Estudante universitária morre após passar mal durante rave em Curitiba

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

A Polícia Civil investiga um possível envenenamento ou uma overdose pelo consumo de drogas

A estudante universitária Larissa Rodrigues Campos, de 20 anos, morreu após passar mal em uma festa eletrônica no bairro Prado Velho, em Curitiba, na tarde deste sábado (15). Ela chegou a ser levada ao Hospital Cajuru, mas acabou não resistindo.

Em áudio que viralizou no aplicativo WhatsApp, um familiar de Larissa, que se diz tio dela, afirmou que a jovem teria sido envenenada, depois de alguém colocar droga na bebida da estudante. Amigas da vítima também garantem que ela não seria usuária de drogas.

A Polícia Civil investiga um possível envenenamento ou uma overdose pelo consumo de drogas. Um laudo deverá ser emitido nos próximos 30 dias.

Os responsáveis pela festa enviaram nota à imprensa:

Antes de tudo, lamentamos profundamente o triste fato ocorrido no início da tarde do último sábado. São décadas de atuação no mercado do entretenimento, levando diversão para milhares de pessoas, e nunca imaginamos passar por algo parecido. Não existem palavras para descrever nosso sentimento.

A jovem reclamou de seu estado de saúde momentos depois de entrar no evento. Na sequência, foi prontamente atendida em nosso ambulatório, que contava com todos os profissionais e equipamentos necessários para realização dos primeiros socorros.

Após o atendimento inicial, ela foi encaminhada para o Hospital Cajuru, seguindo os procedimentos exigidos em casos com essa complexidade.

A organização do evento se coloca à disposição dos familiares e das autoridades responsáveis para ajudar em tudo o que estiver ao nosso alcance. Via Banda B

||+destaques

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Em Porto Velho, vigilante é encontrada morta em vila de apartamentos

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima trabalhava como vigilante na Usina de Santo Antônio e por ter faltado o serviço um fiscal foi até o imóvel dela

A vigilante Cleiciane Alves Oliveira, 25, foi encontrada morta na noite de quarta-feira (08) em uma vila de apartamentos em que morava na Rua Vespaziano Ramos, bairro Agenor de Carvalho, em Porto Velho (RO).

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima trabalhava como vigilante na Usina de Santo Antônio e por ter faltado o serviço um fiscal foi até o imóvel dela.

Cleiciane Alves Oliveira tinha 25 anos

A jovem lamentavelmente foi encontrada morta em cima da cama e bem próximo ao corpo dele um frasco de veneno de rato. A Polícia Militar, Perícia Criminal e rabecão do IML  foram ao local para os trabalhos de praxe. Via Rondoniaovivo

Continue lendo…

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Mulheres encontradas mortas em motel podem ter cometido suicídio ou overdose

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

As duas mulheres mortas tinham desaparecido no dia anterior indo a uma festa em São José dos Pinhais. Polícia trabalha com hipótese de overdose

A Polícia Civil investiga a morte de duas mulheres, com 34 e 23 anos, dentro de um motel na cidade de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

As vítimas , que não tiveram identidade revelada, foram encontradas sem vida na segunda-feira (15) dentro da banheira do motel, um dia após serem dadas como desaparecidas a caminho de uma festa em uma chácara.

De acordo com a polícia, não há indícios de que o local tenha sofrido arrombamento. Drogas e remédios foram encontrados dentro do quarto. A perícia ainda vai divulgar laudo da cena do crime, mas as duas principais hipóteses são de que as mulheres tenham sofrido overdose ou cometido suicídio.

Continue lendo…

Empresário canadense é encontrado morto amordaçado e amarrado dentro de sítio no Ceará

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Idoso era proprietário de um comércio no Centro de Eusébio e tinha imóveis na região

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) investiga a morte de um empresário canadense, no município do Eusébio, na Grande Fortaleza. Segundo a polícia, o corpo do empresário identificado como Walter Max Voigtlander, de 85 anos, foi achado na tarde desta quarta-feira (11), morto, amarrado e amordaçado na varanda de um sítio localizado no distrito de Olho D’Água, distante 20 km do Centro do município.

A Polícia Civil informou, em nota, que a Delegacia Metropolitana do Eusébio investiga o crime. Um inquérito policial foi instaurado para apurar as circunstâncias do crime no intuito de esclarecer a motivação e identificar a autoria. 

