URGENTE: Mãe mata filho de 2 anos a tiros e comete suicídio em vila militar de Porto Velho

A tragédia familiar aconteceu na tarde desta quarta-feira (28), na Vila Militar, localizada na Avenida Farquar, em Porto Velho.

De acordo informações apuradas pelo Rondoniaovivo, a esposa de um coronel do Exército Brasileiro matou o próprio filho a tiros e na sequência cometeu suicídio.

Após os trabalhos periciais, o corpo foi removido ao Instituto Médico Legal. No momento da tragédia, o militar estaria trabalhando.

Ao saber do ocorrido, o coronel  passou mal e teve de ser socorrido ao hospital.

Fonte: rondoniaovivo

Mãe é suspeita de estuprar filha de 9 anos em GO

Uma mulher de 33 anos está foragida após ser acusada de estuprar a filha, de 9 anos, em Hidrolândia, Goiás. O caso chocou a cidade por não ser comum abusos cometidos por mães. O pai da criança, de 43 anos, foi preso na segunda-feira (26/2) devido ao fato de ser conivente com os abusos sexuais cometidos pela esposa. As informações são do portal Notícias ao Minuto.

Segundo informações da Polícia Civil, a denúncia ocorreu após a menina admitir à professora de educação sexual o que vinha acontecendo com ela dentro de casa. Entretanto, em depoimento à PC, o casal negou o crime. As investigações duraram quatro meses, e, segundo o delegado Diogo Rincón, a suspeita é de que os abusos vinham sendo cometidos há pelo menos dois anos.

Após a prisão do pai, a vítima se mudou para a casa da avó paterna. “Os abusos aconteciam, à princípio, dentro da casa da criança. Conseguimos prender o pai, mas a mãe também é investigada”, declara Rincón. O delegado anunciou, também, que ouviu a menina confessando os abusos: “Eu a ouvi, ela afirmou categoricamente. Ela já tinha falado para o pai, e ele disse ‘fica quieta e vai dormir, amanhã você esquece disso’”. Ricón enfatiza que a vítima se encontra abalada.

Mãe é presa após polícia descobrir cadáveres de bebês em congelador

Uma mulher foi presa após a polícia encontrar os corpos de dois bebês em um congelador na residência dela, localizada na cidade de Benndorf, Alemanha. A mãe, de 46 anos, foi denunciada pelo ex-companheiro, que teria descoberto os cadáveres em abril.

Segundo o homem, ao descobrir os cadáveres na ocasião, ameaçou denunciar a mulher à polícia. Porém, o casal organizava uma festa de aniversário para o filho, que entraria na maioridade, e o ex-companheiro da suspeita teria esquecido o ocorrido. Na terça-feira (2/1), enfim, recorreu à polícia.

Ainda não se sabe a origem do falecimento da crianças, de acordo com o jornal regional MDR. Contudo, uma investigação já está em curso para apurar os pormenores do caso.

Fonte: metropoles

Homem de 55 anos é preso suspeito de abusar sexualmente da mãe no PR, diz polícia

Um homem de 55 anos foi preso suspeito de abusar sexualmente da mãe, que tem 88 anos, em Moreira Sales, na região noroeste do Paraná, por volta das 21h desta quarta-feira (27).

Segundo a Polícia Militar (PM), uma vizinha da família ouviu os gritos da idosa pedindo para que o filho parasse e acionou a polícia. O homem foi autuado em flagrante.

A vítima prestou depoimento, mas não quis registrar queixa contra o filho.

Fonte:  g1

Mulher é presa após matar a facadas filha de apenas 6 meses em Nova Iguaçu (RJ)

Uma mulher foi presa depois de assassinar a facadas a própria filha de seis meses na Baixada Fluminense. O crime ocorreu no fim da tarde desta terça-feira, numa residência localizada na Rua Michel Emanoel, bairro Jardim Jasmim, no município de Nova Iguaçu (RJ). Além do bebê, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local, a mulher, que não teve a identidade revelada, golpeou a outra filha de cinco anos e a avó das crianças, de acordo com a polícia.

Durante o ataque, vizinhos ouviram pedidos de socorro e foram até a casa e conseguiram desarmar a mulher. Antes disso, porém, ela já havia golpeado a avó das garotas, identificada como Solange Cruz Ribeiro, de 57 anos; e a menina de cinco anos, além de ter cometido o assassinato contra a filha caçula.

As vítimas que ficaram feridas foram socorridas e levadas para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde deram entrada por volta das 19h. Segundo informou a unidade na madrugada desta quarta-feira, Solange teve mais de “70 perfurações pelo corpo”, na cabeça, abdômen, tórax e braços. Ela passou por exames e teve os ferimentos suturados.

