Rica na Copa do Mundo da Rússia.

A partida terminou em 2 a 0 para o Brasil, e Pestana ficou sem seus exames. “Ninguém me avisou que ele seria cancelado por causa do jogo”, conta Pestana à BBC News Brasil.

A bióloga não foi a única a enfrentar esse tipo de situação. Nas redes sociais e em sites de reclamações, como o Reclame Aqui, são inúmeras as pessoas que relataram remarcações e cancelamentos de exames e consultas por causa dos jogos da seleção de Neymar e Tite.

Pestana conta que não recebeu nenhuma informação do laboratório sobre novas datas para seus exames. “Liguei na central de atendimento e eles disseram que só haveria vaga para meados de julho”, conta.

O laboratório não respondeu aos contatos da BBC News Brasil sobre o caso da bióloga.

“Sei que a Copa é um evento especial, de quatro em quatro anos, eu até gosto. Mas acho um absurdo você parar o sistema de saúde por causa dos jogos”, diz Pestana, de 35 anos.

A biológa Cristiane Pestana conseguiu ouvir funcionários de laboratório assistindo ao jogo do Brasil

Situação parecida ocorreu com a secretária acadêmica Meire Palma, de 52 anos. Ela havia marcado um exame de raios-x para sua tia, Cina Posi, de 82 anos, para as 15h do último dia 27. No mesmo horário, o Brasil entraria em campo contra a Sérvia pela última partida da primeira fase do Mundial.

“Por volta das 10h, o laboratório me mandou uma mensagem de celular, dizendo que o exame da minha tia seria remarcado. Não deram nenhuma justificativa”, conta Palma.

O exame foi pedido por um médico que pretende operar Posi para tratar uma hérnia. A cirurgia, no entanto, vai atrasar em virtude da remarcação do exame.

O laboratório Centro de Diagnósticos Brasil (CDB) ligou para remarcar o procedimento, mas só havia vagas para o fim de julho. “Me senti perdida, é a saúde de uma pessoa idosa que está em jogo. A gente paga um convênio que não é barato e eles desmarcam um exame por causa de uma partida de futebol”, diz Palma.

Em mensagem à família, o laboratório CDB afirmou que “lamenta” o ocorrido e estava trabalhando para solucionar o problema.

Rede pública

Jogo do Brasil contra o México fez laboratório adiar exame de raios-x da aposentada Cina Posi, de 82 anos

Mas não é só na rede particular que remarcações e cancelamentos estão ocorrendo. O autônomo Sérgio Santa Rosa, de 60 anos, passou pelo problema em um posto do Sistema Único de Saúde (SUS), em Saquarema (RJ).

Ele tinha uma ultrassonografia agendada para as 8h da última segunda-feira, duas horas antes do jogo entre Brasil e México. Na partida, Neymar e Firmino marcaram gols para o Brasil, mas, em Saquarema, Santa Rosa ficou sem exame.

“Um dia antes, um funcionário me ligou e disse que o posto de saúde estaria fechado por causa do jogo”, conta ele. A secretaria de Comunicação da Prefeitura de Saquarema não atendeu às ligações da reportagem.

Resultado: o autônomo terá de esperar até o próximo dia 16 para fazer o exame. “É muito desagradável. Vou precisar esperar mais duas semanas para descobrir o que tenho”, diz. O autônomo diz estar sofrendo de fortes dores abdominais. “Estou me automedicando enquanto não consigo fazer o exame.”

Jogos do Brasil também alteraram o atendimento da saúde pública em São Paulo.

Na manhã desta quinta, um cartaz no portão avisava que um posto estadual em Pinheiros, zona oeste da capital paulista, só vai funcionar até o meio-dia nessa sexta-feira, data da partida entre Brasil e Bélgica, marcada para três horas depois, às 15h.

Um segurança da unidade ainda avisou à reportagem: “Se o Brasil passar para a semifinal, vai ser a mesma coisa na terça.”

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, os hospitais vão funcionar normalmente, mas centros ambulatoriais podem ter alterações de horário. A pasta diz que pacientes com exames ou consultas marcados para a hora do jogo já foram avisados de novas datas.

