Jantar romântico no “Mais Você” dá errado e vira chacota na web

Revista :: Tudo sobre tudo - https://revista.painelpolitico.com

Ana Maria Braga e a produção do programa prepararam um jantar romântico para casal, mas mulher não gostou e brigou com o namorado; entenda

O “Mais Você” desta quarta-feira (12) resolveu preparar uma surpresa de dia dos namorados e fez um jantar a luz de velas para um casal, mas o resultado acabou não sendo como o esperado e, mesmo gravado, a equipe do programa resolveu colocar a comemoração no ar e viralizou na web.

Uma repórter do ” Mais Você ” foi até um shopping do Rio procurar um rapaz que quisesse surpreender a namorada e encontrou Pedro . O rapaz topou fazer a surpresa para Nicole e a equipe da Globo levou a moça de surpresa para um jantar dentro Projac.

O problema é que Nicole não gostou muito da atitude de Pedro, e durante o jantar, e acabou brigando o namorado, viralizando nas redes sociais.

Depois de exibir o jantar desastroso no “Mais Você “, Ana Maria Braga falou ao vivo que eles poderiam ter deixado de exibir a “surpresa”, mas que ele mostra a vida real.

Com IG

Acusado de homofobia, Ratinho é acionado pela Defensoria Pública

Defensoria Pública do Estado de São Paulo ofereceu uma denúncia administrativa contra Ratinho na última quinta-feira, após o apresentador postar um vídeo no Instagram em que critica as novelas da Globo, por, segundo ele, ter muitos homossexuais.

Através do seu Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial, a Defensoria pede que a Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania instaure um processo administrativo e, ao final do procedimento, aplique multa ao apresentador por discriminação homofóbica. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, Ratinho poderá ser multado em até 3.000 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo) e o valor ainda poderá ser aumentado em até dez vezes. Como uma Ufesp equivale à  25,70 reais atualmente, 3.000 equivalem a 77.100 reais.

Através de um comunicado à imprensa, o defensor público Rodrigo Leal defendeu que a fala do apresentador “é uma verdadeira exposição ampla via internet de ofensas homofóbicas proferidas contra os homossexuais de forma geral, tomando a homossexualidade masculina como algo negativo e ruim que, necessariamente, desqualificaria e depreciaria a programação de uma emissora de televisão”.

“Muito viado”

Na última quinta-feira, Ratinho publicou um vídeo na sua conta do Instagram contando que assistiu à minissérie de época Entre Irmãs e criticou a emissora responsável: “A Globo colocou viado até em filme de cangaceiro, gente? Naquele tempo não tinha viado, não. Você acha que tinha viado naquele tempo? É muito viado”. Depois da repercussão, o apresentador chegou a postar um novo vídeo, afirmando que tudo não passava de uma brincadeira.

Procurada, a assessoria do apresentador afirmou que não se pronunciará sobre o caso.

 

Fonte: veja

Repórter da Globo xinga jornalista nas redes sociais

Eric Faria, repórter da Rede Globo, discutiu com o jornalista José Calil, da Rádio Transamérica, nesta segunda-feira. Em uma publicação no Twitter, Faria rebateu uma indireta de Calil, que é torcedor assumido do Santos e resolveu relembrar a polêmica do repórter durante a partida entre a equipe paulista e o Flamengo, válida pela volta das quartas de final da Copa do Brasil.

“Será que o repórter vai avisar o juiz agora no intervalo que dois jogadores do Flamengo brigaram e merecem expulsão? Ou ele só avisa quando é a favor?”, escreveu Calil, durante a partida contra o Corinthians, no domingo. Faria rebateu nesta segunda e xingou o jornalista. “Não. Vou avisar que você é otário. Um cara que não honra a sua profissão. As suas calças.”

A discussão surgiu após a briga entre Felipe Vizeu e Rhodolfo, com troca de empurrões e comemoração com um gesto ofensivo depois do gol marcado pelo atacante. Calil relembrou a polêmica levantada por Modesto Roma Jr., presidente do Santos, que acusou Faria de ter comunicado ao quarto árbitro da partida contra o Flamengo que um pênalti a favor da equipe paulista não era legítimo. Na época, o repórter da Globo negou qualquer interferência e o clube não apresentou provas.