Além disso, uma das facadas provocou o acúmulo de ar entre os pulmões e a parede torácica. Apesar do quadro, acrescentou a assessoria do hospital, não há a necessidade de cirurgia por enquanto. O estado de saúde de Solange é considerado estável e ela continua em observação.

Já a menina de cinco anos sofreu “25 perfurações em ambos os braços e três na coxa esquerda”. Assim como a avó, ela teve os ferimentos suturados e continua em observação. Seu estado de saúde também é estável. A unidade acrescentou ainda que a equipe de serviço social do Hospital Geral de Nova Iguaçu acionou o conselho tutelar para cuidar do caso.

O crime é investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). Agentes da especializada estiveram no local do crime e ouviram a mulher que golpeou os parentes. Ainda não há informações se ela sofreu um surto psicótico ou qual teria sido a motivação do crime.

Fonte: extra.globo

 

Mãe é presa suspeita de aliciar filhas de 12 e 13 anos para prostituição em SP

Uma mulher de 35 anos foi presa em flagrante nesta terça-feira (28), em São José do Rio Pardo (SP), suspeita de aliciar a filha e a enteada de 12 e 13 anos para prostituição, segundo a Polícia Civil.

A mãe teria oferecido as filhas para relações sexuais em uma rede social. A denúncia foi feita por membros do Conselho Tutelar que foram procurados por familiares das vítimas que denunciaram que elas estavam sofrendo abuso sexual.

A mãe disse em depoimento que um dos indivíduos que abusou das meninas é um homem de 42 anos, morador de Porto Ferreira (SP). Ele será investigado pela polícia.

As duas menores foram levadas para o Instituto Médico Legal (IML) para exames de corpo de delito.

Fonte: g1

Projeto permite que pai use licença-maternidade quando mãe tiver incapacidade física ou psicológica

Um projeto de lei em análise na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) repassa o direito à licença-maternidade ao cônjuge, caso a mãe não possa cuidar do recém-nascido por incapacidade física ou psíquica (PLS 442/2017). Atualmente, a legislação já garante a licença ao marido ou companheiro em caso de falecimento da mãe. O autor da proposta, senador Paulo Paim (PT-RS), diz que o benefício não pode ser visto apenas como um mecanismo de proteção à mãe, mas também de amparo ao bebê.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) defende a ideia e lembra que mulheres e homens precisam dividir responsabilidades e terem direitos equivalentes, especialmente quando se trata dos cuidados infantis.

Fonte: agenciasenado

Mãe e padrasto são presos suspeitos de espancar criança de 2 anos até a morte, em GO

A mãe e o padrasto do menino Bruno Diogo Dias Ferreira, de 2 anos e 8 meses, foram presos suspeitos de espancar a criança até a morte, em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil, o casal chegou a registrar um boletim de ocorrência dizendo que a criança tinha morrido em uma unidade de saúde em decorrência de um acidente de trânsito. Porém, a investigação apurou que existiam lesões em todo o corpo da vítima e um laudo comprovou que ela foi estuprada.

Bruno morreu no último dia 3 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Itaipu, na capital. Na ocasião, a mãe, Bruna Lucinda Batista Ferreira, de 28 anos, e o padrasto, Gedeon Alves dos Santos, de 24, chegaram pedindo socorro dizendo que o menino se recuperava de uma cirurgia após sofrer um acidente de moto com uma tia.

Na época, o Conselho Tutelar foi acionado e recebeu denúncias de que o menino era vítima de maus-tratos e constantemente agredido. Assim, o órgão procurou a Polícia Civil e o caso passou a ser apurado pela Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), que solicitou laudos sobre a morte de Bruno.

“Diante dessas suspeitas, instauramos a investigação. Laudos mostraram que ele tinha lesões em todos os lugares. O fígado foi dilacerado, o pâncreas partido ao meio e tinham várias lesões na cabeça”, disse o delegado Danillo Proto, responsável pelo caso.

Prisão

A mãe e o padrasto foram presos na última terça-feira (14) depois de fugir de casa. Antes, segundo a polícia, eles incendiaram o imóvel em que moravam na tentativa de esconder provas do crime e falar que o fogo foi colocado por vizinhos.

O delegado diz que, ao ser questionado sobre a morte de Bruno, Gedeon confessou o crime com frieza, inclusive confessando que usou um amassador de legumes para estuprar a vítima. Proto afirmou que, apesar da mãe negar, ela sabia das agressões e foi conivente com o assassinato do filho.