O funcionamento do sistema de saúde segue o decreto assinado pelo governador do Estado, Márcio França (PSB). Em caso de jogos à tarde, repartições públicas só funcionam até as 12h. Quando os jogos ocorreram pela manhã, elas abriram às 15h.

O mesmo vai ocorrer na rede municipal: hospitais abrem normalmente, mas postos de saúde ficarão fechados durante a partida. A gestão do prefeito Bruno Covas (PSDB) afirma que também avisou pacientes e remarcou procedimentos agendados para o horário do jogo.

Cabe processo?

Para José Cláudio Ribeiro Oliveira, presidente da comissão de estudos de planos de saúde da OAB-SP, pacientes da rede privada de saúde podem processar laboratórios privados que se recusaram a fazer exames por causa de jogos da seleção.

“Se o paciente conseguir provar que isso ocorreu, ele tem boas chances de vencer na Justiça”, explica o advogado à BBC News Brasil. “É normal que a iniciativa privada dispense funcionários por causa da Copa, mas não é recomendável que serviços de saúde façam isso.”

Para a professora Ana Maria Malik, coordenadora da área de gestão de saúde da Fundação Getúlio Vargas, as paralisações durante os jogos da Copa não precisam ser considerados um problema, necessariamente. “É melhor que os atendimentos ocorram com a atenção completa do funcionário, não pela metade”, explica.

“E o trabalhador tem direito aos seus momentos de diversão, tanto na rede pública quanto na particular. É claro que a saúde é um tema mais complexo, pois gera mais expectativa nas pessoas”, diz Malik. Ela acrescenta, ainda, ter ouvido relatos de pacientes que também pediram para remarcar exames para poderem assistir aos jogos do Brasil.

Fonte: bbc

Fifa divulga lista com nomes dos jogadores que estarão na Rússia

A relação começa com o goleiro Alisson, que jogará camisa 1, e fecha também com um goleiro: Everton, que recebeu a camisa com o número 23

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) divulgou hoje (4) os nomes de todos os jogadores convocados para integrar as seleções de seus países classificadas para a Copa do Mundo na Rússia. Ao todo são 736 atletas de 32 equipes.

O Brasil foi uma das primeiras seleções a enviar à Fifa a lista com os nomes dos 23 jogadores que estarão na Rússia. A relação começa com o goleiro Alisson, que jogará camisa 1, e fecha também com um goleiro: Everton, que recebeu a camisa com o número 23.

A 21ª edição da Copa do Mundo será aberta no dia 14 de junho, quando a Rússia enfrentará a seleção da Arábia Saudita, no Estádio Luzhniki de Moscou. O Brasil estreia no dia 17 contra a Suíça, em Rostov On Don.

Na chamada fase de grupos, além da Suíça, a seleção brasileira joga ainda contra a Costa Rica, no dia 22; e Sérvia, no dia 27.

Veja aqui a lista oficial da Fifa com os nomes de todos os atletas e suas numerações nas camisas com as quais jogarão.

Fonte: agenciabrasil

Juíza marca para o dia 4 de abril divulgação de sentença de Marin

Marin é condenado em seis acusações do Caso Fifa

Se pegar pena máxima pelos seis crimes pelos quais foi condenado, a sentença de Marin chegaria a 120 anos de cadeia

O destino de José Maria Marin, o ex-presidente da CBF preso em Nova York depois que foi condenado em dezembro por organização criminosa, fraude financeira e lavagem de dinheiro, será conhecido no dia 4 de abril.

Quando determinou a prisão do cartola, a juíza do caso, Pamela Chen, estimou que ele poderia ficar atrás das grades por pelo menos dez anos pela gravidade dos crimes cometidos. Marin aguarda sua sentença desde o Natal no maior presídio federal de segurança máxima americano, um bunker de concreto no distrito do Brooklyn.

Se pegar pena máxima pelos seis crimes pelos quais foi condenado, a sentença de Marin chegaria a 120 anos de cadeia, mas a sua pena pode ser atenuada por sua idade avançada -ele tem 85 anos- e condições de saúde. Segundo seus advogados, ele sofre de depressão e hipertensão.

