Confira a lista dos 10 filmes mais pirateados da semana (20/04/2020)

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

A lista atualizada dos filmes campeões de downloads nos serviços de torrent chega com algumas novidades. Uma delas é A Ilha da Fantasia, que já aparece assumindo a liderança, de acordo com o TorrentFreak, tomando o lugar ocupado por Bad Boys Para Sempre nas duas edições anteriores.

Na história, os visitantes que chegam a uma ilha mágica localizada no meio do Oceano Pacífico têm a chance de realizar os seus sonhos, vivendo aventuras que só seriam possíveis ali. Porém, a realização dos desejos pode não sair da maneira esperada.

Outra produção estreante no ranking dos filmes mais pirateados da semana é The Rhythm Section, que surge na 6ª posição. A trama acompanha uma mulher em busca da verdade sobre o acidente de avião no qual a sua família morreu. Depois de descobrir que o desastre foi armado, ela inicia uma missão em busca dos responsáveis pela tragédia. Black Lively e Jude Law estão no elenco.

E também tem animação chegando à lista. Ocupando a 7ª colocação, Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion traz de volta os famosos personagens do universo dos games, participando de um torneio que pode determinar o destino do planeta. Nomes como Liu Kang, Sonya Blade, Johnny Cage, Sub-Zero e Liu Kang, entre outros, além do Scorpion, aparecem na história.

No restante da lista, há mudanças apenas de posições em relação ao ranking anterior, com o novo Bad Boys caindo para o 2º lugar e Trolls 2 fechando o pódio. Você pode conferir a lista completa dos 10 filmes mais pirateados abaixo, mas antes de mostrá-la, lembramos que o TecMundo é contra o download ilegal de qualquer tipo de mídia. Recomendamos o acesso a tais conteúdos somente pelos meios legais.

10. Bloodshot

9. IP Man 4

8. Sonic: O Filme

7. Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion

6. The Rhythm Section

5. Maria e João: O Conto das Bruxas

4. Magnatas do Crime

3. Trolls 2

2. Bad Boys Para Sempre

1. A Ilha da Fantasia

Via Tecmundo

Nova regra do Festival de Cannes exclui Netflix da premiação

O Festival determinou a exclusão de todos os filmes não exibidos nos cinemas franceses

Uma nova regra do Festival de Cannes excluiu a Netflix da edição deste ano, informou nessa quarta-feira (11/4) Ted Sandoros, diretor de conteúdo da empresa americana.

O Festival, que nesta quinta-feira (12/4) anuncia sua seleção, determinou a exclusão de todos os filmes não exibidos nos cinemas franceses.

“Queremos que nossos filmes estejam em pé de igualdade com os demais. Se existe o risco de nossos filmes e cineastas receberem um tratamento desrespeitoso no festival (…) acredito que é melhor não estarmos lá”.

No ano passado, a Netflix optou por não distribuir para os cinemas seu filme “Okja” para não retardar a exibição entre seus assinantes. Também concorreu com “The Meyerowitz Stories”, de Noah Baumbach.

A lei francesa determina que após a estreia nos cinemas, um filme deve aguardar quatro meses para ser lançado em DVD ou no sistema OnDemand. Depois de 10 meses pode ser exibido na TV aberta e após 36 meses em qualquer serviço ‘streaming’.

A Netflix não descarta exibir seus filmes nos cinemas franceses, mas se nega a esperar três anos para tê-los em sua plataforma.

“Esperamos que [Cannes] mude as regras, se modernize (…). Propomos que Cannes se reúna com a comunidade mundial do cinema”.

Fonte: correiobraziliense

“Jogos Vorazes” e “Crepúsculo” podem ter continuação

O CEO da Lionsgate, Jon Feltheimer, deu a entender que o estúdio não está pronto para acabar com as franquias Jogos Vorazes e Crepúsculo. Ele disse, porém, que a companhia só vai seguir com esses planos se entrarem em acordo com Stephenie Meyer e Suzanne Collins, autoras dos livros que inspiraram os filmes.

“Há muitas histórias a serem contadas, e nós estamos prontos para contá-las quando nossos criadores estiverem prontos para criarem essas histórias”, disse Feltheimer durante reuniões com analistas financeiros na última terça-feira (9/8).

