Novo inquérito contra Geddel é redistribuído para Alexandre de Moraes

Depois de o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizar, em dezembro, novo inquérito para investigar o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), por crime de peculato, foi definido na terça-feira (2/1) que o relator do caso será o ministro Alexandre de Moraes. Também são investigados nesse inquérito o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB), o diretor legislativo da Câmara Afrísio Vieira Lima Filho, e a mãe deles, Marluce Vieira Lima.

Cármen Lúcia mantém aliado de Geddel em prisão domiciliar

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), manteve em prisão domiciliar o ex-chefe da Defesa Civil de Salvador Gustavo Pedreira do Couto Ferraz, aliado do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB/BA). Os dois são acusados pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa pelo bunker de R$ 51 milhões descoberto pela Polícia Federal de propriedade do empresário Silivio Antônio Cabral Silveira, que admitiu às autoridades que emprestou o imóvel ao irmão de Geddel, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB), a pretexto de guardar bens do pai do peemedebista, já falecido. No dinheiro, foram encontradas digitais de Ferraz e de Geddel.

Moraes vota para tirar de Moro investigações de Cunha e Geddel

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta terça-feira, 19, para tirar do juiz federal Sérgio Moro as investigações contra o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), no âmbito do julgamento sobre a extensão da imunidade presidencial e o desmembramento das investigações do “quadrilhão do PMDB” da Câmara.