O cartola é um dos quatro réus já condenados por envolvimento no escândalo da Fifa, o maior caso de corrupção na história do futebol mundial. Em dezembro, um júri determinou que ele é culpado de receber propina em negociações de contratos para a transmissão de torneios como a Copa América, a Libertadores e Copa do Brasil.

 

Folhapress

Fifa pagará R$ 28 mil por dia a clubes que cederem jogadores à Copa

A Fifa já definiu quanto vai pagar aos clubes que cederem atletas às seleções que vão disputar a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Segundo o jornal “AS”, o valor será de € 7,083 mil diários (cerca de R$ 27,3 mil) por jogador, sujeitos a impostos e deduções. Essa quantia vem de um total de € 180 milhões (cerca de R$ 701 milhões) reservados a pagar esses “empréstimos”.

O montante é € 120 milhões (cerca de R$ 468 milhões) superior ao que foi desembolsado na Copa de 2014, no Brasil, quando foram gastos 60 milhões de euros (cerca de R$ 234 milhões). A entidade informou que só vai pagar esses valores aos times que assinarem um formulário no qual afirmam concordar com as regras da Fifa. O prazo para o envio desse documento foi prorrogado e termina na próxima terça-feira, dia 10 de janeiro.

O recebimento do dinheiro começará a contar duas semanas antes da partida inaugural do Mundial, no dia 14 de junho, e irá até o dia seguinte à eliminação da seleção a que pertence o atleta. No caso de jogadores que mudarem de time até lá, caberá ao clube anterior, responsável pela assinatura do acordo, repassar a quantia para a nova equipe.

Fonte: oglobo

Solto, Garotinho afirma ter documentos provando acusações à Globo

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR), acusado de compra de votos nas eleições de 2012 e de receber dinheiro de caixa 2 no pleito de 2014, publicou texto em seu blog no qual afirma ter documentos que irá divulgar como prova de que a TV Globo pagou propina a dirigentes da Fifa, da CBF e da Concacaf (federação de futebol da América Central e do Norte) para adquirir o direito de transmissão de eventos esportivos. Em nota, a emissora reafirmou seu “compromisso com relações éticas” nesse tipo de negociação e seu “total apoio às investigações e medidas judiciais que garantam a integridade e transparência no futebol”.

Preso em um desdobramento da Operação Chequinho, que apura a compra de votos nas eleições de Campos dos Goytacazes (RJ), Garotinho foi solto na semana passada, por decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Nesta terça-feira, seis dias depois de deixar a cadeia, ele retomou a atividade de seu blog pessoal para divulgar um texto contra a emissora. Garotinho alega possuir documentos e depoimentos que incriminariam a TV Globo no escândalo de corrupção da Fifa, no que chamou de “Padrão Globo de Propina (PGP)”.

Um dos relatos de posse do ex-governador seria o do empresário e jornalista J. Hawilla, “que promete levar para a prisão outros dirigentes da entidade que comanda o futebol brasileiro e de outras federações, confederações e da própria Fifa”. A ponte de Hawilla com a emissora seriam anotações de pagamentos com a sigla “MCP”, que Garotinho diz ser uma referência ao ex-diretor da Globo Marcelo Campos Pinto, e sociedades entre o empresário e a família Marinho, dona da emissora.

Na lista desses negócios, o político cita a unidade da TV TEM, afiliada da TV Globo no interior de São Paulo, em Sorocaba (SP). A VEJA, a emissora explica que “não há, desde 2010, qualquer participação da família Marinho na TV TEM”. A Globo ainda reitera que “em sua cobertura jornalística, continuará a divulgar todas as informações relevantes sobre o assunto”.

Uma das testemunhas mais importantes no escândalo de corrupção da Fifa, Hawilla é dono da empresa de marketing esportivo Traffic, que Garotinho acusa de ser a “principal ponte da propina” para a Globo. “O grande negócio da vida de Hawilla é a Traffic. Foi através dessa empresa que ele se tornou a ponte de propina paga pelo Grupo Globo aos dirigentes da FIFA, da CBF, da Concacaf (América Central) e outras entidades do futebol mundial”, escreveu o ex-governador.