O chefe da Lionsgate não quis fazer previsões para o futuro de Katniss Everdeen e Edward Cullen. “Se fosse possível reunir todos nós em uma sala e ter expositores, estúdios e distribuidores digitais todos em uma sala juntos, eu já fiz pesquisas suficientes para realmente acreditar que isso é algo que seria muito bom para todos”, disse Feltheimer.

Fonte: metropoles.com

Sem Game of Thrones, Emmy 2017 anuncia seus indicados

Sem Game of Thrones, Emmy 2017 anuncia seus indicados

Netflix e HBO protagonizam duelos nas principais categorias do prêmio

As Academias de Arte e Ciência Televisivas divulgaram nesta quinta (13/7) as aguardadas indicações para a premiação dos Emmy Awards de 2017. O prêmio é considerado mais importante da televisão, o “Oscar” das séries e programas de TV.

Neste ano, a série Game of Thrones, sempre favorita, ficou de fora da disputa porque a sua sétima temporada só estreia neste domingo (16/7), já fora do período elegível para 2017. Com isso, os destaques são as séries originais da Netflix, que concorrem aos principais prêmios.

“House of Cards”, “Stranger Things” e “The Crown” disputam a categoria de melhor série de drama com “Better Call Saul”, “The Handmaid’s Tale”, “This Is Us” e “Westworld”, a aposta da HBO para substituir o sucesso de Game of Thrones.

E apesar da grande quantidade de séries da Netflix indicada, quem lidera mesmo as indicações é justamente “Westworld”, com 22 nomeações, incluindo de melhor ator em drama para Anthony Hopkins e melhor atriz em drama para Evan Rachel Wood. A série ainda concorre em categorias como melhor direção e roteiro, além de prêmios técnicos.

“Stranger Things” vem logo em seguida, com 18 indicações. A série também concorre em direção e roteiro, além de categorias técnicas, e em três de atuação. Millie Bobby Brown, de apenas 13 anos, foi indicada a melhor atriz coadjuvante em drama por viver a personagem Eleven. David Harbour, o detetive Jim Hopper, foi indicado a melhor ator coadjuvante em drama. Já Shannon Purser, a falecida Barb Holland, foi indicada ao prêmio de melhor atriz convidada numa série de drama.

Nas séries de comédia, a disputa também inclui Netflix e HBO. O serviço de streaming tem “Master of None” e “Unbreakable Kimmy Schmidt” como indicadas, enquanto o canal pago tem “Veep” e “Sillicon Valley”. Concorrem ainda a estreante “Atlanta”, que deve ser a favorita, e ainda as veteranas “Black-ish” e “Modern Family”.

Outros fortes nomes, estes da categoria de melhor série limitada ou telefilme, também lideram as indicações gerais e, principalmente, nas de atuação: “Big Little Lies” e “Feud: Bette and Joan”. Das seis indicações a melhor atriz, quatro são dessas duas minisséries, com Reese Witherspoon (“Big Little Lies”), Nicole Kidman (“Big Little Lies”), Susan Sarandon (“Feud”) e Jessica Lange (“Feud”).

A cerimônia do Emmy 2017 será realizada no dia 17 de setembro no Microsoft Theater, em Los Angeles, e terá como anfitrião o apresentador e comediante Stephen Colbert, grande crítico ao governo do presidente dos EUA Donald Trump, que deve dar um tom político à premiação.

Confira a seguir as principais indicações:

Melhor série de drama

Better Call Saul

House of Cards

Stranger Things

The Crown

The Handmaid’s Tale

This Is Us

Westworld

Melhor série de comédia

Atlanta

Black-ish

Master of None

Modern Family

Sillicon Valley

Unbreakable Kimmy Schmidt

Veep

Melhor ator em série de drama

Matthew Rhys, The Americans

Bob Odenkirk, Better Call Saul

Kevin Spacey, House of Cards

Liev Schreiber, Ray Donovan

Sterling K. Brown, This Is Us

Milo Ventimiglia, This Is Us

Anthony Hopkins, Westworld

Melhor atriz em série de drama

Keri Russell, The Americans

Claire Foy, The Crown

Elisabeth Moss, The Handmaid’s Tale

Robin Wright, House of Cards

Viola Davis, How to Get Away with Murder

Evan Rachel Wood, Westworld

Melhor ator em série de comédia

Anthony Anderson – Black-ish

Aziz Ansari – Master of None

Zach Galifianakis – Baskets

Donald Glover – Atlanta

William H. Macy – Shameless

Jeffrey Tambor – Transparent

Melhor atriz em série de comédia

Pamela Adlon – Better Things

Jane Fonda – Grace and Frankie

Allison Janney – Mom

Ellie Kemper – Unbreakable Kimmy Schmidt

Julia Louis-Dreyfus – Veep

Tracee Ellis Ross – Black-ish

Lily Tomlin – Grace and Frankie

Melhor ator em série limitada

Ewan McGregor – Fargo

Geoffrey Rush – Genius

Benedict Cumberbatch – Sherlock: The Lying Detective

Riz Ahmed – The Night Of

John Turturro – The Night Of

Robert De Niro – The Wizard of Lies

Melhor atriz em série limitada

Carrie Coon – Fargo

Felicity Huffman – American Crime

Nicole Kidman – Big Little Lies

Jessica Lange – Feud

Susan Sarandon – Feud

Reese Witherspoon – Big Little Lies

Ator coadjuvante em série de drama

Jonathan Banks – Better Call Saul

Ron Cephas Jones – This Is Us

David Harbour – Stranger Things

Michael Kelly – House of Cards

John Lithgow – The Crown

Mandy Patinkin – Homeland

Jeffrey Wright – Westworld

Atriz coadjuvante em série de drama

Uzo Aduba – Orange Is the New Black

Millie Bobby Brown – Stranger Things

Ann Dowd – The Handmaid’s Tale

Chrissy Metz – This Is Us

Thandie Newton – Westworld

Samira Wiley – The Handmaid’s Tale

Ator coadjuvante em comédia

Louie Anderson – Baskets

Alec Baldwin – Saturday Night Live

Tituss Burgess – Unbreakable Kimmy Schmidt

Ty Burrell – Modern Family

Tony Hale – Veep

Matt Walsh – Veep

Atriz coadjuvante em comédia

Vanessa Bayer – Saturday Night Live

Anna Chlumsky – Veep

Kathryn Hahn – Transparent

Leslie Jones – Saturday Night Live

Judith Light – Transparent

Kate McKinnon – Saturday Night Live

Ator coadjuvante em série limitada

Bill Camp – The Night Of

Alfred Molina – Feud

Alexander Skarsgard – Big Little Lies

David Thewlis – Fargo

Stanley Tucci – Feud

Michael Kenneth Williams – The Night Of

Atriz coadjuvante em série limitada

Judy Davis – Feud

Laura Dern – Big Little Lies

Jackie Hoffman – Feud

Regina King – American Crime

Michelle Pfeiffer – The Wizard of Lies

Shailene Woodley – Big Little Lies

Fonte: metropoles.com

França autoriza filmes com sexo explícito para menores

França autoriza filmes com sexo explícito para menores

Governo eliminou artigo de lei que estabelecia que todo filme que continha cenas do tipo devia ser automaticamente restrito a adultos.

A França permitirá, a partir desta quinta-feira, que filmes com cenas de sexo explícito sejam autorizados a menores de 18 anos, sempre e quando permitir uma comissão de avaliação. O Diário Oficial francês publicou o decreto do Ministério de Cultura que elimina o artigo da lei que proibia qualquer filme com cenas de sexo explícito a menores.

O governo responde assim a uma exigência da indústria do cinema francês, ao mesmo tempo que limita a margem de manobra da associação fundamentalista católica Promouvoir. Nos últimos anos, ela batalhou para proibir a difusão de vários filmes entre menores. Os dois mais simbólicos foram Azul É a Cor Mais Quente (2013), de Abdellatif Kechiche, e Love (2015), do franco-argentino Gaspar Noé.

Inicialmente proibidos só a menores de 16 anos, os filmes foram finalmente vetados a todos os menores depois que a Promouvoir travou contra eles uma batalha legal que acabou anos após a estreia dos longas. Essas ações provocaram a reação do mundo do cinema, que se considerava cerceado.

Será a Comissão Nacional do Cinema a encarregada de avaliar se as cenas de sexo de um filme justificam seu veto a menores. O órgão, já encarregado de catalogar os filmes, terá uma maior margem de manobra graças à publicação do decreto. Sua opinião será levada em conta pelo Ministério para dar uma autorização de exploração a todos os públicos.