“Ele estava amarrado, deitado de forma ventral, amarradas as mãos envoltas em um pilar, os pés também amarrados, com a boca tapada e com venda nos olhos”, disse o delegado Everardo Lima ao Sistema Verdes Mares.  

De acordo com o delegado, pelo fato de o corpo já estar em estado de decomposição, não foi possível detectar as causas da morte. Ele acredita que o homem foi morto há cerca de cino dias. A Perícia Forense do Ceará (Pefoce) não soube informar se ele foi baleado ou agredido antes de ser morto. “Só a perícia com exames cadavéricos vai determinar as causas da morte”, disse o delegado.

Morava sozinho e discreto 

“O que a gente detectou é que ele era um estrangeiro de 85 anos de idade, dupla nacionalidade, no caso, alemã e canadense. Morava só, no distrito de Olho D’água, há cerca de oito anos. Falava pouquíssimo português e comunicava-se com poucas pessoas. Era empresário e tem um empreendimento no Centro do Eusébio e unidades de imóveis”, afirma o delegado. 

Uma das linhas de investigação da polícia é o latrocínio, que é roubo seguido de morte. “Houve a invasão da casa, da propriedade que era vulnerável e a gente imagina que quem fez isso, a invasão, entrou ali para roubar. Ele chegou em casa de repente, foi surpreendido pela pessoa ou pelas pessoas. Preliminarmente, a gente vai trabalhar nesta linha que houve um latrocínio. Mexeram em tudo, estava tudo revirado e por enquanto percebe-se que levaram um aparelho de televisão”, detalha Everardo. 

Denúncia 

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais. Denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), e para o ‪‪(85) 3101-2046, da Delegacia Metropolitana de Eusébio. O sigilo e o anonimato são garantidos. Via Diário do Nordeste

Continue lendo…

Acusado de matar caminhoneiro a pedrada durante greve é condenado a 17 anos de prisão em Vilhena

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Defesa de Willians Maciel Dias informou que vai recorrer da decisão. Caso aconteceu durante a greve dos caminhoneiros em maio de 2018

Willians Maciel Dias foi condenado pela Justiça de Vilhena (RO), no Cone Sul, a 17 anos de prisão em regime inicial fechado pelo homicídio do caminhoneiro José Batistela. O julgamento foi realizado nesta quinta-feira (5) no Fórum Leal Fagundes.

A sessão foi comandada pela juíza Liliane Pegoraro Bilharva e teve a participação de cinco homens e duas mulheres no corpo do júri.

O julgamento teve início por volta das 9h desta quinta. As quatro testemunhas que estavam previstas para serem apresentadas pela defesa foram dispensadas.

Em depoimento, Willians assumiu que jogou a pedra que matou José Batistela, quando passava de carro pelo local com a esposa e a filha, mas disse que não tinha intenção de matar o homem.

A promotoria apresentou o caso como homicídio doloso, alegando que o réu havia assumido o risco de matar quando arremessou a pedra contra o caminhão da vítima. No entanto, a defesa sustentou a tese de que o homicídio foi culposo, pois o réu não tinha a intenção de matar o caminhoneiro.

Após cerca de sete horas de julgamento, o júri decidiu pela condenação de Willians Maciel por homicídio doloso, com meio que impediu a defesa da vítima. A pena ficou fixada em 17 anos, mas Willians vai poder recorrer da sentença em liberdade.

O advogado de defesa, José Francisco Cândido, informou que vai decorrer da decisão. “O próximo passo é recurso. A defesa jamais vai se conformar com uma decisão totalmente fora do contexto. A defesa respeita a vontade da maioria dos jurados, mas é um direito do acusado de recorrer e nós vamos recorrer com certeza”, disse o advogado.

Batistela foi morto durante a greve de 2018

O caminhoneiro José Batistela, de 70 anos, foi morto no dia 30 de maio de 2018, próximo a um ponto de manifestação na BR-364. O caminhoneiro carregava madeira e, quando decidiu seguir viagem, foi atingido na cabeça por uma pedra.