Leia na íntegra a nota da TV Globo

Não há, desde 2010, qualquer participação da família Marinho na TV TEM, uma afiliada da Rede Globo.

O Grupo Globo reafirma seu total apoio às investigações e medidas judiciais que garantam a integridade e transparência no futebol e seu compromisso com relações éticas na aquisição de direitos esportivos.

Reitera ainda que, em sua cobertura jornalística, continuará a divulgar todas as informações relevantes sobre o assunto.

Fonte: veja 

Marin é condenado em seis acusações do Caso Fifa

Marin é condenado em seis acusações do Caso Fifa

Ex-presidente da CBF foi julgado nos EUA e ainda poderá recorrer

A Justiça americana condenou nesta sexta o ex-presidente da CBF José Maria Marin por seis crimes. O ex-dirigente está preso nos Estados Unidos desde 2015 após virem à tona os escândalos envolvendo líderes de confederações e membros da Fifa.

Segundo o GloboEsporte.com, a juíza Pamela Chen ainda não definiu a pena de Marin, que aguardará a decisão, que não tem data para acontecer, em prisão domiciliar.

Caso seja enquadrado com o máximo de cada pena, o ex-presidente da CBF pode pegar até 60 anos de prisão, mas esse número é improvável, afirma a reportagem. Vale lembrar que a sentença foi dada em primeira instância e que ainda cabe recurso.

No mesmo julgamento, Juan Angel Napout, ex-presidente da Conmebol, também foi condenado. Assim como Manuel Burga, ex-líder do futebol no Peru. As sentenças de cada um deles também ainda não foi proferida pela juíza do caso.

Entre os crimes de Marin está o de recebimento de propinas de cerca de 6,5 milhões de dólares de 2012 a 2015. Os pagamentos eram feitos por empresas de marketing esportivo para levar vantagens em direitos de transmissão e presença em competições.

Romário quer se candidatar à presidência da CBF

Em sua conta no Instagram, o senador pelo Podemos-RJ (antigo PTN) e ex-jogador Romário disse que é candidato à presidência da CBF após o afastamento, pela Fifa, de Marco Polo Del Nero, por 90 dias.

“Depois que a FIFA suspendeu o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, de qualquer atividade relacionada ao futebol em nível nacional e internacional, existe uma pergunta no ar: quem será o próximo presidente da CBF?”, perguntou. “Muitos me perguntam se eu sou candidato, afinal, ninguém mais lutou tão vigorosamente contra essa quadrilha e é legítimo que eu me candidate . Então, sim, a resposta é posso sim vir a ser candidato. Tenho todos os pré-requisitos para isso. Toda minha contribuição para o futebol, dentro e fora de campo, são as minhas credenciais”, escreveu.

Pelas regras do estatuto da entidade, somente poderá se candidatar à presidência quem tiver apoio de oito federações filiadas e cinco clubes filiados. Por isso, Romário diz não existir democracia na CBF. “Os corruptos se protegem. Já lancei o movimento por Diretas Já na CBF. Agora clamo a todos que amam o futebol e estão cansados de tanta sacanagem a se juntarem a mim nessa causa. Jogadores, ex-jogadores, técnicos, clubes, empresários e até presidentes de federação que queiram a mudança”, encerrou Romário.

 

