Google aprimora segurança para usuários de alto risco do Gmail

Google, da Alphabet, disse nesta terça-feira que disponibilizará um programa avançado de proteção para fornecer mais segurança para alguns usuários, como funcionários de governo e jornalistas que têm alto risco de serem alvos de hackers.

O gigante da internet disse que os usuários do programa terão a segurança de suas contas constantemente atualizadas para lidar com ameaças emergentes.

A empresa afirmou que inicialmente fornecerá três defesas contra ameaças de segurança, que incluem o bloqueio de acesso fraudulento à conta e a proteção contra phishing.

O programa incluirá avaliações e pedidos adicionais no processo de recuperação da conta para evitar o acesso fraudulento de hackers fingindo que foram bloqueados.

A implantação de um conjunto de novos serviços de segurança de email pelo Google acontece depois da eleição presidencial norte-americana de 2016, que foi moldada em parte pela divulgação pelo Wikileaks de emails pertencentes à candidatura da democrata Hillary Clinton, que foram obtidos através de esquemas de phishing.

O técnico-chefe do Centro de Democracia e Tecnologia, Joseph Lorenzo Hall, disse que os novos recursos aumentarão a quantidade de consumidores de alto risco com fortes proteções, mas que possivelmente criariam problemas de compatibilidade entre alguns que já integram ferramentas de segurança personalizada com sua conta do Gmail.

Fonte: exame

Gmail agora deixa você mandar anexos com até 50 MB

Descubra se o seu Gmail foi alvo do mais novo malware do Android

Você não precisa mais hospedar suas fotos e apresentações em algum outro serviço, dá para fazer (quase) tudo pelo e-mail a partir de agora

Está cansado de ter que hospedar seus arquivos grandes em algum provedor de nuvem, como o WeTransfer ou Google Drive? O Gmail agora pode tornar esse trabalho coisa do passado – ao menos para arquivos relativamente pequenos.

A partir desta semana, os anexos do Gmail podem ter tamanho de até 50 MB, o dobro da capacidade anterior dos e-mails.

O Google ainda quer que você guarde seus arquivos no Drive, mas reconhece que apresentações e fotos em alta resolução deveriam poder ser enviadas diretamente pelo Gmail.

“Enviar e receber anexos é uma parte importante das trocas de e-mails. Apesar do Google Drive ser uma forma conveniente de compartilhar arquivos de quaisquer tamanhos, às vezes, você precisa receber arquivos grandes como anexos no seu e-mail”, segundo o comunicado oficial da empresa.

O espaço do Gmail, que é unificado ao do Drive, segue sem alterações: a conta gratuita tem capacidade de 15 GB no total.

MPF/PI ajuíza ação contra Google por “bisbilhotar” e-mails de usuários

Tribunal de recursos dos EUA rejeita ação trilionária contra o Google

Para o MPF, a gigante da internet descumpre normas de proteção de dados, já que pela lei brasileira, os dados pessoais são invioláveis e só podem ter seu sigilo levantado por ordem judicial ou consentimento expresso e destacado do interessado

O Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI), por meio do procurador da República Alexandre Assunção e Silva, ajuizou ação civil pública, com pedido de liminar, contra o Google Brasil Internet Ltda por descumprir normas de proteção de dados, ao fazer scaneamento não autorizado de e-mail´s dos usuários do aplicativo Gmail.

A ação teve como base o Inquérito Civil Público nº 1.27.000.001406/2015-03, que foi instaurado para apurar eventuais descumprimentos às normas de proteção de dados pessoais por parte de empresas prestadoras de serviço público ou de relevância pública, principalmente no que tange aos serviços de internet. A empresa foi oficiada, em razão da informação, de caráter público e notório, de que o Google analisa o conteúdo dos e-mails enviados por meio do seu aplicativo Gmail, com objetivos comerciais (produzir publicidade específica para determinado usuário), a fim de que informasse se vem cumprindo o art. 7º,IX, da lei nº 12.965/14 (Marco Civil da Internet), que exige consentimento expresso e destacado do usuário para tratamento de seus dados pessoais.

O Google alegou que os usuários concordam com esse scaneamento ao aceitarem expressamente os Termos de Serviço e a Política de Privacidade do Google, durante a criação da conta Gmail. Contudo, as informações prestadas pelo Google demonstram que ele não vem cumprindo a legislação brasileira de proteção a dados pessoais. Pela lei brasileira, os dados pessoais são invioláveis e só podem ter seu sigilo levantado por ordem judicial ou consentimento expresso e destacado do interessado, que deverá ocorrer de forma destacada, deixando clara a necessidade de um consentimento específico do usuário para o tratamento de seus dados pessoais.

Na ação, o Ministério Público Federal no Piauí requereu à Justiça Federal:

a) intimação da União, tendo em vista o interesse da Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor- Senacon, para intervir no feito;

b) o deferimento de tutela de urgência ou evidência, determinando que o réu suspenda a análise (scaneamento) do conteúdo dos e-mail´s dos usuários do Gmail, em todo o território nacional, enquanto não for acolhido o consentimento prévio, expresso e destacado do titular da conta de e-mail, inclusive para o envio de publicidade comportamental, sob pena de multa diária no valor de R$ 100.000,00;

c) que o Google seja condenado em obrigação de fazer, consistente em obter dos usuários do Gmail, em todo o território nacional, consentimento prévio, expresso e destacado para analisar/scanear o conteúdo de e-mail´s, na forma do art. 7º, incisos IX da lei nº 12.965/14, assegurando ainda que a qualquer momento o usuário possa revogar a autorização;

d) a condenação do Google por dano moral coletivo, em razão de ter analisado os e-mail´s dos usuários do Gmail sem consentimento expresso e destacado e enviado publicidade aos seus usuários sem autorização prévia expressa, no valor de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), montante a ser revertido ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos, instituído pela Lei Federal nº 7.347/85.

A ação civil pública (Processo nº 25463-45.2016.4.01.4000) tramita na 2ª Vara da Justiça Federal no Piauí.

Confira a ACP na íntegra.

Descubra se o seu Gmail foi alvo do mais novo malware do Android

Descubra se o seu Gmail foi alvo do mais novo malware do Android

Nesta quarta-feira (30 de novembro), publicamos uma matéria mostrando que um novo malware chamado Gooligan estava afetando pelo menos um milhão de smartphones Android. Quando o Gooligan está ativado, ele abre brechas para o controle remoto dos smartphones — além de comprometer o token de segurança da Google e permitindo o acesso a qualquer serviço da empresa.

Apesar dessa aparência assustadora, até o momento o Gooligan parece ter uma razão “menos ladra e mais enganadora”. Ao que parece, os criadores da ameaça não estariam usando a ferramenta para roubar dados, mas sim para instalar apps legítimos e fazer classificações de cinco estrelas neles — para que subam no ranking da Play Store.

Como saber se meu aparelho foi afetado?

Se você quiser saber se a sua conta foi afetada pela brecha do Gooligan, você precisa apenas utilizar uma ferramenta bem simples. Trata-se do Gooligan Checker, que foi publicado pela empresa de segurança Check Point. Tudo o que você precisa fazer é acessar este link, inserir seu email no campo indicado e clicar em “Check” — talvez seja necessário marcar a caixa “Não sou um robô”.