Após a resposta de Eric Faria, Calil completou. “A respeito da manifestação do repórter oficial da torcida do Flamengo a meu respeito tenho apenas o seguinte a dizer: perdeu totalmente a linha. Vestiu a carapuça. Como deve ser difícil ter a consciência pesada.”

Fonte: veja

Galã da Globo perde ação trabalhista de R$ 2 milhões para Record

O ator Bruno Ferrari, que atualmente participa da novela das seis da GloboTempo de Amar, perdeu processo trabalhista que movia contra a Record, sua antiga emissora. No processo, ele buscava o reconhecimento de vínculo trabalhista pelos quase nove anos e meio em que atuou no canal. Contratado como pessoa jurídica nesse tempo, Bruno requeria indenização pelos encargos trabalhistas não recbidos. O valor da causa havia sido estipulado em 100 000 reais, mas a indenização poderia chegar perto dos 2 milhões de reais, caso o pedido fosse atendido pela Justiça.

Na sua decisão, a juíza Danielle Soares Abeijon, da 27ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, explicou que a contratação de atores por pessoa jurídica é praxe na profissão e que a prática não configura vínculo empregatício. “Aliás constitui prática do mercado a contratação de artistas por meio de pessoas jurídicas, sendo certo que este tipo de contratação normalmente é benéfica aos artistas, que pagam percentual de imposto de renda muito inferior àquele que pagariam caso tivessem sido contratados como celetistas e auferem contraprestação superior aos celetistas”, escreveu na sentença.

“Não há elementos nos autos que permitam concluir pela fraude na contratação do autor. A circunstância de existir ao mesmo tempo atores empregados e atores autônomos na ré, na mesma novela, não constitui prova da existência de fraude, pois isto tem que ser analisado caso a caso”, pontuou a juíza em outro momento da sentença.

Como se trata de uma decisão em primeira instância, os advogados de Bruno ainda podem entrar com recurso ordinário para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio de Janeiro.

Fonte: veja

Ex-funcionário da Globo e amigo afirmam que vazaram vídeo de Waack

Dois jovens admitiram terem vazado o vídeo em que William Waack se prepara para uma passagem durante a cobertura da eleição de Donald Trump, no ano passado. Ele aparece reclamando de um motorista que buzina, afirmando que “é coisa de preto”.  Ele foi afastado do Jornal da Globo depois do vazamento. O operador de VT Diego Rocha Pereira, 28 anos, e o designer gráfico Robson Cordeiro Ramos, 29, afirmaram à Jovem Pan que foram eles os responsáveis por divulgar as imagens.

Ex-funcionário da Rede Globo, Diego diz que a equipe de link externo estava se preparando para a entrada de Waack com um consultor – mesmo quando a imagem não está sendo transmitida, os operadores têm acesso a ela. “Tudo aconteceu enquanto a produção estava colocando o microfone nele”, explica Diego. “Eu ainda voltei as imagens para ter certeza, não estava acreditando que ele teria falado aquilo. Fiquei tão revoltado que filmei com meu celular”, diz.

Quem divulgou o vídeo foi Robson.  “Soltei o vídeo em um grupo de líderes do movimento negro”, conta, garantindo que a intenção não era necessariamente atingir Waack. “Mas não foi premeditado essa repercussão, a ideia era mostrar para os amigos que um jornalista influente como ele também poderia ser racista”, afirma.

Segundo os dois, eles já tinham mostrado o vídeo para algumas pessoas da imprensa, mas não houve interesse.  “Chegamos a ouvir, ‘se não é do William Bonner’, não interessa”, conta Ramos. Diego conta que chegou a perder o vídeo, mas acabou recuperando. “O vídeo original ficou em um celular que perdi durante o Carnaval. Mas o Robson tinha ele em um backup, quando foi atualizar o telefone recentemente, o vídeo apareceu”,

Comentário preconceituoso
Os dois amigos afirmam que se ofenderam com o comentário de Waack e dizem que esse tipo de fala parece ser comum para o jornalista. “Ele faz o comentário de graça, tá tudo normal no estúdio, e ele fala de graça”, diz Diego. “Eu me revolto porque ele trabalha com milhões de negros dentro da Globo. Ele é o âncora, ele traz a informação, mas em volta dele tem um monte de negros trabalhando. Fico imaginando como ele é fora da câmera”, acrescenta o amigo.