Segundo a Polícia Civil, a pedra foi arremessada de baixo para cima por Willians. Ele se entregou no dia 7 de junho e confessou o ataque, mas disse não ter intenção de matar o caminhoneiro. Conforme as investigações, Willians também é caminhoneiro e estava insatisfeito com o fim da greve da categoria. Com G1

Continue lendo…

Sargento do Exército morre após tentar selfie em cima de uma pedra e cair em rio

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Testemunhas disseram ao Corpo de Bombeiros que o militar se desequilibrou, bateu a cabeça em outra pedra e caiu na água

O sargento temporário do Exército Brasileiro Henrique Cipriano Narciso, de 22 anos, morreu após cair no Rio Claro, em Jataí, região sudoeste de Goiás, no domingo (17). De acordo com informações da Polícia Civil, ele estava tirando fotos com amigos em cima de uma pedra, se desequilibrou e caiu na água.

Parentes da vítima acionaram o Corpo de Bombeiros às 10h. Após duas horas de buscas, as equipes foram informadas que amigos de Henrique encontraram o corpo dele.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, testemunhas contaram aos bombeiros que o militar bateu a cabeça em outra pedra antes de cair na água. Desacordado, o corpo foi levado pela correnteza.

LEIA TAMBÉM

Corpo é encontrado esquartejado em bueiro no Distrito Federal

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Terreno fica próximo a terminal de ônibus da região. Identificação só será possível por meio das digitais; cadáver estava apenas com pernas, tronco e braços

O corpo de um homem foi encontrado esquartejado dentro de um bueiro, em Samambaia, no Distrito Federal. Partes do cadáver foram localizadas, nesta segunda-feira (11), após uma denúncia anônima.

O terreno fica na QR 327, próximo a um terminal de ônibus da região. Segundo a Polícia Civil, o corpo continha apenas os braços e as pernas. Como estava em estado avançado de decomposição, a identificação só será possível via análise das impressões digitais.

No momento do resgate, uma moradora informou à polícia que a vítima pode ser o marido dela. A mulher contou que ele está desaparecido desde sábado (9) e foi visto pela última vez na Rodoviária do Plano Piloto.

Até a publicação desta reportagem, a polícia não tinha confirmado a identidade da vítima. O caso é investigado como homicídio. Via G1/BSB

LEIA TAMBÉM

Servidor da prefeitura de Porto Velho é encontrado morto em terreno baldio

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Vítima tinha 41 anos e foi achada morta nesta sexta-feira (8). Caso é investigado como latrocínio

O corpo de Udermiçon Moura, servidor da prefeitura de Porto Velho, de 41 anos, foi encontrado nesta sexta-feira (8) em um terreno baldio da Zona Sul de Porto Velho. De acordo com a Polícia Civil, parentes da vítima informaram que ela estava desaparecida desde quinta-feira (7). O caso é investigado pela Delegacia de Furtos Contra o Patrimônio, na capital, como latrocínio.

Não há informações sobre suspeitos localizados ou presos pelo crime. De acordo com o boletim de ocorrência, que foi registrado inicialmente pela Delegacia de Homicídios, a vítima foi achada caída em meio a uma vegetação do terreno.

Udermiçon era chefe do setor de Patrimônio da Prefeitura de Porto Velho

A Polícia Militar (PM), então, acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou a morte do homem. A corporação não informou se a vítima tinha perfurações pelo corpo.

Após a PM isolar o local para que a perícia desse início aos trabalhos de investigação, parentes do homem apareceram na região e o reconheceram.

Em breve depoimento aos policiais, a família alegou que a vítima estava desaparecida desde a última quinta-feira.

Ainda conforme o registro policial, a PM recebeu a informação de que um veículo estava abandonado em uma rua do Bairro Floresta, também na Zona Sul da capital, e constatou que o carro pertencia ao homem encontrado morto no terreno baldio.

O automóvel foi levado à Delegacia de Furtos Contra o Patrimônio para passar por perícia. O corpo seguiu ao Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil trabalha, no momento, com a hipótese de latrocínio.

LEIA TAMBÉM

Homem que matou caminhoneiro à pedradas durante greve em 2018 vai à júri em Rondônia

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

Julgamento será em Vilhena no dia 5 de dezembro. Acusado responde em liberdade desde fevereiro

A Justiça de Vilhena (RO) marcou, para 5 de dezembro, o júri popular de Willians Maciel Dias. Ele é o principal acusado de ter matado um motorista de 70 anos com uma pedrada, durante a greve dos caminhoneiros em maio de 2018.

Atualmente Willians responde pelo crime em liberdade. Na decisão para marcar o júri, a juíza Liliane Pegoraro destaca que a investigação da Polícia Civil concluiu que o acusado teria assumido o risco de matar José Batistela, pois arremessou uma pedra de 2 quilos no para-brisa do caminhão dirigido pela vítima. O ataque foi no km 9 da BR-364, em Vilhena.