Depois que a FIFA suspendeu o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, de qualquer atividade relacionada ao futebol em nível nacional e internacional, existe uma pergunta no ar: quem será o próximo presidente da CBF? A resposta correta é dizer que será um daqueles vices viciados e corruptos, que fazem parte do sistema instalado por Havelange, mantido por Teixeira e todos os outros que os sucederam. Mas qual seria a resposta ideal? Nossa utopia é ver alguém que ama futebol naquele cargo. Hoje está um que ama dinheiro e é capaz de matar o futebol para obtê-lo. E o fez nos últimos anos, vulgo o 7×1. O futebol brasileiro chegou ao fundo do poço em termos de vergonha. Não bastassem os vexames em campo, pela falta de renovação, passamos vergonha internacionalmente por ver os gestores do futebol presos ou indiciados. Muitos me perguntam se eu sou candidato, afinal, ninguém mais lutou tão vigorosamente contra essa quadrilha e é legítimo que eu me candidate . Então, sim, a resposta é posso sim vir a ser candidato. Tenho todos os pré-requisitos para isso. Toda minha contribuição para o futebol, dentro e fora de campo, são as minhas credenciais. Hoje a CBF gasta mais com luxo de dirigente do que com investimento no futebol em si. Além dos roubos comprovados pela CPI, como compra de sede superfaturada e contratos de patrocínios fraudulentos. Temos que fechar essa torneira de corrupção e investir nos jovens atletas, voltar o esporte um pouco para o social, investir no futebol de base e no futebol feminino. O esporte tem um poder transformador e, aliado a isso, junto com as federações, os clubes, os atletas e os torcedores, promover um futebol bom pra todos. Mas da forma como está o estatuto hoje, ninguém de fora da estrutura pode ser candidato. Não existe democracia na CBF. Os corruptos se protegem. Já lancei o movimento por Diretas Já na CBF. Agora clamo a todos que amam o futebol e estão cansados de tanta sacanagem a se juntar a mim nessa causa. Jogadores, ex-jogadores, técnicos, clubes, empresários e até presidentes de federação que queiram a mudança. Vamos juntos! Descrição da imagem #pracegover : ilustração com o texto: “Um presidente para a CBF”.

Uma publicação compartilhada por Romário Faria (@romariofaria) em

Fonte: veja

Presidente da Fifa é acusado de fazer acordos em jogos em 2011

Documentos confidenciais a que o Estado teve acesso revelam que Gianni Infantino, presidente da Fifa, interveio de forma tendenciosa em assuntos disciplinares na Uefa enquanto era seu secretário-geral. Ele teria fechado acordo com suspeitos de envolvimento na manipulação de resultados de jogos na Turquia, entre eles do Fenerbahçe.

O caso – que está sendo revelado pelo Estado e mais dois grandes jornais do mundo – é mais uma polêmica envolvendo o presidente da Fifa que, ao assumir a entidade em meio ao caos da corrupção, garantiu que a crise havia sido superada.

Em 2011, a polícia turca iniciou operação contra a manipulação de resultados no país. Em 10 de julho, 61 pessoas foram presas, entre presidentes de clubes, treinadores e atletas. Meses depois, 93 pessoas foram investigadas num dos maiores casos de manipulação de resultados da Europa. Ao todo, 22 partidas estavam sob suspeita.

Os dirigentes turcos passaram a fazer pressão para evitar que os maiores clubes do país fossem rebaixados ou punidos duramente. Deu certo. Em 18 de setembro de 2014, o então presidente da Federação Turca, Mehmet Ali Aydnlar, revelou bastidores do caso. Ele próprio sugeriu ao Fenerbahçe que ficasse fora da Liga dos Campeões antes que uma pena fosse aplicada ao clube. Ele conta que, em 23 de agosto de 2011, Infantino lhe enviou carta sugerindo que o maior clube da Turquia não disputasse o torneio. “Não é aceitável para a Uefa deixar o Fenerbahçe iniciar a Liga e depois ser eliminado por seu envolvimento com manipulação de jogos”, escreveu Infantino.

Segundo Ali, um “grande processo de barganha” ocorreu na sede da Uefa nas semanas seguintes. “A Uefa aceitou nossa proposta. Em troca de redução de pontos e penas financeiras, o caso seria encerrado. Um ano de suspensão seria aplicado ao time na Europa”, disse. “Fizemos a barganha em nome do futebol turco. Concordaram”. O acordo, porém, era verbal. “Eu pedi confirmação por escrito. Infantino me disse para lhe enviar uma carta para ele confirmar a opinião por escrito”.

CARTAS

Agora, essas cartas estão sendo publicadas e revelam o que seria um entendimento entre as partes. Ninguém seria rebaixado. No lugar disso, clubes perderiam 12 pontos e uma multa de até 2 milhões de liras turcas (R$ 1,72 milhão) seria aplicada. Ficava estabelecido que “os clubes que tivessem cometido violações não participariam de torneios europeus mesmo que eles tivessem direito”. Na carta, os dirigentes admitiam que as leis regulares da entidade seriam ignoradas “uma vez só” para dar espaço a tal entendimento e evitar o rebaixamento do Fenerbahçe.