Eles acham que a punição a Waack pode ter uma repercussão positiva na sociedade.  “As pessoas vão pensar: ‘olha o que aconteceu com ele, se eu tiver a mesma atitude, acontecerá comigo também’”, acredita Ramos. Diego reclama que no cenário da fala de Waack, não houve nenhuma repreensão dos presentes. “Ali estava cheio de gente, tinha coordenador, diretor de imagem, o próprio entrevistado poderia ter reclamado da ‘piadinha”, afirma.

Afastamento
A Globo afirmou que a princípio o jornalista está afastado até que “a situação esteja esclarecida” e que a partir de amanhã vai discutir as implicações a longo prazo. Diz ainda que é “visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações”. O próprio Waack ainda não veio a público para comentar o caso, mas segundo a nota da Globo ele “afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza”, mas pede desculpas a quem se sentiu ofendido.

Além do afastamento do Jornal da Globo, o “Painel”, programa de Waack na Globonews, foi cancelado. O programa era apresentado desde o ano 2000 por Waack. Ele tinha acabado de ser reformulado e já tinha sido gravado em cenário novo. Não há previsão sobre se a atração vai voltar ao ar com outro apresentador. No “Painel”, Waack recebia convidados e especialistas em várias áreas para debater assuntos atuais.

A hashtag #WilliamWaack foi para o segundo lugar entre os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil na tarde de hoje por conta do vídeo. “Quem trabalha na Globo e decidiu vazar esse vídeo do William Waack tem nossa eterna gratidão”, comentou um usuário do Twitter. “Vazou um vídeo do William Waack sendo racista. Eu não deveria estar chocada, mas estou”, comentou outra internauta.

Leia a nota divulgada pela Globo:

“Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida.

Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã, iniciará conversas com ele para decidir como se desenrolarão os próximos passos”.

Fonte: correio24horas

Repórter confunde “Bom Dia Brasil” com jornal da Record e se corrige no ar

A internet não perdoa. Na edição de segunda-feira (6/11), o apresentador Chico Pinheiro chamou um repórter de Minas Gerais para uma entrada ao vivo. Ao cumprimentar o público, o jornalista Basílio Magno trocou o nome do programa da Globo pelo da Record: “Bom dia a todos que estão acompanhando o ‘Fala Brasil’. ‘Bom Dia Brasil’, melhor…”.

Basílio foi chamado para dar mais informações sobre um tiroteio ocorrido em Uberaba. Mesmo depois do repórter corrigir o nome do programa, o Twitter não perdoou e vários comentários foram postados sobre o assunto.

Fonte: metropoles

Doença afasta Tom Veiga, o Louro José, do programa ‘Mais Você’

Doença afasta Tom Veiga, o Louro José, do programa ‘Mais Você’

Tom Veiga, responsável por dar vida à mascote Louro José, do programa Mais Você, comandado por Ana Maria Braga, está afastado por problemas de saúde. A assessoria da emissora informou que não tem uma data para a volta de Veiga, embora a apresentadora tenha dito, otimista, que na próxima segunda-feira ele estaria “no lugarzinho dele” ao explicar a ausência do colega.

“Meu filho, papagaio, amigo, lindo está dodói”, disse ao pedir orações para Tom. “Está tudo bem, mas o médico falou para ele ficar um bocadinho em casa que é melhor ele repousar uns dias para se cuidar e ficar bom logo”, completou.

Louro José fez falta também na manhã da última quarta-feira (13). Porém, sua ausência foi justificada pela própria Ana como um atraso. “O Louro dormiu”, brincou a apresentadora ao falar que a mascote havia perdido a hora de deveria estar presa no trânsito.

Ana Maria falou ainda que eles nunca haviam ficado tanto tempo separados.  “Nesses quase 20 anos da nossa trajetória, essa é a primeira vez que, em dois dias, não estamos juntos. Ele já ficou resfriado, já ficou com dor nas costas porque fica muito tempo numa posição que às vezes a coluna não gosta muito, mas essa é a primeira vez que em dois dias seguidos a gente não está junto”.

Fonte: veja.com

Morre o ator Paulo Silvino aos 78 anos

Morre o ator Paulo Silvino aos 78 anos

Morreu nesta quinta-feira, 17, aos 78 anos, o ator Paulo Silvino.

Segundo a Central Globo de Comunicação, ele estava em casa, na Barra da Tijuca, no Rio. Afastado da TV desde o ano passado, o ator e humorista lutava contra um câncer no estômago.