Willians Maciel vai a júri por matar com pedrada o caminhoneiro José Batistela — Foto: Arquivo pessoal

Segundo o judiciário, Willian será julgado por homicídio qualificado, pois o recurso usado no crime impossibilitou a defesa de José Batistela. O júri popular está marcado para 5 de dezembro, a partir de 9h.

Procurada pela Rede Amazônica, o advogado José Francisco negou que seu cliente tenha praticado homicídio doloso. Segundo ele, Willians não tinha a intenção de matar o caminhoneiro quando arremessou a pedra.

Willians em liberdade

Em fevereiro deste ano, Willians conseguiu uma autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para responder a acusação de homicídio em liberdade.

José Batistela estava em caminhão quando foi atingido por pedra — Foto: Arquivo pessoal
José Batistela estava em caminhão quando foi atingido por pedra — Foto: Arquivo pessoal

A decisão de soltar Willians partiu do ministro Jorge Mussi, do STJ. Na época, o relatou destacou na decisão que não há empecilhos para que o acusado responda o processo fora do presídio, mas determinou que o réu usasse tornozeleira eletrônica como forma de medida cautelar.

Homicídio na greve dos caminhoneiros

O caminhoneiro José Batistela, de 70 anos, foi morto no dia 30 de maio, próximo a um ponto de manifestação na BR-364, com uma pedrada na cabeça. O caminhoneiro carregava madeira e, quando decidiu seguir viagem, foi atingido na cabeça por uma pedra.

Segundo a Polícia Civil, a pedra foi arremessada de baixo para cima por Willians. Ele se entregou no dia 7 de junho e confessou o ataque, mas disse não ter intenção de matar o caminhoneiro.

Foto mostra buraco em vidro atingido por pedra jogada por Willians — Foto: PRF/Divulgação
Foto mostra buraco em vidro atingido por pedra jogada por Willians — Foto: PRF/Divulgação

Conforme as investigações, Willians também é caminhoneiro e estava insatisfeito com o fim da greve da categoria. Após a prisão, a defesa fez vários pedidos de liberdade à Justiça, mas todos foram negados.

O Ministério Público de Rondônia (MP-RO) afirma que o réu precisa responder por homicídio doloso, pois a vítima foi surpreendida com a pedra. No ano passado, a defesa de Willians pediu a desclassificação do crime de homicídio doloso para homicídio culposo – quando não há a intenção de matar – e ainda requereu a exclusão da qualificadora. Via G1/RO

LEIA TAMBÉM

Homem mata mochileira que conheceu por app, assiste a pornô e vai se encontrar com outra

Painel Político Revista - https://revista.painelpolitico.com

A mochileira britânica Grace Millane foi morta por um homem que ela conhecera pelo Tinder quando estava viajando pela Nova Zelândia. Após o crime, o acusado de assassinato assistiu em casa a um filme pornô violento, fotografou a genitália da vítima e foi se encontrar com outra mulher via o mesmo aplicativo, enquando o cadáver de Grace estava jogado no chão do flat do seu algoz. As informações foram reveladas na quarta-feira (6/11) pelo tribunal que cuida do caso.

Grace estava viajando pelo mundo. Ela foi dada como desaparecida poucas horas antes de fazer aniversário, em Auckland (Nova Zelândia).

O crime ocorreu em dezembro do ano passado. O acusado, que não pode ser identificado por questões legais, alega que a morte foi acidental. Segundo o réu, de 27 anos, Grace havia pedido para ser estrangulada até perto do limite de perder a consciência, em um suposto jogo sexual sadomasoquista.

Câmera de segurança mostra Grace na noite do desaparecimento Foto: Reprodução

O “jogo” acabou mal. Detalhes da fatídica noite foram revelados na corte diante dos pais de Grace, contou reportagem do “Sun”.

No dia seguinte à morte, o réu retirou o corpo de Grace do seu flat em uma mala e o levou para ser enterrado em uma mata bastante densa. Todo o procedimento foi feito em um carro alugado. Depois de se livrar do corpo, o homem meticulosamente limpou com material específico todo traço de sangue no veículo.

O corpo foi achado uma semana depois. Via Extra/RJ

LEIA TAMBÉM