O código de disciplina da Federação Turca diz que, em caso de manipulação de resultados, os times envolvidos devem ser rebaixados. Para evitar isso, a lei seria substituída por um acordo que previa multas e retirada de pontos. Infantino dava sinal verde para que os turcos ignorassem suas próprias leis. Prevaleceu o “tapetão”. Numa mensagem direcionada à Federação Turca, Infantino cumpre o prometido e dá seu parecer sobre uma decisão que, em princípio, teria de ser tomada pelo Comitê de Disciplina da Uefa, sem o envolvimento do lado executivo da entidade.

“Sua proposta parece razoável, proporcional e apropriada”, escreveu o dirigente que hoje é presidente da Fifa. “Se as sanções forem impostas como foi explicado, elas não serão uma violação das regras da Uefa. Caso as sanções propostas sejam implementadas efetivamente, não acreditamos que a Uefa seja chamada a realizar um novo processo para avaliar o caso”, completou o dirigente.

Nos meses que se seguiram, porém, a Federação Turca optou por não aplicar sanções aos clubes envolvidos. Nem a Uefa. Em maio de 2012, os clubes foram inocentados. O jogador Ibrahim Akin foi punido por três anos de suspensão. Outros atletas e oito dirigentes também foram punidos, inclusive do Fenerbahçe. A Uefa não se pronunciou.

Em 2013, o Comitê de Disciplina da entidade suspendeu o Fenerbahçe por dois anos de torneios europeus. Um ano depois do início do caso, uma corte especial na Turquia decretou a prisão de diversos dirigentes. Em março de 2014, o governo turco pediu novo julgamento. Os 35 acusados foram inocentados.

OUTRO LADO

Procurado pelo Estado, Infantino insistiu que sua trajetória na “luta contra a manipulação de resultados fala por si só”. Segundo ele, “quatro clubes foram excluídos de jogos das competições da Uefa. Decisões disciplinares foram tomadas e confirmadas por órgãos judiciais como a Corte Arbitral dos Esportes”.

A Uefa explicou que não existe um padrão sobre a penalidade em casos de manipulação de resultados. Para a entidade, a carta de Infantino de 2012 deixa claro que cabia à Federação Turca a responsabilidade em tratar do assunto.

Carta de Infantino à Federação Turca
Carta de Infantino à Federação Turca (tradução abaixo)

UNIÃO DAS ASSOCIAÇÕES EUROPEIAS DE FUTEBOL

Enviado por fax para

Federação de Futebol Turca (TFF)

Mrs. Ebru A. Koksal, secretária geral

Sariyer Istambul

 

Agradecemos sua carta de 19 de janeiro de 2012 em que a senhora nos informou sobre o Congresso Extraordinário da TFF que teria lugar em 26 de janeiro de 2012 com o fim de discutir e solucionar  vários casos de supostos “match-fixing” (acerto prévio de resultados de jogos) que ocorreram recentemente na Turquia.

Em sua carta, a senhora descreveu as sanções estabelecidas para casos ocorridos quando dos jogos das temporadas de 2010-2011 e 2011-2012.

Apesar de entendermos que a tarefa de tratar desse assunto é em primeiro lugar de responsabilidade da TFF (e que também é da sua responsabilidade garantir que as sanções sejam aplicadas conforme as regras legais nacionais aplicáveis), queremos informar, em nome da UEFA, que levando em conta todas as circunstâncias, sua proposta parece uma resposta sensata, proporcional e apropriada para dirimir o assunto. Temos confiança de que os senhores serão capazes de aplicar rapidamente as sanções propostas, levando em conta, naturalmente, todas as exigências no sentido de um processo devido.

Em resposta à pergunta direta formulada em sua carta, em nossa opinião a aplicação das sanções como foi descrita não constituiria uma violação dos Estatutos ou Regulamentos da UEFA. A única condição que estabelecemos é que a interpretação desses Estatutos e Regulamentos da UEFA seja no final examinada por órgãos judiciais independentes da UEFA. No entanto, neste momento, o que podemos afirmar é que, desde que as propostas sanções sejam efetivamente aplicadas, não vemos nenhuma necessidade de novos procedimentos da parte da UEFA para a solução deste assunto particular.