O decreto estabelece que a classificação deverá ser “proporcionada às exigências da proteção da infância e da juventude, levando em conta a sensibilidade e o desenvolvimento da personalidade próprias a cada idade e o respeito à dignidade humana”.

Os filmes serão proibidos aos menores quando contenham cenas “que, em particular por sua acumulação, possam perturbar a sensibilidade dos menores” ou que apresentem a violência como um fato positivo ou banal.

Em 2015, dos cerca de 700 filmes analisados pela comissão, 53 foram proibidos a menores de 12 anos, cinco a menores de 16 e quatro a menores de 18. Por outro lado, o decreto também prevê que seja diretamente o Tribunal de Apelação de Paris a se pronunciar em caso que a classificação de um filme seja levada à Justiça. Desta forma, o Ministério prevê encurtar os prazos nos possíveis litígios, que sempre poderão chegar à Corte Suprema.

Fonte: veja.com

Acervo da Cinemateca Brasileira está disponível online

Acervo da Cinemateca Brasileira está disponível online

Estão disponíveis reportagens e telenovelas da extinta TV Tupi e longas-metragens.

A Cinemateca Brasileira realiza um importante trabalho de difusão de seu acervo, por meio do Banco de Conteúdos Culturais (BCC). Estão disponíveis no site, por exemplo, reportagens e telenovelas da extinta TV Tupi, longas-metragens produzidos pelos estúdios Atlântida e Vera Cruz, filmes mudos, cartazes de filmes brasileiros e estrangeiros, entrevistas, fotografias e outras preciosidades do audiovisual nacional.

De acordo com a coordenadora do Centro de Documentação e Pesquisa da Cinemateca Brasileira, Gabriela Sousa de Queiroz, em 2016, o BCC teve 781.319 visualizações de páginas e foi acessado por 50.214 usuários. Além disso, o banco teve uma relevante quantidade de acessos internacionais, mais de oito mil, em sua maioria dos Estados Unidos, Portugal, França e Alemanha. Segundo Gabriela, a importância do BCC reside no seu potencial para difusão em larga escala de coleções audiovisuais preservadas pela Cinemateca Brasileira.

Os conteúdos são disponibilizados a partir de um trabalho de pesquisa, catalogação, processamento técnico das matrizes audiovisuais e sua digitalização. Dessa forma, o público tem acesso a um conteúdo contextualizado (ficha técnica, sinopse, assuntos etc.). “Trata-se de uma tentativa de ampliar o acesso a conteúdos culturais de grande relevância para a pesquisa no campo, mas também para um público mais amplo interessado no audiovisual brasileiro.

O projeto dialoga ainda com o Plano Nacional de Cultura que, na sua meta 40, prevê indicadores relativos à disponibilização de conteúdos digitais da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico Audiovisual, unidades da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura”, explica a coordenadora.

Novidades

Os usuários do Banco de Conteúdos Culturais contarão em breve com novidades. No primeiro trimestre de 2017, deverão ser publicados novos conteúdos a partir dos trabalhos de digitalização de coleções da Cinemateca Brasileira (cartazes, fotografias etc.) realizados em 2016. Destaque para a futura publicação de materiais de arquivo sobre o fundador da Cinemateca Brasileira, Paulo Emílio Sales Gomes (1916-1977), professor, crítico, conservador audiovisual e militante político.

Gabriela adianta ainda que, também no primeiro trimestre desse ano, o site ganhará um novo layout. “O objetivo principal da mudança é facilitar a utilização do site, tanto pelos usuários que acessam o banco para uma busca específica, quanto para as pessoas interessadas nos temas de forma mais ampla e que poderão agora explorar o acervo de forma mais visual e intuitiva, melhorando a experiência”, afirma.

“Uma nova estrutura para a página inicial foi criada, com ênfase nos materiais multimídia, projetos especiais e busca simplificada e unificada. Para manter um padrão de identidade entre as plataformas de comunicação on-line da instituição, o BCC foi redesenhado de acordo com as diretrizes visuais do novo site da Cinemateca, publicado em outubro de 2016”, explica. Com informações do MinC.