Ao ser apresentada na delegacia, na manhã desta segunda-feira (20), Bruna negou qualquer envolvimento com o crime. “Eu não sabia que ele ia fazer isso. Eu já vi ele batendo no meu filho duas vezes e eu falei que se ele fizesse de novo eu ia largar dele. Eu errei em confiar nele. Agora só sinto ódio dele. Estou como monstra aqui, mas eu não fiz nada disso”, se defendeu.

Já Gedeon confirmou o assassinato e disse que não sabe o motivo de tê-lo cometido. “Não sei por que fiz isso. Bati nele em um momento de raiva”, afirmou.

O padrasto relatou que já tinha agredido a criança outras vezes. “Já bati usando um monte de coisas que não podia. Dessa vez eu usei esse pilão, bati na cabeça dela. Aí depois eu coloquei o pilão dentro dele”, narrou, se referindo ao estupro.

O casal vai responder por homicídio triplamente qualificado e incêndio. Além disso, Gedeon também vai responder por estupro de vulnerável.

Revolta

Vizinhos do casal acompanharam a apresentação dos presos na delegacia e estavam revoltados.

“Ela sabia de tudo. A gente via as agressões e falava que se ela não quisesse criar, que desse pra gente, que a gente cuidava. Ela é culpada, é um monstro”, reclamou a servente Monica Rodrigues de Oliveira.

Fonte: g1/go

Mãe estupra filho de 11 anos e padrasto posta filme na internet

A mãe de um garoto de 11 anos, de Curitiba (PR), foi presa, nesta sexta-feira (20/10) pelo crime de pedofilia. Segundo a polícia paranaense, a mulher de 33 anos abusava sexualmente do filho. O padrasto da criança, que também foi detido, era o responsável por filmar toda a ação e postar na internet.

Além dos dois, quatro pessoas foram presas em flagrante. Segundo o site TN Online, um deles tem 29 anos e tinha no computador fotos e vídeos da criança sendo abusada. Segundo os agentes que atuaram na operação, o pai da vítima foi o responsável por registrar a denúncia.

Tanto o padrasto quanto a vão responder, além do crime de pedofilia, por estupro de vulnerável e rufanismo, pois a mulher trabalhava como garota de programa e o atual namorado servia como agenciador.

A operação da Polícia Civil do Paraná, em conjunto com a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça  foi chamada de “Luz na Infância”. A ação ocorre em 24 estados brasileiros, para cumprir 172 mandados de busca e apreensão em 184 alvos. O número total de agentes envolvidos são 120 delegados, 609 policiais, 110 escrivães e 53 peritos.

Fonte: metropoles

Mãe é presa suspeita de obrigar filha de 11 anos a se prostituir em Roraima

Uma mulher de 46 anos foi presa nesta quarta-feira (27) por suspeita de obrigar a filha de 11 anos a se prostituir. A suspeita foi localizada na comunidade indígena Bom Jesus, município do Bonfim, Norte de Roraima por agentes do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente.

De acordo com a delegada Jaira Faria, há relatos de que a mãe chegou a levar cinco homens, ao mesmo tempo, para fazer sexo com a criança. Ela teria deixado o próprio marido abusar sexualmente da menina desde que ela tinha cinco anos.

“Pedimos a prisão preventiva dela após a investigação apontar que a vítima era estuprada pelo padrasto desde quando tinha cinco anos. Além disso, a mãe oferecia a filha para ter relação sexual com homens da Guiana [país que faz fronteira com Bonfim] supostamente por troca de dinheiro. A mãe assistia a tudo”, diz a delegada, acrescentando que a suspeita nega as acusações.

Ainda conforme Jaira, a investigação se iniciou quando uma irmã da suspeita registrou diversos boletins de ocorrência da Delegacia da Infância e Juventude relatando os abusos sexuais, em agosto de 2016.

“Começamos a apurar o estupro e descobrimos que mãe era conivente e via o padrasto abusando da filha. A prisão preventiva dele foi decretada pela Justiça. Ele está se escondendo na Guiana. Ainda não o encontramos. Estamos em contato com a polícia da Guiana para nos ajudar”, afirma a delegada.

A menina está em Boa Vista morando com a tia dela. Segundo Jaira, a garota confirmou os estupros sofridos.

“A vítima tem sérios problemas fisiológicos por conta disso. Ela contou tudo e o depoimento dela é o mesmo relatado pela tia e pelo tio. Esse é um caso muito chocante. Essa criança fez relatos horríveis. A mãe pedia a ela para fazer vídeos do corpo para enviar para homens”, disse a delegada.

A criança, conforme Jaira, está estudando e passando por tratamento psicológico. A mãe dela foi conduzida à Cadeia Pública Feminina onde ficará à disposição da Justiça.

Fonte: g1/rr