Nós nos sentiríamos honrados se a senhora puder nos manter informados dos desdobramentos deste caso particular e gratos à TFF por sua cooperação construtiva no sentido de proteger a reputação e a integridade do nosso esporte, tanto a nível nacional como europeu.

Atenciosamente

UEFA

As. Gianni Infantino Secretário Geral

 

Resposta da Federação Turca para Infantino

Resposta da Federação Turca para Infantino. Foto: Reprodução
Resposta da Federação Turca para Infantino. Foto: Reprodução
Resposta da Federação Turca para Infantino. Foto: Reprodução

Tradução do documento

FEDERAÇÃO DE FUTEBOL TURCA

Secretaria Geral

2012/27-1985

Assunto – Congresso Extraordinário

Prezado Sr. Infantino

O Congresso Extraordinário da TFF será realizado em 26-01-2012, A pauta do congresso é “discutir e decidir as possíveis sanções a serem impostas aos clubes acusados de envolvimento em “match-fixing” ((acerto prévio de resultados de jogos) e se concessões de prêmios como incentivo devem ou não ser modificadas.

Pretendemos tomar uma decisão no Congresso Extraordinário da TFF, de aplicar, desta única vez, não as sanções previstas nas Disciplinary Regulations e  Competitions Regulations, mas as sanções abaixo mencionadas, aos clubes que se comprovar estavam envolvidos na manipulação de resultados de jogos.

Neste contexto, ficaríamos gratos de ser informados se a aplicação das sanções abaixo mencionadas, que serão determinadas por decisão do Congresso Extraordinário da TFF, aos clubes envolvidos em atos de manipulação, no final de um processo disciplinar estabelecido pelo Comitê Disciplinar, constitui uma violação dos Estatutos ou outros regulamentos da UEFA, e neste aspecto, se sanções poderão ser impostas à TFF, à equipe nacional turca ou aos clubes ou às equipes dos times de futebol turcos.

SANÇÕES QUE PODEM SER DECIDIDAS PELO CONGRESSO EXTRAORDINÁRIO DA TFF :

 PARA A TEMPORADA 2010-2011

Os clubes envolvidos na manipulação de resultados de jogos devolverão os prêmios ganhos na temporada de jogos de futebol de 2010-2011, quando as manipulações ocorreram

Os clubes envolvidos na manipulação de resultados de jogos devolverão à TFF todas as receitas de TV que ganharam baseadas nos pontos, nos primeiros seis lugares do ranking e o título de campeão que obtiveram com os jogos manipulados, a fim de que sejam retornados aos clubes merecedores.

PARA A TEMPORADA 2011-2012

1 – Dependendo da gravidade da manipulação dos resultados dos jogos, uma dedução de não menos de 12 pontos será imposta aos clubes envolvidos na operação; essas deduções serão feitas na temporada 2011-2012

2 – Além disto, será imposta uma multa de valor não inferior a 2.000.000 liras turcas e não mais do que 10.000.000  liras turcas para os clubes da Super Liga e uma multa não inferior a 500.000 liras turcas e não superior a 2.000.000 liras turcas para os clubes da Primeira liga da TFF.

3 – Os clubes cuja violação for confirmada, não poderão participar dos torneios europeus no final da temporada, mesmo que tenham conseguido se qualificar; no lugar deles, os clubes seguintes no ranking é que participarão dos torneios europeus.

Atenciosamente

Ebru Köksal

Secretaria Geral

Fonte: O Estado de S. Paulo

Brasil fica no Grupo E da Copa do Mundo e estreia contra a Suíça em Rostov

A Fifa realizou nesta sexta-feira o sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018. A Rússia, que estava no pote 1 por ser a anfitriã do torneio, ficou no Grupo A ao lado de Arábia Saudita, Egito e Uruguai. O jogo de abertura entre russos e sauditas, no dia 14, será em Moscou. A seleção brasileira caiu no Grupo E e faz sua estreia no dia 17 de junho em Rostov contra a Suíça. Depois pega a Costa Rica no dia 22 de junho, em São Petersburgo, e fecha a primeira fase contra a Sérvia em Moscou, dia 27 de junho.