Paulo Ricardo Campos Silvino, nasceu em 27 de julho de 1939, no Rio de Janeiro, filho de Silvino Netto e Naja Silvino.

Homem mostra cartaz de “Fora, Globo” durante transmissão ao vivo; assista

Homem mostra cartaz de “Fora, Globo” durante transmissão ao vivo

Nesta sexta-feira, 28, a repórter Rachel Lemos fazia um link ao vivo direto da Flip, em Paraty (RJ) para o RJTV, na Globo. Durante a transmissão, porém, ela foi surpreendida por um “intruso”.

Um homem apareceu atrás da repórter segurando um cartaz com os dizeres: “Fora, Globo”. Ao perceber a movimentação, ela deu alguns passos para o lado, assim como o operador de câmera, a fim de que o homem não aparecesse nas imagens.

Globo indenizará fotógrafo por usar foto de Pelé comemorando gol com soco no ar

Globo indenizará fotógrafo por usar foto de Pelé comemorando gol com soco no ar

O fato de uma imagem ser famosa não afasta os direitos do autor sobre ela. Este foi um dos fundamentos da 22ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro para negar apelação da Infoglobo e condenar a empresa a pagar indenização por danos materiais e morais de R$ 93,7 mil a Carlos Orlando Novais Abrunhosa autor da icônica foto de Pelé comemorando um gol na Copa do Mundo de 1970 com um soco no ar. Segundo a decisão, reproduzir fotografia sem prévia e expressa autorização do autor configura a prática de contrafação, proibida pela Lei de Direitos Autorais (Lei 9.610/1998).

O autor foi à Justiça após os jornais O Globo e Extra, publicados pela Infoglobo, reproduzirem a imagem em sete ocasiões, entre 2009 e 2014, sem pedir autorização nem remunerá-lo. Segundo ele, a companhia violou seus direitos autorais sobre a fotografia, que foi publicada sem indicação de autoria.

Em contestação, a Infoglobo alegou que as reportagens tinham cunho informativo, de cunho social, sem fim lucrativo. Por isso, não teria cometido danos materiais e morais a publicar a imagem. Além disso, a empresa sustentou que teria havido prescrição, uma vez que já se passaram três anos das veiculações da foto, como estabelece o Código Civil.

Efeito pedagógico

O juiz de primeira instância deu razão ao fotógrafo, mas a empresa recorreu. No TJ-RJ, o relator do caso, desembargador Marcelo Lima Buhatem, entendeu que a reiterada publicação sem autorização das imagens configura danos continuados. Dessa maneira, o prazo prescricional para a ser contado a partir da data da última veiculação – no caso, 5 de janeiro de 2014. Como a petição inicial foi distribuída em 21 de maio daquele ano, não houve prescrição, destacou o relator.

A fotografia é uma obra protegida por direitos autorais, como estabelece o artigo 7º, VII, da Lei 9.610/98, apontou Buhatem. Assim, disse, a sua reprodução sem prévia autorização configura a prática de contrafação. E o fato de ser uma imagem famosa, comumente reproduzida, não afasta o direito do autor sobre ela, ressaltou o desembargador.

Para ele, a Infoglobo infligiu danos morais a Abrunhosa, e o mero pagamento de retribuição autoral não é suficiente. O valor da indenização, a seu ver, deve “desestimular o comportamento reprovável de quem se apropria indevidamente da obra alheia”. Considerando que a imagem foi reproduzida sete vezes, durante cinco anos, Marcelo Buhatem avaliou que a reparação de 100 salários mínimos – o que dá R$ 93,7 mil – fixada pela primeira instância é adequada.

Ele também concluiu que a Infoglobo gerou danos materiais ao fotógrafo, uma vez que usou indevidamente um patrimônio dele. Dessa forma, o magistrado decidiu que o ressarcimento deve ser feito com base no valor de mercado normalmente empregado para utilização de espaço nos jornais O Globo e Extra, a ser apurado na liquidação de sentença. O voto de Buhatem foi seguido por todos os seus colegas da 22ª Câmara Cível do TJ-RJ.

À ConJur, Marcelo Buhatem afirmou que a decisão reitera e potencializa os direitos do autor. De acordo com ele, o acórdão também serve para encorajar profissionais que estejam na mesma situação que Carlos Orlando Novais Abrunhosa — tendo suas obras reproduzidas sem autorização nem remuneração — a buscar a Justiça.

Fonte: conjur.com