Grupos da Copa do Mundo de 2018 (Foto: Reprodução/Twitter)

Atual campeã do mundo, a Alemanha caiu no Grupo F ao lado de México, Suécia e Coreia do Sul. Os alemães podem enfrentar o Brasil nas oitavas de final da Copa do Mundo. Para isso acontecer, basta que um fique em primeiro e outro em segundo em suas respectivas chaves.

A seleção da Argentina terá pela frente no Grupo D Islândia, Croácia e Nigéria. A estreia dos hermanos no Mundial da Rússia será contra a Islândia em Moscou, dia 16 de junho.

Quem apresentou e conduziu o sorteio dos grupos da Copa de 2018 foi o ex-jogador e ídolo inglês Gary Lineker. Ele teve a ajuda de outros astros do futebol para escolher as bolinhas nos potes: Cafu, Maradona, Diego Forlán, Fabio Cannavaro, Carles Puyol, Laurent Blanc, Gordon Banks e Nikita Simonyan.

Maradona observa Cafu durante o sorteio da Copa do Mundo (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters)

O primeiro discurso na cerimônia foi do presidente da Rússia, Vladimir Putin. Ao lado de Gianni Infantino, presidente da Fifa, o líder russo garantiu que o país está de braços abertos para receber turistas e torcedores de todo o mundo.

– Nosso país pretende realizar a Copa no mais alto nível, para que os jogadores possam demonstrar sua maestria e verdadeiro futebol. Temos certeza que impressões inesquecíveis serão deixadas naqueles que vierem à Rússia. Verão não só os jogos, mas conhecerão a cultura russa, nossa história e natureza única. Também poderão sentir nossa alegria tradicional, ainda mais porque os jogos serão realizados em 11 cidades, e os fãs terão oportunidades de visitar as regiões do país. Sabemos receber nossos amigos – disse Putin.

Infantino e Vladimir Putin durante o sorteio dos grupos da Copa de 2018 (Foto: Grigory Dukor/Reuters)

A Copa do Mundo de 2018, na Rússia, será disputada entre os dias 14 de junho e 15 de julho. Ao todo, 11 cidades receberão os jogos da competição. Moscou, a capital do país, terá dois estádios no torneio: o estádio do Spartak e o Luzhnik. Ele receberá sete jogos: a abertura e mais três na primeira fase, uma partida de oitavas de final, uma semifinal e a grande decisão.

Ídolos de Brasil e Argentina, Pelé cumprimenta Maradona em Moscou (Foto: Reprodução / Twitter)

Após o discurso de Vladimir Putin, Infantino teve a palavra. Lembrou que a preparação para o Mundial entrou na reta final e aproveitou para agradecer o empenho e dedicação dos russos na organização do evento de 2018:

– A tensão cresce, e se estamos hoje aqui, meu primeiro agradecimento vai para a Rússia, para o presidente Putin, o governo russo, todos os voluntários e todas as pessoas na Rússia, que trabalharam muito forte para nos trazer onde estamos, para que cheguemos em um novo estágio, mais próximo do torneio. Obrigado, Rússia!

Confira os grupos da Copa do Mundo de 2018

Grupo A:

Rússia
Arábia Saudita
Egito
Uruguai

Grupo B:

Portugal
Espanha
Marrocos
Irã

Grupo C:

França
Austrália
Peru
Dinamarca

Grupo D:

Argentina
Islândia
Croácia
Nigéria

Grupo E:

Brasil terá pela frente Suíça, Costa Rica e Sérvia (Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters)

Brasil
Suíça
Costa Rica
Sérvia

Grupo F:
Alemanha
México
Suécia
Coreia do Sul

Grupo G:
Bélgica
Panamá
Inglaterra
Tunísia

Grupo H:
Polônia
Senegal
Colômbia
Japão

Veja como foram as regras do sorteio

• Seleções de uma mesma confederação não podiam cair no mesmo grupo, fora as da Uefa (Europa)

• Cada chave teria que ter pelo menos uma e não mais do que duas equipes europeias

• O sorteio começou pelo pote 1

Fonte: g1